Estatisticas do blog

No momento, 26 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 3055988 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina


     RAONI: GOSTARIA DE MORAR NA CIDADE DA PROPAGANDA DO PREFEITO CARTAXO

    O vereador Raoni Mendes demonstra que está nas pontas dos cascos, para assumir o papel de líder da oposição na Câmara Municipal de João Pessoa. Esta semana cansado de ver na mídia a publicidade da Prefeitura da capital, fuzilou: ‘Gostaria de morar na cidade da propaganda do Prefeito Cartaxo. Poxa, na canela.

    ODON BEZERRA VERSUS LUCIANO CARTAXO

    Mesmo sendo petista de estrelinha o presidente da OAB-PB Odon Bezerra, que teve para deputado federal mais de 20 mil votos, parece que guardou alguma mágoa de nosso alcaide, pois permanentemente vive criticando o prefeito e sua gestão. Será que no último pleito o prefeito deixou de ajudar o companheiro Odon?

    ADRIANO GALDINO DIZ QUE NÃO VAI CONFINAR DEPUTADOS

    (O deputado Adriano Galdino (PSB), que é candidato a presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB)), negou, nesta segunda-feira (26), que irá confinar os deputados que apoiam suam candidatura, para evitar assédio da chapa adversária, como se especula nos bastidores da política paraibana. “Estão todos livres. Apesar de ser uma eleição difícil, confio nos meus aliados”, sustentou. Esse povo é tão confiável que no passado os deputados foram levados para uma propriedade na cidade de Natal, que nem telefone existia. Não seria o caso de na véspera oferecer um farto jantar aos mesmos bem longe daqui, onde os mesmos só regressassem na hora do voto?

    GOVERNO CONTESTA NÚMEROS DA ONG QUE APONTA JOÃO PESSOA DENTRE AS MAIS VIOLENTAS DO MUNDO

    A ONG mexicana ‘Consejo Ciudadano para La Seguridad Pública y Justicia Penal, com base não se sabe em que estudo cientifico ou metodologia, aponta João Pessoa como a 4º cidade mais violenta, com um indica de 79,41 assassinatos por grupo de 100 mil pessoas. Sobre essa estatística dessa ONG bem desconhecida por nós, o secretário de Comunicação Luiz Torres, foi enfático: ‘É preciso o mínimo de responsabilidade para não empunhar uma lista, exposta sob o filme de terror, com as cidades mais violentas do mundo, baseada em coletas aleatórias e, o pior, em projeções futuras. Isso é que é uma violência. Contra a verdade.”

    RONALDINHO FALA SOBRE A SAÍDA DO TUCANO ROMERO RODRIGUES

    O vice-prefeito de Campina Grande, Ronaldinho Cunha Lima Filho, naturalmente falando em nome do seu irmão o senador Cássio Cunha Lima, demonstrou insatisfação sobre a eventual saída de Romero Rodrigues do ninho tucano. Disse o vice-prefeito ‘Isso traz uma leitura preocupante. A Republica está contaminada com a política de que você precisa estar na base para fazer jus aos recursos assegurados em convênio’. Aqui neste espaço já fiz a mesma critica e até estranhei que o governante acredite numa adesão mal ajambrada como essa.

    O DESCASO DO SENADOR RAIMUNDO LIRA

    Raimundo Lira, garfado de nossa política pelos eleitores, acertou há quatro anos ser suplente da chapa do então candidato ao Senado Vital do Rego Filho. Por uma tremenda sorte no final do ano passado Vital do Rego deixou o Senado e foi nomeado ministro do TCU, caiando a vaga de senador no colo de Raimundo Lira, que entrou na disputa contando apenas com o próprio voto. Mais de um mês depois de diplomado e empossado no Senado Necas de pitibira de Lira com relação ao ovo paraibano, ou seja, o dito cujo não colocou os pés na nossa terra para agradecer a honraria e indagar quais as necessidades que precisa defender no Senado. Vai ver o Raimundo Lira imagina que não deve gentilezas aos eleitores e que foi escolhido primeiro suplente de Senador, em razão dos seus belos olhos. Em tempo: alegando que se encontrava usufruindo férias junto com a família, Raimundo Lira anunciou ontem deve estar na Paraíba na próxima quarta-feira (28) amanhã, para fortalecer os diálogos com a população e entidades administrativas do estado. Ainda bem, antes tarde do que nunca.

    COM A CRISE DE ÁGUA NO SUDESTE POR QUE NÃO UTILIZAR ÀS ÁGUAS DO AGUÍFERO GUARANI, QUE DARIAM PARA ABASTECER O BRASIL POR 2.500 ANO?

    O aguífero Guarani é o nome que, em 1996, o geólogo uruguaio Danilo Anton propôs para denominar um imenso aquífero que abrange partes dos territórios do Uruguai, Argentina, Paraguai e principalmente Brasil, ocupando 1 200 000 km². Na ocasião, ele chegou a ser considerado o maior do mundo, hoje considerado o segundo maior, capaz de abastecer a população brasileira durante 2 500 anos. A maior parte (70% ou 840 000 km²) da área ocupada pelo aqüífero, cerca de 1 200 000 km² , está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil, ou seja, Mato Grosso do Sul (213 700 km²), Rio Grande do Sul (157 600 km²), São Paulo (155 800 km²), Paraná (131 300 km²),Goiás (55 000 km²), Minas Gerais, (51 300 km²).

