Estatisticas do blog

No momento, 7 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 2891141 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    O descaso da Sedurb com os ambulantes no centro da cidade





    Por falar em Prefeitura, inegavelmente a Sedurb vem realizando um trabalho impecável no que diz respeito a jardinagem de nossas praças e canteiros, mas o mesmo já não se pode dizer da fiscalização do passeio público, pois os ambulantes que foram alojados nos mais diversos centros comerciais e mercados públicos na gestão de Ricardo Coutinho e Luciano Agra, pouco a pouco por conta da inércia da fiscalização retornam as ruas do centro sendo muito difícil hoje caminhar pela Rua Duque de Caxias e Ponto, Miguel Couto e Ponto  de Cem Reis, tomado por verdureiros, engraxates, vendedores de cocos de Cds e outros e até mesmo ciganas enganando os incautos com a velha cantilena de ler a palma das mãos das pessoas. O danado é que meia dúzia de agentes da Sedurb se postam ali entre os ilegais vendedores e fazem vista grossa, já que não abordam ninguém. Será que vamos voltar ao tempo da gestão de Cícero Lucena onde se vendia e cortava nos bancos onde deveriam sentar as pessoas, peixes, galinhas, bodes e porcos? Tomara que não, pois seria um verdadeiro retrocesso para uma capital que pretende ser turística.






    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Os exorbitantes preços do estacionamento do Hotel Tambaú




    Há alguns anos, numa operação milionária e muito mal explicada, foram doados a Companhia Tropical de Hotéis, milhares de metros quadrados no entorno do Hotel Tambaú. No lado da chamada Portaria de Serviço foram instalados ali vários campos de tênis, para uso de particulares, sendo tal serviço cobrado. No lado contrário na chamada saída de praia a doação foram de mais de 30 mil metros quadrados, numa enorme área, que eles alugam eventualmente para exposições de artesanatos e outros eventos. Ao lado, um estacionamento para mais de 100 veículos, alugado para um particular que já cobrava um preço irreal, ou seja, R$ 5 por cada hora e agora inexplicavelmente passou a cobrar R$ 8, num reajuste superior a 60%, sendo que veiculos maiores tipo Van pagam R415,, explorando descaradamente a nossa população, já que pelo convenio os hóspedes do Hotel Tambaú têm entrada franca. Não seria a hora de o Ministério Público apurar e explicar a população paraibana, como se deu a doação da milionária área a uma empresa particular?






    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina


     OS PROCESSOS DE RICARDO COUTINHO E O TERCEIRO TURNO

    Ricardo Coutinho responde a cerca de uma dezena de processos acusados pela coligação de Cássio Cunha Lima e agora pelo Ministério Público de eventual abuso do poder econômico e a utilização de alguns programas sociais do governo, que existem desde o início da gestão, além de muitas nomeações que seriam de cabos eleitorais. Como o pau que bate em Chico bate em Francisco e preciso que o povo saiba que Cássio Cunha Lima responde a quatro processos por abusos no último pleito, cuja condenação - se acontecer - impediria que o mesmo seja candidato nos próximos, já que estaria inelegível e ai ambos condenados, teríamos então uma nova eleição para escolha do nosso governador. Será que vale a pena? Em tempo: a propósito de se tentar ganhar as eleições no chamado ‘tapetão’, o próprio presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, declarou: "Eleições concluídas são, para o poder Judiciário Eleitoral, uma página virada. Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que os especuladores se calem. Não há espaço.”

    OS VOLÚVEIS VEREADORES DE SANTA RITA

    Há poucos meses, os vereadores de Santa Rita, afastaram o então prefeito Reginaldo Pereira, acusando o dito cujo de várias irregularidades, dando posse então ao vice Netinho, que segundo se falou na época iria dar aos mesmos diversos cargos na estrutura municipal. Agora inesperadamente os mesmos vereadores, mesmo existindo na Justiça sentença ratificando o dito afastamento, inexplicavelmente depois de uma reunião secreta na casa de Reginaldo Pereira e uma nova reunião em elegante Hotel na orla, se reúnem e desmancham tudo que fizeram lá atrás, tentando assim a volta de Reginaldo Pereira, tendo o deputado Anísio Maia sobre tal conduta dito: ‘Eles estão renovando na picaretagem. É a primeira vez que um prefeito cassado tem a decisão anulada pelas próprias pessoas que o condenaram. Todo mundo sabe que foi uma grande negociata”. Pois é Anísio Maia, vai ver que o tempero servido no restaurante da orla, fez os edis santa-ritenses mudarem rapidamente de opinião.


    REGINALDO DE VOLTA A PREFEITURA DE SANTA RITA

    A propósito tal imbróglio político e jurídico envolvendo o comando da Prefeitura Municipal de Santa Rita, o mesmo ganhou ontem um novo capítulo, já que o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) acatou recurso movido pela assessoria jurídica do prefeito eleito nas urnas, Reginaldo Pereira (PRP), e revalidou a última decisão do parlamento santa-ritense. Como se sabe, na última terça-feira (16), a Câmara Municipal de Santa Rita anulou ato próprio de cassação do prefeito Reginaldo Pereira, ocorrida há nove meses. A nova decisão do Poder Judiciário afasta novamente o vice-prefeito Netinho de Várzea Nova do cargo de titular do Poder Executivo municipal e recoloca Reginaldo Pereira no poder.

    BRIGA ENTRE DOSI VEREADORES DA CAPITAL

    Um encontro entre os vereadores Sérgio da Sac e João Almeida, ontem, no final da tarde, na sala vip da Câmara Municipal, resultou em confusão e quase que o vereador João Almeida agrediu o vereador Sérgio da Sac, tendo segundo o jornalista Heron Cid, chegado ao ponto de João Almeida segurar no colarinho de Sérgio da Sac, em razão de o mesmo dias antes ter classificado João como irresponsável. Tal episódio foi narrado ontem no programa Correio Debate da 98 FM, por um repórter especialmente designado pelo comandante do programa, Heron Cid. Ouvido a respeito do assunto, o vereador Sérgio da Sac procurou minimizar e revelou: ‘Não teve desentendimento nenhum, teve só uma desavença, mas política. João Almeida é meu amigo. É fofoca”, concluiu Sérgio sobre o suposto episódio.O desentendimento dos parlamentares está associado a crítica feita por Sérgio ao então secretário de Desenvolvimento Urbano, João Almeida, após a instalação de um parque de diversões sobre calçadas no Valentina. Sérgio classificou o vereador secretário de “irresponsável” na época.

    OS CALOTES DA PREFEITURA DA CAPITAL

    Aqui mesmo neste espaço, este aprendiz de digitador, já tinha criticado a Prefeitura da capital e o prefeito Luciano Cartaxo pela canseira que vem dando nos fornecedores da Prefeitura, principalmente aqueles da área da cultura e que dependem da Funjope. Agora chega a informação através do jornalista Fabiano Gomes de que a canseira é generalizada em todas as secretarias, ou seja, a empresa vende ou presta o serviço e simplesmente não recebe o que já vem afugentando alguns empresários, impossibilitados de pagarem aos seus empregados. Quando Ricardo Coutinho assumiu a Prefeitura de João Pessoa o descrédito era tão grande que até mesmo comprar um galão de água mineral, só acontecia se o produto fosse pago a vista e o mesmo pouco a pouco virou o jogo e no meio da sua gestão - revelou um empresário que pediu para não ser identificado – se entrava com a fatura na segunda-feira e na quinta ou sexta o dinheiro já estava na conta. O prefeito Cartaxo precisava ficar esperto, pois pode ter alguém na sua equipe fazendo gols contra.

    O DESCASO DA SEDURB COM RELAÇÃO AOS AMBULANTES

    Por falar em Prefeitura, inegavelmente a Sedurb vem realizando um trabalho impecável no que diz respeito a jardinagem de nossas praças e canteiros, mas o mesmo já não se pode dizer da fiscalização do passeio público, pois os ambulantes que foram alojados nos mais diversos centros comerciais e mercados públicos na gestão de Ricardo Coutinho e Luciano Agra, pouco a pouco por conta da inércia da fiscalização retornam as ruas do centro sendo muito difícil hoje caminhar pela Rua Duque de Caxias e Ponto de Cem Reis, tomado por verdureiros, engraxates, vendedores de cocos de Cds e outros e até mesmo ciganas enganando os incautos com a velha cantilena de ler a palma das mãos das pessoas. O danado é que meia dúzia de agentes da Sedurb se postam ali entre os ilegais vendedores e fazem vista grossa, já que não abordam ninguém. Será que vamos voltar ao tempo da gestão de Cícero Lucena onde se vendia e cortava nos bancos onde deveriam sentar as pessoas, peixes, galinhas, bodes e porcos? Tomara que não, pois seria um verdadeiro retrocesso para uma capital que pretende ser turística.

