Brasil - Piadas que ninguém ri - Virgolino Alencar



Negócio seguinte: a gente fala, grita, reclama, reverbera a montanhosa roubalheira, apoia movimentos de protestos, como o dos cminhoneiros, mostra que o governo atropela a lei, a Constituição, a lógica, o idioma, pratica descaradamente a FRAUDE CONTÁBIL no Balanço e comete tantos outros CRIMES, e nada acontece.

Quando acordamos cedinho e lemos ou vemos na TV e na Internet as notícias, na realidade assistimos os membros da quadrilha, bandidos homiziados nos palácos, fazendo palhaçadas e piadas sem graça.

Como me sinto jogando palavras ao vento, desaqueço as catilinárias que tenho sempre prontas para jogar na bandidagem, e passo a postar matérias com histórias que realmente levem os amigos a rirem, fazendo uma pausa na luta pesada, já cansativa, para amenizar e arejar o ambiente.

Para mim a coisa está tão ruim, mas tão ruim, que preciso ter cuidado para não desencantar-me da vida, afinal tenho uma família que me coloca no patamar de mantenedor e de líder e que me cerca de carinho e amor.

Não quero perder a alegria, o bom humor, perdas que fazem mal ao fígado e ao coração e que podem apressar a viagem para o além.
É rir ou morrer.

Vamos rir!!!


Virgolino de Alencar

Adão e Eva - A pergunta pertinente - Virgolino Alencari



 Se Adão fosse homossexual ou Eva fosse lésbica ou os dois tivessem ao mesmo tempo essas preferências sexuais, indago, e não digam que a pergunta é impertinente:

HAVERIA HUMANIDADE? COMO?

Não concebo o argumento de que Deus os tenha feito bissexuais.
Os mandamentos desmentem qualquer argumentação nesse sentido.

Na verdade, Adão era homem hétero, há uma clara lógica sobre isso, e Eva era feminina hétero pela mesma circunstância.

Logo, a homossexualidade poderá ser explicada e até com respeitadas justificações, mas jamais poderá se dizer que está na gênese do ser humano.

E mais. Mesmo que a homossexualidade seja explicável, a viadagem, a espalhafatosa soltada de franga, o deboche, o sacana argumento de que os héteros são homos enrustidos, tudo isso é para defender e justificar um contexto de provocação à sociedade organizada que segue a hortodoxia da criação segundo a forma desenhada pelo Supremo Criador.

Não me preocupa, não patrulho, não policio o comportamento de ninguém na suas escolhas pessoais, nas suas preferências eletivas, exceção à desonestidade, à bandidagem e ao crime por vocação.

Mas respeitem a nossa escolha também, porque mais do que uma escolha é uma circunstância bem circunscrita à criação da própria humanidade.
Vamos separar o joio do trigo. Fique com seu joio e deixem-me curtir o meu trigo. Ora, pois!

Divisão e confusão do estado brasileiro - Virgolino de alencar



 
(Detenham-se nessa análise, amigos, e vejam a raiz de nossas dificuldades)
No Brasil, o Estado Nacional foi fatiado em dois segmentos:
1. A máquina pública brasileira;

2. A máquina privada do PT.

A primeira não é em absoluto causa do desastre do país, mergulhado num buraco escuro, sem luz porque arrasaram a capacidade energética da nação. É vítima de uma quadrilha do crime político organizado.

A segunda, a máquina que o PT privatizou para ele, é a responsável direta pelo estraçalhamento das estruturas morais, éticas, financeiras, econômicas, educacionais, sanitárias, infraestruturais, previdenciária e tantas outras do Brasil.
O déficit, grande e não revelado, é oriundo da invasão lulopetista e do avanço desmedido e sem preocupação com limites, com investigações, com justiça, no erário, raspando descaradamente o tacho.

O tal déficit de 30 bilhões é uma palhaçada. O Orçamento global da União deverá atingir em 2016 o montante de 3,2 trilhões de reais. A despesa, que a máquina petista não deixa cortar, também atinge 3,2 trilhões de reais.

Para se ter o déficit real, ideia exata do rombo, há que só olhar, detidamente, as dotações para pagamento de juros e encargos da dívida, para os itens de interesse do Partido e dos aliados, tudo embutido lá dentro das verbas, porque a peça orçamentária é um primor de rubricas codificadas, desdobradas nos chamados Elementos, Subelementos, Itens, Subitens e se chega às Rubricas Analíticas, tudo ainda agrupado em Funções, Subfunções, Projetos e Atividades, que pouquíssimas pessoas nesse país sabem "lê-las" e extrair a verdade.

