Após “rombo” de R$ 300 mi em 5 anos, Romero assina convênio para combater sonegação



 
Segundo gestor, dinheiro sonegado representaria 30% de toda a receita do município
Feliphe Rojas Feliphe Rojas 

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) e o Município de Campina Grande celebraram um convênio na tarde desta segunda-feira (15) para combater a sonegação fiscal, que, somente nos últimos cinco anos, causou um prejuízo estimado em mais de R$ 300 milhões, o equivalente a 30% de toda a receita municipal (incluindo repasses diretos da saúde e educação e de convênios com o Governo Federal).

Segundo o Ministério Público, a assinatura do convênio vai permitir um combate mais efetivo aos crimes contra a ordem tributária. O objetivo imediato é a efetivação de uma justiça fiscal, que permita à administração pública dispor dos recursos oriundos do pagamento de impostos para o investimento em políticas públicas. A atuação do MPPB também tem um caráter pedagógico, no sentido de tentar mudar a ‘cultura da sonegação’, que desvia recursos de áreas essenciais, prejudicando a população.

O convênio foi assinado pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e pelo prefeito Romero Rodrigues. Acompanharam a celebração da parceria o procurador de Justiça, Valberto Cosme de Lira; os promotores Renata Carvalho da Luz (titular da Promotoria de Crimes Contra a Ordem Tributária), Erika Bueno Muzzi (integrante do Núcleo de Atuação e Mediação em Ilícitos Tributários) e Amadeus Lopes; os auxiliares do prefeito, José Fernandes Mariz (procurador-geral do Município) e Alessandro Farias Leite (procurador-adjunto) e o vereador Alcindor Villarim Filho.

Paraibaja.com.br

 




Comentários


Comentar


Sidebar Menu