Estatisticas do blog

No momento, 6 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 3065536 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Lava Jato: Janot deve enviar à 1ª instância políticos sem mandato




     
    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve propor já na próxima semana o desmembramento das investigações que ficarão no âmbito do STF, com o pedido de remessa para a primeira instância dos casos de políticos citados na Operação Lava-Jato e que perderam o foro privilegiado; ele planeja pedir o envio à Justiça Federal no Paraná dos casos de políticos que deixaram de exercer mandato eletivo na Câmara, no Senado ou em governos estaduais


    247 - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve propor já na próxima semana o desmembramento das investigações que ficarão no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF), com o pedido de remessa para a primeira instância dos casos de políticos citados na Operação Lava-Jato e que perderam o foro privilegiado. Entre 30 e 40 autoridades foram citadas pelos delatores.

    Janot planeja pedir o envio à Justiça Federal no Paraná dos casos de políticos que deixaram de exercer mandato eletivo na Câmara, no Senado ou em governos estaduais. São esses mandatos que garantem foro no STF ou no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O desmembramento deve ser o primeiro ato de Janot em relação às investigações sobre os políticos envolvidos no esquema.

    O procurador-geral montou um grupo especial formado por procuradores regionais da República, procuradores da República e promotores de Justiça do Distrito Federal para auxiliá-lo na análise e na busca por provas que envolvam as autoridades com foro privilegiado. O grupo também prepara a primeira ofensiva mais concreta nas investigações: na próxima semana, procuradores viajam a Curitiba para estreitar a articulação com os procuradores da República da força-tarefa responsável pelos desdobramentos da Operação Lava-Jato.

    Diante do grande volume de informações e de políticos citados, o mais provável é que as primeiras denúncias e os pedidos de abertura de inquérito no STF e no STJ só ocorram depois do feriado de carnaval. Antes disso, Janot deve remeter de volta à primeira instância os casos de parlamentares que não se elegeram e de ex-governadores que não se candidataram.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina


     TERCEIRO TURNO - CÁSSIO VAI APOIAR CHAPA DE RICARDO MARCELO

    O senador Cássio Cunha Lima foi procurado pelo seu antigo aliado Adriano Galdino, que pediu ao mesmo para não interferi na disputa a presidência da Assembleia Legislativa, deixando os deputados tucanos a vontade para cada um decidir a sua maneira. O senador não deu trela a Galdino e revelou que via sim apoiar Ricardo Marcelo ou mesmo um terceiro nome que entre na disputa, para assim se posicionar contra RC que apóia Adriano Galdino. Cássio corre o risco de ocorrer a vitória de Galdino e o povo dizer que ele perdeu o terceiro turno para Ricardo Coutinho. Ai vai ficar ruim.

    RENATO GADELHA APOSTA NA VITÓRIA DE RICARDO MARCELO

    Por falar em pleito na Assembleia, o deputado noviço Renato Gadelha, acredita piamente que Ricardo Marcelo será o vitorioso pela quarta vez para ficar à frente dos destinos da Assembleia Legislativa no pleito de domingo vindouro. Lembrado que em tese Adriano Galdino já conta com 21 votos, o mesmo respondeu de forma enigmática que o voto é secreto e tudo pode acontecer. Será meu Deus será?

    GOVERNADOR DIZ QUE A PARAÍBA FOI O ÚNICO ESTADO QUE OUSOU CONCEDER REAJUSTE AOS SERVIDORES


    O governador Ricardo Coutinho criticado pelo percentual muito pequeno que concedeu aos servidores foi incisivo lembrando as dificuldades da economia brasileira e especialmente a Paraíba, s[ó permitiu tais valores. Lembrou que pesquisou e verificou que nenhum estado da Federação, ofereceu nada aos seus servidores e que a Paraíba é o único estado a fazê-lo- Ainda segundo ele “só a Paraíba está tendo a ousadia de dar reajuste”. “Gostaria muito de estar dando novamente o reajuste da inflação para a imensa maioria das categorias, mas infelizmente o estado não tem capacidade para isso, desta vez, neste mês de janeiro”.

    PSB REJEITA PARTICIPAÇÃO NA GESTÃO DO PT NA CAPITAL


    Por 21 votos contra nove, o PSB de João Pessoa decidiu na noite desta quarta-feira (28) se abster de indicar, oficialmente, nomes para composição na gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PT), da Capital. Tal resultado foi obtido depois de reunião realizada na Granja Santana entre lideranças socialistas e o governador Ricardo Coutinho. Em sua decisão, o PSB, entretanto, não veta o aproveitamento de filiados da legenda, caso seja essa a decisão de Luciano Cartaxo, mas a participação terá cunho de participação individual sem indicação e referendo do partido.A socialista Sandra Marrocos defendia posição contrária, mas foi voto vencido na discussão.


    RAIMUNDO LIRA QUER ENTREVISTA EM CASA. SÓ FALTAVA ESSA!!!

    Raimundo Lira em vez de ir à Associação de Imprensa, justificar a sua ausência e agradecer ao paraibanos o mandato de senador que caiu no seu colo, manifestou o desejo de que os jornalistas fossem entrevistá-lo em sua casa em Campina Grade. Essa criatura certamente não foi escolhido suplente de Vitalzinho pelos seus belos olhos. Por sorte pegou um boi deitado, ou seja, virou senador contando apenas com o próprio voto. Ele representa mal ele mesmo e nem sei porque parte de nossa imprensa vem dando tanta visibilidade a tal pessoa, que no Senado há mais de uma mês só agora visita no nosso estado, dizendo que estava gozando férias com a sua família. Como se observa o dito cujo nem começou a trabalhar e já fala de férias. Assim é dose.