    COM A CRISE DE ÁGUA NO SUDESTE POR QUE NÃO UTILIZAR À ÁGUAS DO AGUÍFERO GUARANI QUE DARIAM PARA ABASTECER O BRASIL POR 2.500 ANO? II

    Temos ainda Santa Catarina, (49 200 km²), Mato Grosso (26 400 km²). Em muitas áreas a água não é potável, mas é ótima para estâncias turísticas de águas minerais e termais. A água de melhor qualidade do Aquífero Guarani em geral está nos bordos das áreas de afloramento do aquífero e seus arredores. As maiores áreas com água de boa qualidade ficam em São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Paraguai. Alguém pode até dizer ser muito difícil extrair tal água, alegação que cai por terra já que o Brasil hoje tem tecnologia para extrair petróleo em grande profundidade na terra e no mar e até mesmo no pré-sal e por que não teria meios para buscar água que é essencial a vida.

    ]

    Esta coluna é publicada no http:/www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da terça - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    ‘A universidade pode ser nossa‘, diz transexual aprovada no Sisu





    Clara foi uma das 95 transexuais autorizadas a usar nome social no Enem.
    Ela foi aprovada em pedagogia na UFPE na primeira chamada do Sisu.
    Ana Carolina Moreno
    Do G1, em São Paulo

    Maria Clara Araújo, aprovada no curso de pedagogia da UFPE (Foto: Arquivo pessoal/Maria Clara Araújo)
    Maria Clar foi aprovada em pedagogia da UFPE
    (Foto: Arquivo pessoal/Maria Clara Araújo)

    Em novembro de 2014, a estudante recifense Maria Clara Araújo, de 18 anos, foi uma das 95 transexuais com autorização do Ministério da Educação para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) usando seu nome social. Nesta segunda-feira (26), ela é uma de 6.562 estudantes na lista de primeira chamada para as vagas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), selecionadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

    Veja outras histórias de pernambucanos que passaram na UFPE
    Primeira da família a ser aprovada na federal, Clara, que na semana que vem fará a matrícula no curso de pedagogia, recebeu a notícia durante uma viagem no Rio de Janeiro, e por enquanto só conversou com a mãe por telefone, em uma ligação cheia de lágrimas dos dois lados da linha.

    "Mainha está super orgulhosa. Ela estava na casa da minha tia, minha tia ligou, dizendo que ela estava chorando, super emocionada. Ela desde criança me impulsionou muito pra eu estudar", contou a jovem ao G1, na tarde desta segunda.
    "Minha mãe ouviu que eu ia acabar na Europa me prostituindo, esse tipo de coisa. Não desmerecendo a prostituição, mas eu realizei meu sonho de entrar pra academia e me tornar uma universitária. Pra ela e pra mim é um orgulho muito grande."

    saiba mais
    ‘Surpresa‘, diz 1º lugar em curso de medicina com nota de corte mais alta do Sisu
    Campeão de olimpíadas conquista vaga em engenharia elétrica na UFPI
    ‘Dever cumprido‘, diz 1º colocado do curso de medicina em Natal
    Aprovada em federal pelo Sisu, aluna de RO ainda aguarda resultado da Unir

    Enem e reconhecimento
    O Enem 2014 foi o segundo que Maria Clara fez. No ano anterior, ela foi tratada usando seu nome civil, com o qual ela não se identifica, e diz que a mudança no tratamento, apesar de não resolver o problema da exclusão das pessoas trans, ajuda no reconhecimento dela.

    "É questão de reconhecimento, é uma questão de o Ministério da Educação ter a devida consciência de que existe uma escassez de pessoas trans e travestis no âmbito educacional

    Embora seja uma medida paliativa, é, querendo ou não, uma forma de dizer que a universidade também pode ser nossa, e ela vai ser."

    Como uma das poucas transexuais autorizadas a usar o nome social no Enem, Clara acabou ganhando visibilidade e, por isso, apesar de ter sido tratada com o nome que escolheu e com o qual se identifica, ela acabou ficando mais ansiosa na hora da prova.
    "Fiquei bem nervosa, passei mal na redação, minha pressão caiu. Saí da prova me sentindo muito fracassada, pensando que eu teria que fazer mais um ano de Enem. Saí muiot mal, meus amigos ficara pedindo calma", lembra ela. Os amigos estavam certos, e ela acabou tirando 760 na redação, e média acima de 600 nas demais provas.
    Maria Clara Araújo, aprovada no curso de pedagogia da UFPE (Foto: Arquivo pessoal/Maria Clara Araújo)

    ‘Queria ou UFPE ou UFPE‘
    O resultado foi a aprovação na primeira chamada do Sisu. Pedagogia foi sua segunda opção –a primeira era serviço social–, mas Clara explica que ambas as áreas a interessam e que o objetivo era estudar na UFPE. Agora, diz, ela tem a chance de fazer uma diferença para tornar a educação mais inclusiva.

    "A primeira opressão que sofri foi com uma professora que disse que eu não podia brincar com certo brinquedo porque não era do meu gênero, e que eu não podia ser feminina. É também questão de eu lutar para realizar um sonho de que, no futuro, eu possa fazer diferença dentro de uma educação que não seja mais opressora, que seja libertária."

    A DISPUTA DO SISU
    São 205 mil vagas no ensino superior
    aprovados
    total de inscritos
    vagas disponíveis
    site do sisu
    lei de cotas
    nota do enem
    Novos obstáculos
    A jovem recifense diz que tem procurado se concentrar na felicidade da aprovação para enfrentar os novos desafios, como o fato de que ainda precisará pedir à UFPE autorização para usar seu nome social nas listas de chamada e outros documentos da faculdade, já que, por enquanto, a instituição ainda não regulamentou essa política.
    "É meio complicado, porque vou ter que mostrar documentos, me matricular enquanto garoto. Eu fico bem desconfortável em relação a isso, porque querendo ou não meu nome civil vai ficar exposto. Estou tentando mentalizar que é algo extremamente temporário. Tenho esperança de que ainda no primeiro semestre do curso já possa estar com Maria Clara em todos os meus documentos", explicou ela, que, dias antes do resultado do Sisu, já havia entrado com um processo para a mudança legal de seu nome.

    Mesmo assim, ela pretende fazer com a coordenação do curso de pedagogia da UFPE na primeira semana de aulas, para pedir que seu nome social já seja adotado desde o início da graduação. "Não sou eu que devo me adequar ao meu nome, é o meu nome que tem que se adequar. A universidade tem que estar suficientemente preparada pra me receber, como recebe qualquer outra pessoa", disse ela.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Facebook e Instagram ficam fora do ar para usuários nesta terça-feira





    Sites e aplicativos apresentam instabilidade e não permitem acesso.
    Não é possível acessar o Feed ou conversar com amigos.

    Do G1, em São Paulo
    FACEBOOK
    Página apresenta mensagem de erro (Foto: Reprodução)
     

    (Foto: Reprodução)
    O Facebook e o Instagram apresentam instabilidade e estão fora do ar para alguns usuários em todo o mundo na madrugada desta terça-feira (27). Ainda não há informações sobre as causas da falha que restringe o acesso.

    Ao tentar acessar os sites pelo navegador do PC ou pelo aplicativo para smartphones e tablets, os usuários não conseguem acessar o Feed de Notícias, páginas de amigos e até conversar com contatos.

    Nenhum serviço que usa o Facebook como o Messenger, por exemplo, está funcionando. O Instagram também não está funcionando. Usuários reclamaram no Twitter sobre lentidão no acesso ou impossibilidade de entrar nos sites e aplicativos


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Deputados propõem redução do orçamento da comunicação para R$ 500 mil, mas aumentam para R$ 12 milhões o auxílio parlamentar





    Postado por Tião Lucena


    O secretário Tárcio Pessoa criticou a postura da Assembleia Legislativa em relação aos cortes de gastos na Lei Orçamentária Anual de 2015. Segundo o secretário, os deputados estariam “jogando para a plateia” uma série de decisões muitas vezes consideradas incabíveis.

    “É interessante. Corta o orçamento da comunicação para R$ 500 mil mas aumenta R$ 12 milhões no auxílio parlamentar. Com todo o respeito, a Assembleia às vezes joga as coisas para a platéia”, declarou o secretário

    Ele explicou que a receita da comunicação antes do corte proposto pela ALPB já havia sido pensada de uma forma racionalizada. “Fizemos cortes substanciais. O estado tem cerca de nove mil cargos comissionados e vai diminuir para cinco mil. Dez mil pessoas entraram por concurso na educação. Fizemos concurso para médicos, tudo isso está sendo feito com todo o cuidado”, declarou.

    Ele ainda falou que a Assembleia Legislativa deixou de usar parte dos recursos repassados pelo duodécimo do ano passado.
    “O dinheiro de 2014 não foi usado integralmente, mas devolver o dinheiro a ALPB não devolveu não. Entre os poderes é o que tem a situação orçamentária mais tranquila. Quando pensamos, isso acontecer porque é um poder que fica concentrado em um lugar só, diferente dos demais poderes, que precisam de uma presença maior no interior”, explicou.

    Aumento de salário - Apesar das dificuldades, Tárcio Pessoa, garantiu que os servidores estaduais terão reajuste linear em seus salários neste ano.
    “Temos que fazer o que é possível. Vai ser dado além da possibilidade. O governador tem sido bastante corajoso nesta discussão”, disse o secretário.

    O governador Ricardo Coutinho tem sentado para conversar com as categorias profissionais com o intuito de chegar a um consenso com relação aos valores. “O aumento será linear. O que será variável serão as gratificações, que serão à parte”, explicou.

    Para o secretário, as negociações tem sido difíceis, especialmente no que diz respeito ao uso de recursos para projetos e para salários. “O povo precisa conhecer, entender. O que a gente quer como estado? Um estado para pagar folha para certas castas ou um estado que consegue crescer?”, questionou.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Expedito Pereira demite filho da prefeita Tatiana Correia, que acumulava empregos em Bayeux e na Câmara do Conde





    Postado por Tião Lucena

    O prefeito Expedito Pereira, de Bayeux, não esperou nem a poeira sentar.Assim que tomou conhecimento da denúncia publicada pelo portal A Palavra e pelo Blog do Tião, de que o filho rebelde da prefeita Tatiana Correia, Hermann Lundgren, era funcionário da Câmara do Conde e da Prefeitura de Bayeux,mandou demiti-lo.A portaria saiu no meio da tarde e está publicada acima.

    Conforme a denúncia, o filho da prefeita, que não se dá com ela, é lotado na Câmara Municipal, nomeado que foi como assessor de gabinete desde janeiro de 2014 através da portaria nº 043/2014 assinada pelo presidente do Poder, vereador Denys Pontes de Oliveira, um forte aliado da prefeita.

    Já em Bayeux, outro Município da Região Metropolitana da Capital, Hermann era até o meio da tarde lotado na Secretaria da Administração da prefeitura, também desde janeiro de 2014.

    Hermann é crítico feroz da caótica gestão da mãe no Conde e segue a orientação política do seu pai, o ex-prefeito Aluizio Régis, pré-candidato a prefeito da cidade em 2016.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Ricardo anuncia reajuste nos plantões de cabos e soldados da Polícia Militar da Paraíba





    O governador Ricardo Coutinho anunciou, nesta segunda-feira (26), durante programa semanal de rádio, o reajuste nos plantões extras de policiais militares. O aumento no plantão dos soldados será de 25% e dos cabos 14% por 24h.

    Após receber representantes dos policiais militares, na semana passada, o governador atendeu à reivindicação da categoria e reformulou o modelo dos plantões extras no período da sexta-feira à noite a segunda-feira com acréscimo 30% sobre a hora trabalhada. A medida será iniciada de forma piloto na Área Integrada de Segurança Pública de João Pessoa.

    O governador afirmou que a mudança visa oferecer mais segurança à população. “Com muito esforço, conseguimos um reajuste no plantão acima até do que foi colocado na mesa de negociação com representantes dos cabos e soldados”, comentou o governador.

    O reajuste para todas as categorias da Polícia Militar, Polícia Civil e agentes penitenciários foi de 5% na remuneração, a ser implantado a partir deste mês. A medida vai gerar um impacto de aproximadamente R$ 3 milhões por mês. Os índices foram discutidos com as categorias dos setores contemplados e, segundo o governador, foi o possível diante do contexto econômico do Brasil e da Paraíba. “Temos a tranquilidade de que fizemos mais do que o possível para melhorar as condições financeiras dos servidores, mesmo com o alerta da equipe econômica dos riscos” finalizou.

     

    Secom


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Candidatos são convocados para 3ª etapa do concurso da Defensoria Pública da Paraíba




     
    Secom/PB
    A Defensoria Pública da Paraíba convoca os candidatos habilitados nas provas discursivas para a realização da prova oral, terceira etapa do concurso que oferece 20 vagas para defensor público de 1ª Entrância.O exame oral será aplicado nos próximos dias 30, 31 de janeiro e 1º de fevereiro no salão Parahyba do Hotel Tambaú, em João Pessoa. A lista dos convocados está disponível no Diário Oficial do Estado, do dia 20 de janeiro, com consulta disponível no site da Defensoria Pública (www.defensoria.pb.gov.br)

    O concurso é organizado e aplicado pela Fundação Carlos Chagas (FCC) que vai informar o local e horário de provas por meio do Cartão Informativo que será enviado por e-mail a cada um dos candidatos aptos. Além disso, o candidato pode também consultar o site da FCC (www.concursosfcc.com.br). O primeiro concurso da Defensoria Pública da Paraíba teve início em junho do ano passado com a abertura das inscrições. Até agora, foram realizadas duas etapas de provas (objetivas e discursivas).

    Para esta terceira etapa, também de caráter eliminatório e classificatório, será vedado ao candidato qualquer tipo de consulta. A prova oral será gravada em sistema de áudio, identificados e armazenados para posterior reprodução, mas não serão, em hipótese alguma, permitidas cópias ou transcrições. Durante a realização serão avaliados os seguintes quesitos: domínio do conhecimento jurídico, adequação da linguagem, articulação do raciocínio, capacidade de argumentos, uso correto do vernáculo e a postura do candidato.

    Ainda de acordo com as normas do concurso, cada examinador atribuirá, sigilosamente, uma nota na escala de 0 (zero) a 10 (dez) pontos. Será considerado aprovado na Prova Oral o candidato que obtiver nota maior ou igual a 5 (cinco) pontos por examinador e média aritmética final maior ou igual a 6 (seis). Os demais serão excluídos do concurso. Para fazer a prova, o candidato deve portar documento de identidade original.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    TJPB assina contrato para realização de concurso para juiz de Direito





    Foi assinado, na tarde desta segunda-feira (26), o contrato entre o Tribunal de Justiça da Paraíba e a empresa Cespe/UNB – instituição que ficará à frente do 53º concurso para preenchimento de 15 vagas de juiz de direito substituto no Estado da Paraíba. O edital deverá ser publicado na primeira semana da gestão do desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, que será empossado no cargo nesta sexta-feira (30).


    De acordo com o contrato, a taxa de inscrição será de R$ 238,00 e a previsão para a realização da primeira prova será maio deste ano, mas o edital ainda sofrerá estudos antes de ser publicado.


    Em seus últimos atos à frente da gestão do Judiciário paraibano, a presidente do TJPB, desembargadora Fátima Bezerra Cavalcanti, ressaltou que a carência de juízes no Estado é expressiva e que foram necessários estudos orçamentários para a deflagração de novo certame. “Estamos iniciando este trabalho, que será concluído na próxima gestão, mas trabalharemos juntos e unidos para o êxito”, afirmou, ao assinar o contrato.


    O ato se deu na Sala da Presidência do TJPB, na presença dos membros da Comissão de Concurso do Judiciário estadual, presidida pelo vice-presidente, desembargador Romero Marcelo da Fonseca Oliveira.


    Presente na reunião, o presidente eleito, desembargador Marcos Cavalcanti, demonstrou entusiasmo por poder participar do processo que vai investir novos magistrados ao Judiciário. “A deflagração deste concurso foi feita através de um processo maduro, estudado a fundo e terei muita satisfação em concluir este trabalho, que é da atual gestão”, pontuou.

    Redação PBagora.com.br


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Presidente de clube denuncia cobrança de propina por parte do filho de Reginaldo Pereira, para liberação de verba de apoio




     

    O presidente ainda justificou que teria aceitado a “proposta”, devido a crise financeira

    O ex-secretário-adjunto de Comunicação de Santa Rita, Germano Costa, denunciou nas suas redes sociais, que o filho do prefeito de Santa Rita, Reginaldo Segundo, cobrou R$ 10 mil de propina para o presidente do Santa Cruz, time de futebol da cidade, Júnior Veríssimo, para que a verba de patrocínio do clube fosse liberada.
    De acordo com Germano Costa, o próprio presidente teria revelado que o filho do prefeito teria cobrado “uma comissão” de R$ 10 mil para liberar a verba publicitária aprovada em lei para o único clube de futebol da cidade que participa da primeira divisão do Campeonato Paraibano, que é de R$ 70 mil.
    "Não sei o motivo do veto, já que nos foi cobrado que fosse repassado 10 mil pra Segundo dos 70 mil da nossa verba. Foi a proposta dele para liberar o dinheiro", revelou o presidente Junior Verissimo, segundo Manno Costa.
    O presidente ainda justificou que teria aceitado a “proposta”, devido a crise financeira que o clube passa. "Como as coisas estão muito difíceis, jogadores com salários atrasados, aluguéis, alimentação, todas as contas vencidas, já havíamos nos dado por vencidos e a única saída vista por mim e minha equipe foi ceder à pressão do filho do prefeito Reginaldo Pereira. Ele foi veemente, sem os ‘10 dele não tinha acordo‘. Hoje fui pego de surpresa com o veto. Ele achou que demoramos demais para dar a resposta. E íamos dar uma resposta positiva, não nos restava mais nada. Agora é esperar pela queda do veto na Câmara Municipal. Só os vereadores podem nos ajudar agora", concluiu Veríssimo”, desabafou.

    Da redação
    WSCOM Online


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Dilma dará aval a Levy, que apanha do PT e da esquerda




     
    Presidente quer deixar claro, na primeira reunião ministerial de seu segundo mandato, que acontece nesta terça-feira 27, mensagem de apoio às medidas de ajuste fiscal anunciadas pelos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa; objetivo é acabar com as dúvidas sobre seu compromisso com a nova política econômica, que prevê corte de gastos e acerto das contas do governo em prol da recuperação do crescimento e da credibilidade do País; neste fim de semana, a revista Carta Capital disse que o novo pacote fiscal "golpeia os mais frágeis" e seu editor, o jornalista Mino Carta, previu que Levy irá apenas até setembro; setores do PT também criticam as decisões de Levy


    247 – A primeira reunião ministerial do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, marcada para acontecer nesta terça-feira 27, deve ter como mensagem principal do Palácio do Planalto o apoio às medidas de ajuste fiscal anunciadas pela nova equipe econômica do governo. A presidente faz questão de deixar claro que apoia o novo plano da Fazenda, que prevê cortes de gastos e acertos das contas públicas em prol da recuperação do crescimento econômico e da credibilidade do Brasil junto a investidores.

    O novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tem sido alvo de críticas de diversos setores da esquerda, incluindo correntes do PT, de intelectuais que apoiaram a presidente durante a campanha e, no último fim de semana, da Carta Capital. A revista, tradicionalmente alinhada com o PT, publicou na manchete principal uma reportagem com o título "À beira da recessão". A chamada dizia: "O pacote fiscal do governo golpeia os mais frágeis em uma economia combalida, enquanto prossegue a crise global".

    Durante a reunião ministerial, onde estarão os 39 ministros na Residência Oficial da Granja do Torto, Dilma irá ressaltar que tanto Levy quanto Nelson Barbosa, novo ministro do Desenvolvimento, contam com seu apoio na aplicação das novas medidas. No caso específico de Barbosa, a declaração explícita de apoio poderá ser interpretada como uma forma de Dilma reparar o dano à imagem do ministro, que precisou voltar atrás, a pedido da presidente, na declaração de que o governo pretendia mudar a política de reajuste do salário mínimo.

    O "fogo amigo", no entanto, é intenso.

    Em editorial, a revista Carta Capital, que previu recessão em sua capa, previu que Levy irá permanecer no cargo apenas até setembro. Leia abaixo:

    A linha levítica. Ou leviana?

    Por Mino Carta
    Diz o Oráculo de Delfos: “À vista do que se delineia, até setembro o empresariado vai pedir a Dilma que tire Joaquim Levy do Ministério da Fazenda”. Por que setembro? Tento entender: até lá a recessão seria inevitável ao sabor da política monetarista que caracteriza a atual gestão da economia brasileira. A se considerar que a opção do País nesta atribulada situação é crescer e crescer, nada mais daninho do que a orientação levítica. Ou leviana?

    O Oráculo, como se sabe, é originário da Grécia antiga, mas ao longo dos séculos deu para se encarnar em figuras distintas e devidamente influentes. Refiro-me, portanto, a alguém merecedor de respeito. Veremos o que veremos, embora o Oráculo não costume errar.

    À indústria cabe protagonizar crescimento. O Conselheiro Acácio concorda. Seu êxito depende do mercado nacional e internacional, aquele que não se confunde com o Mercado, com M grande, já há décadas alçado à condição de Moloch global. Aquele é habitado por quem consome, este faz a felicidade de banqueiros e especuladores. Não há como enganar-se quanto ao fato de que Joaquim Levy está na Fazenda para agradar ao Mercado.

    Falha gravíssima do primeiro mandato de Dilma Rousseff foi o descaso com que a indústria brasileira foi abandonada ao seu destino. Convém insistir no erro? Em um primeiro momento, não faltou quem se regozijasse quando a presidenta faz exatamente o que faria a turma da casa-grande caso ganhasse a eleição de outubro passado. Procuro interpretar o vaticínio oracular: com o tempo, e em meio ao recrudescer da crise, o empresariado irá render-se à voz da razão, a bem de todos. O almejado bem geral da Nação. Geral? Nem tanto, a turma do privilégio gostaria que tudo ficasse como está.

    Em um país forçado à devoção do neoliberalismo, o investimento dará lugar ao rentismo no seu exercício mais desbragado. Outras as demandas recomendadas pelo momento difícil. Em primeiro lugar, esforço concentrado para renovar os objetivos do PAC em obras de infraestrutura, em um Brasil aflito por imperdoáveis crises, uma energética, outra hídrica, sem contar o desastre da administração tucana de São Paulo, a exibir o leito da Cantareira crestado como as secas das terras nordestinas de outros tempos.

    Outro empenho decisivo diz respeito à recuperação do prestígio da Petrobras, quarta maior empresa petrolífera do mundo, hoje em risco insustentável vítima de escândalos que ferem a credibilidade do próprio Estado brasileiro. A ação exige, obviamente, determinação e firmeza, sem tergiversações, e muito menos leniência, na punição dos culpados e no reacerto das rotas.

    O que preocupa é a mediocridade dos conselheiros da presidenta, enquanto a distância entre a própria e Lula repete neste momento as dimensões do primeiro mandato. Está certo, dirá o ex-presidente, sempre disposto a entender, desde a vitória de Dilma em 2010, a justa aspiração da criatura de afirmar independência em relação ao criador, dizer a que veio e deixar seu legado.

    Lula também sublinhará jamais ter pressionado a favor da nomeação de qualquer ministro, embora seja do conhecimento até do mundo mineral não apreciar vários entre os mais chegados a Dilma. Resta ver o que acontecerá se os maus agouros vingarem. Ou seja, se a recessão chegar em um Brasil que não cresce. Qual haverá de ser, se assim for, a postura de Lula?

    O Brasil carregou, por mais de um século, a tradição de votar em pessoas em lugar de partidos, aspecto de óbvia explicação em um país onde partidos, na acepção democrática, desde sempre não passaram de clubes recreativos fundados por senhores da casa-grande. Com o PT desenhou-se a possibilidade de uma mudança. Não foi mantida. No poder o PT portou-se como todos os demais, com a agravante de ter prometido para não cumprir.

    Não está claro até que ponto Lula pode e quer empenhar-se para recolocar seu partido nos trilhos originais. Tampouco estão claras suas intenções na perspectiva de 2018. Nem lhe conviria, agora, uma definição. Certa é sua boa saúde, o que poderia contribuir para apresentar a candidatura na hora oportuna. Trágico para Dilma se ele surgisse como o salvador da pátria. Não menos trágico para a casa-grande. Para os moradores da mansão, e dos seus aspirantes, Lula é a ameaça de longe mais apavorante, com ou sem partido.

    Leia ainda reportagem da Agência Brasil sobre a reunião agendada para esta terça:

    Dilma Rousseff faz amanhã primeira reunião ministerial do segundo mandato

    Luana Lourenço - A presidenta Dilma Rousseff fará amanhã (27) a primeira reunião ministerial do segundo mandato. Dilma reunirá os 39 ministros na Residência Oficial da Granja do Torto. Entre os assuntos, a crise hídrica que parte do país enfrenta e as recentes medidas econômicas anunciadas pelo governo.

    Desde o início do novo mandato, Dilma recebe com frequência ministros no Palácio do Planalto, mas esta será a primeira vez que toda a equipe estará reunida para um encontro de trabalho.

    A expectativa é que a presidenta faça declarações após a reunião. Desde a posse, no dia 1º deste mês, Dilma não apareceu em eventos públicos no Brasil. Na última quinta-feira (22), ela participou da posse do presidente da Bolívia, Evo Morales, em La Paz, mas não deu entrevistas.

    Os recentes anúncios do governo foram feitos por ministros, como parte do ajuste fiscal e novas regras para benefícios previdenciários.

    As manifestações de Dilma este ano foram por meio de notas distribuídas pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República, como a mensagem de solidariedade após o atentando contra o semanário francês Charlie Hebdo e a tentativa de salvar da pena de morte o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, preso na Indonésia, além de notas de pesar.

    Nesta semana, Dilma viaja para a Costa Rica, onde, nos dias 28 e 29, em San José, participa da Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 27.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Defesa da OAS pede anulação de Delação de Youssef





    A defesa dos executivos da OAS pediu ao juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, que anule o acordo de delação premiada firmado com o doleiro Alberto Youssef e homologado pelo Supremo Tribunal Federal; os advogados argumentam que o juiz demorou demais para apresentar à defesa os termos do acordo: mais de um mês após recebê-los do STF; "Esse juízo manteve sob sua guarda pessoal por mais de um mês o documento que poderia servir à defesa dos acusados, enquanto o prazo para apresentação de respostas se esvaía, com os requerentes subjugados e sem possibilidade de defesa", escreveram na petição


    247 - A defesa dos executivos da OAS pediu ao juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, que anule o acordo de delação premiada firmado com o doleiro Alberto Youssef e homologado pelo Supremo Tribunal Federal. Os advogados argumentam que o juiz demorou demais para apresentar à defesa os termos do acordo: mais de um mês após recebê-los do STF.

    "Esse juízo manteve sob sua guarda pessoal por mais de um mês o documento que poderia servir à defesa dos acusados, enquanto o prazo para apresentação de respostas se esvaía, com os requerentes subjugados e sem possibilidade de defesa", escreveram na petição.

    A defesa também aponta que é ilegal o doleiro Youssef receber vantagens pela quantidade de dinheiro que conseguir ajudar na recuperação.

    Segundo a Procuradoria da República no Paraná, Youssef conseguirá abatimento de sua multa proporcional à quantidade de recursos que ajudar na recuperação. "Só por isso o acordo é inconstitucional e deve ter sua nulidade absoluta declarada", afirmaram os advogados.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 26.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Centrais sindicais protestarão contra mudanças em benefícios





    As seis maiores centrais sindicais do País promoverão, na quarta-feira 28, uma manifestação para pedir a revogação das medidas provisórias 664 e 665 que alteram regras sobre pensão, auxílio-doença e seguro-desemprego; o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, acha que as medidas prejudicarão não somente os trabalhadores, mas a economia do País; o secretário-geral da CUT, Sérgio Nobre, destaca que é preciso resgatar um compromisso de campanha da presidente Dilma; "O pacote anunciado dia 30 de dezembro restringe a produção, o crédito, aumenta juros. E o pacote dos direitos sociais afeta a aposentadoria e o seguro-desemprego, o que é inaceitável"


    Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil

    As seis maiores centrais sindicais do país promoverão quarta-feira (28) uma manifestação para pedir a revogação das medidas provisórias (MP) 664 e 665, anunciadas no fim do ano passado. As duas medidas alteram regras sobre pensão, auxílio-doença e seguro-desemprego.

    Durante o ato, que começará no Museu de Arte de São Paulo, na Avenida Paulista, e seguirá em passeata, os representantes das centrais farão duas paradas (uma no prédio do Ministério da Fazenda e outra na Petrobras) para entregar um documento expressando a insatisfação dos trabalhadores.

    De acordo com o secretário de Organização e Políticas Sindicais da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Francisco Pereira de Souza, o objetivo é discutir a defesa dos direitos e o emprego dos trabalhadores, porque, na avaliação das seis centrais sindicais, as medidas do governo vão causar prejuízos importantes para a sociedade.

    "Nossa mobilização é também em função de um certo descontentamento, porque estivemos com o governo em algumas ocasiões, e a nós foi dito que os trabalhadores não teriam nenhuma surpresa, e que não haveria mudança em seus direitos. Mas fomos surpreendidos. Não concordamos com elas [medidas provisórias], nem com a forma como foram anunciadas. Vamos propor que o governo reveja as medidas", disse o sindicalista.

    Para o representante da Nova Central Sindical (NCTS), Luiz Gonçalves, é preciso que o governo não apenas minimize os efeitos das MPs para os trabalhadores, mas também atender às reivindicações feitas há muito tempo. "São documentos que estão protocolados desde o momento da campanha eleitoral."

    O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, acha que as medidas prejudicarão, não somente os trabalhadores, mas a economia do país. "Quanto mais renda e consumo, mais a indústria trabalha e há geração de empregos. Queremos dar uma resposta ao governo de que as MPs prejudicam o desenvolvimento do país. Faremos o possível para que o governo modifique as propostas."

    O secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre, destaca que é preciso resgatar um compromisso de campanha da presidenta Dilma Rousseff. Ela disse que não faria ajustes na produção industrial ou nos direitos trabalhistas. Para Nobre, as medidas empurrarão o país para uma crise econômica.

    "O pacote anunciado dia 30 de dezembro restringe a produção, o crédito, aumenta juros. E o pacote dos direitos sociais afeta a aposentadoria e o seguro-desemprego, o que é inaceitável. Hoje um trabalhador que se aposenta sofre o redutor do fator previdenciário, e agora, além disso, quando ele falece, há um novo redutor sobre a pensão."

    O secretário-geral da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes, explicou que o protesto é preparatório para uma grande manifestação no dia 26 de fevereiro. "Não vamos aceitar calados que se estabeleça uma política econômica que vai levar o país a uma paralisação. As MPs são restritivas e a consequência é a demissão [de trabalhadores]."

    O presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Álvaro Egea, ressaltou que não é possível o Brasil continuar no caminho do desenvolvimento e valorização do emprego com a política anunciada pelo governo. "O governo foi capturado pela política derrotada nas urnas. É uma contradição muito grande. Não só os trabalhadores, mas há setores do governo e empresários que também discordam. Não vamos aceitar que, para recuperar a economia, coloque-se em primeiro lugar o interesse do capital financeiro", afirmou.



    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 26.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Oposição articula para que Renan não seja eleito





    Senador João Capiberibe (PSB-AP) está anunciando o lançamento da candidatura do colega Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) para disputar a presidência do Senado contra Renan Calheiros (PMDB-AL), cuja reeleição, segundo ele, "tornou-se inaceitável" por conta de seu suposto envolvimento com o esquema Petrobras, "embora ninguém saiba, até agora, quem são os parlamentares acusados de favorecimento", escreve a colunista do 247 Tereza Cruvinel; Capiberibe diz, porém, que "o PSB, com apoio das oposições, só lançará a candidatura de Valadares caso Renan insista em disputar"; "Mas Renan não está com a menor disposição para recuar", avalia a jornalista


    Por Tereza Cruvinel, em seu blog no 247

    Primeiro ensaio contra Renan

    Começou a articulação da oposição para evitar a reeleição do senador Renan Calheiros a presidente do Senado. O senador Capiberibe (PSB-AP) está anunciando o lançamento da candidatura do colega Antonio Carlos Valadares para disputar com ele no plenário como candidato avulso.

    Capiberipe alega que a reeleição de Renan tornou-se inaceitável por parte dos senadores por conta de seu suposto envolvimento com o esquema Petrobrás, embora ninguém saiba, até agora, quais são os parlamentares que foram acusados de favorecimento nas investigações da Operação Lava Jato. Sua articulação é um ardil: ele diz que o PSB, com apoio das oposições, só lançará a candidatura de Valadares caso Renan insista em disputar. Se ele desistir, será respeitado direito de o PMDB, como maior partido, indicar o presidente da Casa.

    Manobra interessante porque pode atiçar a ambição de algum peemedebista. Mas Renan, que tem o couro grosso e curtido, não está com a menor disposição para recuar.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 26.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Mega-Sena sai para aposta de Sorocaba e prêmio é de R$ 33,4 mi




     


    O sorteio da Mega-Sena deste sábado saiu para um apostador da cidade paulista de Sorocaba. A pessoa ganhou o prêmio de R$ 33.471.002,88 do concurso 1.672, sorteado pela Caixa Econômica Federal (CEF) na noite do sábado (24) em Gurupi (TO).

    As dezenas sorteadas foram: 1 – 3 – 5 – 10 – 20 – 42.

    A quina teve 566 acertadores e cada um vai levar R$ 6.389,44. Já a quadra pagará R$ 181,65 para cada um de seus 28.440 ganhadores.

    A estimativa de prêmio para o próximo concurso, que será sorteado na quarta-feira (28), é de R$ 3 milhões.

    Terra


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas