Autoridade fajuta - Lourdinha Luna



 AUTORIDADE FAJUTA
Pobre do pais que para cumprir aditamentos de sua Constituição careça de um projeto de lei permitindo sua execução.

 CARTA MAGNA do Brasil proibi que Servidor Público, seja qual o Poder ou cargo que exerça, tenha salario superior ao dos Ministros do STF. Se é preceito expresso nada mais precisa para que a lei seja soberana.

É uma repetição esdruxula, esquisita, porque é uma norma menor dando ordens a uma maior. Um deputado juntando o jetom com os pendurucalhos somam mas de 100 mil reais, por mês. O colegiado vai se conformar com o decesso de seu rendimento?... Os funcionários que recebem quantia superior aos R$33 mil reais aceitarão, sem ranger de dentes, a remuneração diminuída? O sacrifício é para os pequenos que estão se desfazendo do conforto, oferecido pela técnica moderna e estão desistindo da Internet na TV e optando por apenas por um canal para os filhos pesquisarem. E os sem emprego que é a maior humilhação para um ente humano. não ter trabalho remunerado.

Entendem os maiorais da Republica, que a salvação do pais está no policiamento da PREVIDÊNCIA, e ameaçam os segurados com aposentadorias castradas e aumento de anos trabalhados. Puro engano. Se houvesse uma penalidade enérgica para a corrupção e os vencimentos fossem pagos de acordo com a Lei Maior, não haveria motivo para se castigar tanto o povo, que não cometeu crime para ser torturado.

Quer exemplo maior do que a sonegação de remédios para os carentes, pelo poder público!.... O que aguarda o povo brasileiro para aumentar a sua via crucis?: Humilhação, vexame, afronta, ultraje.

Censura ao STF - Lourdinha Luna



 
A MIDIA (escrita, falada, televisionada e internauta) tem sido cruel com o STF por ter votado pela permanência de RENAN CALHEIROS na Presidência do Senado.

O Colegiado, composto por cientistas do Direito, tem sido independente em suas decisões jurídicas. Pelo menos uma vez, fora criticado, pela ação do Ministro Marco Aurélio Mello que inocentou, depois de cassado, seu primo Collor de Mello de qualquer ato ilícito, na Presidência da República em 1989/92. Se não me falha a memória foi por unanimidade.

A FICHA LIMPA permitiu-lhe candidatar-se a Senador por Alagoas e reaproximar-se de Lula e de Dilma, ambos ainda Presidentes da Republica do Brasil e seus fidagais inimigos.

O caso foi lembrado pelo Presidente do STF Joaquim Barbosa, numa sessão que discutiam sobre penas do MENSALÃO, tendo como oposicionista o ministro Marco Aurélio.

Como me falta autoridade legal para comentar o fato, acredito que a vitória de Renan fora ditada pela prudência, no caminho da paz para os brasileiros, cansados de sofrer com os desatinos que lhe são impostos.

É entristecedora a situação do Senador Presidente do Senado - Lourdinha Luna




É entristecedora a situação do Senador Presidente do Senado. É lamentável se constatar que um cidadão brasileiro, após ter alcançado posição politica, desde jovem, através de cargos públicos bem remunerados, suje seu currículo, com manchas de corrupção.

A simples aproximação do Poder insinua influência nas áreas de votos e chegar à culminâncias relevantes se sucedem, sem grandes esforços. Qualquer Casa do Congresso é um banco que oferece condições ao seu Presidente de ajudar os que recorrem à sua benevolência. Em especial quando esse homem é inteligente, forte nas atitudes e bem quisto entre seus pares.

Cada vez mais a Nação perde elementos de valor e inteligência, embriagados pelo poderio oscilante da perversão. Já se foi Eduardo Cunha, o finório Presidente da Câmara Federal.

Quantos brasileiros vivem vida simples e até de intenso sacrifício e conservam-se fieis aos princípios éticos impostos pela moral e os bons costumes. A sociedade exige punição para os de comportamento fora da lei. Repito é deplorável o que acontece com Renan Calheiros, mas deve ser penalizado para que não só a arraia miúda pague por seus erros.

Operação ‘Mãos Limpas‘ - Lourdinha Luna



 Em 1992 surgiu na Itália a Operação Mãos Limpas, para combater a corrupção que humilhava o pais.

Foram presas 2.993 pessoas, entre empresários, parlamentares e quatro Primeiro Ministros. A investigação durou de 1992/94, e liquidou os maiores Partidos Políticos do pais e provocou vários suicídios.

Quase prendeu Giulio Andreotti, nove vezes 1º Ministro. A situação deixou um vazio no meio político, com o aniquilamento dos Partidos.

A pista livre atraiu o predador Silvio Berlusconi, um finório depravado e corrupto, pior que os antigos políticos eliminados da vida pública. Ele ficou no Poder de 1994 a 2011.

O projeto Lava Jato se espelha na Operação Mãos Limpas, na boa intenção, de limpar o pais do crime de colarinho branco. Vem fazendo um trabalho que merece o apoio de nossa sociedade.

O que desejam os brasileiros sensatos é ver o esforço dos denodados - Juiz Sergio Moro, do Procurador Geral e dos demais Procuradores e da Policia Federal reconhecidos. E que nossa pátria tenha destino diferente da Itália e no futuro vote com espirito público para que o trabalho que se realiza no presente não leve o nosso berço natal à pior situação.

Sinal dos tempos - Lourdinha Luna




Diziam os escritos antigos que o final dos tempos se anunciariam nos seus Céus, Terra e Mar, com catástrofes devastadoras.

O que temos visto senão surpresas, terrestres, físicas e morais, desconcertantes, em todo o mundo, para o conjunto humano de brio e de vergonha.

O Brasil não fica à margem dos insucessos de todas as especies, geralmente, de arruinação do caráter. O Congresso se empenha na votação de emenda que o livre, em sua totalidade, (300 congressistas) de pagar por seus erros.

A seca que devasta o campo empobrece o Estado e não há arrecadação suficiente para enfrentar as despesas inevitáveis. A solução apontada pelo Poder Central é dispensar funcionários (prestadores de Serviço, Codificados), mas não se refere a rebaixar vencimentos acima do teto constitucional, existente no Executivo, Judiciário e Legislativo.

O aumento da alíquota da Previdência de 11% para 14% em nada castiga os salários altos, mas aos pequenos, pesa muito.

A CORRUPÇÃO que mostrou sua força nos últimos anos, ameaça enfraquecer com as medidas governamentais em execução, contra a LAVA JATO. A tendência do grupo oficial é dificultar a atividade normal da Policia Federal, com o remanejamento arbitrário dos elementos mais capacitados para coibir o avanço da perversão.

Foram "CONVIDADOS" para Postos de Direção fora de Curitiba -MARCIO ANCELMO, o coordenador e bastião da Equipe da LAVA JATO. E ERIKA MARENA , ex-chefe do grupo e que deu nome a operação. No lugar dos veteranos removidos, foram designados dois Procuradores com menos de 30 anos e apenas 2 de função na PF.

Outras "benesses" estão em andamento no Congresso. Ninguém se assuste se os presidiários do futuro sejam os Íntegros Procuradores e Investigadores do presente. Só nos resta aguardar que as ações oficiais contra a moralização do Brasil, se transforme, como no tempo Cristo, quando o extermínio dos seguidores de Jesus tornaram-se em sementeiras de cristãos. Vamos velar para conferir se Deus é brasileiro!...

Nome na História - Lourdinha Luna



 
É natural que o Presidente do PL Adriano Galdino, que não teve, nos últimos tempos, sua lua cheia na politica, queira deixar seu nome na historia da Assembléia Legislativa.

Com a verba que amealhou acrescida com a economia no corte de medicamentos que o Poder fornecia, anos seguidos, a seus funcionários, é normal o desejo do deputado de deixar seu nome nos Anais da Casa.

O Poder Legislativo é dono de acomodações excelentes na Duque de Caxias, de onde foram retirados os serviços para casas alugadas a altos preços. O Serviço Social tem a dependência inicial para um processo na rua Dom Pedro I (Centro) e sua continuidade, obrigatória, está na rua Capitão José Pessoa, em Jaguaribe.

A dificuldade de estacionamento obriga o servidor a chegar às 6 horas e aguardar o horário das 10 horas para começar seu processo, desde que o expediente é exíguo em dias e horários.