    PRESIDENTE DO PT DIZ QUE FREI ANASTÁCIO TERÁ QUE SEGUIR O PARTIDO


    O presidente do PT paraibano, Charlinton Machado não se fez de rogado e por conta das declarações dadas pelo deputado estadual Frei Anastácio sobre sua insatisfação pela aliança firmada entre seu partido e PSB, afirmou que não estava em par das declarações do deputado estadual, mas que sabe que Anastácio tem uma tradição de acatar as decisões partidárias. “Ele votou em favor da aliança. Votou pela composição do governo, inclusive na última reunião de diretório. Todos esperamos que ele se adéque às instâncias partidárias como sempre fez”, declarou o presidente do partido.Pois é o Frei vai ter que rezar pela cartilha da sua legenda.

    LUCAS AMEAÇA SAIR DO DEM SE O PARTIDO VIER A APOIAR CARTAXO


    O vereador Lucas de Brito que acaba de deixar nas mãos de Raoni Mendes a liderança da oposição na Câmara Municipal ao ser questionado sobre um eventual apoio do seu partido o DEM ao prefeito Luciano Cartaxo, nem pensou duas vezes e revelou que a sua posição é clara: ficará oposição. Contrário à gestão municipal em João Pessoa, o vereador pode estar às portas de um dilema: o DEM pode estar se preparando, em decorrência da aliança com o PSB no Estado, para apoiar o mesmo Cartaxo ao qual Lucas se opõe na Câmara Municipal.“O posicionamento do DEM é contraditório. Ouvi conversas de que o Democratas vai apoiar Cartaxo nas próximas eleições. Vou me sentir a vontade para deixar o partido caso isso aconteça”, declarou o vereador.Em tempo: Ontem Lucas revelou que é candidato a prefeito de João Pessoa.


    NONATO QUER PARCERIAS ADMINISTRATIVAS ENTRE O PSB E PT

    Depois de ter se tornado um critico feroz da gestão de Ricardo Coutinho de quem foi aliado a vida inteira, o atual vice-prefeito Nonato Bandeira, revela o seu desejo que prospere a união administrativa entre o PSB e o PT, unindo assim o governador Ricardo Coutinho e o prefeito Luciano Cartaxo. Na ótica de Nonato os discursos políticos deveria ficar para 2016 e ambos os gestores focarem em obras para o estado e para a capital, tais como o Hospital da Mulher, o Viaduto do Geisel, reforma da nossa rodoviária, um museu para a cidade de João Pessoa que completa 430 anos e não tem a sua história preservada.


    MÉDICA ASSUME HOSPITAL DA GUARNIÇÃO DE JOÃO PESSOA


    A Major Médica Carla Maria Clausi assume a Direção do Hospital de Guarnição de João Pessoa. Sua assunção ao cargo é um marco na história do Exército Brasileiro: A Maj Carla é a primeira mulher a assumir o Comando de uma Organização Militar, nível unidade, pertencente à Força Terrestre. Tomara que co a sensibilidade da mulher o serviço de atendimento melhore naquele hospital, pois reformados e pensionistas sofrem muito para marcarem uma simples consulta ou para qualquer outro atendimento, pois ficam apenas dois recrutas fazendo tal trabalho, ou seja, atendendo vagarosamente cerca de 30 A 40 pessoas que chegam ali nas primeiras horas da manhã.

    COMPANHEIRO PETISTA ABANDONADO II

    Esta semana falei aqui neste espaço sobre o abandono no a que está relegado o petista e ex-presidente da Câmara Federal João Paulo Cunha, ou seja, dos mensaleiros, o dito cujo é um dos poucos ainda curtindo o xilindró, em razão de não ter recursos financeiros para pagar a pesada multa imposta pela Justiça e não receber a solidariedade dos antigos companheiros de partido, fazendo o mesmo que fizeram com José Dirceu e Delúbio Soares, beneficiados com duas ricas ‘vaquinhas’ que arrecadaram alguns milhares de reais.A vitima agora é o deputado cassado André Vargas aquele que em solidariedade aos companheiros presos atrevidamente presidindo a sessão da Câmara Federal ergueu o braço com o punho cerrado para afrontar o então presidente do Supremo Joaquim Barbosa.Tal figura tempos depois foi denunciado por conta de negócios poucos republicanos com o doleiro Alberto Youssef. Tal figura que chegou a ser primeiro vice-presidente da Câmara tem dificuldade até mesmo para pagar o colégio dos filhos e por isso pediu e implorou emprego aos seus antigos colegas petistas e todos fizeram ouvidos moucos. O que é isso companheiros?

    LAVA JATO - DEPUTADOS BLINDADOS


    Quando a gente pensava que já viu tudo no Brasil vindo da classe política, eis que se descobre que desconfiados com a divulgação nos próximos dias da relação dos deputados envolvidos com o escândalo da Petrobras, parlamentares rapidamente já trataram de alterar regras no Conselho de Ética da Câmara Federal, com o intuito de proteger eventuais envolvidos. A idéia é criar um acordo de leniência parlamentar segundo o qual o deputado acusado de lesar os cofres públicos poderá apresentar à Mesa da Câmara proposta de devolver o dinheiro desviado, o que abriria uma posta para absolvição. Resta saber se a população brasileira vai aceitar mais esse verdadeiro escárnio contra os cidadãos, que por certo sentirão que mais os mesmos zombam os mesmos de nossa inteligência.


    OTÁVIO PAULO NETO – O POVO SE ESCONDE DA CORRUPÇÃO E DO CRIME

    O promotor de Justiça Otávio Paulo Neto, através das redes sociais se manifestou sobre o descaso e a aceitação pacifica do povo brasileiro com relação aos desmandos e a corrupção que explodem em nosso país. Otávio Paulo Neto a partir deste ponto: “Engraçado! Nosso País que se diz celeiro de pessoas cultas e aguerridas se esconde cada vez mais ante as inúmeras manifestações de corrupção e crimes. De 2009 a 2011 pudemos assistir na Tunísia e Islândia toda uma população se levantar por uma nova ordem política, tais manifestações ecoaram em todo mundo e voltam a eclodir no Egito, enquanto isso aqui no Brasil nos preparamos pro carnaval confeccionando máscaras do pessoal da Petrobras, a mediocridade cobrará seu preço, muitas vidas se esvaem todas os dias em razão de nossas omissões, que a mão forte da injustiça não nos abata, enquanto isso vamos preparando o confete e a serpentina, seca ? Crise energética? Inflação ? Corrupção ? Que é isso ? Vamos aproveitar o verão , nos bronzear para o carnaval , afinal Deus é brasileiro !!”Pois é prezado Otávio Paulo Neto, o povo brasileiro deveria seguir os ensinamentos de Drew Pearson, que cravou: “Trabalho pelo olfato. Quando sinto algo fedendo, vou atrás”.

    O SURREALISMO DOS NOSSOS LADRÕES


    Por falar em ladrões a ousadia dos mesmos chega a ser surreal. Na cidade de Maringá (PR),l bandidos levaram R$ 20 mil de uma farmácia e ousadamente mandaram recado para a emissoraas de televisão, mais precisamente para os programas policiais dizendo que os mesmos parassem de meter a boca nos bandidos e falassem mal de Dilma e dos políticos que roubam. Num outro episódio bem pitoresco, em Paraipaba no estado do Ceará, bandidos explodiram os caixa da única agencia bancaria,m acordando a população, tendo os bandidos arrecadado pouco dinheiro e batido em retirada. Revela um policial que dias depois chegou uma carta na delegacia da cidade, onde os bandidos lamentavam que gastaram R$ 71 mil com a operação e só conseguiram levar R$ 36 mil. Ao final da carta, escreveram ‘Esse povo da cidade é muito ladrão”.


    Esta coluna é publicada no http:/www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da quinta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Cardoso: Punição não pode afetar a economia




     
    Em ofício ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, disse que “a única alternativa eficaz” para afastar o risco à ordem pública seria suspender todos os contratos das empreiteiras envolvidas com a Petrobras e com todas os outros setores da administração pública; o governo teme que a declaração de inidoneidade dessas empresas agrave a situação econômica do Brasil; segundo a Tendências Consultoria, o resultado das apurações contra corrupção podem retirar até 1,5% do crescimento econômico em 2015; “Economicamente, tem que tomar as medidas necessárias para que o mercado não sofra nenhum abalo. Aliás, é perfeitamente possível o rigor da lei e a saúde econômica”, defendeu o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre a Operação Lava Jato


    247 – Preocupado com o impacto da Lava Jato na economia no Brasil, o governo tem sustentado a defesa de que é possível punir envolvidos no esquema sem afetar a economia. Em evento nesta quarta-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, repercutiu a linha defendida pela presidente Dilma Rousseff neste sentido:

    "Do ponto de vista das empresas, me parece que há um desejo claro, que não afasta as punições de quem deva ser punido, e que nós não criemos situações que atrapalhem a vida econômica dos brasileiros. (É preciso) punir quem tem que ser punido. Economicamente tem de tomar as medidas necessárias para que o mercado não sofra nenhum abalo. Aliás, é perfeitamente possível o rigor da lei e a saúde econômica", disse o ministro

    A declaração ocorre no dia em que o juiz federal Sérgio Moro, em ofício ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse que “a única alternativa eficaz” para afastar o risco à ordem pública seria suspender todos os contratos com a Petrobrás e com todas os outros setores da administração pública.

    “Necessário, infelizmente, advertir com o remédio amargo as empreiteiras de que essa forma de fazer negócios com a administração pública não é mais aceitável – nunca foi, na expectativa de que abandonem tais práticas criminosas”, argumentou Sérgio Moro.

    As obras paradas da Petrobras e das empreiteiras investigadas pela Polícia Federal devem afetar a projeção para os investimentos em infraestrutura e até a expectativa para o crescimento do PIB, de acordo com estimativa da Tendências Consultoria. A empresa, que calculou o peso das empreiteiras nos projetos do País, acredita que o resultado das apurações contra corrupção podem retirar até 1,5% do crescimento econômico em 2015: "O impacto deve ser maior do que imaginávamos anteriormente", afirma a analista Alessandra Ribeiro.

    As centrais sindicais apontam que, em menos de dois meses, empresas envolvidas na operação Lava Jato demitiram mais de 12 mil trabalhadores em todo o Brasil. Muitas delas entraram em processo de recuperação judicial.

    Além disso, no dia 21 de janeiro, a Alumini Engenharia S/A teve pedido de recuperação judicial aprovado pelo juiz da 2ª Vara de Falências de São Paulo. A empresa é a primeira das citadas na Operação Lava Jato a entrar com pedido, protocolado no último dia 15.

    A construtora ainda não está sob investigação formal nem teve nenhum de seus diretores presos, mas deixou de receber R$ 1,2 bilhão em aditivos contratuais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    PEC 555 - Fim da contribuição de inativos aguarda acordo para entrar na pauta da Câmara





    Proposta, que está pronta para ser votada pelo Plenário desde 2010, enfrenta resistência do governo por envolver perda de arrecadação.

    A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 555/06, que acaba com a contribuição previdenciária de servidores públicos aposentados, já foi alvo de mais de 600 requerimentos de deputados pedindo sua inclusão na pauta de votações do Plenário da Câmara dos Deputados.

    Apesar de ter sido aprovada por uma comissão especial em agosto de 2010, a PEC é vista como “pauta bomba” por envolver perda de arrecadação para o governo federal e nunca chegou à Ordem do Dia do Plenário – período da sessão em que ocorrem as votações.

    O texto aprovado na comissão especial, de autoria do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), propõe não o fim imediato da contribuição dos inativos, como prevê o texto original da PEC 555, mas, sim, sua redução gradual. “Queríamos acabar com a cobrança dos inativos logo após a aposentadoria, mas, como sabemos que a área econômica do governo é radicalmente contra a extinção, propusemos o fim gradual”, explica Faria de Sá.

    A proposta acolhida pela comissão determina que a contribuição dos inativos terá o seu valor reduzido em 20% a cada ano após o titular do benefício completar 61 anos, deixando de ser cobrada quando o aposentado completar 65 anos. “Quem já está aposentado vai pagar a previdência para quê? Vai receber outra aposentadoria? Não. Então não existe lógica em ter a contribuição do aposentado para Previdência Social”, completa o parlamentar.

    O texto de Faria de Sá se sobrepôs na comissão especial ao parecer do antigo relator, deputado Luiz Alberto (PT-BA), que propunha a isenção total somente aos 70 anos, com a redução anual da contribuição em 10% também a partir dos 61 anos.

    Negociação
    Embora tenha tido o relatório rejeitado, Luiz Alberto acredita que sua proposta é a que mais tem chances de acordo com o Executivo para aprovação. “Na conjuntura econômica atual, fica difícil encaminhar mesmo a minha proposta. Mas ainda acho que pode haver chance de negociação a partir do meu relatório”, diz Luiz Alberto.

    Atualmente, a contribuição previdenciária de aposentadorias e pensões do serviço público é de 11% sobre a parcela que ultrapassa o teto previdenciário do INSS, hoje fixado em R$ 4.390,24.

    O fim da contribuição de inativos atingiria todos os aposentados e pensionistas do serviço público, em todos os níveis de governo (federal, estadual e municipal).

    Fonte: Agência Câmara


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    PSB rejeita participação na gestão do PT na Capital; três teses foram debatidas durante encontro





    Sandra Marrocos foi voto vencido na reunião
    Por 21 votos contra nove, o PSB de João Pessoa decidiu na noite desta quarta-feira (28) se abster de indicar, oficialmente, nomes para composição na gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PT), da Capital, como o Portal MaisPB havia antecipado ao revelar o resultado de reunião realizada na Granja Santana entre lideranças socialistas e o governador Ricardo Coutinho.

    Em sua decisão, o PSB, entretanto, não veta o aproveitamento de filiados da legenda, caso seja essa a decisão de Luciano Cartaxo, mas a participação terá cunho de participação individual sem indicação e referendo do partido.

    A tese majoritária foi defendida no encontro pela deputada estadual eleita Estela Bezerra e pelo presidente municipal do partido, Ronaldo Barbosa. Na avaliação dos dois, o PSB precisa ter liberdade e independência para as eleições de 2016, o que não ocorreria em caso de atrelamento ao governo petista.

    Uma segunda linha foi defendida pela ex-vereadora Sandra Marrocos (foto), para quem o PSB deveria participar do governo petista e manter a unidade em nome do cenário político atual.

    O vereador Renato Martins apresentou uma terceira proposta. Ele sugeriu um plano de trabalho conjunto a ser compartilhado pelas gestões do PSB e do PT. Na ótica o parlamentar, a aliança celebrada em 2014 tem uma dívida com a cidade.

    MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Jovens detidas após beijo gay em culto pedem R$ 2 milhões ao deputado-pastor Feliciano






    Duas jovens que foram detidas em 2013 durante um culto evangélico do deputado federal e pastor Marco Feliciano, no litoral norte de São Paulo, pedem indenização de R$ 2 milhões ao parlamentar por danos morais. Ele ordenou a prisão a delas, que na época eram namoradas, após um beijo durante um evento gospel.

    A defesa das duas mulheres - Joana Palhares Pereira, de 20 anos, e Yunka Mihura, 24 anos anos -, entrou com a ação na Justiça neste mês. Além da ação contra o deputado, também há um processo contra a Prefeitura de São Sebastião, responsável pela segurança no local. A prisão delas foi feita pela Guarda Municipal durante o Glorifica Litoral, show religioso que aconteceu no município em setembro de 2013.

    O advogado das jovens, Daniel Santos Oliveira Galani, aponta na ação que a prisão foi arbitrária, motivada por homofobia e sem embasamento legal. Ele conta que até hoje as jovens são identificadas nas ruas e nas redes sociais, sendo frequentemente constrangidas e agredidas.

    "O que o deputado fez naquele culto foi desrespeitar os direitos humanos, agredindo publicamente minorias por meio de um discurso de ódio. Reuni no processo cerca de 300 mensagens ofensivas que elas receberam só pela internet após o fato. Elas foram ameaçadas", disse Galani ao G1.

    Durante a pregação, Feliciano viu do palco as jovens se beijando e acionou a segurança do evento. Na ocasião, ele afirmou que elas não tinham respeito ao pai, à mãe e à mulher. "A Polícia Militar que aqui está, dê um jeitinho naquelas duas garotas que estão se beijando. Aquelas duas meninas têm que sair daqui algemadas. Não adianta fugir, a guarda civil está indo até aí. Isso aqui não é a casa da mãe Joana, é a casa de Deus", disse Feliciano para os fiéis.


    Prisão
    No caso da ação contra o governo municipal, ele aponta o uso de força excessiva da guarda municipal e o cumprimento arbitrário da voz da prisão dada por Feliciano. "Elas sofreram danos físicos e saíram algemadas do evento. São duas meninas com menos de 60 quilos, foi desproporcional", afirmou o defensor.
    Uma das jovens, Joana Palhares, acredita que a ação pode ser um divisor para todos os homossexuais que sofrem discriminação. "Ele fez tudo aquilo achando que ia sair impune, ele incitou a violência. É preciso frear esse tipo de atitude, não é pelo dinheiro, mas sim pelo respeito que nós merecemos e exigimos", afirmou.
    Segundo ela, o beijo próximo ao palco onde o pastor celebrava o culto teve como objetivo protestar contra declarações homofóbicas do deputado. "Nós levamos cartazes e a guarda pegou. Decidimos protestar com aquele beijo e não havia nada de errado, o evento era público, na cidade em que eu morava até então", disse. As duas jovens não namoram mais e vivem hoje na cidade vizinha, Ilhabela (SP).
    Outro lado
    O deputado Marco Feliciano informou, por meio de nota, que ainda não foi notificado oficialmente da ação, mas destacou que, durante o evento, após manifesto considerado desrespeitoso por ele, pediu para que os agentes de segurança cumprissem seu dever para que o evento religioso pudesse continuar.
    Ele destacou que tem recebido manifestações de apoio de pessoas indignadas com a ação e com o valor, que ele considera absurdo, atribuído como dano. "Minha primeira atitude é de perdão, acreditando que elas não sabem o que fazem. Oro pedindo a Deus que ilumine a vida dessas duas jovens", diz trecho do email.

    Procurada, a assessoria de imprensa de São Sebastião, informou que também não foi notificada do processo e, por isso, preferiu não se manifestar sobre o assunto.
    G1


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Sobre a piada, "João Pessoa, a quarta cidade mais violenta do mundo”




     
    Postado por Tião Lucena, 27 de Janeiro de 2015 às 17:37


    Por: Aldo Ribeiro
    Primeiramente precisamos encontrar a explicação e tentar entender como a mesma cidade é eleita a “quarta mais violenta do mundo”, e ao mesmo tempo é também eleita “uma das melhores cidades do planeta para desfrutar a aposentadoria”. De acordo com a organização Internacional Living, responsável pelo ranking anual dos melhores lugares para se viver a aposentadoria, João Pessoa foi uma das cinco cidades da América do Sul indicadas para o pomposo título.

    Para tal análise, é necessário que abstraiamos as paixões e os ódios. Reflitamos apenas instintivamente. Como integrantes da rotina, do ritmo e do dia-a-dia da cidade.
    Percebam o absurdo: segundo a tal ONG mexicana da qual nunca tinha ouvido falar, João Pessoa está a três posições de ser a cidade mais violenta do mundo! Isso mesmo. Esqueçam Bagdá, Cabul, Coréia do Norte, os sangrentos conflitos étnicos e tribais da África, ou as eternas trocas de “balas de côco” entre Israel e Palestina. Aquelas guerrinhas sem graça do Oriente Médio não passam de manipulação da grande mídia para desviar o foco da nossa capital, a verdadeira “Chicago tropical” do século XXI.
    É público e notório que nossa cidade hoje não goza da mesma tranquilidade que há dez, quinze anos atrás. Longe disso. A taxa de homicídios da capital subiu de 15,1 para 38,6 do entre os anos 2000 e 2010. E desde 2012 vem caindo, ainda que timidamente. É o que diz o Fórum Nacional de Segurança Pública. Mas daí a dizer que João Pessoa é a quarta cidade mais perigosa do mundo, é piada. A violência é uma epidemia nacional e João Pessoa não é uma ilha. Não iria ficar imune dessa praga. Ainda de acordo com o Fórum Nacional de Segurança Pública, em 2013, a cada dez minutos uma pessoa era assassinada no Brasil. Foram mais de cinquenta mil assassinatos dolosos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil tem a 11ª maior taxa de homicídios do mundo.

    O Governo Federal fracassou. Essa é a verdade. Suas políticas públicas voltadas para educação e cidadania, formaram traficantes e viciados. Jovens bandidos são presos e mortos todos os dias. Seu assistencialismo gratuito e eleitoreiro, não conseguiu fazer com que “famílias” emergissem verdadeiramente ao conceito de fa-mí-li-a. Ao contrário, emergiu uma maioria de bandos sem educação, sem base e sem cultura. Está aí o resultado. Caos social/ético e a formação uma classe média cada vez mais revoltada e raivosa.

    João Pessoa, comparada com outras grandes cidades, é sim ainda uma cidade relativamente tranquila. Basta visitar outras capitais do Nordeste pra ter essa certeza. No entanto, aquela aura de capital das acácias, de cadeiras e bom bate papo nas calçadas, vão aos poucos se dissipando. À medida que a cidade cresce, as coisas e as pessoas vão ficando cada vez menores. Menos importantes. Os rostos, as ruas, as casas e os prédios, cada vez mais iguais. Um paraíso verde cada vez mais cinzento e artificial.

    “Se queres paz, te prepara para guerra.”
    Em tempo: Notícia fresquinha. “Extremistas supostamente ligados ao Estado Islâmico (EI) atacaram um hotel de luxo na Líbia nesta terça-feira, matando pelo menos três guardas e cinco estrangeiros, informaram as autoridades. Um carro-bomba também explodiu em frente ao edifício. Os militantes teriam se matado detonando explosivos quando ficaram encurralados no 24º andar do hotel (G1 - 27/01/2015)”. Entenderam agora?


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Tião Gomes acusa Ricardo Marcelo de contratar um racker em São Paulo para fraudar a eleição na Assembléia





    Postado por Tião Lucena, 28 de Janeiro de 2015 às 10:18

    Deputado diz que acionará o Ministério Público para evitar fraude

    O deputado estadual Tião Gomes denunciou nesta quarta-feira, que a eleição na Assembléia Legislativa do Estado no próximo domingo "corre riscos de fraude na votação eletrônica, da mesma forma que vou ao Ministério Público denunciar que a atual direção vem manipulando a Folha de Pessoal e de outros benefícios para interferir no processo eleitoral".

    Tião Gomes disse estar informado de que "um Racker de São Paulo, conforme informes chegados a mim pelo que corre nos corredores da Assembléia, estaria sendo acionado para manipular a votação eletrônico, por isso vamos propor que a eleição seja através de Cédulas".

    - Inferlizmente, a má gestão fez com que esse instrumento moderno de informatização nunca tenha sido usado como devido, por isso a eleição da Mesa corre risco de fraude e, em sendo assim, vamos propor o voto em Cédulas - disse.

    FINANCEIRO - Tião Gomes declarou ainda que vai ao Ministério Público denunciar a manipulação da Folha de Pessoal para mexer no quadro existente favorecendo novos deputados como forma de influir na eleição da Mesa Diretora.

    Segundo ele, "a Folha sempre foi paga entre o dia 21 e 22 de cada mês, entretanto, hoje já é dia 28 sem pagar indo porque eles estão manipulando em favor de alguns membros que estão do lado do presidente".

    - Estão querendo transferir para o Banco Santander o atraso da Folha de Pessoal, mas o motivo é outro porque tem deputado novo com Gabinete melhor e maior do que de antigos, tudo por conta da eleição, sabendo-se ainda que o Governo repassou o Duodécimo na ultima sexta-feira e até a presente data não foi repassado os valores dos funcionários, por isso vou ao Ministério Público - declarou.(Wscom).


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Justiça determina quebra de sigilo de Gabrielli





    A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta (28) a quebra de sigilo bancário e fiscal e o bloqueio de bens em caráter liminar do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, do ex-diretor de Serviços da estatal Renato Duque e de executivos e técnicos do centro de pesquisa da empresa, o Cenpes, em ação por improbidade administrativa; ao todo, oito pessoas, das quais seis ex-funcionários da estatal, tiveram seus sigilos quebrados pela Justiça, entre os períodos de 2005 a 2010; segundo a ação, investigação feita anteriormente pelo TCU mostrou que teria havido superfaturamento de R$ 31,4 milhões nas obras para a ampliação e modernização do centro de pesquisa


    247 - A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta-feira (28) a quebra de sigilo bancário e fiscal e o bloqueio de bens em caráter liminar do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, do ex-diretor de Serviços da estatal Renato Duque, e de executivos e técnicos do Cenpes, o centro de pesquisa da Petrobras, em ação por improbidade administrativa. Ao todo, oito pessoas, das quais seis ex-funcionários da estatal, tiveram seus sigilos quebrados pela Justiça, entre os períodos de 2005 a 2010.

    A ação, que tramita na 5ª Vara de Fazenda Pública da Justiça do Rio, tem como base denúncia do Ministério Público do Rio, que apontou indícios de superfaturamento em contratos entre a estatal e a construtora Andrade Gutierrez para obras no Cenpes.

    Segundo a ação, investigação feita anteriormente pelo TCU (Tribunal de Contas da União) mostrou que teria havido superfaturamento de R$ 31,4 milhões nas obras para a ampliação e modernização do centro de pesquisa, que fica na Ilha do Fundão, zona norte do Rio.

    Petrobras e Andrade Gutierrez também são rés no processo. A estatal é acusada de ter, por meio da ação de diretores e técnicos, dado preferência à Andrade Gutierrez para assumir obras de uma outra construtora, a Cogefe Engenharia Comércio e Empreendimentos, no Cenpes.

    Em decisão proferida nesta quarta-feira, a juíza da 5ª Vara de Fazenda Pública, Roseli Nalin, determinou que os dados bancários dos citados sejam enviados ao Ministério Público do Estado em vinte dias. Já os dados de Imposto de Renda têm trinta dias para serem fornecidos. O bloqueio dos bens dos réus, explica a juíza em sua decisão, é para evitar a transferência para o nome de outras pessoas. O objetivo é que eles sejam usados como garantia de ressarcimento à estatal, caso seja comprovada superfaturamento.

    Além de Gabrielli e Duque, também foram atingidos pela decisão os seguintes nomes: Pedro Barusco, ex-gerente-executivo de Serviços e Engenharia; Sérgio Arantes, ex-gerente Setorial de Estimativas de Custos e Prazos; José Carlos Amigo, ex-gerente de Implementação de Empreendimentos para o Cenpes; Alexandre da Silva, ex-gerente Setorial de Construção e Montagem do Cenpes; e Antônio Perrota e Guilherme Neri, identificados como responsáveis pela elaboração dos orçamentos dos contratos entre a estatal e a construtora.



    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Youssef diz que pagava propina a mando de agentes políticos





    A defesa de Alberto Youssef disse nesta quarta (28) à Justiça Federal que o doleiro não liderou o esquema que desviou recursos da Petrobras; segundo o advogado Antônio Figueiredo Basto, Youssef não pode ser condenado por corrupção passiva, porque cumpria ordens de agentes políticos para fazer o pagamento de propina. Os desvios são investigados na Operação Lava Jato; em depoimentos, Youssef apontou os nomes de políticos que receberam propina, mas são mantidos em segredo de Justiça

    André Richter - Repórter da Agência Brasil

    A defesa de Alberto Youssef disse hoje (28) à Justiça Federal que o doleiro não liderou o esquema que desviou recursos da Petrobras. Segundo o advogado Antônio Figueiredo Basto, Youssef não pode ser condenado por corrupção passiva, porque cumpria ordens de agentes políticos para fazer o pagamento de propina. Os desvios são investigados na Operação Lava Jato.

    Em depoimentos de delação premiada, Youssef, que está preso, apontou os nomes de políticos que receberam propina. Em fevereiro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve denunciá-los ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os nomes são mantidos em segredo de Justiça.

    Em resposta à abertura de uma das ações penais contra Youssef, o advogado do doleiro disse que ele não atuou isoladamente, e não tinha poderes para favorecer ninguém dentro da Petrobras. "Sua função era fazer o dinheiro chegar aos corruptos e irrigar contas de partidos políticos, conforme ele mesmo informou em seu interrogatório. Podemos afirmar, sem qualquer margem de erro, que as propinas somente existiram por vontade dos agentes políticos", alega a defesa.

    Antônio Basto também informou que os acordos entre agentes políticos e as empreiteiras não tinham participação de Youssef, que atuava na fase final, na distribuição da propina. Segundo a defesa, o dinheiro desviado da Petrobras foi usado para financiar campanhas políticas "no Legislativo e Executivo".

    "Agentes políticos das mais variadas cataduras racionalizaram os delitos para permanecer no poder, pois sabiam que enquanto triunfassem podiam permitir e realizar qualquer ilicitude, na certeza de que a opinião pública os absolveria nas urnas", diz o advogado.

    Na petição, a defesa compara o esquema investigado na Lava Jato com a Ação Penal 470, o processo do mensalão.

    "Embora esse projeto de poder não seja novo, haja vista já ter sido implementado antes em outros órgãos públicos, conforme restou provado no julgamento da Ação Penal 470/MG, conhecido como ‘mensalão‘¸ no caso vertente foi superlativo, quer pelo requinte dos malfeitos quer pela audácia e desmedida ganância dos agentes políticos que, incrustados no poder, fizeram movimentar a máquina pública para atender suas exigências, desviando valores vultosos da maior empresa do país, a Petrobras" - argumenta Basto.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 28.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Prefeitura de João Pessoa paga salários de janeiro nestas quinta e sexta-feira




    Dinheiro no Bolso
    A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) realiza o pagamento dos servidores referente ao mês de janeiro nestas quinta (29) e sexta-feira (30).

    De acordo com o secretário de Administração (Sead), Roberto Wagner Mariz Queiroga, os servidores aposentados e pensionistas do Instituto de Previdência do Município (IPM) são os primeiros a receber salário, nesta quinta-feira (29).

    Já na sexta-feira (30), recebem os servidores das demais secretarias e órgãos da administração municipal.

    MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 28.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Prefeitura de Santa Rita tem contas bloqueadas pela justiça para pagamento de servidores





    O juiz Gustavo Procópio Bandeira, da 5ª Vara Mista de Santa Rita, deferiu pedido de liminar contra a Prefeitura de Santa Rita determinando o bloqueio de até 60% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), exclusivamente para pagamento dos salários do servidores da educação, e de até 54% dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios - FPM e SUS, para serem utilizados no pagamento dos servidores da saúde.
    O magistrado deferiu a liminar após apreciar o Mandado de Segurança Coletivo com Pedido Liminar impetrado pelo Sindicato dos Funcionários Públicos do Município de Santa Rita - SINFESA contra a Prefeitura de Santa Rita. Conforme o processo, os servidores da educação e da saúde estão sem receber o salário de dezembro de 2014, apesar do Sindicato ter buscado o diálogo com o gestor do Município para evitar o atraso dos salários.

    O Sindicato alegou ainda, que no início de janeiro deste ano foi emitido um ofício conjunto das Secretarias de Finanças, da Administração, e do representante do Ministério Público Estadual, informando que o pagamento dos servidores referente ao mês de dezembro e a diferença do 13º salário, seria efetuado no dia 12 de janeiro de 2015.

    Ao ser indagado pela Justiça sobre a situação, o procurador geral do Município, através de petição, informou que nos últimos meses o Município passou por "uma forte instabilidade política, na qual o atual gestor ficou oito meses afastado do cargo, até que uma liminar do TJPB determinou o seu reingresso no comando da municipalidade".
    Na decisão Gustavo Procópio ressaltou que a prova documental juntada pelo Sindicato é firme e demonstra o descompromisso da Administração em garantir a atualidade dos vencimentos dos seus servidores. O magistrado destacou ainda que o representante judicial do Município de Santa Rita não justificou a retenção dos salários dos servidores.
    "A necessidade da medida igualmente se impõe para garantia da dignidade humana dos servidores e para evitar o agravamento da situação vexatória que vivenciam com a privação de recursos necessários ao sustento", asseverou Gustavo Procópio.
    Efetivação da liminar - Para o cumprimento da liminar o juiz Gustavo Procópio determinou que fossem oficiado o Banco do Brasil ou qualquer outro banco que movimente verbas dos fundos bloqueados para a retenção dos valores presentes e futuros nos percentuais estabelecidos.

    Determinou também a expedição de ofício à Secretaria de Administração de Santa Rita para individualizar os salários de dezembro/2014 e janeiro/2015 dos servidores da educação e da saúde, com remessa ao juízo da 5ª Vara Mista de Santa Rita e ao banco o arquivo para crédito na conta salário dos referidos servidores.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 28.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Ato de Centrais sindicais mira ‘Pacote de maldades‘




     
    Cerca de duas mil pessoas, segundo a Polícia Militar, protestaram em São Paulo em defesa da revogação das medidas anunciadas no fim de 2014 que mudam as regras para benefícios previdenciários; segundo as seis centrais sindicais, que organizaram o protesto, as MPs "retiram direitos dos trabalhadores"; "Nós não concordamos e achamos que isso é muito prejudicial ao trabalhador", disse o presidente da CUT, Vagner Freitas; deputado Paulinho da Força apelou: "ou [a presidente Dilma] está doida ou acha que só tem idiota do lado de cá" e chamou as medidas de "maldito pacote de maldades"


    247, com Agência Brasil - Uma manifestação das centrais sindicais na capital paulista interditou nesta manhã a Avenida Paulista, uma das principais da cidade. O ato foi contra as medidas provisórias 664 e 665, anunciadas no final do ano passado pelo governo federal, que alteram regras para benefícios sociais como pensão, auxílio-doença e seguro-desemprego.

    Segundo a Polícia Militar, cerca de duas mil pessoas participam do ato. Representantes das centrais sindicais estimam que 10 mil pessoas estariam presentes. O protesto começou às 9h no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo, e os manifestantes permanecem no local. Agentes de trânsito bloquearam, por volta das 10h30, o trecho da Avenida Paulista em frente ao museu.

    Os manifestantes pretendem seguir em passeata até o prédio da Petrobras e depois para o Ministério da Fazenda, com o objetivo de entregar um documento com críticas às medidas do governo. Há protestos agendados em vários outros estados (veja a agenda aqui).

    O protesto é organizado por seis centrais sindicais: Central Única dos Trabalhadores, Força Sindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros, a Nova Central e movimentos sociais.

    De acordo com João Carlos Gonçalves (Juruna), secretário-geral da Força Sindical, os sindicatos defendem que o governo adote fórmulas para melhorar a arrecadação e evitar a retirada de benefícios trabalhistas. Entre as ações, estão o combate à fraude, à evasão de pagamento dos direitos e o aumento da fiscalização.

    "As medidas provisórias retiram, na nossa opinião, os diretos dos trabalhadores. Já estamos em negociação com o governo, então, esta manifestação é uma maneira de demonstrar a insatisfação dos trabalhadores, dos movimentos sociais com essas medidas neoliberais", disse Juruna.

    Na opinião do sindicalista, as medidas provisórias prejudicam classes de trabalhadores mais fragilizadas. "Não basta diminuir o seguro-desemprego, não basta cortar o abono, porque essas medidas acabam prejudicando principalmente aqueles que conseguem empregos de pequena duração e os jovens que estão pegando empregos de muita rotatividade no nosso país", declarou.

    O deputado Paulo Pereira da Silva, também da Força Sindical, disse, sobre a presidente Dilma Rousseff, que "ou ela está doida ou acha que só tem idiota do lado de cá" e chamou as medidas de "maldito pacote de maldades".

    O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou que "nós [as centrais sindicais] não concordamos e achamos que isso é muito prejudicial ao trabalhador".

    Luiz Carlos Mota, presidente da UGT em São Paulo, reclama que o movimento sindical foi pego de surpresa pelas medidas provisórias, pois o assunto não foi discutido com os representantes dos trabalhadores. "Este é o momento em que os trabalhadores estão mostrando para a presidenta Dilma que não podemos retroceder nos direitos trabalhistas, temos que avançar", disse ele.

    Além das medidas provisórias, outra questão levantada por Mota é a pauta trabalhista. "A redução da jornada de trabalho, o fim do fator previdenciário, a correção da tabela do Imposto de Renda são questões que estão afetando o bolso do trabalhador. São reivindicações que temos feito com as centrais sindicais há vários anos. Nunca se mexeu em nada da pauta trabalhista. E agora vem querer mexer na questão do seguro-desemprego, abono, auxílio-doença. Nós não vamos admitir isso não", declarou.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 28.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Dilma promete se empenhar pela reforma politica




     
    O discurso que abriu a primeira reunião ministerial do segundo mandato, ontem, teve o último ponto como o "mais importante", na avaliação de Tereza Cruvinel, colunista do 247; Dilma Rousseff prometeu colocar em debate com a sociedade, já nesse primeiro semestre, o tema da reforma política; "Como, ela não disse, mas só debater é pouco", opina a jornalista, que defende que "Dilma pode e deve fazer muito mais", como reunir o Conselho da República, o que raramente acontece, e "enviar uma proposta"; "Se o Congresso engavetá-la, pior para ele. Ficará mais uma vez claro que os senhores congressistas, entra e sai legislatura, não querem mudar nada neste sistema", afirma; leia a íntegra


    247 – O último ponto do discurso de ontem da presidente Dilma Rousseff aos 39 ministros na Grana do Torto foi o "mais importante" de toda a fala, avalia a colunista do 247 Tereza Cruvinel. Dilma Rousseff prometeu colocar em debate com a sociedade, já nesse primeiro semestre, o tema da reforma política.

    Na opinião da jornalista, porém, "só debater é pouco". "Dilma pode e deve fazer muito mais", defende Tereza, em seu blog. Uma das propostas que Dilma deveria seguir, diz ela, é reunir o Conselho da República, instituição prevista em nossa Constituição como um órgão de aconselhamento da presidência e que raramente se reúne.

    Outra sugestão da jornalista é a de a presidente "enviar uma proposta". "Se o Congresso engavetá-la, pior para ele. Ficará mais uma vez claro que os senhores congressistas, entra e sai legislatura, não querem mudar nada neste sistema que vem encalacrando o país".

    Em um texto publicado hoje sobre o discurso, o Blog do Planalto ressaltou no título: "Presidenta diz que reforma política será prioridade". O destaque é mais uma prova de que o governo pretende dar mais atenção ao tema. "Uma das prioridades do governo neste semestre será estimular o debate e ações pela reforma política no País, demanda de grande expectativa da sociedade brasileira", diz o post


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas