Líder do Blocão revela possível adesão de dois nomes à base governista




Wilson Filho disse que crescimento do bloco acontece por conta do projeto bem-sucedido iniciado por Ricardo em 2011
Feliphe Rojas Feliphe Rojas 20 de abril de 2019 às 18:38 1 minuto de leitura
Denunciado pela PGR, Wilson Filho garante que provará inocência na Justiça
Líder do blocão na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Wilson Filho (PTB) previu a adesão de novos deputados à base governista. Ele disse que três nomes podem chegar ao grupo nos próximos dias e se somar ao projeto do governador João Azevêdo (PSB).

“São 22 deputados estaduais na base e, após o início dos trabalhos na Assembleia, outros deputados como o Felipe Leitão [já oficializado na base, sendo o 23° deputado da base] e outros já se aproximam da base. Pode chegar muito em breve a 25 deputados estaduais, uma base ampla”, comentou.

Wilson lembrou como o projeto do PSB à frente do Governo do Estado conseguiu evoluir e angariar apoios a cada eleição, ressaltando que o agrupamento de parlamentares na base governista se dá por uma questão identitária e até mesmo eleitoral, pois seria benéfico aos mesmos terem a imagem vinculada a uma gestão bem avaliada, rechaçando a tese de um “cobertor” de cargos e benesses para “segurar” os deputados.

“No final do primeiro mandato de Ricardo Coutinho só tinham cinco deputados. Para a eleição, após 2014, se começou em 2015 um novo mandato com 19 deputados estaduais. Agora temos 22 eleitos no bloco, no grupo que elegeu também João Azevêdo. Isso não é cobertor, guarda chuva, não é nada disso. A eleição deu uma vitória a João tão grande, tão atípica, a maior diferença da história das eleições, que fez um grande número de deputados. Quem vota no governador X, acaba por votar em representantes do seu próprio agrupamento”, explicou.

Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda-feira




Na primeira fase, foram vacinadas crianças, gestantes e puérperas.


Por Agência Brasil
 

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes. (Foto: reprodução )
A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe entra em uma nova etapa na próxima segunda-feira (22) em todo o país. A primeira fase, que teve início em 10 de abril, vacinou crianças, gestantes e puérperas. A partir da próxima segunda, o Ministério da Saúde abrirá ao restante do público-alvo.

Dessa forma, poderão receber a vacina trabalhadores da saúde, indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

De acordo com o ministério, 41,8 mil postos de vacinação estão à disposição da população. Além disso, 196,5 mil profissionais estão envolvidos, bem como a utilização de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

A doença
A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes.

No Brasil, devido a diferenças climáticas e geográficas, podem ocorrer diferentes intensidades de sazonalidade da influenza e em diferentes períodos nas unidades federadas. No caso específico do Amazonas, a circulação, de acordo com o ministério, segue o período sazonal da doença potencializado pelas chuvas e enchentes e consequente aglomeração de pessoas.

Até o final de março, antes do lançamento da campanha, foram registrados 255 casos de influenza em todo o país, com 55 óbitos. Até o momento, o subtipo predominante no país é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos. O Amazonas foi o estado com mais casos registrados, com 118 casos e 33 mortes. Por isso, a campanha foi antecipada no estado.

Neta de Pinto do Acordeon é vítima de racismo e agressão física em escola de João Pessoa: “Negrinha bocuda”




Na última sexta – feira (19), a filha de Pinto do Acordeon denunciou agressões sofridas pela filha no Colégio Master Bessa, em João Pessoa, após uma discussão com uma colega de classe.

A filha do cantor informou que o caso corre na justiça, onde foi registrado um boletim de ocorrência contra a agressora. (Foto: reprodução )
Na última sexta – feira (19), a filha de Pinto do Acordeon denunciou agressões sofridas pela filha no Colégio Master Bessa, em João Pessoa, após uma discussão com uma colega de classe. Ela relata que a filha de onze anos, foi agredida física e verbalmente pela tia da menina, a Corretora de Imóveis Karina Araruna que chamou a criança de “negrinha bocuda” e chegou a cuspir no rosto da criança.

“A Maria estava na escola, estudando, uma tia de uma coleguinha de sala dela foi até lá, agrediu a menina verbalmente a chamando de gorda, bocuda e dizendo que ela tem um olhão e ainda agrediu fisicamente puxando o nariz da criança de 11 anos e o mais absurdo foi que ela ainda cuspiu na cara da criança,” relatou Duna, filha de Pinto do Acordeon.

Duna informou que o caso corre na justiça, onde foi registrado um boletim de ocorrência contra a agressora.

Alexandre Frota diz que PSL foi ‘sacaneado’ pelo governo: ‘Odeio ser enganado’



 

Publicado por: Gerlane Neto e

Alexandre Frota, deputado federal pelo PSL-SP, voltou a usar o Twitter neste sábado (20) para atacar, acusar e ofender até mesmo seus correligionários. Frota demonstrou que o clima entre os governistas não está nada bom.

“Acho interessante que querem colocar a culpa no PSL. Mas o partido foi muito sacaneado pelo Governo. E os Twitteiros que nada sabem pois não vivem a realidade, ficam aqui ameaçando. O negócio é o seguinte tá na hora do PSL dar uma resposta séria”, tuitou Frota.

Em seguida, escreveu: “O PSL é dividido entre a Tropa de choque, os Olavos Amestrados, e os coisas. Querem saber quando vamos nos entender??? Todos os dias temos que ficar limpando as cagadas do Gov. e aí ainda temos que ouvir um monte de Merda que não é culpa nossa. As mais variadas”.

Leia Também: CEM DIAS DE JOÃO AZEVEDO: governador faz balanço da gestão e fala em dar continuidade ao trabalho do governo anterior
O deputado finalizou: “O Eremita da Virginia com seu Gov. Paralelo ele é uma espécie de Jim Jones, aí veio a brincadeira de mau gosto chamado Velez, e o genérico também indicado pelo pastor da seita. E o PSL é culpado? Odeio ser enganado”.

 

@alefrotabrasil
Acho interessante que querem colocar a culpa no PSL @PSL_Nacional Mas o partido foi muito sacaneado pelo Governo.E os Twitteiros que nada sabem pois não vivem a realidade ,ficam aqui ameaçando. O negócio é o seguinte tá na hora do Psl dar uma resposta séria. @PSL_Nacional

@alefrotabrasil
O PSL @PSL_Nacional é dividido entre a Tropa de choque,os Olavos Amestrados,e os coisas.Querem saber quando vamos nos entender???🐉🐀🐣 todos os dias temos que ficar limpando as cagadas do Gov.e aí ainda temos que ouvir um monte de Merda que não é culpa nossa. As mais variadas

 

 

Fonte: Revista Fórum

Créditos: Revista Fórum

Receitas da PB ultrapassam mais de R$ 865 milhões no mês de março



 
Arquivo/Agência Brasil
No terceiro mês de 2018, a Paraíba teve cerca de R$ 865 milhões em arrecadação. De acordo com o Fisco Estadual, R$ 493,3 milhões são referentes a arrecadação própria do estado. De um ano para outro, a diferença de receita foi de R$ 30,3 milhões, ou seja, crescimento de 6,54%. A receita própria é formada pelos tributos ICMS, IPVA, ITCD e Taxas.

De recursos transferidos pelo Governo Federal (FPE, Fundeb, Cide, IOF-Ouro, IPI-Exp e Royalties), o Estado dispôs em caixa cifra superior a R$ 371,1 milhões, no mês de março. No mesmo mês do ano passado, a Paraíba recebeu pouco mais de R$ 337,1 milhões. Neste ano, houve a mais de repasse R$ 34 milhões, o que corresponde a 10,09%.

Na soma total da receita própria e das transferências, somente no mês de março a Paraíba contabilizou mais de R$ 865,1 milhões em caixa. No ano passado, essa quantia foi de R$ 800,7 milhões. No comparativo de 2018 com 2019, este ano apresentou um crescimento de R$ 64,3 milhões, ou 8,04% de acréscimo.

MaisPB

Sidebar Menu