Estatisticas do blog

No momento, 22 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 2029257 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Manobra possibilita o retorno de Hervázio à ALPB e Governo encontra o líder




    Antonio Mineral (PSDB) e Manoel Ludgério (PSD) devem se licenciar da ALPB. Retorno soluciona o problema da ausência de líder da situação na ALPB.

    O suplente de deputado estadual, Hervázio Bezerra (PSB), confirmou o retorno à Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), possivelmente, para ocupar a função de líder da bancada de sustentação ao Governo do Estado. Em contato com a Rádio Arapuan FM, na manhã desta quinta-feira (24), ele afirmou que os deputados Antonio Mineral (PSDB) e Manoel Ludgério (PSD) devem se licenciar da ALPB.

    A manobra favorece também o retorno de Assis Quintans (Democratas), primeiro suplente da coligação PSB, PSDB, DEM e PDT, que, inclusive, já declarou apoio publicamente à pré-candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Hervázio é o segundo suplente na linha de sucessão do grupo partidário.

    Manoel Ludgério deixa a Assembleia após exatos 20 dias do seu retorno. Ele passou os três primeiros anos de mandato ocupando funções na administração estadual. Tempo também que Hervázio ficou fora dos trabalhos na Assembleia Legislativa. O retorno do socialista soluciona o problema da ausência de líder do Governo, na Casa de Epitácio Pessoa.

    Hervázio Bezerra também não descartou a possibilidade de aumentar o número de integrantes na bancada. “Eu diria que nada na vida é impossível, existem algumas conversas no dia a dia que podem mudar essa situação, tanto da bancada da situação quanto da oposição”, disse.
    Ângelo Medeiros
    WSCOM Online


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Gente da minha terra - Coriolano de Medeiros




     João Rodrigues Coriolano de Meideiros (1875-1974)

    Nasceu no sítio Várzea de Ovelha, atual município de Santa Terezinha/PB. Em 1877, fugindo da seca, sua família passou a residir em João Pessoa. Estudou no Lyceu Paraibano e posteriormente cursou até o terceiro ano da Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco. Foi comerciário, comerciante, educador, jornalista, poeta, ensaísta, historiador, romancista e folclorista.

    Coriolano de Medeiros deu uma grande e valiosa contribuição à literatura paraibana. Idealista, fundou um curso de matemática na Associação dos Empregados do Comércio da Paraíba, o qual tornou-se o embrião da futura Academia de Comércio Epitácio Pessoa, oficialmente inaugurada em 1921.

    Coriolano foi sócio fundador do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano e mentor da instalação da Academia Paraibana de Letras, em 1941, sendo seu primeiro presidente. Além de artigos para vários jornais escreveu vários livros, entre eles o Dicionário Corográfico do Estado da Paraíba, em 1914. Encerrou sua carreira de docente em 1948, já sem visão, na Escola Underwood em João Pessoa.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da quinta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Galdino diz que Ricardo Coutinho vai anunciar nome de novo líder até sexta





    O deputado estadual Adriano Galdino (PSB) afirmou que nenhum dos deputados da base recebeu convite para ser líder do governo na Assembleia Legislativa (AL), garantiu que o governador deve anunciar o nome até a próxima sexta-feira e desconversou sobre ‘articulação’ para a volta de Hervazio Bezerra (PSB).
    Em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação nesta terça (22), Galdino apontou que qualquer deputado se sentiria honrado em assumir a liderança, afastando as especulações de que alguns teriam ‘rejeitado’ o pedido do governador, mas afirmou que o convite não foi feito nem para ele, nem para nenhum outro da base.
    Galdino acredita que oposição vai ‘sangrar’ RC, mas deve aprovar contas; ‘reprovar seria um golpe’
    Galdino garantiu que o governador vai anunciar o nome do novo líder até a próxima sexta (25) e preferiu não se posicionar a respeito da bancada andar ‘esfacelada’ nos últimos tempos. “Primeiro vamos esperar a indicação, depois se realmente acontecer, vamos procurar dar nosso melhor para unir essa base”, diz.
    A respeito do aumento da base, o deputado, destacou: “historicamente o governador sempre que quer aumentar sua base e os caminhos e os meios que vocês conhecem mais que eu”, conclui.