É nesse emaranhado que o Congresso, a Mídia e até ditos especialistas não sentem vontade de deitar-se sobre o calhamaço orçamentário, chamado de LOA-Lei Orçamentária Anual, uma peça tremendamente enfadonha para se analisar.
Nela, os governos empurram o que bem querem, goela abaixo de uma nação totalmente desprotegida da necessária transparência.

É nisso que o país está mais arrombado do que o rabo de Jean Wyllys.
Virgolino de Alencar

O tempo de Deus e dos políticos - Virgolino Alencar



Aprendi na vida que não se pode forçar o tempo para amoldá-lo aos nossos desígnios pessoais.

O futuro a Deus pertence, o tempo de Deus não podemos mudar.

Porém, isso não quer dizer que adiemos as coisas que dependem da gente, da nossa obrigação, que devam ser inadiáveis. Façamos o que deve ser feito.

Os políticos, entretanto, querem ser Deus e ajustam o tempo às suas vontades. A nação precisa de um ato político para corrigir flagrantes erros do sistema de poder, são exigências que não podem ser diferidas para o amanhã, mas, eles, os políticos, não estão nem aí.

Vejam o sr. Eduardo Cunha. Põe a esperança na cabeça do povo brasileiro,

Apresenta-se como pessoa capaz de ajudar na solução desse grave problema vivido pelo Brasil e na hora "h" diz que não é tempo de encaminhar a providência, no caso, colocar em discussão e votação na Câmara Federal o Impeachment da presidente Dilma, fato clamado pela maioria do povo brasileiro, inclusive por muitos que sufragaram seu nome nas eleições.

O volume de fatos que a enquadram no crime de responsabilidade, previsto na Constituição Federal, gritam por uma medida urgente que não encontra eco nos ouvidos do presidente da Câmara Federal.

Ele está tratando um assunto seríssimo como uma brincadeira, com uma atitude "chove, não molha", própria dos calhordas chantagistas que se aproveitam desses episódios para tirarem vantagens.

Minhas dúvidas sobre Eduardo Cunha, já expostas em outros comentários, cada vez aumentam mais.

Não lhe dou mais crédito.

Virgolino de Alencar

Os ladrões deixaram o país de pires na mão - Virgolino de Alencar




Pela quantidade, detalhes e qualidade das medidas adotadas pelo desgoverno Dilma, fica patente uma circunstância: o Brasil está quebrado, está de pires na mão, precisando de ajuda da sociedade, só que, pasmem, com esta aceitando ser roubada mais ainda.

Como esta se recusa a cobrir o buraco causado por puro roubo, o governo lança mão de sua habitual forma de agir: roubar nossa renda.

E quem quebrou o país? A quadrilha comanda por LULA, DILMA, O PETISMO E OS ALIADOS, aboletados nas tetas do Estado, onde sugaram até esgotar o leite e sair sangue.

Esse pacote do pires na mão poderá, e assim Deus queira, dar o empurrãozinho final, tangendo essa quadrilha de bandidos, que nada fica a dever às organizações criminosas tradicionais, comanda por um sem vergonha, sem caráter, sem ética, de personalidade sem eira nem beira.

Quando a nação ver-se ameaçada em sua segurança, vislumbra o perigo de ver rasgada sua Carta Magna, é exatamente nessa Carta que estão os meios e os direcionamentos institucionais para defenestrar os bandoleiros que a infelicitam.
NÃO TEM NADA DE GOLPE, NEM DE DITADURA. AO CONTRÁRIO, QUER-SE EVITAR A IMPLANTAÇÃO DA DITADURA SANGUINÁRIA DO COMUNO-SOCIALISMO QUE O POVO BRASILEIRO JÁ DEMONSTROU QUE NÃO ACEITA.
OS ACÓLITOS IDIOTAS DOS BANDIDOS TENTAM ASSUSTAR A POPULAÇÃO COM O PODRE ARGUMENTO DE QUE SE ESTÁ DEFENDENDO DITADURA.
NÃO. QUEREMOS, SIM, BLOQUEAR A EXPEDIÇÃO DITATORIAL DE QUEM FEZ DE SUA VIDA UM IDEAL DE DITADURA DE ESTADO, TOMANDO O PODER PARA TIRAR DELE OS RECURSOS E LEVAR PARA SEU PATRIMÔNIO PARTICULAR.
NA VERDADE, QUEREMOS SALVAR O PAÍS DESSA BANCARROTA, JUNTO COM A ROTA TROUPE QUE O ASSALTA E QUER FICAR IMPUNE.
O RABO DE PALHA DELES ESTÁ ESQUENTANDO.
E VAI SER QUEIMADO COM A DEFINITIVA DERROCADA DE UM SISTEMA PODRE E IMORAL.

