A ingratidão - Lourdinha Luna



 
O individuo que não é grato é molesto, desagradável, portanto abominável para a convivência. Esta semana dediquei-me a ler comentários em jornais, Faces e outras formas de inserção

do pensamento, em relação ao feito de maior projeção que os nordestinos receberam até então. A Paraíba, em sua trajetória desde 1585 quando do inicio de sua construção como cidade, até os dias atuais fora agraciada com dois grandes feitos.

A criação da UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA, em 1951 e dia 10 de março de 2017, a TRANSPOSIÇÃO DE ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO, possivelmente até Campina Grande. A parte mais seca do Estado - o CURIMATAU foi desconsiderado, para não encarecer o projeto. Lembrei-me e não posso ocultar o que se passou em 1932, para que todo o Nordeste não morresse de fome e sede. O cofre federal estava em ruínas... O Presidente Washington Luiz só teve olhos para alimentar a "guerra" fratricida de Princesa. Mas, a única saída para aliviar o sofrimentos com os 3 anos de seca (começou em 1930) era tomar por empréstimo a Inglaterra em libra (ouro) uma quantia para tocar os grandes açudes que ainda abastecem a região sedenta de água.

Vinte anos depois a divida estava paga, pelo mesmo Presidente (Getúlio Vargas) que se responsabilizou pelo débito. A alegria do Ministro que intermediou a transação - JOSÉ AMÉRICO - ainda lhe encheu os olhos de lágrimas, ao receber do Embaixador da Inglaterra no Brasil o documento que quitava a transação.

Não sejamos ingratos a transposição é fruto da vontade do Presidente Lula, Dilma e Temer . E também dos que no percurso dos trabalhos acompanharam sua trajetória e nas últimas horas dos que não deixaram o empreendimento estacar...

Lula dividiu o poder com aqueles que ele agora critica - Francis Lopes de Mendonça



 
Morro de rir com amigos meus de boa fé que vêem golpismo em tudo mas empurram goela abaixo a safadeza e a roubalheira, só porque preferem Lula de novo no poder, a pretexto de que a direita reacionária é safadeza e roubalheira com retrocesso social.

Realçam a sucessão de erros cometidos pelas elites, como se essas mesmas elites não tivessem compartilhado do poder e das roubalheiras das esquerdas. Ou não foi o PT de Lula que passou 13 anos dividindo amplamente o poder e as roubalheiras com o PMDB de Temer numa desenvoltura de uma sem-vergonhice sem fim, inclusive trazendo reacionários para seus ministérios, a exemplo de Aguinaldo Ribeiro? Ou então meus amigos esquecem que Lula só chegou onde chegou cedendo aos acordos com as elites brancas. Pois Lula jamais teria chegado ao poder sem as composições, negociatas de gabinete e conluios secretos nos bastidores do poder e sem dividir as falcatruas com as elites brancas.

Meus amigos esquecem que alianças espúrias e arrumações palacianas com velhas oligarquias e velhas práticas da República getulista eram coisas impensáveis, denunciadas e combatidas pelo petismo original. Mas por que se tornaram práticas corriqueiras e marcas indeléveis nesta época lulista-dilmista? "Ahhh..., mas o que importa é que o país teve conquistas através de Lula", disse a vulgar justificativa de outro amigo, como se essas conquistas que Lula implantou no primeiro governo explicassem a ladroagem grossa que foi multiplicada por mil vezes pelos corruptos e ladrões que engrossaram as fileiras do partido e fizeram com que muitos de seus respeitáveis fundadores saíssem por não concordarem com os desmandos.

Sabemos que a roubalheira e a corrupção não é de agora, nem coisa só de Lula, mas que teve o enraizamento nas estruturas do poder envolvendo quadros históricos do partido. Agora resta saber se esses camaradas ainda se sentem na obrigação de justificar mais atitudes indefensáveis, como é esse abraço no Paulo Maluf, só por terem sido tomadas por Lula, esse poço de contradições e mentiras.

Por que querem o “impeachment” de Gervasinho, neto de João e filho de Gervásio? – Por Rui Galdino



 

 Por Rui Galdino Filho ( advogado e jornalista )
Meus amigos, minhas amigas, meus caros leitores. Vejam como são as coisas na política. O deputado estadual Gervásio Maia Filho, carinhosamente conhecido por Gervasinho, mal tomou posse como o novo presidente da Assembléia Legislativa da Paraíba, e já está ocorrendo o maior rebú interno com seus colegas deputados, que inclusive, já se fala até em sua possível cassação, ou seja, estão articulando o “impeachment” de Gervasinho, da presidência da Assembléia.

Pois bem. Fiquei surpreso, quando alguns colegas me contaram ontem este fato, e mais ainda, quando li em alguns jornais e portais, matérias vinculadas à uma articulação, até então secreta, com a finalidade de retirar Gervasinho, da presidência da Casa de Epitácio Pessoa. Então, me veio a indagação: Finalmente, o que está havendo de tão grave, ao ponto de deputados da oposição e também da situação, quererem o “impeachment” de Gervasinho, da presidência da Assembléia?
As explicações que me deram, confesso, que não entendi muito bem. Então, voltei a indagar alguns colegas: Gente, qual o fato ou os fatos determinantes, concretos, que deputados da oposição e situação alegam para “cassar” Gervasinho, em tão pouco tempo na presidência da Assembléia? Então repeti a indagação: Finalmente, o que está acontecendo de tão grave, na presidência de Gervasinho, que colegas seus, estão querendo lhe tirar do comando da Assembléia?

E mais uma vez, respostas e explicações vagas e sem o menor sentido. Eu não acreditei, nem acredito no que me contaram, porém, vejam algumas explicações: 1º) Querem “cassar” Gervasinho, por que ele está se comportando como uma espécie de “pal mandado” do governador perante a Assembléia. 2º) Querem “cassar” Gervasinho, por que ele resolveu não mais transferir o prédio da Assembléia, para a Epitácio Pessoa. 3º) Querem “cassar” Gervasinho, por que ele nomeou como assessor jurídico da Assembléia, um advogado, que atua contra o governador, perante o TRE/PB.

Tem mais: 4º) Querem “cassar” Gervasinho, por que ele está mais preocupado em ser o provável candidato do governador Ricardo, à sua sucessão em 2018, do que ser presidente da Assembléia, uma vez, que vive viajando com o governador para todo lugar. 5º) Querem “cassar” Gervasinho, por que ele está atuando de maneira muito autoritária perante seus colegas e não quer muita conversa, etc, etc, etc.

Então, eu fiquei mais confuso ainda, com tantas explicações vagas, sem o menor sentido e por demais contraditórias, no sentido de quererem “cassar” o comando do presidente Gervasinho, sem a menor justa causa ou caso concreto, que configure no mínimo crime de responsabilidade, por parte do deputado Gervasinho, como presidente da Assembléia. Não tenho procuração para defender Gervasinho, porém, estes motivos até então elencados, no sentido de “cassar” a presidência do mesmo, são muito frágeis e até cômicos, se realmente forem verdadeiros.

 E eu fiquei pensando!!! Ora, a poucos dias, estive na posse de Gervasinho, como novo presidente da Assembléia, e me surpreendi com tanta gente presente. Foi uma das posses mais concorrida e prestigiada que já presenciei nos últimos tempos, e agora, a menos de dois meses daquela prestigiada posse, já estão querendo “tirar” o deputado Gervasinho, do comando da Assembléia? Sem motivo grave até então, que justifique possível cassação? Então, fiquei matutando feito bode velho, e cheguei à conclusão, tem algo errado nessa “estória” toda!

Depois, uma importante e robusta fonte, que vive o dia a dia da Assembléia, pediu reservas e me disse: “ Rui, tudo o que lhe disseram, é isso mesmo também, mas, o grande problema que está acontecendo é o seguinte: 1º) Gervasinho, recebeu uma Assembléia com dívidas diversas ( locação de imóveis atrasados, débitos previdenciários, etc ). 2º) Gervasinho, também encontrou um verdadeiro “trem da alegria”, recheado de funcionários comissionados fantasmas, funcionários do quadro sem dar expediente, muita gente empregado na Assembléia sem trabalhar, morando no interior e até fora do estado, etc”.

E disse mais: “ Então, Rui, diante do quadro caótico que encontrou, Gervasinho, resolveu agir e de uma canetada só, exonerou todos os cargos comissionados e determinou que os funcionários do quadro que recebiam ser trabalhar, voltassem para dar expediente, sob pena de ter os contra-cheques bloqueados. E aí, todas essas medidas, causou e vem causando uma grande confusão, pois, a cobrança dessa gente em cima dos deputados é muito grande, e ninguém quer perder votos”.
Disse ainda: “ Além disso, Rui, Gervasinho, cortou muitos outros gastos na Assembléia, que ele entendeu desnecessário, no sentido de economizar, sanear e equilibrar as finanças do Poder Legislativo. E tudo isso, e muito mais, vem contrariando os interesses dos deputados, por isso, a confusão interna é grande, e querem SIM, destituir Gervasinho, da presidência da Assembléia”.

Haaaaaaaaa!! Deixa-me ver se entendi direito essa “estória”. Então, quer dizer, que deputados da oposição e da situação, querem o “impeachment” urgente de Gervasinho, por que estão tendo interesses pessoais e eleitoreiros contrariados? Pode isso? Isso é motivo para querer “cassar” da presidência de um poder, um jovem e combativo deputado, que está querendo ajustar as coisas na Assembléia e fazer o dever de casa correto?

Quer dizer, que estão querendo “cassar” Gervasinho, por que ele quer moralisar e acabar com o empreguismo e clientelismo desenfreado que dizem que existe e sempre existiu no Poder Legislativo da Paraíba? Querem “cassar” Gervasinho, por que ele quer empoderar o povo, trazendo o povo para dentro da Assembléia, que todos dizem ser a casa do povo? Querem “cassar” Gervasinho, por que ele reabriu depois de muitos anos, o PARLATÓRIO da Assembléia, para que o povo tenha vez e voz defronte a Praça João Pessoa? Será isso mesmo, ou eu entendi tudo errado?

Me disseram, que Gervasinho, vai pagar o atrasado e devolver todos os imóveis alugados pela Assembléia, e que isso, também está contrariando muita gente. Gervasinho, vai usar o dinheiro da Assembléia, para fazer uma grande e profunda reforma no prédio principal e está alugando o famoso, histórico, tradicional e bonito prédio do Paraíba Pálace, para colocar todos os demais anexos, centralizando o Poder Legilativo em apenas dois lugares próximos um do outro ( Prédio principal e Paraíba Pálace ).

Além disso, Gervasinho, vai construir uma rampa externa, para um melhor acesso popular ao PARLATÓRIO, bem como, vai instalar no local, um potente e eficiente sistema de som, para as manifestações populares que desejarem usar o PARLATÓRIO da Assembléia. Será que tem gente que está com ciúmes político e inveja de Gervasinho, pelo fato dele querer fazer diferente e agir de maneira republicana no comando do Poder Legislativo?

Conheço o deputado Gervasinho. Sempre foi muito atuante tanto na oposição, quanto na situação. É um jovem aguerrido, destemido, competente, carismático e de tradicional família política paraibana. Além disso, é um político sério, corajoso, correto e que não leva desaforos para casa. É UM MAIA! Não acredito que deputados, principalmente, aqueles da bancada governista, queiram “cassar” Gervasinho, sem justa causa, sem fato concreto grave que possa ensejar um crime de responsabilidade.

É preciso que Gervasinho, tenha muito cuidado, pois, toda mudança e ações que contrariam interesses, principalmente interesses que NUNCA foram contrariados, geram imensas reações! Porém, Gervasinho sabe, que administrar bem, é enfrentar desafios e contrariar interesses. Quem não se lembra dos problemas e das mudanças que o governador Ricardo Coutinho, enfrentou e fez a partir de 2010, e que ainda hoje faz, para que a Paraíba não retroceda e avance cada vez mais?

Pois bem. Gervasinho, que foi um combativo opositor de Ricardo, terminou se convencendo que o governador estava certo e hoje é um dos seus principais discípulos, tanto o é, que o governador tem o maior respeito e admiração por ele. Na presidência da Assembléia, Gervasinho, está querendo fazer a coisa certa, está querendo fazer as mudanças e reformas necessárias, está querendo empoderar o povo, está querendo acabar com o empreguismo e clientelismo exagerado, está querendo economizar e fazer o dinheiro público render mais em favor da maioria do povo, etc, etc, etc, e tem DEPUTADOS achando ruim e querendo lhe “cassar” ?
Tenha a santa paciência! Gente, o Brasil e a Paraíba em especial, estão mudando e mudando para melhor. É preciso entender que o povo está mais vigilante e que as redes sociais na sua horizontalidade, destronaram os grandes impérios de comunicação, que manipulavam os fatos e as notícias, e que agora, a realidade é outra.

Caro deputado Gervasinho, cuidado, porém, não tenha medo de fazer a coisa certa, pois, a maioria do povo paraibano estará ao seu lado. Se tem deputados que querem lhe “cassar”, por que o senhor está contrariando alguns interesses pessoais deles, em benefício da maioria do povo, ENFRENTE-OS!!!! Honre a tradição de seu avô, João Agripino e de seu pai, Gervásio Maia, ambos de saudosa memória, e que deixaram um exemplo histórico de honestidade, coragem, dignidade e republicanismo para o povo paraibano e brasileiro.

Não tenha medo de fazer a coisa certa. E quem for galho podre ou seco, que se quebre. Faça as mudanças e reformas que o Poder Legislativo da Paraíba precisa e merece. Tudo tem a sua hora e o seu tempo. Não foi à toa que V. Exa. chegou à presidência da Assembléia, num momento de muitas transformações que o Brasil vem passando. Assim como o governador Ricardo, tem mudado a história do Poder Executivo da Paraíba para melhor, o senhor também, poderá mudar a história do Poder Legislativo paraibano para melhor. Não tenha medo, pois, a maioria do povo estará ao seu lado. ADELANTE!

Imposto de Renda 2017: Como evitar a malha fina? Prazo encerra em 28 de abril




Multa para quem não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo varia de R$ 165,74 a até 20% do imposto devido

A Receita Federal passou a receber declarações de imposto de renda no início de março, e o prazo para o contribuinte tirar dúvidas e fazer sua declaração está se esgotando.

Os formulários devem ser enviados até as 23h59 do dia 28 de abril, e há novidades nas regras para o preenchimento e envio dos documentos. A multa para quem não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo varia de R$ 165,74 a até 20% do imposto devido.

Entre as vantagens de fazer a declaração com antecedência está a de receber a restituição do IR mais cedo. Quem enviou os documentos no início do prazo deve receber a restituição a partir de junho – desde que a Receita não encontre erros, omissões ou inconsistências.

O governo espera receber 28,3 milhões de declarações dentro do prazo legal de 2017 – contra 27,9 milhões de 2016.

A Isto É preparou um guia para quem tem dúvidas sobre as novas regras da declaração. Neste post, confira como evitar cair na malha fina na declaração de Imposto de Renda 2017.

Como evitar a malha fina?

O contribuinte deve ficar atento a certos cuidados para diminuir a chance de ter a declaração retida na malha fina – que é a revisão eletrônica de todas as declarações do Imposto de Renda pelo sistema da Receita. Qualquer divergência, por menor que ela seja, já é suficiente para que a declaração fique retida no sistema.

Para evitar as pendências com o Fisco, o site da Receita disponibiliza um guia de como preencher corretamente a sua declaração do IRPF.

É preciso listar todos os bancos em que o declarante possui conta corrente ou algum vínculo, pois as instituições financeiras enviam suas informações à Receita. Além dos saldos de contas-correntes e aplicações, é preciso informar os rendimentos em cada uma delas.

“Muitas pessoas cometem o erro de achar que não devem declarar os pagamentos de cartão de crédito, ou então esquecem quando outra pessoa fica responsável, cônjuge ou pai, por pagar a conta”, avisa o diretor assessoria contábil CSL, Claudionei Santa Lucia. “Ocorre também de haver coincidência de dependentes nas declarações de casais divorciados, e o dependente deve constar em apenas uma declaração – geralmente, na declaração de quem tiver a guarda da criança.”

No caso de trabalhadores que estão em dúvida sobre o que devem declarar dos valores que receberam das empresas onde trabalham, Claudionei recomenda consultar os departamentos e portais de Recursos Humanos. Além disso, o declarante pode imprimir, para consulta, os Informes de Rendimentos que os bancos disponibilizam aos correntistas, onde constam todos os valores registrados pelo banco que são repassados à Receita. “Esse informe de rendimentos, inclusive, serve como lastro documental caso a receita chame o declarante para prestar esclarecimentos.”

Isto É

Ex-ministra do TSE, revela que sistema político atual está apodrecido




A ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Eliana Calmon, defendeu essa semana, em João Pessoa um levante popular em combate à corrupção, por meio de uma ampla reforma no sistema político e eleitoral no Brasil. Segundo ela, o grande protagonismo de mudanças sérias é do povo brasileiro, que precisa reagir severamente e participar ativamente para garantir que o País seja passado à limpo de forma estrutural. “Nós temos que mudar o sistema político, os políticos, os partidos políticos porque está tudo apodrecido. Tudo estar organizado no sentido de ser o grande favorecimento da corrupção. Para limpar a corrupção temos que fazer essas mudanças radicais”, declarou.

Eliana Calmon, que participou ontem de um evento promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), no auditório do Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon), também afirmou que houve evolução em relação ao combate à corrupção, porque pela primeira vez na história o Poder Judiciário está se posicionando contra à corrupção no País. “O Judiciário sempre foi conivente com ela”, revelou, avaliando como ponto positivo o fato da corrupção começar a ser discutido pelo Judiciário e pela sociedade brasileira.

A ex-ministra, que proferiu palestra sobre ‘Ética e Compliance para uma Gestão Eficaz’, também é a favor de uma revisão na questão do foro privilegiado para autoridades. Segundo ela, esse instituto “serve para não funcionar”, o que protege os políticos. “Precisamos fazer uma revisão geral do foro especial. Ele precisa existir porque há autoridades que não podem ficar com o juiz de primeiro grau, porque esse magistrado está muito distante dos fatos que, muitas vezes, acompanham o dia a dia de uma autoridade federal, por exemplo. De forma que é necessário que poucas autoridades tenham foro especial”, acrescentou Eliana.

De acordo com a ex-ministra, a Constituição de 1988 “inchou” a possibilidade de foro privilegiado para muitas autoridades. “São mais de 3 mil autoridades que têm direito ao foro especial. O que acontece é que, para esses que têm foro especial precisava que o rito do processo fosse mais rápido, mais diligente. O rito processual do foro especial é extremamente execrável, porque demora demais”, informou.

Pb-Agora.com.br

 

Sidebar Menu