A asquerosa e desonesta palestra de Paulo Guedes - Albergio Gomes de Medeiros



Assisti hoje no YouTube à palestra travestida de entrevista, concedida pelo Min. Paulo Guedes, na CNN (emissora que uns dizem ser de um sobrinho do Bispo Macedo, parece, filho do R R Soares). Não é exigível nenhuma perspicácia para se perceber que não se tratou de uma genuína entrevista, onde entrevistados deparam-se com perguntas difíceis, constrangedoras por vezes, mas de uma mera oportunidade do entrevistado, no caso, o falastrão e manipulador nas exposições de "teses" e doutrinas, simplesmente falar e "vomitar" números e dados, fábulas de alocações milhões de reais de dinheiro público sob quimérica alegação de ajuda governamental aos agentes econômicos e trabalhadores, nessa pandemia.

Além de asquerosa "palestra", sob coordenação de William Wack (que surpreendeu-me pelo tamanho do "capachismo"), foi intelectualmente desonesta, por exemplo, quando disse que a corrupção existe por conta de empresas e serviços públicos, porquanto a privatização será eficaz remédio, e como forma de combater a corrupção e estancar desvios de dinheiro público privatizarão quatro.

O Ministro, que fez fortuna na iniciativa privada, especificamente para banqueiros, amealhou fortunas com especulação mobiliária, inverte propositalmente a ordem dos fatores, pois a corrupção não existe porque existe serviço público nem empresas públicas, mas por existirem empresários e empreendedores que investiram (como continuam) ativamente na "compra" de "maças podres" dentre o contingente de probos e vocacionados servidores públicos, e apostaram na corrupção ao invés da concorrência, da competição, da "mão invisível" do mercado, enfim, do que dizem defender.

Fez citações a Marx (que tenho minhas dúvidas se realmente leu), a David Ricardo - do qual Marx fora um "Ricardiano" -, e outros Economistas.

A propósito, o "script" usado por Guedão (Paulinho do "Gogó" ou "Borracheiro do Ipiranga") coincidentemente parece seguir a exposição no livro Curto-Circuito:O vírus e a volta do Estado: 2, de Laura Carvalho.

Vade retro.

Hospital de Campanha em Santa Rita pode ser desativado em 30 dias se redução de casos de covid-19 for mantida, estima João Azevêdo



 
"Eu espero que nos próximos 30 dias, a gente esteja fazendo a desmontagem daquele hospital, o anexo do Metropolitano, ficando apenas só o próprio Hospital Metropolitano com sua estrutura com 54 leitos de UTI dedicados a covid-19 para atendimento", afirmou.

Hospital de Campanha deve ser desativado em 30 dias se números da covid-19 continuarem a diminuir, diz governador. (Foto: Divulgação/Secom-PB)
O Hospital de Campanha que funciona no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, na Região Metropolitana, deve ser desativado nos próximos 30 dias, caso o número de casos da doença comece a diminuir assim como a demanda para a internação nas unidades de terapias intensiva (UTI). A informação foi repassada pelo governador da Paraíba, João Azevêdo, durante entrevista ao Arapuan Verdade, nesta terça-feira (07).

Sobre os números da doença, Azevêdo informou que acompanha diariamente. “Eu recebo as 5 horas da tarde o número de ocupação de leitos de enfermaria e do Metropolitano, do Solidário e de todos os hospitais da Paraíba. Eu espero que nos próximos 30 dias, a gente esteja fazendo a desmontagem daquele hospital, o anexo do Metropolitano, ficando apenas só o próprio Hospital Metropolitano com sua estrutura com 54 leitos de UTI dedicados a covid-19 para atendimento”, frisou.

No entanto, isso só deve acontecer se os números de novos casos e da demanda por UTI continuar caindo. “Esse número de novos casos, principalmente com demanda s em relação à UTI, é provável que em 30 dias estejamos desmontando aquela estrutura provisória que foi de extrema importância para o sistema de saúde”, finalizou.

Clickpb.com.br

 

Comércio, shoppings e orla de João Pessoa devem abrir a partir de segunda-feira

Walla Santos
Walla Santos


A informação é do jornalista Luís Tôrres, que fez a afirmação durante o programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, desta terça-feira (7).

Comércio de João Pessoa deve ser reaberto, assim como a orla marítima (Foto: Walla Santos/ClickPB)
O comércio, os shoppings e a orla marítima de João Pessoa devem ser abertos a partir da próxima segunda-feira (13), quando a Prefeitura inicia a terceira fase do Plano de Estratégico de Flexibilização. A informação é do jornalista Luís Tôrres, que fez a afirmação durante o programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, desta terça-feira (7).

Luís Tôrres afirmou que conseguiu a informação de modo exclusivo. O plano apresentado pela prefeitura prevê novos protocolos nessa terceira fase para os estabelecimentos de varejo; shopping centers e centros comerciais; atividades religiosas; transporte público; serviços públicos não essenciais; praias, praças e parques; feiras livres e ambulantes.

Veja plano abaixo:

Governo da Paraíba estuda pagamento de décimo terceiro para algumas secretarias neste mês de julho




Azevêdo ainda garantiu que o dinheiro para efetuar o pagamento do décimo terceiro dos servidores não será dos convênios e nem das obras.

Estado estuda pagamento de décimo terceiro para algumas secretaria neste mês de julho. (Foto: Reprodução)
O governador João Azevêdo (Cidadania) informou na tarde desta terça-feira (07), em entrevista ao Arapuan Verdade, que o governo estuda o pagamento antecipado da primeira parcela do décimo terceiro salário para algumas secretarias ainda este mês.

Azevêdo ainda garantiu que o dinheiro para efetuar o pagamento do décimo terceiro dos servidores não será dos convênios e nem das obras. “Até o final do ano faremos o pagamento do décimo terceiro de todos os servidores”, afirmou.

Clickpb.com.br

 

Cidadania em JP confirma adesão de 90% da base pró-candidatura própria, mas condiciona decisão a aval de João



 O presidente do Cidadania em João Pessoa, vereador Bruno Farias, revelou que a base do partido deseja participar ativamente das eleições municipais deste ano disputando na majoritária. No entanto, segundo o vereador, a orientação caberá ao governador João Azevêdo.

O vereador disse que tem acompanhado atentamente o reflexo da gestão de João Azevêdo na Paraíba e que o governador tem aparecido como principal referência política no estado. Desta forma, caberá a ele a decisão sobre a participação do partido nas eleições em João Pessoa.

– Em razão dos número refletidos nas pesquisas Consult / Arapuan, eu revigoro minha teses. Nós temos uma grande liderança política, tem um partido respeitado em todo o Brasil e o que é mais importante, nós temos propostas para solução dos problemas reais vividos pelos pessoenses em seu cotidiano.

O líder partidário acrescentou ainda que a base do Cidadania em João Pessoa, formada por 90% daqueles que integram a legenda defendem a candidatura própria na Capital.

– É uma decisão que dependerá do consentimento e do aval do governador João Azevêdo.

 

PB Agora

Sidebar Menu