Botafogo-PB vence Treze e sobe para terceiro no Grupo A da Série C


O Botafogo só chegou à terceira colocação graças ao tropeço do Sampaio Corrêa, que foi derrotado por 3 a 0 em duelo maranhense contra o Imperatriz.

Por R7
Publicado em
24.06.2019 às 22:45

O Botafogo-PB entrou no G4 (Foto: Paulo Cavalcanti/BFC)
O Botafogo-PB levou a melhor no clássico paraibano desta segunda-feira (24). O time botafoguense encarou o rival Treze no Almeidão e venceu por 4 a 2. Com o resultado, chegou aos 15 pontos e subiu para a terceira colocação, enquanto o adversário de Campina Grande continua na vice-lanterna, com apenas seis pontos, três a menos do que o Globo-RN, primeiro clube fora da zona de rebaixamento.

Com os resultados desta segunda-feira, o Botafogo-PB assumiu a terceira colocação do Grupo A, com os 15 pontos, e joga o Sampaio Corrêa, com 14, para quinto, fora da zona de classificação ao mata-mata. Já o Imperatriz sobe para sexto (11), enquanto o Treze segue afundado no área dos rebaixados, na penúltima posição (6).

A situação é ainda mais positiva diante do fato de o Botafogo ter um jogo a menos do que a maior parte dos seus concorrentes. Isso porque a partida contra o Náutico, que seria realizada no último dia 16, foi adiada em razão das chuvas que atingiram Recife. O duelo foi remarcado para 3 de julho.

O Botafogo só chegou à terceira colocação graças ao tropeço do Sampaio Corrêa, que foi derrotado por 3 a 0 em duelo maranhense contra o Imperatriz. Com o resultado, a equipe da capital caiu para a quinta colocação, com 14 pontos. O Imperatriz somou o 11º ponto e subiu para o sexto lugar.

Confira os resultados da 9.ª rodada:

Quinta-feira

Ypiranga-RS 4 x 1 Juventude

Sexta-feira

ABC 1 x 1 Globo-RN

Sábado

Santa Cruz 1 x 0 Náutico

Tombense 3 x 1 Boa

Domingo

Confiança-SE 1 x 0 Ferroviário-CE

Volta Redonda 2 x 2 São José-RS

Luverdense-MT 4 x 0 Atlético-AC

Remo 0 x 1 Paysandu

Segunda-feira

Imperatriz-MA 3 x0 Sampaio Corrêa

Botafogo-PB 4 x 2 Treze-PB


XEQUE MATE E LAVA-JATO: jornal compara métodos de operações e aponta semelhanças em prisões de Roberto Santiago e Marcelo Odebrecht

 

Polemicaoaraiba.com.br 
Publicado por: Felipe Nunes 

Roberto Santiago/ Foto: reprodução

O jornal Correio da Paraíba dedicou, na edição desta segunda-feira (24), uma página inteira a uma reportagem com os pormenores da prisão do empresário Roberto Santiago, que já ultrapassa a marca dos 90 dias atrás das grades.

O texto faz um apanhado de tudo o que se sabe sobre a prisão do empresário, os motivos que o mantém detido, as estratégias da defesa na tentativa de libertar o proprietário do Manaíra Shopping e as alegações do Ministério Público para mantê-lo recluso.

O jornal também faz uma comparação entre as estratégias da Operação Xeque-Mate e da operação Lava-Jato, e vê semelhanças nas ações das forças tarefas de Curitiba e da Paraíba.

Confira o texto na íntegra abaixo

94 dias de cárcere: o que está nos bastidores da prisão de Roberto Santiago?

Há exatos 94 dias, o empresário Roberto Santiago iniciava sua saga no cárcere. Os primeiros dois meses foram passados numa cela do 1º Batalhão da Polícia Militar – levou um ventilador (não um ar condicionado, como se especulou à época), uma bíblia e imagens sacras. Uma bagagem leve, sinalizando (talvez) a crença de que sua estadia seria breve.

Estava enganado: desde o dia 18 de maio, divide com outros presos da Operação Xeque Mate – deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) – uma cela com 25 beliches e um banheiro sem porta na Penitenciária de Segurança Média de Mangabeira.

O alongamento da prisão – feita em caráter preventivo – e as sucessivas negativas para encerrá-la, alimentam uma onda de questionamentos que se forma nos bastidores jurídicos com um foco essencial: por que Roberto Santiago continua preso? Em parecer encaminhado à Justiça, o Ministério Público Federal tentou entabular a justificativa: “O paciente (Roberto Santiago) e os demais réus gozam de grande influência política e social no município, ostentando efetivo potencial de embaraçar o andamento das investigações e constranger testemunhas”.


Traduzindo o juridiquês, o MPF acredita que Santiago é rico e prestigiado demais. Solto, poderia influir nas investigações. Até diz que já o fez: um dos réus no processo, o radialista Fabiano Gomes, teria dito que foi pressionado – por meio de outro colega de profissão, Rui Dantas – a manter silêncio. Roberto e Rui negam. Recentemente, em depoimento à PF, Fabiano abrandou o tom da denúncia: não teria recebido pressão e sim uma sugestão do colega. Detalhe: Rui Dantas nunca foi convocado para prestar depoimento. Mais: a despeito da denúncia ter servido de alegação para a prisão, Santiago não chegou a ser formalmente acusado por obstrução de justiça – crime previsto no Código Penal e passível de pena de detenção.

Xeque mate?

No mesmo parecer, o Ministério Público admite que Santiago reúne condições favoráveis para ser solto: “como a primariedade, profissão e residência fixas”. Mas, ato contínuo, minimiza a conjuntura que beneficiaria o empresário, argumentando que essas características, por si só, não autorizariam a “revogação da prisão preventiva, quando existam elementos hábeis a recomendar a manutenção da medida cautelar”.

São justo esses tais elementos que estão em xeque. E a peça central nesse tabuleiro é o artigo 313 do Código de Processo Penal, que estabelece os critérios para a decretação de prisão preventiva. Diz a lei que as preventivas podem ser decretadas para garantir a ordem pública e econômica (impedindo que o réu, solto, continue a praticar crimes); por conveniência da instrução penal (evitando que o réu aja de forma a atrapalhar a investigação) e para assegurar a aplicação da lei penal (inviabilizando fugas).

O MP insiste – e o juízo endossa – que o patrimônio de Roberto Santiago oferece todos esses riscos. Em interpretação livre, atestam que sua condição de rico o faz perigoso para a continuidade das investigações. Era o que ele mais temia – e em um nível que o fez entregar voluntariamente as senhas de seus celulares à polícia, se afastar de amigos poderosos e comunicar com antecedência suas ausências de João Pessoa, informando itinerários e endereços.

azadas e conteúdo mostra que eles combinavam ações contra o Lula e o PT
A defesa do empresário apostava que, com esses cuidados, ele se blindaria de ser visto como ameaça à ordem pública e à instrução penal. E que tampouco representaria risco de fuga. Nas petições para relaxamento de prisão, enumeraram mais um punhado de motivos pelos quais o empresário não teria como atentar contra a ordem econômica. A principal delas é que Cabedelo – cidade onde ele teria, segundo o Gaeco, ocupado a chefia financeira de uma organização criminosa ao longo da gestão do ex-prefeito Leto Viana – tem novo gestor, opositor do antecessor – o que esvaziaria as ameaças de violações. Não funcionou. Atrás das grades – oscilando entre estados de serenidade e inconformismo – a saga de Roberto Santiago continua.

Réplica tabajara da república de Curitiba?

Inevitável fazer a conexão entre a prisão de Roberto Santiago e a de Marcelo Odebrecht. Na Paraíba, a detenção do “dono do shopping” provocou assombro análogo ao que suscitou, no país, a prisão do mandachuva da então maior empreiteira brasileira.

As semelhanças que os unem se separam com um detalhe singular: enquanto o empreiteiro construiu seu império com negócios juntos ao setor público, Santiago militou exclusivamente na esfera privada.

Odebrecht passou dois anos e meio preso. Só saiu depois de fazer delação. Na Paraíba, onde duas grandes operações estão em curso – além da Xeque Mate, o MP comanda a Calvário – todos os detidos continuam atrás das grades.

As exceções seguiram os ritos ditados a partir de Curitiba: só após a confissão e ou delação (vide casos da ex-secretária Livânia Farias e da ex-primeira dama de Cabedelo, Jacqueline França, liberada depois da delação feita pelo esposo, Leto Viana).


Ninguém acertou a Quina de São João e prêmio é dividido com quem acertou a Quadra


Ninguém acertou as cinco dezenas da Quina, sorteadas na noite desta segunda-feira de São João em Campina Grande.

O prêmio não acumulou e foi dividido entre 1.577 que acertaram quatro dezenas (R$ 97.451,78) e vários outros que acertaram três e duas dezenas.

A Quina teve as seguintes dezenas sorteadas: 17 – 27 – 53 – 78 -79.

Quadra

1.577 apostas ganhadoras – R$ 97.451,78 (prêmio individual)

Terno

126.311 apostas ganhadoras – R$ 116,98 (prêmio individual)

Duque (2 números acertados)

3.205.181 apostas ganhadoras – R$ 2,53 para cada acertador


Policiais civis do DF fazem ato contra a Reforma da Previdência nesta terça (25)

 Vera BatistaServidor
O Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) convocou a categoria, policiais em atividade e aposentados, para manifestação em defesa da aposentadoria policial na reforma da Previdência, amanhã, às 14h

O ato acontecerá nesta terça-feira (25), a partir das 14h, em frente ao complexo da Polícia Civil, em Brasília. A manifestação atende à convocação nacional da União dos Policiais do Brasil (UPB) e que acontecerá simultaneamente em todo o país. Os policiais civis do DF são contra a retirada de direitos na reforma previdenciária.

A UPB, por meio de vários deputados federais, apresentou emendas à PEC 6/19 e espera que sejam acatados destaques que contemplem regra de transição, integralidade e paridade, idade diferenciada para homens e mulheres, diminuição da alíquota previdenciária e melhoria no regime de pensões.

 

 

 

 


Bolsonaro vetará lista tríplice para conselheiro de agências reguladoras


Presidente reclama que Congresso tenta usurpar as prerrogativas do Poder Executivo
Redação Redação 25/06/2019 às 18:47 | Atualizado às 00:17
PL sobre Maria da Penha ainda aguarda sanção de Bolsonaro para virar lei
Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: José Cruz/ABr

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 24, que vai vetar o trecho do projeto de lei que prevê a adoção de uma lista tríplice para a escolha do presidente de agências reguladoras. A proposta foi aprovada pelo Congresso Nacional na semana passada. O projeto tira do presidente da República a prerrogativa de fazer a indicação diretamente.

“Essa prerrogativa do presidente (da República) indicar o presidente é muito importante… porque nós teremos algum poder de influência nessas agências”, argumentou.

Mais cedo, o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, havia feito elogios ao projeto aprovado pelo Congresso, afirmando que o texto tinha potencial para trazer mais segurança a investidores.

O texto, aprovado no final de maio pelo Legislativo, determina a criação de uma lista tríplice com sugestão de nomes para que o presidente da República escolha os gestores das 11 agências reguladoras que atuam na esfera federal.

Bolsonaro tem até esta terça-feira (25) para sancionar, vetar ou vetar parcialmente o projeto que institui o marco legal das agências reguladoras. Ainda que ele tenha antecipado o veto parcial, o Congresso Nacional poderá derrubar o veto quando vier a analisá-lo.

No sábado, 22, Bolsonaro chegou a criticar a proposta, afirmando que os parlamentares querem transformá-lo em uma “rainha da Inglaterra”, referindo-se ao fato de que a soberana do país europeu não é a chefe de governo.


Governo deve apresentar mudanças na reforma da Previdência

 
Alterações visam atender policiais federais e o Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoas com doenças raras

Governo deve apresentar mudanças na reforma da Previdência
A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A líder do governo no Congresso Nacional, Joice Hasselmann (PSL-SP), disse hoje (24), que serão apresentadas mudanças na proposta de reforma da Previdência para atender pleitos de algumas categorias, como os policiais. Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, a deputada explicou que, mesmo com as modificações, a expectativa do governo é que a economia aos cofres públicos chegue a R$ 1,1 trilhão com a aprovação do texto.

De acordo com Joice, entre as mudanças para os policiais federais e rodoviários federais está a pensão em caso de morte. Na proposta original, a pensão poderia não ser integral, mas será modificada para garantir a integralidade. “A gente atendeu alguns pleitos das categorias policiais dentro do que o governo poderia atender”, disse. Outra modificação que deve ser apresentada, segundo Joice, é no Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoas com doenças raras, mas com um impacto menor.

Ainda assim, a deputada ressaltou que a economia já alcançou um R$ 1 trilhão, contando com os R$ 200 bilhões que serão economizados a partir da lei de combate às fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social(INSS). “No estica e puxa o Rogério Marinho [secretário especial da Previdência e Trabalho] conseguiu fazer uma ampliação da nossa economia, mas tem mais”, disse.

NotíciasRelacionadas
Governo deve reduzir previsão de crescimento da economia em 2019
Governo quer conceder 16 mil quilômetros de rodovias à iniciativa privada
A reunião sobre a tramitação da reforma da Previdência, nesta manhã, contou com a presença dos líderes do governo no Congresso, Joice Hasselmann; na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), e Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), além dos ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Economia, Paulo Guedes.

Votação

A votação do texto na comissão especial deve acontecer ainda esta semana, para que na semana que vem comece a discussão no plenário da Câmara e a votação antes do recesso parlamentar, previsto para iniciar em 18 de julho.

Segundo Joice Hasselmann, as modificações devem aperfeiçoar o texto e dar “uma musculatura maior” para o que o governo garanta o número de votos necessários para a aprovação do texto.

“O Congresso Nacional tem o humor muito sensível, então a gente pode ganhar ou perder votos em uma movimentação pequena. O trabalho ainda continua. Estamos em busca de votos, vai ser número de 10% a 15% maior do que a gente precisa. Estamos trabalhando com uma margem de erro, com um volume maior do que o necessário, para garantir a aprovação [no plenário]”. (ABr)


Cármen Lúcia mantém julgamento de mais um recurso de Lula para esta terça


Ex-presidente e presidiário continua com o incrível poder de ‘furar‘ a fila de julgamentos
Cláudio Humberto Cláudio Humberto 25/06/2019 às 23:40 | Atualizado às 01:03
Cármen Lúcia ressalta que Ficha Limpa é uma das melhores leis do mundo
Ministra Carmen Lúcia, presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal - Foto: Nelson Jr.

A ministra Cármen Lúcia, presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgou nota na noite desta segunda-feira (24) recuando de anúncio durante a tarde e confirmando para esta terça-feira (25) o julgamento de mais uma tentativa, entre dezenas, da defesa do ex-presidente e atual presidiário Lula de anular a pena que cumpre por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, por ele recebido a título de propina, como ficou demonstrado nos autos segundo todos os tribunais que já examinaram o processo, em razão da chicana promovida pela defesa do acusado.

Sempre com o poder de passar à frente de milhares de ações à espera de julgamento no STF, Lula terá mais um habeas corpus avaliado.

O julgamento começou em dezembro do ano passado alegando a “suspeição” do ex-juiz Sérgio Moro apenas em razão do fato de sua aceitação ao convite para assumir o Ministério da Justiça. Dois ministros já haviam votado contra a pretensão do corrupto condenado, inclusive a própria Cármen Lúcia, para além do relator Edson Fachin, quando o ministro Gilmar Mendes, que hostiliza a força-tarefa da Lava Jato, pediu vista.

NotíciasRelacionadas
Segunda Turma adia julgamento de nova manobra de Lula no STF
Ao Supremo, Dodge diz que é contra anulação da sentença de Lula
Após a divulgação de supostos mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Lava Jato, Gilmar devolveu o processo para que o julgamento prossiga. A expectativa é que ele e o ministro Ricardo Lewandowski, francamente simpáticos às teses do PT, votem pela concessão do habeas corpus, empatando a votação. Nesse caso, caberia o voto de minerva ao decano da corte, ministro Celso de Mello.

Cármen Lúcia disse na nota divulgada esta noite que “em todas as sessões, é dada preferência e a prioridade aos habeas corpus determinada pelo Ministro Relator ou pelo Ministro Vistor”. Ela não esclareceu, afinal, se o recuo foi dela mesma, do “ministro relator” ou do “ministro vistor”, mas justificou que “todo processo com paciente preso tem prioridade legal e regimental, especialmente quando já iniciado o julgamento, como nos casos de vista, independente da ordem divulgada.”

Diariodopoder.com.br

 


Pesquisa mostra que mensagens vazadas pouco afetam credibilidade da Lava Jato


Levantamento Paraná Pesquisas revela que para 56,1% Lava Jato não fica comprometida

Telegram descarta hacker e reforça suspeita de vazamento no grupo da Lava Jato
Deltan Dallagnol e Sérgio Moro podem ter sido vítimas de hackers ou de indiscrição - Foto: Jorge Araújo/Folhapress

Levantamento realizado em todo o País do instituto Paraná Pesquisas para o site Diário do Poder e esta coluna mostra que 87,6% dos brasileiros tomaram conhecimento da transcrição de supostas trocas de mensagens entre Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato. Mas, para 56,1% dos entrevistados, as acusações de um site de oposição ao governo Bolsonaro não colocam em dúvida os resultados da operação. Foram ouvidas 2.264 pessoas em todo o País entre os dias 17 e 21. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.


Apenas uma minoria dos entrevistados nada sabe sobre vazamentos.
Para 38,1%, as supostas mensagens põem em dúvida a Lava Jato. Bem menos que os 44,8% dos votos do PT para presidente, em 2018.

O maior apoio vem do grupo com ensino superior completo: 72,2% disseram que as conversas não provocam impactos na Lava Jato.

Jovens de 16 a 24 anos, influenciáveis no ambiente universitário, acham (52,1%) que as conversas alteraram a operação Lava Jato.

A maioria mantém a credibilidade na Lava Jato: Nordeste (51,8%), Sudeste (56,2%), Sul (58,7%) e Norte + Centro-Oeste (61,5%).


Em todas as regiões do País, a opinião é a mesma: as supostas mensagens não afetam a confiança na Lava Jato.


Lançamento de livreto e tributo a Jackson do Pandeiro, marcarão o São Pedro de Caiçara

A 30ª edição do São Pedro de Caiçara se realizará nos próximos dias 28 e 29 e o tema será “São Pedro de Caiçara exalta Jackson do Pandeiro no seu Centenário”. No dia 28 haverá o lançamento de um livreto (10 páginas), de autoria de Jocelino Tomaz de Lima, fã e pesquisador da vida e da obra do “Rei do Ritmo”; exposição “Jackson com Atitude”, com itens relativos ao homenageado; 9º Concurso de Trios Pé-de-Serra, constando no regulamento que os trios deverão ter nos seus repertórios de uma a três músicas de Jackson; e as atrações da noite serão “Forró de Mala e Cuia” e “Os Filhos de Jackson”, trio de Alagoa Grande, terra natal do homenageado.

No segundo dia da festa as atrações serão Forró de Cabo a Rabo, Henry Freitas e Brasas do Forró. Toda a decoração da festa estará voltada para a homenagem. O evento se dará na quadra de esportes “Everaldo Costa”, nas noites dos dois dias, a partir das 21h, e também contará com apresentação de quadrilhas.

O lançamento do livreto “100 Fatos dos 100 Anos de Jackson do Pandeiro”, publicado com apoio das prefeituras de Caiçara e Logradouro, é mais uma ação do autor, junto com o Grupo Atitude, ONG que há 14 anos desenvolve voluntariamente projetos educacionais e culturais em Caiçara-PB. Nesse ano Jocelino dispôs de seu acervo e junto com o Grupo, presidido por ele, tem realizado palestras e exposições, que já se deram em Caiçara, Logradouro, Passa e Fica (RN), João Pessoa, e tem convites para Guarabira, Solânea, Dona Inês e Borborema.

O livreto foi fruto de uma pesquisa que elencou fatos relevantes da biografia de Jackson, destaques da sua discografia, curiosidades, fatos posteriores a sua morte (homenagens, monumentos, regravações, etc.) até chegarmos a esse “Ano Cultural Jackson do Pandeiro”, poderá ser adquirida por um valor simbólico (R$ 3,00) que será em sua maior parte convertido para os projetos do Grupo Atitude.

 

A exposição “Jackson com Atitude” contêm cinco LPs, três discos de 78 RPM (inclusive a maior das relíquias, o 1º disco, de 1953, com “Sebastiana” e “Forró em Limoeiro”); 10 cordéis sobre Jackson, mais uma antologia de cordéis lançada recentemente; livros; revistas; plaquete; quatro filmes (dos nove que ele participou e que também são raros); materiais peculiares como a sua biografia apresentada como uma radionovela e em quadrinhos; além de CDs e jornais.


Acidente envolvendo ônibus do ‘Aviões do Forró’ deixa vítima fatal na PB


Aviões do Forró, que tem o cantor Xand Avião no comando, se apresenta neste domingo (23), em uma casa de shows privada, em Campina Grande
Redação Paraíba Já Redação Paraíba Já 23 de junho de 2019 às 16:49 Menos de um minuto

Um homem de 78 anos morreu em um acidente envolvendo uma motocicleta e um ônibus da banda “Aviões do Forró”, na tarde deste domingo (23), no km 17, na BR-412, no município de Boa Vista, no Cariri paraibano.

O acidente aconteceu por volta das 14h15, no trevo que dá acesso à cidade. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a motocicleta bateu na lateral do ônibus e não obedeceu a preferência. O motociclista morreu no local. Uma equipe da PRF foi acionada até o local. Até as 16h20, a identificação da vítima não havia sido informada.

A banda Aviões do Forró, que tem o cantor Xand Avião no comando, se apresenta neste domingo (23), em uma casa de shows privada, em Campina Grande. Com informações do Portal T5.


Vídeo - Seap emite nota de pesar pelo assassinato do agente penitenciário baleado no bairro de Tambiá

 
O agente foi morto a tiros no bairro de Tambiá, em João Pessoa, na tarde deste domingo (23), ao ser abordado por bandidos e reagir a um suposto assalto.


Por ClickPB
José Derlano Silva Bezerra, de 30 anos, trabalhava na Penitenciária de Segurança Média, no bairro de Mangabeira, na Capital (Foto: Arquivo pessoal)
A Secretaria de Administração Penitenciária da Paraíba (Seap) divulgou nota de pesar pelo assassinato do agente penitenciário José Derlano Silva Bezerra, de 30 anos. Ele foi morto a tiros no bairro de Tambiá, em João Pessoa, na tarde deste domingo (23), ao ser abordado por bandidos e reagir a um suposto assalto.

O crime foi registrado por uma câmera de segurança e aconteceu às 13h13. Derlano foi abandonado pelos assaltantes baleado na calçada e morreu ainda no local.

Agente penitenciário é morto no bairro de Tambiá após reagir a assalto

Ele trabalhava na Penitenciária de Segurança Média, no bairro de Mangabeira, na Capital.

Veja na íntegra a nota da Seap.

NOTA DE PESAR!

É com profundo pesar que o Secretário de Estado da Administração Penitenciária da Paraíba, Sérgio Fonseca, vem a público lamentar a morte trágica do Agente de Segurança Penitenciária, José Derlano Silva Bezerra, ocorrida na tarde deste domingo, vítima de um suposto assalto. O Secretário se solidariza com a dor da família do Agente Derlano, com apenas 30 anos e lotado na Penitenciária Média, em João Pessoa. Sérgio Fonseca afirma que a categoria está em luto e toda a Seap reconhece o compromisso do Agente Derlano que honrou sua missão. João Pessoa, 23 de junho de 2019.


“Falta uma vivência profunda sobre os direitos humanos”, diz Couto sobre comportamento de Bolsonaro

Ao comentar a decisão do presidente Jair Bolsonaro que exonerou recentemente, através de Decreto 9.831, publicado no Diário Oficial da União do último dia 10 de junho, todos os peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT), órgão responsável por investigar violações de direitos humanos em locais como penitenciárias, hospitais psiquiátricos, abrigos de idosos, dentre outros, o atual secretário de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, depois de quase 25 anos atuando no Legislativo, Padre Luiz Couto lamentou a decisão do presidente a considerando como um empecilho para o desenvolvimento social e econômico do pais.

O decreto 9.831, ainda determina que a nomeação de novos peritos para o órgão precisará ser chancelada por ato do próprio presidente, e que esses novos membros não irão receber salário. Ao se posicionar sobre a opinião dita por Bolsonaro, ainda na pré-campanha, que chegou a dizer que considerava os direitos humanos um empecilho para o desenvolvimento social e econômico do pais, Couto respondeu:

“Os direitos humanos estão presentes em todas as dimensões do ser humano. Se faltar isso, a pessoa está capenga. Quando ele (Bolsonaro) diz que é empecilho, o que é empecilho é, efetivamente, um sentimento de dominação, de opressão, um desejo de querer oprimir o outro, esmagar o outro. A gente está vendo no Brasil de hoje a onda de segmento da polícia, que vinha para assegurar o direito do cidadão, mas hoje a gente vê as milícias tomando conta. Nesse aspecto é que nos consideramos que precisamos recuperar aquilo que o profeta Isaías diz, que a gente vai ser libertado, mas pela justiça e pelo direito. Falta a Bolsonaro uma vivência profunda sobre os direitos humanos”, afirmou.

PBagora.com.br

 


Sidebar Menu