Quero conhecer Caicó. - Marcos Pires



 Moro sozinho um flat com 14 metros, portanto qualquer hotel é minha casa. Some-se a isso minha paixão por viajar.

Mais que as cidades, entretanto, me fascinam seus habitantes. E conversando com amigos soube de histórias incríveis do povo de Caicó.

Uma vez aportou por lá um circo, desses bem mambembes, que só tinha um magico, um palhaço e a equilibrista. Pois não é que o povo fez um abaixo assinado ao Bispo e o circo foi obrigado a sair da cidade? Tudo por culpa do palhaço, que usava umas calças muito frouxas, penduradas em suspensórios que eram fixados num bambolê que o palhaço usava à guisa de cinturão. A graça do palhaço era passear entre o público, olhar para baixo a cada dois passos e suspirar bem alto: “-Eita, olha a lapa!”.

Em Caicó nasceu uma das maiores figuras do Judiciário nacional, Dr. Ridalvo Costa, que teve o privilégio de ser o primeiro Presidente do TRF5. E nessa condição decidiu homenagear a cidade natal. Chegou lá na tradicional festa de Santana, famosa pelo bom gosto e refinamento do evento. Aconteceu que os habitantes da cidade nem deram pela presença dele, prestigiando um seu irmão que era dono do posto de gasolina da cidade. Perguntados pela preferência, foram unânimes: “- É que Toinho vende fiado”.

Pois foi nessa festa de Santana, mais precisamente no baile de gala, que Rui Mariz, primo de Ariano Wanderley, decidiu ir. Havia um problema; ele era solteiro e só podiam entrar casais. Em Natal ele contratou as duas mais badaladas vocês sabem o que e comprou caríssimas roupas para orna-las. Pagou mil reais a cada uma e prometeu outro tanto se elas se comportassem como damas. Nem falar podiam. Na festa, apresentou ambas como filhas tímidas e matutas de um riquíssimo fazendeiro do Mato Grosso. Foi um sucesso. Todo mundo elogiando a beleza e a fina educação de ambas, que caladas limitavam-se a bebericar taças de champanhe. Mas como tudo se revela, eis que anunciaram a atração da noite; o cantor Beto Barbosa. Ah, leitores, pra que!

Foi ele começar a cantar “Adocica” e as beldades esquecerem educação, recompensa e compromisso. Subiram nas mesas e mandaram ver.

Preciso ir a Caicó, quem sabe na próxima festa de Santana?




Comentários


Comentar


Sidebar Menu