    Marília Domingues / Fernando Braz


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Policiais federais pararam nesta quarta-feira




     
    Policiais federais de várias partes do País mostraram mais uma vez força na luta contra a injustiça. Foram várias as formas de protesto. Em alguns locais, os agentes levaram faixas, usaram mordaças, pintaram as mãos de vermelho, vestiram camisetas pretas para demonstrar o tamanho da insatisfação com a situação atual. Vale tudo para acabar com os desmandos que impedem a reestruturação da carreira e a melhoria no trabalho da Polícia Federal.

    Em Brasília, dezenas de policiais federais se reuniram próximo ao Ministério da Justiça para mostrar a "insatisfação nacional dos policiais frente ao descaso do governo." Segundo o presidente do Sindipol-DF, Flávio Werneck, a categoria já apresentou 40 projetos para o governo, mas nenhum foi levado ao Congresso.No Rio Grande do Sul, a categoria se empenhou para chamar a atenção das autoridades e da população. Um dos protestos ocorreu em Porto Alegre, no aeroporto. Os policiais colocaram um elefante branco inflável de cerca de dois metros de altura na saída do desembarque do terminal. Os agentes, escrivães e papiloscopistas também distribuíram panfletos e estenderam faixas.

    No Paraná, em Curitiba, a mobilização foi em frente ao Diretório do Partido dos Trabalhadores. O presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná, Fernando Vicentine, esteve lá para entregar um ofício com diversas reivindicações da categoria. Agentes de Ponta Grossa e Londrina também aderiram ao protesto. Em Foz do Iguaçu, houve uma caminhada e os manifestantes se concentraram em frente à delegacia da Polícia Federal da cidade. Usando mordaças e com as mãos pintadas de vermelho, eles denunciaram o sucateamento do órgão e o descaso e desrespeito com a segurança pública. A fiscalização e o controle de migração na Ponte Internacional da Amizade, entre o Brasil e o Paraguai, está sendo mantida por apenas dois policiais federais.

    No Mato Grosso do Sul, em Dourados, os agentes também paralisaram as atividades durante todo o dia. Agentes, escrivães e papiloscopistas da delegacia da Polícia Federal pintaram as mãos de vermelho simbolizando o sangue dos policiais mortos. Em Minas Gerais, a mobilização ficou concentrada em Belo Horizonte, onde dezenas de agentes fizeram um protesto em frente à sede da superintendência regional.

    Já em Recife, Pernambuco, a mobilização foi no Aeroporto. Os policiais usaram mordaças e distribuíram panfletos.No Rio Grande do Norte, os policiais se concentraram em frente à sede da PF em Natal. Eles pintaram as mãos de vermelho para simbolizar o sangue derramado por causa da insegurança no país". Apesar da paralisação de 24h, o sindicato afirma que o atendimento ao público não será afetado. Serviços como emissão de passaportes, fiscalização nos aeroportos seguem normalmente. Apenas as investigações de longo prazo não serão realizadas durante o protesto.Em Sergipe, um elefante branco foi usado para chamar a atenção de quem passava em frente à sede da PF, em Aracaju. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Sergipe, Durvalino Xavier Nascimento Filho, o elefante simboliza a ineficiência dos inquéritos policiais. “Cerca de 96% das informações que chegam na PF não são apuradas. Isso impede que as denúncias cheguem ao Ministério Público”, informou.