Esclarecendo os companheiros, se é que eles querem esclarecimento - Virgolino Alencar



O Governo não mandou ao Congresso um orçamento deficitário.


Encaminhou o Projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias-LDO, estabelecendo, como o nome deixa claro, as Diretrizes para o Orçamento de 2016, projeto que devia entrar no Congresso até junho de 2015, portanto já com atraso.
O Projeto de Lei Orçamentário Anual-LOA, ainda será encaminhado ao Congresso Nacional. Na LOA, dado o tempo decorrido, muita coisa prevista pela LDO poderá e deverá ser mudado.

Não há rombo de R$ 30,5 bilhões. Isso é um balão de ensaio do Governo, escondendo que o buraco é muito maior e que aparecerá na LOA, que mostrará a receita prevista e a despesa fixada.

Na receita constarão as operações de financiamento do deficit e se verá que o rombo é imenso.

O Governo botou um bode na sala, todo mundo está com o olho no bode e não vai atentar para a realidade da LOA, esta sim o instrumento que representa a real gestão das contas públicas.

Esse mimimi em torno do tal deficit da LDO é uma jogada do sistema de Poder, desviando o foco de questões mais cruciais.

Os técnicos do Governo, com cara de besta, estão rindo dos bestas que estão debatendo em torno do nada.

Estou vendo companheiros, sem se deter nessa realidade, dizendo bobagens, alardeando tolices, alimentando os satânicos desígnios do Sistema Putopetista.
Se querem ser enganados que sejam.

Como modesto especialista em Administração Financeira e Orçamentária, eu estou fora!
 

A insondável figura de Eduardo Cunha - Virgolino de Alencar



Pelas posições que estão abrindo caminho para a possibilidade real do Impeachment, adotadas por Eduardo Cunha, com muita disposição, diga-se, leva-nos a torcer para que ele tenha êxito, afinal ele está fazendo o todos nós queremos.
Mas, confesso, que bate em mim uma desconfiança das atitudes enigmáticas de Eduardo Cunha. Na hora do pega pra capar, ele mantém a posição ou vai, sobre pretexto de não causar estabilidade das instituições, ficar adiando e rolando a coisa pra frente?

É esse o meu receio e de muita gente.

Mas não apoiamos essa caça feroz que o PT desencadeia para afastar do caminho o Presidente da Câmara e fazer escapar Lula e Dilma de toda essa bandalheira de que eles são autores, partícipes e beneficiários, em prejuízo da economia, da ética e da moral nacional, da própria vida do País.

É esperar pra ver, com o foco no esquema de corrupção institucionalizado exatamente a partir de 2003, como PT no Poder.

Essa verdade, a essa altura, ninguém pode mais esconder.
 

Respeito à palavra, ao idioma - Virgolino de Alencar



 

(O que não está sendo o forte do sistema de pode nacional)


O grande romancista francês Stendhal, na novela Armance, colocou na boca de um personagem esta sentença irretocável: “O homem criou a palavra para esconder seu pensamento”.

Há um fingimento no homem de difícil, mas não impossível, percepção, exigindo uma sutil análise do que ele diz. Não é o fingimento de que falou Fernando Pessoa, quando afirmou que “O poeta é um fingidor/Finge tão completamente/Que chega a fingir que é dor/A dor que deveras sente”.

Na realidade, sentimos uma cruel insinceridade na palavra dos homens, fazendo com que, por trás da verdade que eles dizem, vejamos uma mentira, e na mentira que eles contam, se possa sentir algum sopro de verdade, ainda que seja por esperteza.
No campo da política, no discurso dos palanqueiros, a sentença de Stendhal é presença assídua, recorrentemente tonitruando, dolorindo nossos ouvidos.
Viva a palavra, mas salve-nos do seu mau uso!

A linha tênue entre o normal racional e o anormal por desânimo emocional circunstancial - Virgolino Alencar




A nossa emoção normal e racional caminha sobre uma linha tênue que a separa da reação anormal ativada por circunstância que nos traz desânimo e nos incita a se afastar do meio em que vivemos e nos meter num retiro isolado e desconectado do mundo.

O controle emocional, da calma, da paciência, da tolerância, da aceitação de um contratempo, de repente pode transformar-se em perda do domínio dessas emoções e circunstâncias e as reações mais primitivas ameaçam nos atiçar para atitudes injustificadas.

Ter essa conjunção que se instala na mente, e focado nessa possibilidade de ser engolfado por fatores externos e dominado por situações adversas, momentâneas, sentimos que explodem como raio e como raio desaparecem, desafia o segredo para um autodomínio e um seguro controle emocional, que evite, por pender na linha tênue, passar para o lado errado que, em frações de tempo, ameaça nos empurrar para um destino definitivamente destrutivo.

A forma mais segura é segurar-se na fé, que, como diz minha mulher, Ida Macêdo De Alencar, na sua convicção espiritual, "é a chama viva que devemos manter no nosso coração".

Está aí a força que nos segura na linha tênue e nos evita pular para o lado anormal que o desânimo nos possa empurrar.

Ministros do Supremo Tribunal Federal - Escolhas - Virgolino de Alencar



Vou tocar aqui num tema que possa parecer absurdo, mas de acordo com as claras regras da nossa Carta Magna, não o é, ao contrário é argumento constitucional.
A Constituição Federal, no Capítulo III(Do Poder Judiciário), Seção II(Do Supremo Tribunal Federal), Art. 101, expressa:
 

"O Supremo Tribunal Federal compõe-se de onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada."

A CF não exige o diploma de Bel. em Direito, não cabendo assim a ninguém exigir. E notável saber jurídico pode ser encontrado num cidadão autodidata, publicamente reconhecido por sua atividade, pelo que defende e/ou escreve sobre a temática jurídica.

Não é uma regra, Deus me livre de defendê-la, mas uma exceção e exceção factível.
Em qualquer setor da vida, é melhor um não diplomado com notável saber do que um jumento com diploma.

Quem, mesmo não Bacharel, mas estuda, observa, acompanha o Direito, testemunha escorregadas jurídicas de muitos dos Excelentíssimos Ministros do Supremo Federal, surfando sobre dispositivos da Constituição, fazendo incorreta exegese de termos ou textos jurídicos não tão dificultosos assim de se interpretar. Enfim, no Brasil sempre prevalece o lema de que "o Poder tudo pode" e nos empurram goela abaixo as mais esdrúxulas decisões.

Fazer o quê?
 

Informação oficial, com provável margem de erro para menos - Virgolino Alencar



 

Desemprego chega a 7,9%, maior nível desde o 1º trimestre de 2013, diz IBGE
O desemprego no primeiro trimestre de 2015 chegou a 7,9%, maior taxa desde o primeiro trimestre de 2013, quando foi de 8%. No mesmo período do ano passado, o desemprego registrado foi de 7,2%.

Os dados fazem parte da Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) e foram divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira (7). Ela leva em conta dados de 211.344 domicílios particulares permanentes distribuídos em cerca de 3.500 municípios.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Esse e todos os dados da performance econômica do país, nesse primeiro trimestre de 2015, foram desastrosos, vergonhosos, dando mais um empurrãozinho do país para o fundo do poço.

Querem resolver aumentando os juros, os tributos, os preços e, em outra ponta, achatar a renda, suprimir direitos.


Sem renda, quem vai pagar esses juros, quem vai recolher tributos, quem vai comprar?
Consequência: Retração no consumo, menos produção, mais desemprego.
E mais buracos nas contas públicas.

Onde Joaquim Levy aprendeu esse modelo econômico?

Sabe-se lá!!!!!

 


 

De neurônio re neuropsicologia



 

Não sou psicólogo, menos ainda psiquiatra e nem neurologista.

Mas não acho difícil observar o papel e a ação dos neurônios em muita gente, inclusive até intelectualizada.

O que venho observando é o seguinte.

Em algumas pessoas, os neurônios não aguentaram o desvio de pensamento e tomaram uma atitude:

- GENTE, NÃO FUI FEITO PARA ISSO, ENTÃO ADEUS!
E DERAM NO PÉ!

A pessoa perdeu a capacidade de raciocinar, já não diz coisa com coisa, defende uma idéia hoje, amanhã desdiz, dando tapa nos fatos e tiro no pé.

Sofre de hiponeuronia, a diminuição drástica dos níveis ideais de neurônios, causando a cegueira mental. A mente negando o que os olhos vêem.

São essas pessoas que, com claras deficiências neurológicas, acompanham e defendem o sistema bandido de comando da nação, sem que elas sejam pessoalmente adeptas de banditismo.

É uma circunstância intrínseca à composição do sistema nervoso central, não tendo em muitos casos nada a ver com a inteligência da pessoa.

Mas, em algumas, juntam-se as duas características da mente, ou seja, jumentice e neuronice, e aí a coisa pega feio.

Com a palavra os especialistas.

VIRGOLINO DE ALENCAR

Sidebar Menu