O Parque Parahyba já foi incorporado ao cotidiano das pessoas




 
O Parque Parahyba sempre foi um sonho antigo dos moradores dos Bairros do Bessa, Jardim Oceania, Aeroclube e outros. A proposta seria transformar as áreas nos entornos do canal que corta os Bairros Aeroclube, Jardim Oceania e Bessa, uma área de cerca de 150 mil metros quadrados num grande parque a exemplo do que já acontece em outras cidades brasileiras. No caso do Parque Parahyba o projeto contemplou calçadão para passeio, ciclovias, academia de ginástica, estacionamento, áreas de convivência, quadras esportivas e playground, diante da necessidade de se ter nos bairros referidos um aglomerado humano, sem nenhuma área de lazer e para tais atividades.

Ainda na gestão de Ricardo Coutinho como Prefeito de João Pessoa, foi demarcado todo o Parque Parahyba, aproveitando as áreas que circundam os dois canais do Rio Jaguaribe e o terreno do Aeroclube, considerando que nos dias atuais ser a pratica de treinamento para piloto, totalmente impropria para uma área densamente povoada como aquela. O fato é que naquela oportunidade, toda aquela enorme área foi demarcada e por lei denominada Parque Parahyba, sendo em seguida colocada placas espalhadas próximas ao canais, cujas placas na gestão de Luciano Cartaxo sumiram misteriosamente, na calada da noite.

O fato é que mesmo aprovado em duas plenárias da própria Prefeitura de João Pessoa, com a posse de Luciano Cartaxo, tal projeto não teve nenhum avanço e por mais que os moradores tentassem, nunca obtiveram nenhum sucesso. Durante quatro anos, mesmo recebido por alguns secretários municipais, os moradores jamais conseguiram serem recebidos pelo prefeito, que alegando os mais diversos motivos, sempre fugiu de tal audiência.

Numa abordagem feita por um morador numa solenidade pública, o Prefeito saiu pela tangente, alegando que não poderia executar a obra, em razão de existir uma demanda na Justiça, envolvendo a Prefeitura e os dirigentes do Aeroclube, ignorando propositadamente, que o projeto do Parque Pahahyba, havia sido dividido em quatro etapas e que ele poderia perfeitamente fazer as três que se encontravam livres de quaisquer embaraços e cujas áreas pertenciam a Prefeitura.

O fato é que no ano passado, esses mesmos moradores, cansados pela longa espera, procuraram o secretário da SEIRHMACT Joao Azevedo, que depois de ouvi-lo informou que não podia decidir nada, mas iria procurar o Governador Ricardo Coutinho e tentar sensibiliza-lo para a importância de tal obra, tendo ele João Azevedo obtido êxito e o Governador autorizado a preparação do projeto e logo em seguida liberado um crédito de quase três milhões de reais, para execução da obra abrangendo os dois canais, ou seja, aquelas áreas junto ao Bessa Shopping e a outra próxima a Academia Kay France, ficando as outras duas, dentre elas a do terreno do Aeroclube para o futuro, dependendo da decisão judicial, já que tal área que compreende o Aeroclube permanece sob litígio na Justiça, já que em 2012, a Prefeitura de João Pessoa emitiu um decreto de desapropriação, já com um projeto para a urbanização do local, gerando uma disputa jurídica cujo processo se encontra no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.


No ano passado, a primeira etapa sob a supervisão do secretário João Azevedo teve início e já se encontra agora em fase final de execução, devendo ser inaugurada ainda neste mês de janeiro, já tendo os moradores, entretanto incorporado o importante espaço ao cotidiano, conforme demonstram fotos. Alguns já praticam ali caminhadas, outros brincam com as crianças e já outros passeiam com os seus animais, tendo ainda os ciclistas que usam a ciclovia e aqueles que praticam skates e patins.

Nas áreas do Parque Parahyba é bem visível a falta de árvores o que prejudica a proliferação da fauna, dai a necessidade de se plantar ali centenas de árvores, depois da sua conclusão de todo projeto e verificar também um quiosque abandonado e que foi construído no passado pela Prefeitura, bem como uma venda de flores existente, cujo barraco se encontra em péssimas condições e que mereceria uma construção de alvenaria, para melhorar o seu aspecto. Outro aspecto que obrigatoriamente terá que ser vistos pela Prefeitura diz respeito a limpeza dos dois canais, pois por conta de muita areia acumulada e a vegetação as águas quase não seguem o seu curso normal, surgindo então muito lodo e fedentina.

Ainda com o termino da obra e o seu uso pela população, teremos dois grandes problemas a serem resolvidos, a questão da segurança dos frequentadores do Parque, bem como a manutenção e conservação daquele equipamento, que será repassado pelo Estado a nossa Prefeitura, não se sabendo ainda como serão resolvidos essas duas pendências de suma importância.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu