Paradoxo da natalidade e mercado - Virgolino de Alencar




O mundo moderno está deveras complicado, acontecendo fatos difíceis de se entender.
A China adota um sistema restritivo de natalidade, punindo o casal que tiver o terceiro filho. Com 1,5 bilhão de pessoas, a economia precisa de muito fôlego para sustentar tanta gente. Daí vem a medida de restrição.


Por outro lado, em Portugal(E não é coisa de português) o governo está pagando a quem tiver mais filhos. Numa de suas cidades, pequena, mas servindo como bom exemplo, morreram 50 pessoas e nasceram 30. Esse fenômeno demográfico português ocorre em todo o País, com média de falecidos superior à média de bebês
nascendo.

Daí a política de incentivos à procriação.

Que os dois fatos são inusitados, isso lá são; e fazem do mundo, dirigido por uma economia pouco humana, melhor dizendo por um mercado sem crença. Pessoalmente, sou defensor do mercado livre, mas, convenhamos, não devemos elevá-lo à condição de "MERCADEUS", a guiar o destino das pessoas.

As pessoas, na sua liberdade e direito de escolha, é que devem guiar o mercado.
Virgolino de Alencar




Comentários


Comentar


Sidebar Menu