O restaurante do futuro - Marcos Pires



 

Antigamente quando se pensava em restaurantes do futuro a imagem eram pílulas substituindo carne, arroz, legumes, e um robô no lugar dos meus queridos garçons. Nada disso aconteceu, mas os restaurantes (e os bares, por que não?) do futuro já começaram a aparecer.

É comum cardápios com pratos alternativos que atendem pessoas com restrições alimentícias como intolerância a lactose. Existem restaurantes que informam as calorias dos pratos e a maior novidade são os restaurantes que nem comida servem, como é o caso daquele que Mãe Leca almoça diariamente, o “Espaço vida saudável”, onde só se toma um tal de shake. Um dia eu lhe perguntei se era gostoso. Ela deu aquele olhar de “fica na tua” e ensinou: “-Negão, primeiramente não engorda, e depois eu atualizo as conversas com minhas amigas”. Fica difícil concorrer com esses restaurantes cuja maior atração não é mais o sabor da comida, mas não engordar e principalmente conversar com as amigas.

Conversar!

Os restaurantes e bares do futuro terão que se preparar para isso. Antigamente a conversa em bares era com o barman. Nos restaurantes os solitários optavam pelo papo sempre bem informado dos garçons, meu repositório favorito de fofocas.

Como não tenho casa, almoço e janto em restaurantes, e os queridos garçons sabem que a gorjeta aumenta muito se trouxerem copos abarrotados de gelo e contarem as “novidades”.

Nessa frequência diária aos restaurantes, notei que os casais e as famílias que ali estão já não conversam mais entre si. Colam-se nos celulares e ignoram-se solenemente. Minha amiga Nadja disse que hoje em dia é muito comum estarem várias amigas ao redor de uma mesa e duas delas praticarem aquele saudável habito que é falar mal de uma terceira amiga, que mesmo estando presente de nada sabe porque a marretada é via mensagem. Como diria Ariano Suassuna, falar mal dos outros só é falta de educação de for pela frente. Então falar mal via mensagem de celular está liberado.

Dia virá em que ao redor das mesas não existirão mais espaldares nas cadeiras, somente telas de vídeo, onde o solitário comensal estará conversando com seus amigos ao redor do mundo.

Ou seja, comida mesmo que é bom só para fotografar no prato e fazer inveja via instagram...se é que foto de shake faz inveja... .




Comentários


Comentar


Sidebar Menu