    No Pará, em Belém, os serviços essenciais, como a emissão de passaporte e fiscalização nos aeroportos, continuam funcionando. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Estado do Pará, Roger Barros Rezegue, a principal cobrança da categoria é sobre o projeto de reestruturação da carreira, que estaria parado desde 2010. Ainda segundo o presidente do sindicato, os policiais esperam uma resposta antes da Copa do Mundo. “Caso não haja resposta até meados de maio, vamos deliberar para aprovar ou não a greve durante a Copa”, afirma Rezengue.
    Já em Roraima, 70% do efetivo local participa da mobilização. O ato foi em frente à Assembleia Legislativa de Roraima. "Pela quinta vez paralisamos as atividades para pedir a reestruturação das carreiras. Dessa vez decidimos fazer uma panfletagem no Centro, para mostrarmos à sociedade qual é a atual situação dos policiais federais", afirmou Luiz Barroso, presidente do Sinpofer.

    No Rio de Janeiro e em São Paulo, os protestos estão agendados para acontecer na semana que vem.

    Na avaliação do presidente da Fenapef, Jones Leal, a mobilização foi positiva. “Mais uma vez ficou evidente a insatisfação geral da categoria que novamente foi às ruas para lutar pela reestruturação da carreira”, disse.

    O presidente da Federação não descartou a possibilidade de uma greve geral que pode sim durar até a Copa. Dois estados do Nordeste já querem parar as atividades a partir do dia 15 de maio, demonstrando que o movimento está cada vez mais forte e que a luta só terminará com a vitória da categoria.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Ex-deputado Pedro Correia é autorizado a usar tornozeleira e trabalhar fora do presídio




     
    Ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), após ser condenado na Ação Penal 470, conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista em uma clínica no município de Garanhuns, agreste pernambucano; contra sua vontade, usará tornozeleira fora do presídio

    Pernambuco 247 – O ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista. O ex-parlamentar, condenado durante o processo do 'mensalão', deve trabalhar durante o comprimento da pena de sete anos e dois meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A decisão foi dada pelo juiz titular da 1ª Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha, e anunciada no Fórum Rodolfo Aureliano.

    A clínica que receberá Corrêa é situada na cidade de Garanhuns, no Agreste pernambucano. O expediente será de segunda a sexta-feira, das 8h até as 17h30, com horário de 8h até o meio-dia no sábado e salário de R$ 2,5 mil. O uso da tornozeleira ao sair do cárcere foi mantido pelo juiz, apesar da alegação de constrangimento realizada pelo ex-parlamentar. O pedido realizado por Corrêa para estudar também foi negado.

    Preso desde o final do ano passado, Corrêa cumpre pena após ser condenado durante o julgamento da Ação Penal 470, realizada pelo Supremo Tribunal Federal. O pedido de trabalho externo havia sido realizado pela defesa do ex-parlamentar há mais de três meses.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Senado aprova indenização de R$ 25 mil para soldados da Borracha




     
    Moreira Mariz/Senado: No exercício da Presidência do Senado, o senador Jorge Viana (PT-AC) comunica a aprovação da proposta (PEC 61/13) que estabelece indenização de R$ 25 mil e aumenta o valor da pensão dos chamados
    Seringueiros que foram para a Amazônia durante a 2ª Guerra Mundial, convocados pelo governo, ou suas famílias, terão direito a receber R$ 25 mil da União por sua contribuição ao país na extração da matéria-prima para a produção de borracha; relator da matéria, senador Aníbal Diniz (PT-AC), esclareceu que o texto aprovado mantém a indenização, mas retira da proposta original o artigo que estabelecia a pensão vitalícia dos soldados da borracha em R$ 1,5 mil
    23 DE ABRIL DE 2014 ÀS 21:13

    Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil

    Os senadores dos estados situados na região amazônica comemoraram hoje (23) a aprovação em dois turnos, no plenário do Senado, da proposta de emenda à Constituição (PEC) que institui indenização aos chamados soldados da borracha. Os seringueiros que foram para a Amazônia durante a 2ª Guerra Mundial, convocados pelo governo, ou suas famílias, terão direito a receber R$ 25 mil da União por sua contribuição ao país na extração da matéria-prima para a produção de borracha.

    O relator da matéria, senador Aníbal Diniz (PT-AC), esclareceu que o texto aprovado mantém a indenização, mas retira da proposta original o artigo que estabelecia a pensão vitalícia dos soldados da borracha em R$ 1,5 mil. Atualmente, eles recebem pensão equivalente a dois salários mínimos, o que resultaria em valor superior ao proposto na PEC, a partir do ano que vem. Dessa forma, o relator optou por acatar emenda que suprime o artigo referente à pensão vitalícia e manter apenas a parte consensual sobre o valor da indenização, permitindo que a PEC seja parcialmente promulgada imediatamente.

    "Como ficou claro na tramitação da matéria, tanto na Câmara dos Deputados como nesta Casa, há grande dificuldade em ampliar o valor da pensão hoje paga aos soldados da borracha, tendo em vista a impossibilidade de o Tesouro arcar com esse reajuste. Assim, introduzir qualquer alteração nesse sentido acabaria sendo contraproducente, provocando polêmica e atraso na tramitação da matéria, com a probabilidade de, ao final, não gerar resultados", explicou o relator no parecer.

    A decisão de não modificar o valor da pensão vitalícia provocou protestos de outros senadores da região amazônica, que esperavam que o benefício fosse revisto para mais. "É preciso esclarecer e deixar isto aqui bem claro: o povo do Acre esperava muito mais, o que nós esperávamos era que fosse reconhecido o trabalho desses verdadeiros guerreiros que dedicaram toda sua vida pelo nosso estado e principalmente pela região amazônica", disse o senador Sérgio Petecão (PSD-AC).

    O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), defendeu a manutenção da vinculação da pensão com o salário mínimo. Ele considerou que estabelecer um valor fixo poderia significar a redução do valor proporcional no futuro. "Estamos votando a indenização de R$ 25 mil e, mantendo o texto constitucional que vincula ao salário mínimo, dois salários mínimos para a pensão especial do soldado da borracha. Isso é importante porque, ao longo do tempo, sem a vinculação prevista na Constituição, haveria a corrosão do poder de compra desses poucos brasileiros que fizeram muito pelo nosso país e pela nossa região", disse.

    Ao fim, a votação foi unânime pela aprovação da matéria, com 57 votos favoráveis, nenhum contrário e sem abstenção. Posteriormente, uma sessão solene com a participação dos seringueiros ou dos parentes diretos será convocada para marcar a promulgação da PEC.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Ministra Rosa Weber atende oposição e define CPI restrita




     
    A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar pedida por parlamentares da oposição, definindo que a CPI sobre a Petrobras deverá ser restrita aos temas da estatal, como a compra da refinaria de Pasadena; ficam de fora, portanto, pontos como o escândalo Siemens-Alstom, que envolve a compra de trens pelo metrô de São Paulo; oposição ainda pode recorrer ao plenario para reverter o jogo

    André Richter - Repórter da Agência Brasil
    A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (23) que o Senado instale comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar exclusivamente a Petrobras.

    Rosa Weber atendeu a pedido da oposição e rejeitou ação dos governistas, que propuseram investigações também nos contratos dos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal, supostas irregularidades no Porto de Suape (PE) e suspeitas de fraudes em convênios com recursos da União, além das denúncias sobre a Petrobras.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Suzane von Richthofen não pode sair de regime fechadoLaudo recomenda que jovem não vá para o regime semiaberto em SP





    Novo exame criminológico encomendado pela Justiça de São Paulo concluiu neste mês que Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por mandar matar os pais em 2002 na capital, ainda não está apta a progredir do regime fechado para o semiaberto, como quer a sua defesa. A informação foi apurada pelo G1.
    Procurados nesta quarta-feira (23) pela equipe de reportagem, os advogados de Suzane disseram que não comentariam o exame criminológico por "questão de ética e sigilo profissional" e porque também não foram comunicados pela Justiça sobre a realização do novo teste.

    A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) confirmou nesta manhã que o laudo criminológico acabou anexado ao pedido de progressão de regime e foi encaminhado ao Fórum de Taubaté, no interior do estado. Lá, a juiza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1ª Vara das Execuções criminais irá analisá-los. A magistrada decidirá se a presa continuará detida 24 horas por dia em Tremembé ou poderá sair de lá para trabalhar pela manhã, voltando à noite para dormir. Até esta manhã, ela não havia recebido os documentos. TJ não informou o resultado do teste.

    De acordo com a apuração do G1, o exame criminológico mostrou que Suzane não se arrependeu totalmente do crime que cometeu, nem tem planos para o futuro ou sequer fez curso profissionalizante na cadeia. O documento é assinado pelo psiquiatra forense Guido Palomba.

    Apesar de Suzane ter bom comportamento na prisão, o especialista alegou que ela deixou de preencher outros requisitos necessários e fundamentais para ter direito à progressão. Procurado pela equipe de reportagem, Palomba não quis comentar o assunto alegando que o caso está sob segredo judicial. O pedido de progressão de regime foi feito pela defesa de Suzane à Justiça. Seus advogados, Denivaldo Barni e Denivaldo Barni Júnior, enalteceram, por exemplo, o bom comportamento da cliente e pareceres psicológicos favoráveis, produzidos nos últimos anos.

    O habeas corpus que pede a progressão de regime foi analisado em fevereiro deste ano pelo desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Como os documentos psicológicos sobre Suzane não possuíam uma análise psiquiátrica, o magistrado então determinou a realização de exame criminológico complementar. E que o resultado fosse encaminhado a Taubaté.

    Instituído pela Lei de Execução Penal de 1984, o exame criminológico pode ser feito por psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais do sistema prisional a pedido da Justiça. O objetivo é avaliar se o preso tem condições ou não de receber a progressão de regime.

    Cogan indicou Palomba para submeter Suzane ao novo exame. O psiquiatra chegou a procurar a presa na penitenciária feminina de Tremembé para entrevista-la, mas ela se negou a falar. Diante disso, o especialista realizou então um exame indireto. Ele analisou documentos relacionados a sentenciada para auxiliar o embasamento de seu laudo.

    Ele concluiu que Suzane teve respostas negativas às questões relacionadas à ‘arrependimento e remorso’, ‘planos para o futuro’ e ‘profissionalização dentro do sistema carcerário’. A presa teve ponto positivo, no entanto, no bom comportamento. Mas na opinião do psiquiatra, isso não foi determinante já que se trata de uma obrigação para quem está encarcerado.

    Nos documentos verificados para elaboração do parecer psiquiátrico, Suzane teria dito que se arrependia parcialmente pelo assassinato dos pais, não tinha planos para o futuro e nem havia buscado uma profissão dentro da prisão.

    Desde 2009, os defensores de Suzane tentam na Justiça a progressão para ela, mas sempre tiveram solicitações negadas por diversos tribunais. Por meio de nota, o TJ informou que “foi determinado exame psiquiátrico -- este, especificamente, pois ficou faltando no exame criminológico realizado na sentenciada. Com a vinda do laudo, o processo provavelmente estará pronto para decisão do pedido de progressão de regime”.

    Questionada pela equipe de reportagem, a assessoria do Ministério Público também confirmou a realização do exame criminológico. Um promotor irá se manifestar sobre o pedido de progressão, sugerindo à Justiça se Suzane deverá continuar em regime fechado ou ganhar o semiaberto.

    Defesa

    Em seu pedido de progressão de regime ao TJ, a defesa de Suzane alegou que “a paciente suporta constrangimento ilegal em razão do excesso de prazo para o julgamento do pedido de progressão, afrontando o princípio da celeridade processual e razoabilidade”. Segundo o advogado, há registros de "ótima conduta carcerária" por parte de Suzane.

    De acordo com a defesa, os pedidos de progressão foram feitos em março, maio e junho de 2013, quando “foi determinada a realização de exame criminológico, o qual apresentou parecer favorável à progressão.”

    Apesar disso, os advogados informaram que em outubro de 2013 “foi determinada a realização do teste de Rorschach, cujo laudo foi apresentado em dezembro de 2013, sendo reiterado o pedido de progressão, estando os autos conclusos desde 22 de janeiro”.

    Os defensores “sustentam, ainda, que a paciente reúne os requisitos subjetivos, eis que exerce atividades laborativas, tendo recebido voto de elogio por sua dedicação e presteza.”

    Além do pedido de progressão de regime, os advogados Denivaldo Barni e Denivaldo Barni Júnior, defensores de Suzane, pediram segredo de Justiça do caso. O desembargador Cogan decretou então o segredo de justiça “em razão da profundidade da análise da paciente.”


    G1


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Câmara Municipal vota nesta quinta-feira a criação de nova secretaria para a Prefeitura de João Pessoa




    Votação estava prevista para esta quarta | |
    A Câmara Municipal de João Pessoa vota nesta quinta-feira (24) a transformação do Procon da Capital em secretaria. A votação estava prevista para esta quarta, mas no momento em que o quorum foi verificado em plenário faltavam dois vereadores para viabilizar a votação.

    A transformação do Procon em secretaria está sendo feita para que o vereador Helton Renê assuma o comando da pasta. Os vereadores só podem deixar o mandato para assumir uma secretaria.

    No momento em que a secretaria iria ser votada 12 vereadores estavam em plenário e era preciso 14 para a realização da votação.

    O líder do governo na Casa, Marco Antônio, disse que a votação não deve ter problemas e acredita que a unanimidade dos vereadores aprovem a mudança.


    MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Aécio deu carta branca para o PSDB-PB 'rifar' Cícero, diz colunista de O Globo




    Colunista ainda revelou condicionante, caso Aguinaldo Ribeiro venha a ocupar a vaga de senador na chapa.

    Coluna Panorama Político, publicada nesta quarta-feira (Crédito: Reprodução / O Globo.com.br)
    O jornalista Ilimar Franco, signatário da Coluna “Panorama Político”, do jornal O Globo, publicou nesta quarta-feira (23), que o senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB) teria autorizado o senador Cássio Cunha Lima a montar a chapa majoritária para Governo do Estado, com a inclusão de outros partidos e a exclusão do também senador Cícero Lucena. A decisão ocorreu na reunião da Executiva Nacional, na terça-feira (22), em Brasília.

    Segundo o colunista, o senador Cássio chegou a se queixar a Aécio de declarações proferidas por Cícero na imprensa paraibana, durante a reunião. Ele também defendeu que a única vaga destinada ao Senado na chapa a tucana fosse ocupada por candidato de outra legenda, a exemplo do PP, do ex-ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro ou ao PTB, do ex-senador Wilson Santiago.

    “Cássio disse, na reunião da Executiva nacional, que só poderia ser candidato, garantindo palanque para Aécio, se a vaga ao Senado pudesse ser oferecida para outro partido. O tucano está negociando com o PP e o PTB e reclamou de declarações do senador Cícero Lucena na imprensa regional. O problema é que o correligionário quer ser candidato à reeleição. O PSDB local, mesmo diante da divergência, negocia com o ex-ministro Aguinaldo Ribeiro, do PP, e com o ex-senador Wilson Santiago, do PTB”, diz o colunista.

    Ilimar Franco ainda revelou um fala de Cássio Cunha Lima, possivelmente, ocorrida durante a reunião da Executiva, sobre a possibilidade de compor chapa com Aguinaldo Ribeiro. “Caso o ex-ministro Aguinaldo Ribeiro seja nosso candidato ao Senado faremos como em 2010. Eu pedi votos para o Serra e o governador Ricardo Coutinho (PSB) para a Dilma”, teria dito o senador.

    Wscom.com.br




    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Lucas de Brito defende decisão colegiada no DEM para 2014 e diz que aguarda convocação




    O vereador Lucas de Brito destacou, nesta quarta-feira (23), que aguarda
    uma convocação do Democratas para que a legenda possa decidir sobre o
    posicionamento adotado nas eleições de 2014. O parlamentar afirma que
    lhe havia sido assegurado o direito ao voto nas decisões colegiadas e
    lembrou que esta é a postura mais democrática a ser adotada pelo
    partido.

    “Se a decisão for tomada com a minha participação, no âmbito do
    colegiado do qual participo, seguirei a maioria. Mas, se não tiver o
    direito de participar da decisão eu vou seguir o que o meu eleitorado
    orientar”, frisou o vereador ao considerar importante a discussão
    interna sobre as possibilidades do DEM no próximo pleito.
    O democrata ressaltou ainda que acredita da superação das divergências
    partidárias. “Acredito que o Democratas conseguirá chegar a um consenso,
    sem que haja prejuízo na união da legenda ”, finalizou.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Senar participa do Ação Global em Santa Rita




     Evento promove atividades de cidadania, cultura, saúde e lazer

    Começou nesta terça-feira (22), na cidade de Santa Rita, a edição 2014 do projeto Ação Global. O evento, uma parceria entre a Rede Globo e o Serviço Social da Indústria (Sesi), é realizado no Ginásio Renatão, além de ações na Praça do Povo e em indústrias e escolas municipais. Até o próximo sábado (26), o projeto promove atividades de cidadania, cultura, saúde e lazer.

     

    O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba (SENAR-PB) participa do evento com a realização de dois treinamentos. O primeiro, Fabricação de Geleias – Goiaba e Abacaxi terá o amparo da Usina São João, onde acontece o treinamento. Já o treinamento de Fabricação de Compotas – Abacaxi e Mamão acontece na Usina Miriri. Ambas as ações têm carga horária de 24 horas/aula.

    Segundo a assessora de planejamento e projetos especiais do Senar-PB, Véra Figueiredo, a participação do Senar-PB no Ação Global 2014 foi possível graças a parceria que o Sesi firmou com as indústrias locais. “Devido a divergências políticas que acontecem no município de Santa Rita atualmente o Sesi procurou o setor privado para garantir o sucesso do evento. E o Senar-PB acaba se beneficiando dessa parceria, pois a estrutura dessas instituições possibilitam uma melhor dinâmica na capacitação”, explica ela.

     

    O superintendente do Senar-PB, Sérgio Martins, participa do evento no Dia D, próximo sábado (26), representando a entidade. Para ele o projeto garante acesso a serviços importantes à população. “O evento facilita o acesso a direitos que são essenciais a todos. Em um mesmo dia e local, é possível emitir documentos e receber atendimento médico e odontológico. Toda essa cidadania acontece paralelamente a atividades de lazer, educação e esporte. O SENAR-PB soma ainda mais a estes serviços e oferece oportunidades de conhecimento e capacitação para as pessoas do meio rural, fazendo o evento ainda mais proveitoso”, analisa o superintendente.

    Ainda no Dia D, o Senar-PB montará um stand para demonstração e degustação ao público dos produtos que foram produzidos durantes os dois treinamentos.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Veneziano, Vital e Nilda Gondim se reúnem com cúpula nacional do PMDB para discutir candidatura e alianças na Paraíba




    O pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado da Paraíba nas Eleições 2014, Veneziano Vital do Rêgo, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e a deputada federal Nilda Gondim (PMDB/PB) estiveram reunidos na noite desta terça-feira (22) com a cúpula do PMDB nacional, em Brasília. O objetivo do encontro foi discutir estratégias do partido visando o fortalecimento da pré-candidatura de Veneziano.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 23.04.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Cássio admite Cícero para Câmara Federal e Ruy para deputado estadual




     Cássio admite Cícero para Câmara Federal e Ruy para deputado estadual
    Senador afirmou que não será problema em abrir mão da disputa ao Governo do Estado se o partido decidir que prefere priorizar a reeleição do senador
    Eleições | Em 23/04/14 às 12h23, atualizado em 23/04/14 às 12h55 | Por Hermes de LunaImprimirEnviar notícia
    Reprodução/ Mano de Carvaho

    Cássio Cunha Lima
    O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), em entrevista exclusiva ao programa Correio Debate, da 98FM, nesta quarta-feira (23), afirmou que a Executiva Estadual decidirá se quer priorizar a eleição de um governador ou de um senador. Ele disse que o partido não está descartando Cícero Lucena, mas que o senador, deixando de disputar a reeleição, pode ser candidato a deputado federal.

    Cássio também admitiu, pela primeira vez, a possibilidade de Ruy Carneiro abrir mão de disputar a reeleição de deputado federal, abdicar a pretensão de ser candidato a vice-governador e ser lançado a deputado estadual. "Essa possibilidade está sendo cogitada. É preciso ter pré-condições de fazer uma campanha. Tudo isso está sendo avaliado. É natural que os partidos procurem somar alianças e ter as coligações e apoio nos municípios. Essa possibilidade não está confirmada, mas não está descartada", afirmou.

    O senador afirmou que não será problema em abrir mão da disputa ao Governo do Estado se o partido decidir que prefere priorizar a candidatura à reeleição de Cícero. "Eu não estou fazendo política com o estômago. Faço política com a cabeça. Esse não é uma proposta pessoal, mas um projeto partidário", disse.

    Cássio citou casos pelo país de eventuais candidatos à reeleição ao Senado que abriram mão para disputar mandatos de deputado federal, como Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Sérgio Guerra (PMDB-PE) e Eduardo Azeredo (PSDB-MG). Lembrou ainda que o seu pai, Ronaldo Cunha Lima, teria "uma eleição absolutamente tranquila em 2002 e abrir espaços para disputar mandato de deputado federal, para atrair o DEM de Efraim Morais".

    O senador disse que na reunião da Executiva Nacional do PSDB, nesta terça-feira (22), em Brasília (DF), relatou as consultas aos filiados e as dificuldades de compor aliança e somar tempo de televisão se formar chapa exclusivamente partidária. "Na instância estadual o PSDB também vai deliberar sobre isso. Já se foi o tempo em que tínhamos hegemonia estadual para deliberar para chapa própria", comentou. "O partido vai deliberar se deseja ter uma candidatura ao Governo ou se prefere uma candidatura ao Senado Federal. As duas, na minha opinião, não têm chances".

    Cássio ainda colocou que, em conversas anteriores, o senador Cícero sempre deixou claro que a prioridade seria a candidatura ao Governo e que não seria problema para fazer composição. "De forma legítima, o senador apresenta sua candidatura à reeleição. É preciso analisar as chances reais se ficarmos em um isolamento partidário. Decisão não é minha, mas é a que compete à Executiva Estadual, com crivo da Executiva Nacional", disse.

    Para Cássio Cunha Lima, o PSDB tem que compreender que não pode ocupar as duas vagas na chapa. "É difícil ocupar as duas. Eu não tenho dificuldade nenhuma em seguir as decisões partidárias, se for o caso", frisou.

    Ele também garantiu que não existe decisão sobre definição do seu companheiro de chapa, na condição de candidato a vice-governador. Disse que o nome do ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PEN), pode ser analisado, mas não tem definição. "É uma força extraordinária para qualquer posição e está apto a fazê-lo, pelo homem público e pelo trabalho que realizou na Prefeitura de João Pessoa", observou.

    Cássio argumentou que é preciso olhar para as questões práticas da eleição, como tempo de televisão e chances de eleição das bancadas estadual e federal. Ele ainda confirmou as conversas com outras legendas, além do PTB de Wilson Santiago, como o Solidariedade, PSC e Pros. "Somar é uma equação óbvia", concluiu.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas