Ruy Carneiro: 'É tempo de trabalho. Eleição deve ficar para 2014'



 

A Paraíba quer paz, desenvolvimento e obras, independente de quem seja o chamado “pai da criança”. A declaração é do deputado federal e presidente estadual do PSDB da Paraíba, Ruy Carneiro, sobre a recente queda de braço envolvendo o governo da Paraíba e a Prefeitura de João Pessoa sobre a construção do trevo de Mangabeira e do projeto de mobilidade urbana da Capital.

-Como deputado federal faço um apelo e tenho certeza que é o apelo de toda a bancada Federal. É hora de trabalhar por João Pessoa e por toda a Paraíba. A eleição só começa no segundo semestre de 2014. Nossa população quer obras e desenvolvimento, avaliou Ruy.

Ele prosseguiu defendendo o entendimento entre o governo da Paraíba e a Prefeitura de João Pessoa. “Não importa quem está fazendo. O que importa é realizar para minimizar os transtornos causados no trânsito de João Pessoa. Defendo o diálogo e a bancada Federal estará sempre à disposição para mediar entendimento entre as partes”, disse.

Ruy Carneiro lamentou o fato dessa guerra política, ter ofuscado parte da festa da conquista do título nacional do Botafogo. “Esse é o desabafo da cidade. O título nacional acabou sendo ofuscado por uma briga política sem sentido. A vitória é do futebol da Paraíba e não de político a ou b”, criticou.

O parlamentar concluiu renovando seu compromisso com os 223 municípios da Paraíba, independente de partido. “Estou aberto para receber as sugestões e solicitações de todos. Sou presidente do PSDB que tem uma bandeira política, mas também sou representante do povo da Paraíba e o meu mandato é de todos os paraibanos”, concluiu.

Maranhão diz que vai fazer um sacríficio pela Paraíba e irá concorrer a Câmara Federal



O ex-governador José Maranhão anunciou ontem que não mais disputará a eleição de senador em 2014. Ele disse que decidiu abrir mão da candidatura para fortalecer o projeto do PMDB na eleição ao governo do Estado. Com isso, Maranhão revelou que vai sair para deputado federal. “Eu ainda faria um esforço para disputar uma eleição majoritária, no cargo de senador da República, mas eu percebo que devo mais uma vez fazer um sacrifício em favor do meu partido no sentido de fortalecer a candidatura de Veneziano Vital do Rêgo”.

Ele disse ainda que a saída do seu sobrinho, Benjamin Maranhão, do PMDB, também contribuiu para a decisão de disputar a eleição de deputado federal. “Se o deputado Benjamin tem permanecido no PMDB, a situação seria outra, mas, uma vez que ele deixou o PMDB, eu não posso recomendar seu nome. Não temos intenção de fazer confronto, de tentar desqualificar sua candidatura, até porque é um direito que ele tem, mas partidariamente eu não vejo como renunciar a uma candidatura para apoiar a dele, já que ele deverá se candidatar fora da legenda do PMDB”, afirmou.

As declarações foram feitas na sede do diretório estadual do PMDB, onde Maranhão participou do encontro “PMDB Mulher contra o câncer de mama”, organizado pela deputada federal Nilda Gondim. Durante entrevista antes do evento, o ex-governador criticou a decisão do deputado Benjamin Maranhão de se filiar ao Partido Solidariedade.

“Eu acho que ele não fez a melhor opção, pela tradição da família, pela consideração que o PMDB sempre teve e tem com ele, pelo apoio decisivo que eu dei em todas as suas campanhas. Mas, cada cabeça é um mundo e cada um tem o direito de escolher os seus próprios caminhos”.

Presidente estadual do PMDB, Maranhão fez uma avaliação do quadro político atual e disse que só existem duas candidaturas postas ao governo do Estado, que são as de Ricardo Coutinho e de Veneziano Vital do Rêgo. Segundo ele, o ideal seria que as oposições marchassem unidas logo no primeiro turno.

“Como estamos ainda a um ano da eleição não dá para a gente saber quem vai se coligar com quem. Eu acho que os partidos de oposição estarão coligados”.

Sobre enfrentar o governador Ricardo Coutinho, ele disse que não será uma eleição fácil para o PMDB. “Eu não acho fácil, não é uma campanha do já ganhou. Não vamos fazer campanha nesse nível, nós vamos fazer uma campanha de mobilização de todos os segmentos da sociedade. Na verdade essa campanha vai ser balizada pela discussão de projetos, ideias, princípios. Eu acho que isso é fundamental”.

Fazendo uma avaliação da gestão administrativa do governador Ricardo Coutinho, Maranhão destacou que “tirando a propaganda enganosa que é feita todos os dias, é um governo fraco, é um governo que não tem um projeto, uma diretriz, que até agora não disse a que veio”. Para o peemedebista, o atual governo não conseguiu resolver os problemas nas áreas de saúde, educação e segurança.



Jornal da Paraíba

Eduardo Campos confirma conversa com Cássio, mas não fala em aliança para 2014

 Eduardo confirma conversa com Cássio, mas não fala em aliança para 2014 Em passagem por Campina Grande, o governador de Pernambuco, e pré-candidato a Presidente da República pelo PSB, Eduardo Campos, confirmou que conversou com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), mas não falou em aliança para 2014. Eduardo esteve na em Campina Grande para um encontro com empresários do Estado. Antes do compromisso oficial, o socialista pré-candidato à presidência do Brasil, pelo PSB, concedeu uma entrevista coletiva na sede da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande.

O socialista chegou na Rainha da Borborema no final da tarde acompanhado do governador Ricardo Coutinho. Um grupo de manifestantes ainda tentou fazer um protesto em frente a Associação Comercial com faixa e cartazes, mas não impediu a entrada da comitiva. Eduardo falou sobre diversos assuntos, inclusive sobre a aliança entre o Estado da Paraíba e Pernambuco, para parceria comercial.

Sobre política, o governador confirmou que há um contato contínuo com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), mas que, no momento, o PSB não está focado na construção de aliança e sim, em torno, da construção de uma proposta para governar o país. Acompanhando o socialista estavam o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchôa, e os presidentes da ACCG, Álvaro Barros, e da FACEPB, o empresário Alexandre Moura.

De acordo com o presidente do diretório municipal do PSB em Campina Grande, Fábio Maia, a palestra de Eduardo foi proveitosa, pois ele falou sobre as experiências implantadas em Pernambuco na área econômica. "Eduardo tem uma larga experiência como administrador. A sua gestão trouxe grandes benefícios para Pernambuco. Prova disso é o que vemos hoje, um Estado que desponta para todo país com um amplo desenvolvimento, com um crescimento jamais visto. Na palestra ele procurou fazer um retrospecto de como conseguiu alcançar índices tão significativos para seu Estado, e perspectiva para desenvolvimento do país e do Nordeste", disse.

Conforme explicou Fábio Maia, a pré-candidatura a presidente de Eduardo Campos avança, e um dos seus desafios no momento, é repassar para a população suas ideias, mostrando o que pode fazer pelo país.

PBAgora

Pastor Marco Feliciano diz que pode ser candidato a presidente




O pastor e presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, deputado federal Marcos Feliciano (PSC-SP), declarou que pode vir a ser candidato à Presidência da República em 2014. Considerando-se “um símbolo de resistência, um símbolo de fé cristã e o símbolo dos conservadores que aparentemente não existem mais no Brasil”, Feliciano diz ser capaz de agregar tanto evangélicos, como católicos e espíritas em torno de questões polêmicas, como o aborto e o casamento gay. O parlamentar, que fez campanha pela eleição da presidente Dilma Rousseff (PT) em 2010, diz sentir-se traído pela petista e que, por conta disso, tem como objetivo contribuir no que for possível para que ela não seja reeleita em 2014.
Nesta linha, Feliciano diz que tem “um grande apreço” pelo governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, mas observa que possui “um pequeno probleminha” com a ex-senadora Marina Silva, que se filiou recentemente ao PSB e que deverá ser a vice em uma chapa presidencial encabeçada pelos socialistas. O problema, segundo ele, estaria no fato de Marina considerar como questão de saúde pública assuntos ligados à ideologia cristã, como o aborto. O parlamentar também afirmou conhecer “um pouco da história” do senador mineiro e postulante ao Planalto, Aécio Neves (PSDB), o que deixa em aberto as possibilidades sobre quem poderá apoiar no próximo pleito majoritário. Em uma longa entrevista ao jornal Folha de Pernambuco, Feliciano também afirmou que seu apoio será decisivo nas eleições presidenciais do próximo ano: “Mando para o segundo turno qualquer candidato”, declarou.


Brasil 247

Colunista diz que adiamento de nomeação de Vitalzinho tem o dedo de Pollyana Dutra

 Postado às 10:04 por Ivyna Souto

 

O colunista da Revista Época, Felipe Patury, publicou hoje que o adiamento da nomeação do senador paraibano Vital do Rego Filho deve-se não somente à decisão de deixar as mudanças ministeriais para a virada do ano. Segundo o colunista, e pode ser lido abaixo, a proximidade da prefeita de Pombal, Pollyana Dutra, com o ex-presidente Lula pode estar fritando o nome do paraibano.

Sidebar Menu