    OS EXORBITANTES PREÇOS DO ESTACIONAMENTO DO HOTEL TAMBAÚ

    Há alguns anos, numa operação milionária e muito mal explicada, foram doados a Companhia Tropical de Hotéis, milhares de metros quadrados no entorno do Hotel Tambaú. No lado da chamada Portaria de Serviço foram instalados ali vários campos de tênis, para uso de particulares, sendo tal serviço cobrado. No lado contrário na chamada saída de praia a doação foram de mais de 30 mil metros quadrados, numa enorme área, que eles alugam eventualmente para exposições de artesanatos e outros eventos. Ao lado, um estacionamento para mais de 100 veículos, alugado para um particular que já cobrava um preço irreal, ou seja, R$ 5 por cada hora e agora inexplicavelmente passou a cobrar R$ 8, num reajuste superior a 60%, explorando descaradamente a nossa população, já que pelo convenio os hóspedes do Hotel Tambaú têm entrada franca. Não seria a hora de o Ministério Público apurar e explicar a população paraibana, como se deu a doação da milionária área a uma empresa particular?

    GOVERNO FEDERAL LUTA PELA VOLTA DO CPMF

    Primeiro o governo federal usou os governadores nordestinos para essa impossível empreitada, ou seja, o retorno da CPMF e agora revela o deputado Jerônimo Georgen (PP-SP), que foi procurado por um deputado petista para ele assinasse um projeto de iniciativa da Câmara, já que o governo não tem coragem de tomar a iniciativa e bancar a proposta. O pior de tudo é que o ex-presidente Lula sairá em campanha pela aprovação. Se tal acontecer Lula vai pagar um preço muito alto na sua campanha em 2018.

    Esta coluna é publicada no http:/www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da sexta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Procurador minimiza denúncias contra RC: ‘um processo como outro qualquer




    O procurador do Ministério Público Eleitoral, Rodolfo Alves, afirmou que a ação movida contra o governador do Estado, Ricardo Coutinho, é um processo como outro qualquer e que cabe ao Judiciário determinar se houve ou não a prática de abuso do poder.

    PRE/PB processa RC, Lígia Feliciano e Francisca Henriques por conduta vedada; EntendaProcurador eleitoral diz que com diplomação o processo eleitoral está concluído. ‘Não haverá terceiro turno’Alves concedeu uma entrevista ao Sistema Arapuan logo após a diplomação dos 71 eleitos nas eleições deste ano, no Espaço Cultural. O procurador explicou que o MPE instaurou, no decorrer da campanha, alguns procedimentos que levantaram informações sobre as acusações feitos pela coligação de Cássio Cunha Lima (PSDB) em relação ao uso do Programa Empreendeer durante as eleições.

    O procurador que já havia informado que não haverá terceiro turno no estado, minimizou as ‘provas’ apresentadas e disse apenas que algumas poderiam indicar o abuso de poder. No entanto, o procurador ressaltou que a ação vai a julgamento e todos os interessados terão amplo direito de defesa. “O Judiciário é que dará a última palavra”, conclui. Fechar [x]

    Pedro Callado com Anderson Soares

    Paraiba.com

     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Conta de água e esgoto vai aumentar a partir de janeiro de 2015, revela presidente da Cagepa





    Tweet A Cagepa está concluindo estudos para um aumento na tarifa cobrada do público pelo serviço de fornecimento de água e esgoto em toda a Paraíba. Segundo o presidente da companhia, Deusdete Queiroga, para que o aumento sejaaprovado ele ainda precisará passar por uma audiência pública.

    “Ainda não temos como dizer qual o valor que será aprovado. Os estudos estão sendo conduzidos pelos técnicos da empresa, que estão estudando os custos operacionais deste ano”, explicou.

    Ele revelou que vários fatores externos determinaram o aumento da tarifa, tais como o aumento nas contas de energia elétrica, custos com pessoal e o aumento do preço dos produtos químicos usados como insumos para a limpeza da água comercializada pela empresa.

    “Há realmente uma necessidade. Ao longo do ano nós tivemos estes aumentos de custo e é natural que a Cagepa use este reajuste para cobrir e repor os custos da empresa”, disse Deusdete.

    O reajuste deverá acontecer já em janeiro de 2015. Em uma semana deveremos ter organizado e realizado a audiência pública e teremos os preços novos da tarifa de água e esgoto. Nossos técnicos esperam até o último momento para divulgarem estes valores, justamente para poderem ter um cenário mais realista do preço real que poderemos cobrar a partir do ano que vem.

     

    João Thiago com Antonio Malvino

    Paraiba.com


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Janot deve pedir inquérito contra parlamentares em fevereiro





    WILSON DIAS:

    A Comissão de Constituição e Justiça do Senado sabatina o procurador da República Rodrigo Janot, indicado para o cargo de procurador-geral da República.
    Procurador-geral da República deve apresentar denúncia ao STF contra parlamentares investigados na Operação Lava Jato em fevereiro do ano que vem, quando termina o recesso do Judiciário, que começa amanhã (19); em depoimentos de delação premiada prestados no MPF e na PF, o doleiro Alberto Youssef indicou os nomes de autoridades com foro privilegiado, como deputados federais e senadores, que receberam dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras

    André Richter - Repórter da Agência Brasil

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar, em fevereiro do ano que vem, denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra parlamentares investigados na Operação Lava Jato. Em fevereiro, termina o recesso do Judiciário, que começa amanhã (19).

    Em depoimentos de delação premiada prestados no Ministério Público Federal e na Polícia Federal, o doleiro Alberto Youssef indicou os nomes de autoridades com foro privilegiado, como deputados federais e senadores, que receberam dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobras.

    Para ter validade, a delação premiada aguarda homologação pelo ministro Teori Zavascki, responsável pelos processos da operação no Supremo. Os nomes dos citados estão em segredo de Justiça e ainda não foram revelados oficialmente.

    As informações prestadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, por meio de delação premiada, também serão analisadas na formulação de denúncia contra os parlamentares.

    A parte da investigação da Operação Lava Jato que não envolve pessoas com foro privilegiado tramita na Justiça Federal em Curitiba, onde correm 18 ações penais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Para líder tucano fim da CPMI foi vergonhoso‘





    Foto: Luis Macedo:
    Líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy, considerou "vergonhoso" o encerramento dos trabalhos da CPMI da Petrobras, com a aprovação do "relatório chapa-branca" elaborado pelo deputado Marco Maia; "Os aliados da presidente Dilma não queriam nem que a reunião de hoje, quinta-feira, 18, acontecesse. O objetivo deles era enterrar a CPI sem um relatório para não causar nenhum constrangimento ao Palácio do Planalto", reclama o tucano

    Bahia 247 - O líder do PSDB na Câmara, deputado Antonio Imbassahy, considerou "vergonhoso" o encerramento dos trabalhos da CPMI da Petrobras, com a aprovação do "relatório chapa-branca" elaborado pelo deputado Marco Maia, do PT. Foram 19 votos contra cinco.

    "Os aliados da presidente Dilma não queriam nem que a reunião de hoje, quinta-feira, 18, acontecesse. O objetivo deles era enterrar a CPI sem um relatório para não causar nenhum constrangimento ao Palácio do Planalto", disse Imbassahy.

    Segundo ele, muitos senadores e deputados chegaram a se esconder em seus gabinetes, a 50 metros da CPI mista, mas por pressão da oposição e da imprensa "tiveram de dar as caras".

    "Uma investigação sobre o maior escândalo de corrupção da história não pode terminar assim. É por isso que vamos enviar o relatório paralelo, que apresentamos ontem (17) ao Ministério Público Federal e no retorno das atividades do Congresso, em fevereiro, já vamos reunir as assinaturas para uma nova CPMI", disse o líder tucano.

    Imbassahy conclui que a comissão mista foi encerrada de acordo com as expectativas do governo, "sempre indisposto a esclarecer os sucessivos episódios de desvio de recursos públicos". "Ao longo de todo o tempo, o Palácio do Planalto e a sua base fizeram de tudo para que não avançássemos nas investigações mas elas continuarão em 2015" avisou o tucano.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Toffoli; ‘Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral‘




     
    "Eleições concluídas são, para o poder Judiciário Eleitoral, uma página virada. Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que os especuladores se calem. Não há espaço. Já conversei com a corte e é esta a posição inclusive de nosso corregedor geral eleitoral", afirmou o presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, após o discurso de diplomação da presidente Dilma Rousseff na noite desta quinta (18)

    247 - Após o discurso da presidente Dilma Rousseff em sua diplomação, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dias Toffoli, fez uso da palavra e disse que não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral.

    "Eleições concluídas são, para o poder Judiciário Eleitoral, uma página virada. Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que os especuladores se calem. Não há espaço. Já conversei com a corte e é esta a posição inclusive de nosso corregedor geral eleitoral. Não há espaço para terceiro turno que possa vir a cassar o voto destes 54.501.118 eleitores", disse.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Diplomada Dilma pede ‘pacto contra a corrupção‘





    Roberto Stuckert Filho/PR:
    Com a diplomação da presidente Dilma Rousseff, nesta quinta-feira, chega ao fim a batalha eleitoral mais disputada da história do País; "Eleição não é uma guerra, logo não produz vencidos. O povo escolhe quem quer que governe e quem quer na oposição. A quem for oposição, deve exercer da melhor forma possível seu papel. Mais difícil do que saber perder é saber vencer", disse ela, num discurso em que pregou união nacional contra a corrupção; "este mal de séculos está sendo expurgado agora. Não podemos fechar os olhos para isto: chegou a hora de dar um basta"; falando claramente na Petrobras, a presidente disse que a estatal é maior do que a crise e prometeu "fechar todas as portas para a corrupção"


    247 - Em discurso na solenidade de diplomação, que ocorre nesta quinta-feira (18), em Brasília, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a eleição, no Estado democrático de direito, "não é uma guerra, logo não produz vencidos". Em sua fala, de pouco mais de 20 minutos, ela falou sobre corrupção e disse que irá trabalhar pelo fortalecimento da Petrobras.

    "O povo escolhe quem quer que governe e quem quer na oposição. A quem for oposição, deve exercer da melhor forma possível seu papel. Mais difícil do que saber perder é saber vencer. Quem recebe o voto da maioria e não governa para todos transforma uma vitória majoritária em um legado mesquinho. Saber vencer é reconhecer o direito de uma vida digna para todos os brasileiros. Vou lutar com todas as forças para que isso se torne realidade, utar para que todos tenham oportunidades iguais", disse.

    Dilma também falou sobre a corrupção. Disse que o combate à corrupção será mantido como prioridade. Disse ainda que "este mal de séculos está sendo expurgado agora". "Não podemos fechar os olhos para isto. Chegou a hora de dar um basta. É preciso firmar um grande pacto nacional contra a corrupção", afirmou a presidente, convocando todos os setores a participar deste processo. Ela então defendeu a realização da reforma política, sendo bastante aplaudida. Dilma também disse que é preciso criar uma nova "consciência pública". "Quero ser a presidente que ajudou a tornar este processo irreversível", disse.

    Falando claramente na Petrobras, ela disse que alguns funcionários da estatal foram atingidos pelo combate à corrupção. "Estamos agindo neste processo e a Petrobras sairá fortalecida deste processo. A realidade atual só faz aumentar a nossa determinação em implantar uma governança responsável. A Petrobras é a empresa mais estratégica para o Brasil. Temos que saber apurar e punir sem enfraquecer a Petrobras", afirmou. "A Petrobras e o Brasil são maiores do que qualquer problema ou crise", disse. "Temos que fechar todas as portas para a corrupção", complementou.

    Segundo Dilma, em seu discurso de posse serão anunciadas as medidas para retomar o crescimento do país.



    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Confusão entre juiz e bombeiro acaba na polícia




    Discussão começou por causa da utilização de banheiro de posto na orla | |
    Uma confusão envolvendo um juiz novamente virou caso de polícia e foi parar na Justiça. No dia 6, o juiz Bruno Monteiro Ruliére se envolveu numa briga com o sargento do Corpo de Bombeiros André Fernarreti, que trabalha como guarda-vida do posto 9, na orla de Ipanema, Zona Sul do Rio, e o caso acabou na 14ª DP (Leblon), com antecipou o jornal "O Dia". Segundo a Polícia Civil, o registro foi feito como lesão corporal e desacato e foi encaminhado para o Juizado Especial Criminal (Jecrim).


    Em um vídeo de câmera de segurança do posto, ao qual o G1 teve acesso (veja acima), Ruliére, que é responsável pela 1ª Vara de Saquarema, aparece entrando no posto com dois amigos. Segundo o vereador Márcio Garcia (PR), que também é bombeiro e está assessorando juridicamente o sargento, o juiz foi ao posto tomar satisfações com uma funcionária do local que teria se envolvido em uma discussão com a mulher de um amigo do magistrado por causa da utilização do banheiro.

    “Ele entrou dizendo que o posto estava fechado, interditou o estabelecimento e deu voz de prisão e tentou prender todo mundo. É nessa hora que ele aparece pegando no braço da senhora, que olha para cima e pede socorro aos guarda vidas”, afirmou o vereador.

    Em seguida, o sargento aparece descendo a escada com outro bombeiro para falar com Ruliére e outros dois rapazes que entraram no posto com ele. “Inicialmente, eles (os bombeiros) tentam apaziguar a situação. O juiz está visivelmente alterado, gritando, ofendendo e com hálito etílico. No momento em que ele (bombeiro) tenta impedir que os funcionários do posto fossem arrastados, passa a ser o alvo das ofensas”, diz Garcia.

    De acordo com as imagens, no momento que bombeiro começa a subir as escadas, o juiz vai atrás. “É nessa hora que ele dá uma cabeçada no sargento. O Fernarreti está muito bem fisicamente, se a intenção dele fosse bater, nessa hora o juiz estava hospitalizado. Ele apenas se defendeu da cabeçada. As imagens mostram isso. Ele é um cara extremamente calmo, tranquilo, pacífico e não tem histórico de punição”, afirmou o vereador.

    Procurado pelo G1 Rio, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) alegou que não vai se pronunciar a respeito do assunto e disse que até o momento não recebeu informações se o magistrado vai ou não se manifestar a respeito do assunto.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Cícero Lucena se despede do Senado falando em sacrifício pessoal




    Senador fez balanço de seu mandato; foram 293 discursos na tribuna da Casa | |
    Cícero Lucena, senador do PSDBCitando versos do poeta Ronaldo Cunha Lima, patrono do seu ingresso na política, o senador cícero Lucena (PSDB) se despediu do Senado na tarde desta quinta-feira (18) falando em sacrifício pessoal e familiar na dedicação à vida pública.

    "Foram oito anos de obstinada atividade parlamentar, que cobra-nos um preço demasiadamente alto. Não foram poucas as horas roubadas à Lauremília, à Janine, ao Mercinho, ao Matheus, a Luizinho e aos meus netos, Laura, Davi, João e Pedro. Não foram poucos os dias longe de minha casa. Não é pequena a renúncia à vida pessoal que nos impõe a dedicação à causa pública", registrou.

    "Renovo meu compromisso com a política, com a Paraíba, com os paraibanos e com o Brasil", enunciou Cícero, dando sinalização de que não pretende se afastar da política, como chegou a cogitar na eleição deste ano.

    Cícero Lucena lembrou o ingresso na arreira política, em 1990, como vice-governador da Paraíba na gestão de Ronaldo Cunha Lima. O senador foi também secretário de estado e ministro do governo Fernando Henrique Cardoso.

    Nos oito anos como senador, disse Cícero Lucena, foram 200 proposições apresentadas, 498 relatorias, participação em 194 comissões ou subcomissões, 23 missões internacionais, dez missões nacionais e 293 discursos na tribuna do Senado.


    MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    De dentro da cadeia, preso engana 4 mil pessoas e dá golpe de R$ 750 mil




     G1 (Foto: Abinoan Santiago/G1)
    Um homem de 44 anos que está preso desde 2007 no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) é apontado pela Polícia Civil como responsável por um esquema que enganou quase 4 mil pessoas no estado, entre julho de 2013 e dezembro de 2014. Por telefone, o detento vendia às vítimas contratos administrativos de trabalho do governo do Amapá, ao preço de R$ 250. De acordo com o delegado do Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) Leandro Totino, somando os golpes aplicados, o homem já teria faturado cerca de R$ 750 mil.

    Totino informou que as investigações iniciaram em janeiro de 2014, quando um grupo de pessoas procurou pela polícia para denunciar a prática. Elas informaram que o detento, que se apresentava como "Lima", ligava para as vítimas e dizia que estava recrutando militantes para trabalhar na campanha eleitoral, com a promessa de emprego garantido no governo do Amapá após as eleições.


    Vítima diz que foi demitida do banco após golpe
    (Foto: Cassio Albuquerque/G1)

    De acordo com uma das vítimas, que preferiu não se identificar, o preso cobrava pelo serviço, mas prometia que o valor seria ressarcido em no máximo um mês. Junto com outra amiga, que também caiu no golpe, a mulher disse que indicou outras duzentas pessoas.

    "Ele dizia que a gente poderia pagar de R$ 200 a R$ 300, mas que o ressarcimento seria em torno de R$ 1,8 mil. A gente foi enganada porque ele tinha uma lábia muito grande e imaginava que seria uma coisa séria, porque tínhamos que até abrir conta", disse a mulher.

    Outra vítima do golpe, que também pediu sigilo da identidade, disse que quando foi enganada gerenciava o setor de abertura de contas de um banco privado. Ela conta que o presidiário ligou e se apresentou como cabo eleitoral, informando que um grupo de pessoas abriria contas correntes para recebimento do suposto pagamento pelo que seria trabalho na campanha eleitoral.

    "Ele disse que poderia arranjar um emprego para a minha esposa na Assembleia Legislativa, caso eu fizesse um pagamento inicial e chamasse mais gente. Eu reuni outras 70 pessoas, que também se iludiram com a promessa. Acabei sendo demitido, porque ele indicou 200 pessoas para abrir conta, nenhuma delas recebeu os valores prometidos e acabaram ficando endividadas com o banco. A direção desconfiou e me tirou da função para evitar uma situação pior", contou a vítima.

    De acordo com o delegado, "Lima" prometia empregos em órgãos como a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Secretaria de Estado da Administração (Sead) e Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa). O homem cumpre pena há 7 anos por estelionato. Segundo a polícia, ele teria aplicado oito golpes semelhantes em outras ocasiões na capital.

    "Essas pessoas enganadas recrutaram outras pessoas que também caíram na lábia do estelionatário. Até onde investigamos esse número chegava a 3,7 mil vítimas de Macapá, Mazagão, Laranjal do Jari e Vitória do Jari", disse o delegado, que concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (18), para falar sobre o assunto.

    O esquema
    Segundo as investigações, o preso havia contratado por telefone os serviços de um despachante que ficava responsável por buscar o dinheiro que as vítimas deixavam em uma casa de acesso à internet, no Centro de Macapá. A polícia informou que o local foi usado para o esquema, embora o proprietário do estabelecimento não tivesse conhecimento do golpe. As vítimas eram orientadas pelo homem a dizer que estavam deixando encomendas no local. A suspeita é de que a mulher do preso era quem recebia o dinheiro e pagava os laranjas pelos serviços. Ela não foi presa.


    Segundo polícia, ligações eram feitas de dentro do
    Iapen (Foto: Abinoan Santiago/G1)

    De acordo com o delegado, Lima usava quatro números de telefone diferentes para falar com as vítimas de dentro da cela do Iapen. Três chips estavam no nome dele e um outro no nome da mulher, que mora no distrito da Fazendinha, em Macapá.

    "A gente fez o rastreamento dos número e quebrou o sigilo telefônico das conversas. Ele usou todos [vítimas], desde o dono da lan house que foi utilizada para os enganados realizarem os pagamentos, como os oficie boys que buscavam as encomendas e deixavam na casa da esposa", afirmou o delegado.

    Além dos valores em dinheiro, o detento manipulava as vítimas para que fizessem outros favores em troca dos contratos de trabalho, segundo a polícia. Totino informou que de acordo com o depoimento de uma das vítimas, o homem pedia para que fossem comprados móveis e alugados carros para o transporte das pessoas que vinham do interior.

    "Uma casa chegou a ser construída só com o dinheiro dos golpes. Muita gente chegou a se endividar e ser acusada como autora dos golpes pelas outras pessoas que foram enganadas. É realmente difícil de acreditar, mas este Lima conseguiu gerenciar todo o esquema praticamente sozinho, mesmo sem as vítimas o conhecerem pessoalmente. Em todo o esquema, ele disse fazer parte da equipe de campanha de um candidato, mas nas investigações constatamos que tudo isso era mentira", reforçou Totino.

    De acordo com o delegado, o detento foi interrogado, mas negou o esquema. Ele será indiciado novamente por estelionato. O delegado pediu um novo mandado de prisão contra o suspeito e encaminhou o inquériro para a Justiça do Amapá




    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 19.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    TJPB envia à ALPB Projeto de Lei com aumento para os servidores do Judiciário




    A presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargadora Fátima Bezerra, enviou, no início da tarde desta quinta-feira (18), à Assembleia Legislativa, o projeto de lei que fixa percentual para revisão geral anual do vencimento dos servidores do Poder Judiciário do Estado para o exercício 2015.

    O projeto de lei, que foi aprovado, na quarta-feira (17), na última sessão do ano do Pleno do TJPB, prevê reajuste de 6% nos vencimentos dos servidores. A partir de agora, o projeto terá o trâmite legal no Poder Legislativo, devendo passar pela apreciação da Comissão de Orçamento e Finanças para, em seguida, ser votado em plenário.

    A última etapa será o encaminhamento ao Poder Executivo para a sanção do Governador Ricardo Coutinho. De acordo com a Resolução que fixou o percentual para revisão anual do vencimento dos servidores, os efeitos financeiros passam a contar a partir do dia 1º de janeiro do próximo ano.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 18.12.2014 | Autor: Pedro Marinho

    José Sarney se despede do Senado e diz se arrepender de ter sido senador




     
    Após 60 anos de mandatos políticos, o senador José Sarney (PMDB-AP) fez nesta quinta-feira (18) seu discurso de despedida no plenário do Senado. Ele afirmou se arrepender de ter voltado à vida pública depois de ter sido presidente da República, cargo que exerceu de 1985 a 1990 devido à morte do presidente Tancredo Neves.

    Depois que deixou a Presidência da República, Sarney foi eleito para cinco mandatos de senador seguidos, dois pelo Maranhão e três pelo Amapá. Em junho, o parlamentar anunciou a políticos e amigos que não disputaria as eleições deste ano para, segundo a sua assessoria, cuidar da mulher em tratamento médico.

     

    “Eu tenho um arrependimento, até fazendo um mea-culpa . Penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo. Nos Estados Unidos é assim, e eles passam a ter uma função que serve ao país. Então, eu me arrependo. Acho que foi um erro que eu cometi ter voltado, depois de presidente, à vida pública”, afirmou durante seu último discurso como senador.

    Sarney falou sobre seu arrependimento quando defendia o fim da reeleição e ampliação dos mandatos para cinco ou seis anos. “Precisamos levar a sério o problema da reeleição”, disse. “Eu confesso que sou partidário de que não tivéssemos a reeleição, mas também sou crente de que o mandato de quatro anos é muito pequeno”, disse.

    Apoio de colegas
    O senador deu início à fala dizendo que não tem inimigos e que sempre cultivou o “diálogo e a paz”. “Deus me poupou do sentimento do ódio e do ressentimento, da inveja e do desejo de vingança”, afirmou.

    Eu tenho um arrependimento, até fazendo um mea-culpa . Penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo. Nos Estados Unidos é assim, e eles passam a ter uma função que serve ao país. Então, eu me arrependo. Acho que foi um erro que eu cometi ter voltado, depois de presidente, à vida pública"
    José Sarney (PMDB-AP), senador da República
    Ele ocupou a tribuna por cerca de duas horas e recebeu apoio de diversos colegas, que o chamaram de “estadista”, “grande político”, entre outros elogios. As manifestações partiram de representantes de diversos partidos, como Gleisi Hoffmann (PT-PR), Romero Jucá (PMDB-AP), Ruben Figueiró (PSDB-MS) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

    Sarney agradeceu, mas afirmou que pretendia fazer um discurso “modesto”, “sem muita gente”. “Não quis fazer um discurso bonito, não quis fazer literatura. Não como quem diz ‘adeus’, mas como quem diz ‘até logo’ a todos”, disse.

    O plenário, que inicialmente estava vazio, ficou repleto de senadores e servidores ao longo do discurso. Os funcionários do Senado vão oferecer uma confraternização ao ex-presidente nesta sexta-feira (19).

    Estatais e maioridade penal
    O senador nunciou que vai reapresentar um projeto de sua autoria que estabelece o Estatuto das Estatais, que chegou a ser aprovado pelo Senado, mas ficou parado na Câmara dos Deputados. “Se ele tivesse sido feito, nós não teríamos esse problema que hoje estamos tendo, que estamos lamentando e que, de certo modo, está envergonhando o Brasil, que é o problema da Petrobras”, declarou.

    Ao falar sobre segurança pública, disse que a maioridade penal deve ser “repensada” no país. Na visão do parlamentar, a legislação dá margem para que uma pessoa "possa matar até os 18 anos”. “Quer dizer, qual é o direito dele? O direito de matar, de matar até os 18 anos. Isso cria uma escola do crime”, completou.

    O senador ainda citou dados da economia do Maranhão, seu estado de origem, para afirmar que o estado “está numa vanguarda bastante avançada”. “Esses números, sem dúvida, chocam, porque a nossa mídia escolhe, sempre, o Maranhão como um estado que é exemplo para o Brasil de crescimento menor”, disse.


    G1


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas