Secretário garante caixa para pagar metade do 13º e diz que estado vai cortar na carne para manter equilíbrio em 2017


Segundo ele, o governador Ricardo Coutinho (PSB) tem como uma das diretrizes da gestão efetuar os pagamentos dos salários dentro do mês trabalhado

Por: Flavio Asevêdo

 

blogdogordinho.com.br

O secretário de Planejamento e Gestão, Tárcio Pessoa, afirmou que o do Governo do Estado precisará cortar na carne no próximo ano para manter o equilíbrio das contas, pagar os servidores em dia e garantir a expectativa de investimento na Paraíba. Segundo ele, o governador Ricardo Coutinho (PSB) tem como uma das diretrizes da gestão efetuar os pagamentos dos salários dentro do mês trabalhado, mas é difícil prever até mesmo o que acontecerá no próximo mês de junho. Ele ainda disse que o governo tem caixa para pagar a primeira parcela do 13º salário.

Tárcio participou, na manhã de hoje, de uma audiência pública na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para apresentar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2017. Segundo ele, não há expectativa de crescimento para o Estado da Paraíba no próximo ano em virtude da crise econômica vivida pelo país.

“Expectativa de investimento há, não há expectativa de crescimento. Estamos vivendo a maior crise da história do Brasil, é disparada bem maior que a crise de 30 com a queda da bolsa de Nova York. Vamos fechar o ano de 2016, se o cenário não mudar, com a primeira depressão do Brasil. Um índice de desemprego que vai variar entre 12% e 15%, o acumulado da queda do PIB pode chegar a 7,5%. Desde o segundo semestre de 2014 até hoje só tivemos queda no Produto Interno Bruto e todos os indicadores da economia estão ladeira abaixo”, disse.

E continuou: “A Receita Tributária Federal caiu 11% no ano passado. O consumo das famílias caiu 6% e o reflexo disso é a arrecadação. Estamos com a queda de FPE na ordem de 4% menor que no ano passado. Nunca tivemos nada nem parecido. Temos que ter atenção para manter o equilíbrio, para não cometermos erros e manter o Estado equilibrado entre a sua capacidade de arrecadação e a sua possibilidade de despesa. Então estamos apresentando na Assembleia uma proposta de LDO que tem uma lógica de equilíbrio entre despesas e receita. A ideia é fechar o orçamento de 2017 equilibrado cortando na própria carne”.

Apesar disso, o secretário afirmou que o Estado se prepara para sempre pagar os salários dentro do mês trabalhado. “Mantendo-se o cenário atual, vamos fazer todos os esforços para manter o pagamento. Essa é uma diretriz do governo e o governador já deu diversas declarações estabelecendo que isso é prioridade. Vamos despender todos os esforços possíveis para manter isso. O cenário é tão incerto que eu não sei o que vai acontecer em junho porque o cenário é movediço. O governador tem muita cautela na questão fiscal e uma das diretrizes é pagar em dia”, esclareceu.

Questionado se o pagamento da primeira parcela do 13º salário, geralmente paga na metade de cada também estará mantida em 2016, Tárcio afirmou: “A decisão de efetuar o pagamento não cabe a mim, a minha função é estabelecer o provisionamento mês a mês. O dinheiro está em caixa, sendo acumulado mês a mês”, garantiu.


Galdino revela conversa com PT e defende instalação de secretarias estratégicas em atual prédio da AL

 
Ele ainda revelou que o processo de licitação para a reforma do novo prédio da Assembleia Legislativa está em andamento e a expectativa é de que o plenário, comitê de imprensa e taquigrafia fiquem prontos até o fim do ano.

Por: Blog do Gordinho

O presidente da Assembleia Legislativa e pré-candidato a prefeito de Campina Grande, Adriano Galdino (PSB), revelou que irá se reunir na tarde desta quarta-feira (25) com representantes do PT da cidade com o objetivo de formalizar uma aliança com o partido para as eleições de outubro. Ele também defendeu que o atual prédio do Poder Legislativo seja ocupado por secretarias que promovam grande fluxo de pessoal no Centro de João Pessoa.

“Estou indo me reunir com o PT de Campina Grande, às 16h. Acredito que hoje não vai ter definição, mas vamos iniciar o diálogo e torcemos para firmar uma aliança”, disse.