Recupere Presidente o imóvel arruinado da Epitácio Pessoa e junte as atividades funcionais dispersas, que prestará um grande bem a quem precisa visitar esses endereços.

Porém deixe onde está a sede do Poder Legislativo, construído por Ernani Sátiro para fazer a Praça dos Três Poderes, no local onde o Presidente areense João Lopes Machado ergueu a sede e as oficinas do jornal A União, considerado por José Américo como a primeira Escola de Jornalismo da Paraíba.

Resta-me desejar-lhe êxito em sua caminhada.

O prédio do Legislativo - Lourdinha Luna




Lourdinha Luna
Sempre aos domingos, ao raiar do sol, chegava o governador Ernani Sátiro à mansão do Cabo Branco, em visita a seu amigo e “conselheiro” José Américo. Numa manhã ele passara, apenas, para avisar que o Secretário de VOP, Luiz Almeida, lhe faria com sua equipe, uma demonstração de como seria a sede do Poder Legislativo. O engenheiro jogou sobre a mesa de jantar um rolo de plantas ( alta, baixa) e foi dissertando sobre cada uma. Eu assistia a explanação, porém, a linguagem metodológica dificultou-me entender os riscados. Ao se retirarem perguntei a José Américo, onde seria feita a construção do novo prédio do PL. O interrogado então me respondeu: Deve ser no terreno que deixei comprado e escriturado, com destinação especifica, em frente ao Palácio da Redenção, mas do outro lado do Pavilhão do Chá. Em conta vinculada, no Banco do Estado da Paraíba, consignei para o projeto a quantia de seis milhões de cruzeiros.

Tive pena dele ao narrar com tanta satisfação a provável serventia de sua ação, porém, não escondi dele a verdade. No local está um imóvel federal e a verba, no começo do governo de Flavio R. Coutinho tivera destinação diferente da que estava lavrada em documento que ele firmara, com o Presidente do Poder Legislativo, Ramiro Fernandes.
Sem tardança começara a peregrinação à residência de José Américo. Vieram os saudosistas Oscar de Castro, Osias Gomes, Celso Mariz, Virginius da Gama e Melo, Frutuoso Dantas, Leonardo Smith, um jornalista paraibano que após a Revolução de 1930 aportou no Recife, para assumir cargo vitalício que lhe impôs o amigo José Américo. Os saudosistas ao comentarem aonde seria implantado os alicerces da Casa do Povo, o constrangimento tomou conta de todos. Apelos foram feitos, variando de técnicos a sentimentais, para que o construído pelo Presidente João Lopes Machado fosse preservado, como parte da história republicana da Paraíba. Nada valeu porque Ernani Sátiro era uma autoridade intransferível.

O edifício plantado em lugar estratégico para formar a praça dos 3 poderes, está ameaçado de fechar. Ernani Sátiro faz falta...

Morte prematura - Lourdinha Luna




Nada mais natural do que a morte de quem chegou ao seu limite, pela idade ou mal incurável. Mas quando ela ceifa vidas que ainda muito podiam oferecer à família e amigos e às vezes, repentina, é uma agressão a alma humana. A tristeza toma conta de nós e faz residência no coração, onde a dor se perpetua. Refiro-me a passagem da existência terrena para a eterna, de Carlos Roberto de Oliveira, a cujo velório e missa de 7º dia não compareci impedida por uma Virose, que ainda me atormenta.

Fiz a pedido do Editor da PATMOS o – José Américo em quadrinhos. Fui a 1ª convidada para serie e nessa condição entreguei o escrito solicitado, para que a história do areense abrisse a lista dos divulgados a seguir.

À minha reclamação pela demora da publicação Carlos Roberto informava que havia urgência na revelação da trajetória de Augusto dos Anjos. A contestação não se calava: “fale-me de um benefício à Paraíba por via do poeta do “nojo” como o batizou o parnasiano Olavo Bilac. Eu me despedia zangada, porém, ao chegar em casa sabia de seu telefonema apaziguador. Até que um dia houve o lançamento, na ENERGISA, do “livro”, como ele queria que se chamasse a revista infantil. A assistência fora consagradora e a bilheteria compensou os esforços do Editor e do desenhista Josival Fonseca (VAL) que mostrou seu valor como artista do traço.

Voltarmos a ser amigos e ao lance de cada periódico seu convite era certo e jamais perdi um evento. Com seu óbito antecipado conheci, em detalhes, o que fez por colegas, por vinculo de amizade ou profissão. Cresceu em mim o apreço por sua religiosidade, ao pôr em prática a 3ª virtude teologal, a tão ausente caridade! ...

Para consolo de seu amado clã, esposa, filhas, netos, genros e companheiros de atividade jornalística e literária, só resta acatar a sentença de Cecilia Meireles: “quando o homem morrer na vida, quando o homem ressurgir na morte, nunca mais tu morrerás” Carlos Roberto.

Virose - Lourdinha Luna



 
A modernidade se impõe e mostra seu poder nas enfermidades produzidas por vírus. Antes o incomodo que produz febre, desanimo e uma tosse renitente, era definido como gripe. Hoje é batizado como VIROSE e apesar do avanço da medicina, é persistente, incomoda e cumpri um circulo.

Ela tem me roubado a alegria de comparecer às festas literárias e às comemorações natalícias. Também me poupou de ir ao velório de quem eu nunca pretendia ver inanimado.

Embora se diga que a morte é o fim da vida animal e que o espirito é libertado, ou mesmo, fecha-se os olhos na terra para ver melhor do Céu, a partida lega dor, sofrimento moral, mágoa, pesar, aflição.

Gosto de celebrar a vida e quanto mais acrescida em anos, melhor. É prova de que o amigo (a) viveu muito. E quando o que parte, foi um servidor do próximo, deixa exemplos de fé, coragem, discernimento e fez da esperança seu escudo, mais ainda seu passado me encanta, embora lamente o desenlace com os amados familiares e os amigos queridos.

A existência terrena é um presente de Deus a seus filhos, porque, apesar dos percalços, é salubre o vale de lágrimas em que vivemos.

Outra visita de ministro - Lourdinha Luna




Eu não creio na propalada dificuldade financeira do pais. Se existe só se refere aos direitos dos carentes que já tiveram cortados pão e leite, remédios e outros benefícios.

A Assembleía Legislativa em plena fase de finanças negativas, quando se prega economia, vai construir um novo prédio para o Poder Legislativo.

Também nunca vi o Presidente da República captar votos para um projeto de interesse nacional ao redor de um banquete oferecido aos congressista, em que o tesouro desembolsa 300 mil reais de cada vez, quando recomenda restrição de gastos.

As confabulações acontecem nas Casas Legislativas ou nas residencias de Senadores e deputados às suas próprias expensas. O povo que em nada é responsável pelos desmandos administrativos "está comendo o pão que o diabo amassou...", enquanto isso o regabofe congressual é regado a wisk de R$660,00 a garrafa.

Os Ministros vivem fazendo turismo, no Nordeste, em aviões da FAB, com grande comitiva. Há 3 dias esteve em João Pessoa, o Bruno Araújo, das Cidades, para informar que o "Viaduto do Geisel é uma grande obra do governo de Michel Temer"... (?) Hoje o Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho ilho, aportou no aeroporto Castro Pinto, para conhecer a ENERGISA e aguardamos o que vai tirar da cartola para oferecer aos paraibanos. O Brasil aprende a andar para trás!.

A visita do ministro - Lourdinha Luna



 
Na visita do Ministro das Cidades a João Pessoa, o titular Bruno Araújo, deve ter sofrido frustração sem tamanho. E não será maior porque seu tempo foi cronometrado para outras inspeções, não pôde apreciar a obra valorosa, batizada pelo povo como Viaduto Ernesto Geisel. Se porventura s. excia. se dispuser a vistoriar qualquer município interiorano, encontrará pequenas comunidades asfaltadas e outras benfeitorias a serviço dos usuários, porque o nosso governador se preocupa com os paraibanos.

O trabalho de arquitetura examinado pela autoridade visitante, na capital da Paraíba, o Viaduto do Geisel, fora orçado em R$31 milhões de reais e coube ao Ministério das Cidades a cota de R$ 17,8 milhões. Os R$13,5 milhões atribuídos ao Estado foram totalmente integralizados à construção, que o ministro ora fiscaliza para liberar a verba atrasada.

Essa passagem superior é de real importância para a mobilidade urbana da cidade de João Pessoa, a terceira mais antiga do Brasil. No centro é rara a artéria que tenha espaço para o transito fluir, daí os engarrafamentos que atrasam compromissos e queimam combusteis. É prudente que se evite congestionamentos nos bairros populosos. Sua extensão mede quase 2 km, com 4 alças que têm por objetivo melhorar o acesso viário. A intervenção solucionará problemas de circulação e no encontro com a BR 230 atende aos moradores dos bairros da zona sul e a capital.

Na aprovação do projeto o diretor do Dnit, parabenizou o governador pelo plano bem elaborado. O Estado que ganhou a alcunha de “altaneiro”, na luta de 1930, pela bravura de seus homens, tem sido bem representado pelos seus governantes. Em especial por aqueles que trabalham e livram seus governados da humilhação do endividamento financeiro, porque na Paraíba recebe-se o salário dentro do mês trabalhado.
Quanto ao nosso futuro governador, sr.Ministro, não se preocupe porque a Paraíba já o escolheu...

A grande mentira - Lourdinha Luna



 
A mídia brasileira informa (hoje) que a dívida do Brasil extrapolou os 3 trilhões de reais. Perguntam: Como, se o Presidente Lula liquidou o DEBITO EXTERNO, com o FMI, em 22 -2- 2008?

O Ministério da Fazenda e o Banco Central registraram a façanha ao dizer que em 508 anos de sua história o pais deixa o papel de devedor e ingressa no time seleto dos credores do Fundo Internacional. Os jornais de maior circulação dentro e fora da Nação brasileira, transmitiram a notícia alvissareira.

Em defesa do liquidante os petistas cegos de visão e raciocínio escondem a verdade. Para liquidar o debito de R$212 bilhões de reais, com o FMI, enquanto a DIVIDA INTERNA era de R$ 852 bilhões, o governo federal deixou de pagar para solvência do compromisso, juros de 4% ao ano. Tomou por empréstimo aos bancos brasileiros, a quantia correspondente, com juros de 19,5%, em 12 meses, para fortalecer os banqueiros, dai os negócios fraudulentos que a LAVA JATO vem mostrando.

A divida interna foi subindo, sem a amortização devida e está hoje em mais de 3 trilhões. Os banqueiros ou a “elite” satanizada pelo PT passaram a ser os donos do Brasil, para sustentar uma mentira política de Lula. Esses dados pesquei na CPI da Dívida que ocorreu na Câmara dos Deputados em 2010, com farta documentação fornecida pelos bancos credores. Como duvidar? A ganancia dos banqueiros é tanta, que cobra IOF se você tossir quando entrar numa agencia. E vão massacrando funcionários e clientes.

Convencimento - Lourdinha Luna




Quanto mais leio jornais e convivo com outros meios de comunicação mais me asseguro de que se não fosse a maldita CORRUPÇÃO o Brasil seria o melhor lugar no mundo para se viver.

A natureza é normal, embora haja os ciclos de seca que se generalizou e não são mais só no Nordeste, como nas demais regiões do pais. Há também os temporais que são prejudiciais, à produção de grãos e outros insumos para fortalecer a nossa economia.

O povo é bom e hospitaleiro e a fama de acolhedor já rompeu nossas fronteiras. No entanto a semente da perversão que vem desde o descobrimento em 1500 é mantida na alma do brasileiro e quando ele assume o poder ela floresce e frutifica.

Há quem reclame que a sindicância só atinge o Partido dos Trabalhadores. A circunstância se prende ao fato de ser muito grande o numero de denunciados do PT.

O PMDB está na lista e outros serão objeto de citação. Se não fosse o caráter criminal que se instalou em nossa pátria, a miséria era fator desconhecido. Ninguém padecia o mal da fome e da sede, nem morreria à míngua de remédios.

Havia educação, saúde,segurança e mais habitação para quem dela carecesse. As prisões estavam vazias, porque não faltaria emprego. E cantávamos aleluia todos os dias!.... Contudo há uma luz não do extermínio total da corrupção, mas que ela se desencante e arrefeça, porque há entre nós a LAVA JATO.

A PEC 241 - Lourdinha Luna



 
APROVADA a emenda que constará da Constituição Federal (mãe) que terá vigência de 20 anos, dará tempo ao Brasil de se transformar num imenso cemitério.

É um regresso aos séculos XVIII e XIX quando se morria à míngua de remédios, porque não existiam. Hoje os grandes laboratórios os fabricam, mas, o Estado Federal e Estaduais que eram os maiores compradores para doar aos que não pudessem adquiri-los às suas expensas, negam o beneficio assegurado nas Constituições (Federal e Estadual).

A corrupção ao se apossar das verbas fechou, em definitivo, a concessão. Mas os aliados com a perversão nada sofrem, desde que seu patrimônio fortalecido pelos cargos representativos, em nada são atingidos, financeiramente.

O 1º a negar a benesse foi o Poder Legislativo, para fortalecer a ideia de mudar para outro local a Instituição que faz a designação de Praça dos Três Poderes. Ativos e inativos padecem com a restrição, mas nada podem fazer !... Dá dó ver o desengano dos que precisam de assistência médica e ao "procurar a Casa que por infelicidade se procura e por felicidade se encontra" (Alcides Carneiro) o que se observa são consultórios dos hospitais, vazios e pratilheiras zeradas de medicamentos. Até quando os carentes vão ser condenados à morte precoce... Por muito menos a corte da França caiu!...

Os lembrados de ontem - Lourdinha Luna




O advogado João Dantas e Ulisses Guimarães foram lembrados em data de 6.10.2016. O 1º trucidado covardemente na penitenciaria do Recife, em regozijo pela vitoria da revolução de 1930, acontecida no dia 3 de outubro.

O segundo o SENHOR DIRETAS JÁ, além de outros títulos, com que em vida fora reverenciado, atendia pelo onomástico de batismo ULISSES GUIMARÃES, um politico e caçador de sonhos. Deu ao pais a Constituição, que a crismou de "cidadã", em 1988.

Assumiu o MDB que passou a PMDB e o dignificou, com a coragem dos heróis. Como agremiação oponente atraiu o respeito do Regime Militar em vigor.

Apaixonado pela ideologia partidária, ia ao extremo de dizer: " quem não se interessasse por ela, também não se interessava pela vida." Fez da politica sua arma e sua barda.

Vivo teria completado 100 anos. Tive a honra de apertar sua mão em São Paulo, ouvir o relato de sua luta, numa voz branda e sofrida e dei-lhe meu voto para Presidente da República. Será que o SENHOR CONSTITUINTE, de onde se contra, vê o seu amado PMDB afogado na lama da corrupção? É lamentável.

Os vícios da eleição - Lourdinha Luna




Por mais que a Justiça condene a COMPRA DE VOTOS não há quem segure o movimento de venda da consciência. E quando na comuna o magistrado é benevolente, não carece mais de discrição. Montam o comercio em qualquer esquina e o leilão abre o pregão: "quem dá mais...quem da mais..." A prudência está fora de moda em SOLÃNEA.

Embora o município abrigue gente boa, sincera e amiga, existem os aproveitadores, os falsos, os traiçoeiros, que endeusam o Prefeito, ou o ex-Prefeito, com vistas às suas próprias vantagens funcionais e comodidades, nos veraneios em casa daqueles que vão trair... São os Judas da politica partidária.

Lamento que meu sobrinho universitário, politico por vocação, de fé cristã, jovem, sem vícios e de bom comportamento, FRANCISCO DE ASSIS DE MELO JUNIOR, tenha se decidido disputar um cargo de Vereador em SOLÂNEA, sua terra natal. Contudo foi uma oportunidade para se conhecer a ação de amigos fies que rezam pela cartilha da amizade ou da gratidão.

Ao apoiarem o filho digno e puro, do doutor CHIQUINHO, em sua pretensão, sabem que o candidato não comprou voto (uma exceção), ofereceu um programa que beneficiará todas as classes e por suas virtudes e conhecimento jurídico será um destaque na Câmara.

Agradeço aqueles que não venderam SUA HONRADEZ, afago agradecida a todos os familiares, que preservam nossa origem, enfim aos sem medo de ser correto. Também abomino quem favorecido pelo ex-Prefeito doutor Chiquinho, de longe, descartou o nome de seu filho para a vitória, apoiando outro. Vitorioso e agradecido aos solanenses que sufragaram seu nome estão o sobrinho e a tia.

Texto instigante - Lourdinha Luna



 

Um dia após a veneração a José Américo na Fundação que leva seu nome, um artigo publicado em A UNIÃO, obriga-me a desmentir o que o jornalista HÉLIO POLVORA, disse a respeito do homem público probo, portador das virtudes antigas, cuja história e padrão de vida, honra o seu berço.


1º) Diz o jornalista: “Eu não apenas fui seu hospede, como bebi seu uísque, que ele já entrado nos anos guardava como um troféu,”


Resposta: Há 53 anos convivo com José Américo e sua memória. E na relação dos hospedes, anotados por mim, a partir de 1963, quando José Américo se aproximava dos 80 anos, NÃO CONSTA O NOME DE HÉLIO POLVORA. Entre os anos de 1951 a 1962 ele pouco se demorava em João Pessoa, porque vivia no Rio de Janeiro para assistir sua esposa enferma. A casa era responsabilidade de um caseiro. O hiato acontecera em 1958 quando candidatou-se ao Senado e foi derrotado, pela seca daquele ano.


2º) Diz o falsário “em 1936 José Américo fora a Bahia em campanha politica para a Presidência da Republica. A viagem como me esclareceu o professor Cid Teixeira, fora marcada por um desastre de aviação, em que o Interventor Antenor Navarro faleceu.”
Resposta: O naufrágio se deu em 26 de abril de 1932, e não em 1936. José Américo regressava do sertão nordestino, com destino ao Rio de Janeiro para contar a Getúlio Vargas e aos jornais brasileiros o que deixara no fogaréu.


3º) No discurso da Bahia, que acabei de reler, em nenhum momento Zeamérico fala “Eu sei onde está o dinheiro...”


Resposta: Essa expressão ele usou, realmente, no comício no Rio de Janeiro, e depois, em outro discurso, revelou o local: nos FUNDOS DE PENSÃO, que o PT acaba de liquidar em transações corruptas e fraudulentas.


E continua ridicularizando José Américo porque era onisciente, digno, trabalhador e honesto. Esse jornalista deve ser um daqueles que, pendurado no MVOP, perdeu a mamata. Estranho a publicação na A UNIÃO tantos anos depois de escrita a infâmia.

Impeachment de Dilma Rousseff - Lourdinha Luna




Espantou-me a resiliência e autoridade de quem vem sendo bombardeada há dois anos, pelo que há de mais suspeito no Congresso Legislativo do pais. Na cova dos trânsfugas e ingratos não há mais lugar a preencher. Não sou petista e entendo que falta a Presidente, na atual conjuntura, condições para governar. No entanto, que sou capaz de, com isenção, comentar os fatos.

ilma se defendeu e foi ouvida com atenção, em respeito a sua coragem e decisão de relatar os fatos., no Plenário do Senado Federal., ontem, 29.08.2016. Respondeu às perguntas maliciosas de seus inquisidores, com argumentos válidos e observações criteriosas que, pelas faces se notava o quanto repercutia em seus íntimos as revelações pertinentes que deram causa ao processo de inquisição.

Quem acompanha, pela mídia e os debates nas Casas Legislativas, sabe que o motivo especial, de seu afastamento, diz respeito ao inconformismo do PSDB com a derrota, de 2014, que o distanciou do Poder. Desamparado, o Partido perdedor, aliado ao ex-denodado PMDB valeram-se do deputado EDUARDO CUNHA, que selecionou entre os vários pedidos de impeachment, um que não o envolvia e conseguiu apear DILMA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.

Grave são as denuncias de corrupção contra o ex-Presidente da Câmara dos Deputados, porém, com a proteção do interino MICHEL TEMER, do PMDB e acolitado pelo PSDB e partidos menores, Cunha vai ser devolvido às suas atividades e só mais adiante, derrubará o amigo do peito,TEMER, porque ESSA VIDA É UM BUMERANGUE, A ARMA ATIRADA, RODOPIA E VOLTA AO ATIRADOR. Acautelem-se os que não gostariam de ver seus nomes citados na tramoia, pois em breve as livrarias estarão cheias de livros relatando a falsa que já entrou para a historia do século XXI do Brasil.

Como entender? - Lourdinha Luna



Quem visita Areia lê em sua entrada uma placa indicativa que chama a atenção: “Terra de Pedro Américo”. Ao deixar seu berço, aos 10 anos de idade, para integrar. como desenhista, a missão científica do naturalista Jacques Brunet, estudioso da flora e fauna do Nordeste brasileiro, nunca mais o menino prodígio voltou à sua serra, nem fez sobre ela um traço para contentar os areenses.

Nem quando foi eleito deputado federal, por Areia, ele encontrou tempo para um afago àquela que o destacou no plano político. Ao criar em projeto constitucional três Escolas de Ensino Superior, beneficiou o Pará e outros Estados, nenhuma para a Paraíba.
O historiador Horácio de Almeida ao tentar repatriá-lo e sepultá-lo no Brejo de Areia valeu-se de artifícios ante a oposição de patrícios, magoados com o desprezo que dedicara às suas raízes. O defensor disse até que ele pedira para dormir o sono eterno na gleba de sua origem.

O esquife de bronze chegou à Paraíba e a colônia areense, residente em João Pessoa, rendeu-se aos argumentos do Secretário de Justiça - Horácio de Almeida - e compareceu ao cemitério Senhor da Boa Sentença onde o ataúde aguardou secar o lamaçal da Serra da Onça, que permitiria seu acesso à cidade serrana.
Em contrapartida o filho Ministro, chefe do MVOP - José Américo - deu-lhe ascensão ao fazer de sua carroçável uma estrada moderna, em 1932. Levou o Presidente Getúlio Vargas para conhecer a urbe e o local onde seria implantada a Escola de Agronomia. Engrandeceu seu torrão na literatura. Governou o Estado democratizado desde que JÁ arredou a porteira da ditadura na entrevista a Carlos Lacerda. Abriu as portas do futuro para estudante pobre ao criar uma Universidade. Foi presente em Areia, até transferir-se para o reino espiritual onde descansa.


Quem é merecedor de ter seu nome no acesso à cidade de Areia? Como fez Alagoa Grande com José Silva Gomes Filho (Jackson do Pandeiro).

ADÁGIOS ANTIGOS Lourdinha Luna - Memorialista.



 
Existem adágios modestos quanto à singeleza do seu contexto, porém, certeiros no tocante à justeza do emprego em sua citação. “ Nada como um dia atrás do outro...” é um deles.

A 17-04 p p, na votação da Admissibilidade para o Senado da República instalar o processo de impedimento que impediria Dilma Rousseff de continuar a governar a Nação. O Presidente da Câmara dos Deputados era a imagem da fleuma. Nem os insultos à sua pessoa (gangster, ladrão, corrupto) e outros adjetivos de peso, proferidos pelos votantes, alterou sua aparente tranquilidade. Porém, quando a votação alcançou o patamar de 342 votos, (numero regimental exigido para afastar a Presidente), Eduardo Cunha riu com os olhos de satisfação. Na postura fria do presidente da sessão os lábios impassíveis se proibiram de transmitir emoção!...

O Presidente da Câmara, naquela hora, deve ter se sentido um “deus”, dono de um plenário, genuflexo às suas ordens. Ao final do sufrágio com o placar de 367 contra à sua vítima e apenas 137 a seu favor, o carrasco mostrou na TV, um contentamento policiado, como convém a uma “alteza”.

Na semana finda, diante da mesma assembleia, Eduardo Cunha era a imagem da dor. Presente, para fazer sua defesa, inseriu ameaças que não amedrontaram os "amigos". Os olhos ainda refletiam as lágrimas de ontem. Abandonado pelos que "comprou" para os terem a seu lado, o desalento revelava a amargura alojada em sua alma perversa, com a certeza da malograda esperança de vitória.

Nas votações perde no staff que comandou. Como argumento falho, volta-se para a “vingança” dos opositores, por ter aberto o debate para o impeachment de Dilma Rousseff. Creio que o decaído não pensou que esta vida é um bumerangue e o estilete enviado para ferir o inimigo, rodopia e retorna para o atirador. A Presidente afastada deve está a repetir outro slogan – “quem rir por último, rir melhor...”

N- Publicado no CP de 19.07.2016

Sidebar Menu