A lei deve ser cega para garantir o princípio da Equidade - Leila Araujo



 O STJ determinou que, em caso de estupro, a versão da mulher tenha força probatória, ou seja, mesmo que os laudos da perícia técnica provem o contrário, o que valerá é a versão da mulher.

Eu, sinceramente, espero que isso não seja verdade porque se for, estamos nas mãos de um judiciário que não enxerga um palmo diante do nariz. Além do que, vai contra as nossas leis que garantem direito pleno a defesa para qualquer espécie de crime, colocando em risco a inocência de muitos homens.

Temo pelo meu irmão, pelos meus amigos, pelos meus amores. Só quem não conhece a sordidez da mulher, pode jogar nas costas dela a decisão sobre a culpa.

Estamos vivendo a Sharia às avessas, só que ao invés de proteger os homens mesmo estando errados, daremos aval as mulheres de ter controle sobre a vida dos homens.

Que todo culpado seja punido, desde que seja provada sua culpa. Usar da palavra como prova é sentenciar inocentes ao caos de um crime hediondo.

A lei deve ser cega para garantir o princípio da Equidade, quando a justiça não é igual para todos comete-se em nome dela as piores barbáries.




Comentários


Comentar


Sidebar Menu