O socialista evitou entrar no debate iniciado pelo secretário de Turismo da Prefeitura de João Pessoa, Fernando Milanez (PSD), que sugeriu a cessão do prédio da Casa Epitácio Pessoa para a Câmara Municipal. Ele defendeu, porém, que secretarias estratégicas do estado sejam instaladas no local, caso o governador Ricardo Coutinho (PSB) não acate a decisão do vereador licenciado.

“Esse é um assunto que deve ser tratado entre o prefeito, o governador e o presidente da Câmara. Nesse local devem funcionar secretarias de estado que tragam gente para o Centro de João Pessoa porque a Assembleia Legislativa traz muita gente para cá, existe todo um comércio ao nosso redor e é importante manter o fluxo de pessoas, como o Procon e a Casa da Cidadania”, sugeriu.

Ele ainda revelou que o processo de licitação para a reforma do novo prédio da Assembleia Legislativa está em andamento e a expectativa é de que o plenário, comitê de imprensa e taquigrafia fiquem prontos até o fim do ano.


Imprensa nacional abre espaços para o chamado "Escândalo da Lagoa"

Rafael Passos Rafael Passos


Postado por Tião Lucena, 25 de Maio de 2016 às 05:33

CPI da Lagoa
As denúncias de irregularidades envolvendo a obra de revitalização do Parque Solon de Lucena – Lagoa – romperam as divisas da Paraíba e chegaram à mídia nacional. Na noite desta terça-feira (24), o portal Brasil 247, um dos mais acessados do Brasil, chegou a repercutir a instalação de uma CPI na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) para apurar as denúncias.


Leia mais
MPF convoca coletiva de imprensa para divulgar andamento da investigação sobre a Lagoa
A CPI, no entanto, acabou sendo arquivada depois que o desembargador Marcos Cavalcanti suspendeu liminar expedida pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de João Pessoa, Marcos Coelho de Salles, que determinava a CMJP a instalar a comissão.
Na reportagem, o Brasil 247 detalha uma série de irregularidades na obra que foram constadas pela Controladoria Geral da União (CGU) e lembra que a polêmica em torno das irregularidades na obra da Lagoa vem se arrastando desde o ano passado e se transformou em um enigma que tem intrigado a população de João Pessoa. “Em que lugar foram depositadas as 200 mil toneladas de lixo que teriam sido retirados pela prefeitura local da Lagoa do Parque Sólon de Lucena, o maior cartão postal da cidade?”, questiona a matéria.

“Uma das irregularidades identificadas no relatório foi o custo de demolição do muro que faz a borda da Lagoa. O orçamento inicial previa que a demolição dos 893,7 m³ do muro exigira 447 dias de trabalho. Esse tempo foi calculado considerando que o muro tinha sido construído em estrutura de concreto. A auditoria da CGU, no entanto, conforme imagens do relatório, constatou que o trabalho foi executado em apenas 107 dias, um quarto da previsão orçamentária. E essa redução no tempo gasto para a demolição decorreu do fato de o muro ter sido construído em tijolos com furos e não em concreto”, enfatiza a reportagem.

Leia abaixo a matéria completa:

Depois de uma série de idas e vindas, a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) instalou nesta terça-feira, 24, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as irregularidades na execução do projeto de revitalização do Parque Solón de Lucena. Por determinação do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de João Pessoa, Marcos Coelho de Salles, o presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, Durval Ferreira, finalmente indicou os nomes dos vereadores que irão integrarão a CPI.


A polêmica em torno das irregularidades nas obras da Lagoa vem se arrastando desde o ano passado e se transformou em um enigma que tem intrigado a população de João Pessoa, Paraíba: em que lugar foram depositadas as 200 mil toneladas de lixo que teriam sido retirados pela prefeitura local da Lagoa do Parque Sólon de Lucena, o maior cartão postal da cidade?

Em enormes outdoors espalhados pela cidade, a prefeitura anunciou a retirada do lixo da Lagoa. A população, no entanto, não tem ideia do local em que foi depositado o lixo, cujo volume corresponde à quase totalidade de lixo recolhido em João Pessoa durante todo o ano de 2014, de 220 mil toneladas, de acordo com dados do Departamento Técnico de Planejamento (DIATEP) da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur). Nem mesmo auditores da Controladoria Geral da União conseguiram localizar o destino do lixo retirado da Lagoa.

Auditoria da CGU realizada no há cerca de seis meses identificou uma série de irregularidades, contabilizando desvio de recursos de quase R$ 10 milhões na obra. O relatório da CGU identificou que a obra da Lagoa – que está totalmente parada desde o ano passado – está envolta em uma série de irregularidades que vão desde o superfaturamento, previsões orçamentárias inconsistentes, até mesmo a utilização de veículos totalmente incompatíveis com o trabalho de retirada do solo mole da Lagoa.
A prefeitura informou à CGU que teriam sido utilizados no trabalho, por exemplo, 17 motocicletas e 15 carros de passeio, como um Fiat Uno e um Ford Ka. O projeto de revitalização da Lagoa, para a CGU, além de ter sido parcialmente executado de forma inadequada, não contribuiu para o desenvolvimento do turismo da região. As irregularidades foram tantas que a CGU sugeriu a devolução integral dos recursos aplicados.

A obra de revitalização da Lagoa do Parque Solón de Lucena, coração de João Pessoa, iniciada há três anos, foi festejada pelos paraibanos como uma forma de por fim aos constantes alagamentos da área, principalmente depois de chuvas fortes, além acabar com o mau cheiro causado pelo acúmulo de lixo, que começava a afastar turistas.
O plano previa que a obra seria executada com recursos do Ministério das Cidades, com um orçamento estimado em R$ 41, 2 milhões, dos quais, R$ 29,5 milhões seriam repassados pelo governo federal e o restante pela prefeitura. Em relação a essa previsão inicial, foi apontado um prejuízo de R$ 5,97 milhões devido a pagamentos com valor superior aos serviços efetivamente executados de remoção do que chamam de “solo mole” (o material do fundo da lagoa) e o seu transporte para um aterro sanitário. Houve também um prejuízo de R$ 3,6 milhões decorrente de superfaturamento na construção de túnel para a regularização do espelho d’água.

Tijolo de furos
Uma das irregularidades identificadas no relatório foi o custo de demolição do muro que faz a borda da Lagoa. O orçamento inicial previa que a demolição dos 893,7 m³ do muro exigira 447 dias de trabalho. Esse tempo foi calculado considerando que o muro tinha sido construído em estrutura de concreto. A auditoria da CGU, no entanto, conforme imagens do relatório, constatou que o trabalho foi executado em apenas 107 dias, um quarto da previsão orçamentária. E essa redução no tempo gasto para a demolição decorreu do fato de o muro ter sido construído em tijolos com furos e não em concreto.
Houve também irregularidade na construção do dique de contenção do reservatório para qual seria transferido o material retirado da Lagoa. O relatório da CGU mostra que o dique foi construído com dimensões inferiores às previstas inicialmente A CGU calculou que houve um prejuízo de R$ 92,6 mil.

Motocicletas e carros de passeio


A irregularidade mais flagrante, no entanto, diz respeito à retirada de material da Lagoa. A prefeitura espalhou pela cidade outdoors estampando a marca volumosa de 200 mil toneladas de lixo e solo mole. O relatório da CGU informa que teriam sido pagos serviços para a retirada de 126 mil metros cúbicos. A auditoria da CGU, no entanto, constatou que teria sido retirada uma quantidade bem inferior ao informado pela prefeitura: apenas 49,9 mil metros cúbicos.

A prefeitura de João Pessoa, por sua vez, teria apresentado durante todo o trabalho da CGU, resistência para que o órgão pudesse fiscalizar a obra e concluísse a auditoria. Como exemplo dessa restrição ao trabalho da CGU, o relatório cita uma relação encaminhada pela própria prefeitura com os veículos que teriam sido utilizados para a retirada do material do fundo da Lagoa.


Ao todo, foram relacionadas 120 placas de veículos. Nessa listagem, além de caminhões e escavadeiras, foram incluídos motocicletas e automóveis de passeio, veículos incompatíveis com o serviço de transporte de material de bota-fora, que foi retirado do fundo da Lagoa do Parque Sólon de Lucena. A Controladoria incluiu no relatório a reclamação de que o documento encaminhado pela prefeitura, além de configurar uma restrição à fiscalização, “poderia ter induzido a equipe de fiscalização da CGU a conclusões equivocadas”.


Feridos, caciques do PMDB estão atemorizados


Josias de Souza 


Caíram todas as fichas do PMDB. A conversão de Sérgio Machado de operador do partido em colaborador da Lava Jato revelou a alguns cardeais que ainda se imaginavam acima das leis que a festa acabou.

Aos poucos, desaparece aquele Brasil que oferecia às eminências políticas a segurança de que nenhum ilícito justificaria a incivilidade de uma reprimenda pública. No seu lugar, surge um país que ensina a Sarney, Renan e Jucá que nem tudo termina num grande acordão.

Acometido de ‘morofobia’, Sérgio Machado foi de cacique em cacique para avisar que estava prestes a suar o dedo. “Esse cara, esse Janot que é mau caráter, ele disse, está tentando seduzir meus advogados, de eu falar”, disse para Sarney.

“O Janot tem certeza que eu sou o caixa de vocês”, declarou para Renan. “Então, o que ele quer fazer? […] Ele quer me desvincular de vocês, […] e me jogar para o Moro. E aí ele acha que o Moro vai me mandar prender. Aí quebra a resistência. E aí fodeu.”

“Eu estou muito preocupado”, afirmou Machado na conversa com Jucá. “O Janot está a fim de pegar vocês. E acha que eu sou o caminho.”

Ouviram-se juras de proteção a Machado. “Sem meter advogado no meio”, orientou Sarney. Um pacto para “estancar a sangria”, definiu Jucá. “Tem que ser conversa de Estado-Maior”, pediu o ex-presidente da Transpetro.

Homologado nesta quarta-feira (25) pelo ministro Teori Zavascki, do STF, o acordo de delação premiada que Sérgio Machado celebrou com o Ministério Público Federal é uma evidência de que malograram as tentativas de acordão. Afora os depoimentos já prestados pelo novo delator, a turma da Lava Jato manuseia gravações que somam quase sete horas de conversa.

Feridos pela traição, os caciques do PMDB estão atemorizados. O pânico tem razão de ser. Eles sabem o que fizeram nos verões passados. E acabam de descobrir que já não é tão fácil celebrar conchavos com pedaços do Judiciário, para triturar investigações.

A caciquia do PMDB ainda não conseguiu concretizar o desejo de aprovar alterações às leis que regulam os acordos de leniência e as delações premiadas. Enquanto ainda têm mandato, Renan e Jucá deveriam perseguir um objetivo mais modesto —um tributo a Sérgio Machado. Assim como há ruas batizadas de Voluntários da Pátria, a dupla poderia sugerir a inauguração de outras que se chamassem Traidores da Pátria.


Ferraço cobra auditoria nos gastos dos cartões da presidência entre 2011 e 2014. Foram mais de R$ 122 milhões em gastos sigilosos

Patricia Santos Patricia Santos

 

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) apresentou requerimento para fiscalizar os gastos efetuados com cartões corporativos do governo federal de janeiro de 2011 a maio de 2016. O parlamentar lembrou que a Presidência da República é campeã em gastos e a maior parte das compras é classificada como sigilosa. De acordo com Ferraço, só no primeiro mandato da presidente Dilma as faturas somaram R$ 245 milhões e metade desse valor, R$ 122,3 milhões, foi escondido do contribuinte que paga a conta.
Em outro pedido, Ferraço cobra uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a lista de empresas com operações de crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no período de janeiro de 2003 a maio de 2016, governos do PT. A auditoria teria foco especial em empréstimos atrasados ou em inadimplência, no montante reconhecido de perdas empresa a empresa e no esforço do banco para reaver prejuízos ou exercer garantias contratuais. “Precisamos dessas informações, em nome da transparência e do respeito ao contribuinte”, sublinhou o senador.


Grupo de artistas - Fraga e Sóstenes protocolam requerimento para criação da CPI da Lei Rouanet


IDEIA É INVESTIGAR FARRA NAS VERBAS PARA ‘PROJETOS CULTURAIS‘
Publicado: 25 de maio de 2016 às 16:43 - Atualizado às 17:03
Redação

SÓSTENES CONTA QUE A MAIORIA DOS ARTISTAS, QUE RECEBERAM RECURSOS DA LEI ROUANET NÃO SÃO VERDADEIROS REPRESENTANTES DA CULTURA BRASILEIRA
 

Foi protocolado, nesta quarta-feira (25), na Secretaria Geral da Câmara dos Deputados o requerimento que solicita a criação da CPI da Lei Rouanet. Os deputados Alberto Fraga (DEM) e Sóstenes Cavalcante coletaram mais de 200 assinaturas. Eram necessárias 171.
“Não somos contra a cultura, mas é absurdo um país que enfrenta uma das piores crises econômicas da sua história, destinar bilhões de reais para um pequeno grupo de artistas. Queremos saber quais os critérios utilizados pela Lei Rouanet e entender porque os pequenos artistas não são beneficiados”, explica Alberto Fraga.

Sóstenes Cavalcante conta que a maioria dos artistas, que receberam recursos da Lei Rouanet, moram na Zona Sul do Rio de Janeiro. Vivem suas vidas como milionários e não são verdadeiros representantes da cultura brasileira. O deputado diz que irão passar a limpo todas as isenções tributarias da Lei Rouanet e também vão mostrar ao Brasil quem defende a cultura e as pessoas que vivem de maneira farta com os recursos públicos.

Diariodopoder.com.br

 


Escândalo dos Gafanhotos - Foragida da PF mulher do senador Telmário Mota se entrega

 
André Brito

SUZETE FOI CONDENADA POR ENVOLVIMENTO NO DESVIO DE R$ 70 MILHÕES

A mulher do senador Telmário Mota (PDT-RR), que estava foragida da Polícia Federal há uma semana, se entregou na manhã desta quarta (25) na sede da PF em Boa Vista. Suzete Oliveira foi condenada em 2ª instância pelo envolvimento no desvio de R$ 70 milhões em repasses da União ao Estado de Roraima, caso que ficou conhecido como escândalo dos "gafanhotos".
O fato de Suzete estar foragida ficou nacionalmente conhecido quando o marido apresentou denúncia contra o senador Romero Jucá, adversário político de Telmário no Estado, após a revelação do áudio de conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado em que Jucá teria proposto um "pacto" para "estancar a sangria" da Lava Jato. Questionado em entrevista sobre a representação de Telmário, Jucá disse que Telmário "devia denunciar a esposa, que é foragida da polícia".

DSiáriodopoder.com.br

 


Nada demais - PGR considera legal divulgação de telefonemas de Lula e Dilma


PGR DEFENDE MORO NO CASO DOS TELEFONEMAS DE LULA E DILMA
 

PGR RECOMENDOU QUE STF NEGUE RECURSO DA AGU PARA ENQUADRAR MORO. FOTO: JOSÉ CRUZ/ABR

Em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifesta contrário ao pedido feito pela presidente afastada Dilma Rousseff de anular a decisão do juiz federal Sérgio Moro, que autorizou a divulgação de conversas telefônicas entre ela e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Na reclamação, protocolada no STF em março após as gravações virem a público, a Advocacia-Geral da União argumentava que Moro havia usurpado a competência do Supremo, pois, ao constatar a presença de conversas de autoridade com prerrogativa de foro, como é o caso de Dilma, ele deveria ter encaminhado os telefonemas interceptados para a avaliação da Corte.

Esse, no entanto, não é o entendimento de Janot, que recomenda ao STF "a negativa de seguimento à reclamação, e caso assim não entenda, pela total improcedência do pedido nela veiculado". "Mesmo admitindo eventual irregularidade no levantamento do sigilo (e não se faz qualquer juízo de mérito nessa parte), o fato é que esse elemento, por si só, igualmente não caracteriza violação de competência criminal do Supremo Tribunal Federal", diz o parecer da PGR.

Apesar da manifestação contrária de Janot, caberá ao Supremo decidir o que fazer diante do pleito de Dilma. O relator da ação é ministro Teori Zavascki, responsável pela Lava Jato na Corte.

Na reclamação, a AGU afirmava que a decisão de divulgar as conversas entre Dilma e Lula não poderia ter sido tomada por um juiz de primeira instância e argumentava que a decisão havia colocado em risco a "soberania nacional‘.

O teor da gravação fez com que a posse de Lula na Casa Civil fosse questionada no Supremo, o que resultou na proibição do ex-presidente em assumir o cargo. Foi com base nesta reclamação que Teori determinou, em decisão liminar referendada pelo plenário, que Moro enviasse ao STF as investigações que envolvessem Lula. A alegação era que durante o curso da apuração contra Lula autoridades com foro foram implicadas.


Paulo Caffarrelli será o novo presidente do BB


Ele foi funcionário de carreira do Banco do Brasil (BB), onde iniciou como menor aprendiz; é formado em Direito, com pós-graduação em Comércio Exterior e Mestrado em Economia pela Universidade de Brasília (UnB); atualmente, era diretor executivo da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), onde estava desde março de 2015


247 - O Ministério da Fazenda anunciou nesta quarta-feira que Paulo Rogério Caffarelli foi escolhido para assumir a presidência do Banco do Brasil.

Ele foi funcionário de carreira do Banco do Brasil (BB), onde iniciou como menor aprendiz. Ele é formado em Direito, com pós-graduação em Comércio Exterior e Mestrado em Economia pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente, era diretor executivo da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), onde estava desde março de 2015.

Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Curitiba, Cafarelli começou a ocupar o cargo de diretor executivo da CSN em março de 2015, sendo responsável pelas áreas corporativas da Companhia.

Ele também estava no Conselho de Administração da CBSS Visavale (Alelo) desde 2014 e do Banco Votorantim desde 2009, Presidente do Conselho de Administração da Brasilcap Capitalização desde 2010 e suplente do Conselho de Administração da Transnordestina Logística S.A.


Os ardis da democracia brasileira - Palmarí H. de Lucena,


Motivados quase sempre pela busca ou permanência no poder, oportunistas, populistas ou demagogos nos governam hoje. Filósofos, altruístas e virtuosos, entre eles, são notáveis exceções. Interesses pessoais ou partidários subestimam o bem comum, invariavelmente atrofiando o fortalecimento das instituições democráticas que eles juraram defender e preservar. Engajados em combates entre tribos de guerreiros ardilosos, chefiados por lideres predatórios de vocações e princípios questionáveis, bem acomodados moralmente à direita de Átila, o Huno.

Os embates da política do poder e sua retórica antagonista, repetidamente usada sem um traço de civilidade, são vistas como moeda corrente nas relações pessoais, profissionais ou institucionais, quer seja no governo ou no mundo dos negócios. Eficazes em sua capilaridade, essas práticas contaminam a sociedade e o eleitorado, entorpecem o debate democrático e permitem a perpetuidade do poder de agentes políticos, muitas vezes violando conceitos democráticos fundamentais como a separação do poder legislativo, o poder executivo e o poder judiciário.

Vivemos um momento de mudanças drásticas no Brasil, entretanto o troca-troca de influência e poder entre o legislativo e o executivo continua sendo usado para cooptar partidos ou políticos a apoiar a Presidência – antes ou depois do impeachment. O Mensalão e a Operação Lava Jato demonstram claramente que a porta-giratória entre o poder executivo e o legislativo proporcionaram a criação de um clima favorável à corrupção, os conflitos de interesses e a instabilidade política e econômica.

É incompatível com o presidencialismo brasileiro, portanto, continuar recebendo enxertos do Parlamentarismo permitindo assim que legisladores exerçam funções de ministros ou secretários de estado sem a necessidade de renunciar aos seus mandatos. Proposta de Emenda à Constituição impedindo legisladores de aceitar convites para assumir funções no Poder Executivo, seria um passo na direção certa...


Palmarí H. de Lucena, membro da União Brasileira de Escritores


Papo d‘ Esquina

 POR QUE NONATO BANDEIRA DEIXOU PARA CRITICAR CARTAXO APENAS NO FINAL DO MANDATO?

Depois de revelar que vinha sendo maltratado na condição de vice-prefeito já que o seu gabinete localizado na Estação Cabo Branco faltava tudo, eis que Nonato agora acusa o prefeito Luciano Cartaxo Luciano Cartaxo está negociando cargos em troca de apoios ao seu projeto de reeleição. Segundo Nonato, para ter cargo na Prefeitura basta anunciar apoio ao prefeito. Por que será que só agora aos 46 minutos do segundo tempo é que Nonato Bandeira ficou falante assim:

TRÊS SECRETÁRIOS DEVEM DEIXAR SEUS CARGOS NO GOVERNO DO ESTADO

O Governo do Estado deve nos próximos dias fazer mudanças no seu secretariado, pois pelo menos três auxiliares diretos devem deixar a gestão: Cida Ramos, secretária do Desenvolvimento Humano; Márcia Lucena, presidente da Funesc; e Lenildo Morais, secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido. Tais auxiliares devem deixar os cargos para disputar o cargo de prefeito nas eleições municipais deste ano. O prazo de desincompatibilização para Cida Ramos, que deve disputar a Prefeitura de João Pessoa, Márcia Lucena (pré-candidata do PSB no processo sucessório no Conde), e Lenildo Coreia (vai ser indicado pelo PT concorrer ao cargo de prefeito de Patos), termina no próximo dia dois de junho. Atenção para aqueles que buscam um bom cargo.

PREFEITURA DA CIDADE DE SANTA RITA DAR CALOTE NOS SERVIDORES COMISSIONADOS

Netinho de Várzea Nova derrubou o prefeito de Santa Rita, Reginaldo Pereira, de quem era vice, alegando que o mesmo não vinha correspondendo na sua administração e que ele Netinho faria melhor, ou seja, daria nova cara a Terra dos Canaviais, outrora tão bela e organizada. O fato é que os postos de saúde se encontram em péssima condição de funcionamento, a cidade toda esburacada, muito lixo espalhado pela cidade, pessoas jogando entulhos de construção no meio das praças e o mais grave de tudo desde janeiro aquela Prefeitura não paga os salários dos servidores comissionados, como se algum pudesse trabalhar sem receber o que lhes é devido. Netinho de Várzea Nova ao não pagar os salários e consequentemente as obrigações trabalhistas não estaria cometendo crime de responsabilidade sujeito, portanto, a cassação do seu mandato?

LOURDINHA FALA SOBRE A NOSSA MATÉRIA SOBRE A RUINA DA BARREIRA DO CABO BRANCO

‘Caro amigo Pedro Macedo Marinho: Em casa de José Américo há um quadro, presente do pintor paraibano, HERMANO JOSÉ, em 1952, em que o CABO BRANCO aparece no inicio de sua ruína. No governo Militar verbas chegavam à Paraíba aos montes. O Ministro chamou a atenção dos governadores de então para as carências do PROMONTÓRIO e nenhum se dignou e acudir a ponta que avança pelo mar, tão citada nas Cartas Geográficas do mundo. Culpar o PREFEITO LUCIANO CARTAXDO pelo desgaste do acidente me parece fora de hora.’ Minha querida amiga Lourdinha, no início do meu texto, eu digo exatamente isso, ou seja, que a ruína da barreira vem de muito longe, mas isso não tira a culpa do atual gestor, pela falta de providencias e sensibilidade, exatamente quando o problema mais se agravou e ele fez e faz de conta que nada de grave acontece ali. Na minha visão como leigo, um simples replantio de árvores já adultas e gramas, a exemplo do que foi feito na ampliação da BR 101, poderia amenizar a destruição que vem acontecendo ali e que tende a se agravar se Cartaxo permanecer mais quatro anos na nossa Prefeitura, pois certamente, vai continuar tratando o problema com a mesma indiferença.

LOURDINHA FALA SOBRE A NOSSA MATÉRIA SOBRE A RUINA DA BARREIRA DO CABO BRANCO II


A maior prova da falta de interesse de Luciano Cartaxo se verifica facilmente, bastando observar o estado em que se encontra o desvio feito para se chegar às praias do Sul e ao novo Centro de Convenções e também a Estação Ciência, pois passado dois anos, o mesmo não se dignou sequer a pavimentar cerca de dois quilômetros de via, que hoje mais parece às crateras da lua, sem falar na escuridão reinante que provoca insegurança e a inúmeros assaltos já que os veículos em razão dos buracos têm que trafegar em marcha lenta. A propósito convém lembrar o comentário de Elísio Franca a respeito do problema: ‘A falta de interesse da ficou evidente apos uma audiência pública é uma sessão especial na Assembleia Legislativa onde a PMJP teve reprovado seu interno de intervir na barreira com um novo projeto de 3 x maiores custos (comparado ao projeto que teve orçamento concluído no final da gestão do PSB) sem garantia de resultados, propondo ao pé da barreira em outras intervenções o engodamento de uma faixa de praia.’


PRESDIENTE DA API JOÃO PINTO DISCUTE COM RADIALISTA FABIANO GOMES

Na tarde de segunda-feira aconteceu uma discussão entre o jornalista João Pinto, presidente da Associação Paraibana de Imprensa, e o radialista Fabiano Gomes, apresentador do programa Correio Debate, da 98 FM. O problema foi porque João Pinto entrou no programa para prestar solidariedade a um radialista que teve a frente da casa atingida a tiros. Após ouvir João Pinto Fabiano interpelou o mesmo, perguntando por que razão João Pinto era tão apressado para se solidarizar com um radialista vítima de atentado praticado por desconhecido, mas se tornara omisso quando o próprio Fabiano fora condenado a prisão em ação movida por Eduardo Carlos, proprietário das TVS Cabo Branco e Paraíba e do Jornal da Paraíba. Também se referiu a minha condenação, pelo Tribunal de Justiça, em ação movida por determinado advogado, sem que João Pinto desse um pio em meu favor. O clima ficou bem quente.

NOVOS TEMPOS

Dilma já no final do seu governo, sem falar em outros escândalos no primeiro mandato, teve sete ministros citados na Lava Jato, Ricardo Berzoini, Jaques Wagner, Eduardo Cardoso, Aloisio Mercadante Edinho Silva e Carlos Gabas e ela ainda tentou a todo custo colocar mais um citado na mesma operação o ex-presidente Lula e só não o fez em virtude da proibição da Justiça. No inicio do seu governo, o presidente Temer ao saber de gravação do seu amigo e ministro do Planejamento Romero Jucá o afastou em menos de 24 horas. Não seria novos tempos no Brasil?


ADRIANO FIGUEIREDO APONTA MINISTÉRIO DE LULA EM 2018, CASO ELE POSSA SER CANDIDATO E SE PORVENTURA CONSIGA SE ELEGER


Banco Central Alberto Yousseff, Casa Civil Marcola do PCC, Esportes Adriano Imperador, Ministério da Economia Lidianne Leite, Ministério de Obras Públicas, Luciano Cartaxo, Ministério da Cultura Inês Brasil, Previdência Social Georgina de Freitas, Ministério do Trabalho, Jorginho Guinle , Igualdade Racial Adolfo Hitler, Ministério da Justiça Nicolau dos Santos Neto, Ministério da Comunicação Marcos Valério, Ministério da Educação Senadora Fátima Bezerra, Ministério da Justiça Pedro Stedile, Ministério da Agricultura José Carlos Bumlai, Secretaria da Mulher, Roberta Close, Secretaria do Homem Tammy Gretchen, Relações Exteriores, Vladimir Putin, Articulação Política Dilma Rousseff, e um Ministério Estratégico, comandando Petrobras, Eletrobrás e BNDS, sob comando de Eike Batista. Assim é dose caro Adriano Figueiredo


ALBERGIO GOMES MEDEIROS CRITICA PETISTAS QUE TENTAM PREGAR MORALIDADE

Em março já tínhamos sessenta e sete (67) pessoas condenadas pela "Lava Jato", sem falar nos reincidentes como Zé Dirceu, novamente condenado a 23 anos. Não direi nem quantos mandados de prisão foram expedidos. Nem é preciso também lembrar que todos eles, invariavelmente ou integravam o PT ou eram aliados do partido e governo, até porque o "lulopetismo" nunca diferençou Governo do Partido. Aí diante do acontecido hoje, os petistas, aliados e defensores dessa cambada que saqueou os cofres públicos e alguns alheios, "censuraram-me" em outra postagem porque eu apenas concitei "Teme" a não demitir Jucá e este a não renunciar? Não acham que é muito cinismo para um só dia não???? Não acham que é um escárnio um petista vir falar sobre moralidade e probidade, e cobrar coerência???? Vão se enxergar, enxaguem as bocarras, escovem os dentes ...


Esta coluna é publicada no http:www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.


Sidebar Menu