Estatisticas do blog

No momento, 13 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 2472864 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da terça - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    William Bonner é apontado como pivô da queda de Patricia Poeta




     João Cotta/TV Globo
    William Bonner e Patrícia Poeta durante entrevista a Marina Silva na bancada do Jornal Nacioanl

    Por DANIEL CASTRO, em 15/09/2014 · Atualizado às 21h14 A versão oficial da Globo de que já estava previsto que Patricia Poeta ficaria apenas três anos como apresentadora do Jornal Nacional não foi digerida nos bastidores da própria emissora. Para jornalistas da Globo, Patrícia não saiu do JN; ela caiu. E todos os dedos apontam para William Bonner como o principal articulador da queda de Poeta, que, especula-se na emissora, deverá comandar um programa vespertino de variedades em 2015.

    Nos bastidores da Globo, é notório que Bonner nunca digeriu o fato de ter que aceitar Poeta como colega de bancada, em 2011, no lugar de Fátima Bernardes. Poeta, segundo essa versão dos fatos, foi imposta por Amaury Soares, diretor de programação da Globo, marido da jornalista. Não teria sido uma escolha de Bonner.

    Na Globo, há quem enxergue um processo de fritura de Patricia Poeta, que fez Bonner mero coadjuvante durante a Copa do Mundo. Coincidentemente, sua saída do JN foi anunciada nove dias depois de vazar a notícia de que ela está comprando um apartamento de R$ 23 milhões em Ipanema, bairro nobre do Rio.

    O problema não é o valor do imóvel. Mas o vendedor: George Sadala, nome que o noticiário político relaciona à CPI do bicheiro Carlinhos Cachoeira e a oposição ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, coloca na "Gangue dos Guardanapos".

    A justificativa oficial da Globo de que a saída de Patricia Poeta estava planejada havia três anos não combina com a tradição da emissora de manter jornalistas durante muito tempo ocupando os mesmos cargos. William Bonner, por exemplo, está há 18 anos à frente do JN. Fátima Bernardes ficou 13 anos no telejornal.

    O maior indício de que Patricia foi "expulsa" do JN em plena campanha eleitoral vem da substituta de Renata Vasconcelos, que deixará o Fantástico para assumir o principal telejornal do país.

    Poliana Abritta, a nova apresentadora do Fantástico, acaba de ser designada correspondente da Globo em Nova York. Ela nem chegou a estrear no posto. Foi para a cidade americana em julho e voltou na semana passada. Nesta terça, já começa a dar expediente na revista eletrônica semanal.

    A Globo, no entanto, sustenta que a estadia de Abritta em Nova York seria apenas até novembro e que ela voltou antes porque seus filhos não se adaptaram aos Estados Unidos.


    --------------------------------------------------------------------------------


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    TSE deve concluir julgamento do processo de Cássio nesta terça-feira




     

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma nesta terça-feira (16) o julgamento do Recurso Ordinário Nº 56635 impetrado pela presidente do PRP, Maria da Luz Silva, por Rafael de Lima Rodrigues, Coligação "A Força do Trabalho", e pelo Ministério Público Eleitoral contra o registro de candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Governo da Paraíba.

    Por maioria de quatro votos, a candidatura de Cássio já foi mantida porque apenas três ministras ainda não se pronunciaram.

    Já votaram a favor de Cássio o ministro relator do processo, Gilmar Mendes, e os ministros Dias Tóffoli, João Otávio Noronha e Tarcísio Vieira de Carvalho Neto.

    No último dia 11 o ministro Gilmar Mendes terminou a leitura de seu voto e referendou o entendimento do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, considerando que Cássio é elegível porque o prazo de inelebilidade começaria a contar a partir do primeiro turno das eleições.

    Gilmar leu trecho do voto do relator do processo no TRE, juiz Rudival Gama, e votou pela confirmação do registro do senador tucano, negando provimento ao recurso.

    "Eventual realização de segundo turno não pode ser considerada marco inicial e consistiria em inconstitucionalidade acatar o recurso dos recorrentes", disse Gilmar.

    A ministra Luciana Lóssio, responsável pelo pedido de vistas, e as ministras Rosa Weber e Thereza de Assis Moura devem proferir seus votos hoje.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Marina abre fogo contra Lula





    Por Wanderley Preite Sobrinho | 15/09/2014 18:39
    "Estou fazendo debate com Dilma e Aécio. Não vou fazer embate nem com eles, nem com seus auxiliares", disse Marina
    Em um de seus discursos mais longos e inflamados nesta campanha, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, falou grosso contra a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta segunda-feira (15) em São Paulo.


    Wanderley Preite Sobrinho/iG
    Marina Silva participou de evento em São Paulo que debateu propostas para a área cultural Questionada sobre nova crítica do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disse que a neosocialista pode perder seu programa de governo em razão de sua suposta instabilidade, Marina respondeu provocando:

    “Estou fazendo debate com Dilma e Aécio. Não vou fazer embate nem com eles, nem com seus auxiliares”, disparou num encontro com artistas.

    No mesmo ato, Marina defendeu sua fé, mas disse que a eleição generaliza evangélicos ao assegurar que prefere fazer campanha para um candidato ateu a um evangélico em quem não acredita.

    Veja o perfil de Marina Silva

    Em um discurso de 40 minutos, a candidata do PSB voltou se dizer vítima de “acusações infundadas” de seus adversários, que estariam fazendo dela uma verdadeira “exterminadora do futuro” ao insinuar que, ganhando a campanha, ela acabaria com o Bolsa Família, o pré-sal e o Minha Casa Minha Vida, programas federais de sucesso.

    Para uma plateia de simpatizantes, se comparou aos pacifistas Martin Luther King, Mahatma Gandhi e Nelson Mandela ao dizer que não vai fazer com Dilma o que estaria recendo do PT. “A senhora [Dilma] não terá de mim o que estou recebendo de você”, afirmou antes de dizer que a presidente obedece a marqueteiros quando decide criticá-la. “Podem vir com mil marqueteiros que eu não vou atacar nem ela, nem Aécio.”

    Estado laico

    Para uma plateia composta por artistas, a pessebista tentou se descolar de candidatos evangélicos tradicionais, ao defender o Estado laico e dizer que a campanha eleitoral está misturando os perfis de evangélicos. “Pelo fato de eu ser evangélica, as pessoas pegam os excessos de alguns para generalizar”, disse. “O Estado é laico para proteger o meu direito de não negar a minha fé e o de você não ter fé.”

    Para exemplificar, disse que, em 2010, trabalhou para eleger o ateu Fernando Gabeira prefeito do Rio de Janeiro. “Eu estava elegendo um prefeito laico porque ele era o melhor, embora tivessem candidatos evangélicos.”


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Trócolli denuncia aumento na contratação de pessoal pelo prefeito de Cabedelo e cobra providências do MP-PB




    Trócolli denuncia aumento na contratação de pessoal pelo prefeito de Cabedelo e cobra providências do MP-PB

    O deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) repudia aumento na folha de pessoal do município de Cabedelo, que na atual gestão teve o número de contratados triplicado e os gastos com comissionados duplicados. Trocolli classifica de inadmissível que, enquanto a população sofre com o caos na saúde, o prefeito Leto Viana beneficie apadrinhados com contratos e nomeações.

    “Na semana passada nós voltamos a denunciar na Assembleia Legislativa algo que tem feito o cabedelense sofrer: o caos na saúde. As péssimas condições do hospital municipal já vinham sendo denunciadas por nós nessa Casa sem que nenhuma providência fosse tomada pela gestão atual. Agora, nós nos deparamos com esse absurdo que é o inchaço da folha de pessoal. Atualmente, segundo dados do Tribunal de Contas, somente com comissionados, o prefeito Leto Viana está gastando R$ 1,6 milhão, por mês. Enquanto isso o hospital da cidade não tem a menor condição de atender a população chegando, inclusive, a ser interditado na semana passada”, lamentou Trócolli.

    Os dados sobre a folha de Cabedelo foram publicados no portal MaisPB e revelam que, em janeiro, a prefeitura tinha uma despesa de R$ 814 mil com os comissionados, mas em junho os gastos passaram para R$ 1,6 milhão. Neste período, o prefeito Leto Viana passou de 243 para 334 o número de comissionados em sua gestão.

    Já as contratações “por excepcional interesse público” na cidade portuária mais que triplicaram. Em janeiro, a Prefeitura contava com 231 pessoas contratadas, em junho deste número foi elevado para 875. A despesa com o pessoal contratado, que no início do ano não chegava a R$ 155 mil, passou para mais de R$ 945 mil no meio do ano.

    Trócolli cobrou providências dos órgãos fiscalizadores da gestão pública e apelou para a interferência do Ministério Público Estadual (MPPB), que sempre tem apurado esse tipo de denúncia e feito com que gestores sejam punidos. “Tenho certeza que o Ministério Público não vai se furtar em investir esse crescimento exorbitante na folha de pessoal de Cabedelo. É preciso uma investigação minuciosa desse crescimento no número de comissionados e contratados. O povo quer e merece uma explicação e eu, como deputado, vou correr atrás dessa resposta para os cabedelenses, que sabem que podem contar com minha voz ativa na Assembleia”, ressaltou.

     

    Fonte: PBHOJE


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    João Pessoa das antigas - Fotos




    Hoje Energiza Cultural Hoje Energiza Cultural



    Maciel Pinheiro
    Maciel Pinheiro

    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Valores de doações de campanha já somam R$ 1 bilhão




     Os 19 maiores financiadores de campanha respondem por metade do valor doado até agora por empresas e indivíduos na eleição deste ano. As contas de partidos, comitês e candidaturas em todo o País receberam desses 19 grupos privados R$ 522 milhões do total de R$ 1,040 bilhão vindo de contribuições de pessoas físicas e jurídicas até agora.

    Esses valores são todos de origem privada e calculados após levantamento que elimina distorções ou eventuais erros cometidos pelas candidaturas. Somando-se o que vem do Fundo Partidário, cuja origem são recursos públicos, o dinheiro que circulou até agora nas campanhas supera R$ 1,138 bilhão. E isso é só o começo. O montante de R$ 1,040 bilhão refere-se ao que foi declarado por candidatos a presidente, governador, senador e deputado federal e estadual ou distrital até 6 de setembro. Como se trata de uma prestação de contas parcial, não é possível comparar com o que foi arrecadado na eleição de quatro anos atrás.

    A concentração das doações é significativa. São quase 29 mil doadores até agora, mas 2 de cada 3 reais arrecadados pelas campanhas vieram dos 100 maiores doadores. Sozinho, o maior deles, o Grupo JBS, doou até agora R$ 113 milhões, ou 11% do total doado. Dona de marcas como Friboi, Swift e Bertin, o grupo tem outras empresas que também doaram, como Seara e Flora Higiene-Limpeza.

    O PT foi o partido que mais recebeu da JBS: R$ 28,8 milhões — ou 1 de cada 4 reais doados pela empresa. O PSD ficou em segundo lugar, com R$ 16 milhões, e o PMDB, em terceiro, com R$ 14 milhões. Entre todos os candidatos, a maior beneficiada pelas doações da JBS foi a presidente Dilma Rousseff.

    O setor de alimentação tem uma outra grande doadora. O grupo Ambev — dono de marcas como Brahma, Antarctica e Skol — aparece em quarto lugar no ranking, com R$ 41,5 milhões doados. O dinheiro foi recebido principalmente por candidatos e comitês do PMDB (R$ 12 milhões), PT (R$ 11 milhões) e PSDB (R$ 8 milhões). O setor financeiro tem 2 das 10 maiores doadoras. O grupo Bradesco está em sexto, somando R$ 30 milhões em contribuições vindas de empresas como Bradesco Vida e Previdência, Bradesco Saúde e Bradesco Capitalização, entre outras. O conglomerado deu, até agora, R$ 9,4 milhões para o PSD, R$ 8,7 milhões para o PT, R$ 6,7 milhões para o PMDB e R$ 5,2 milhões para o PSDB.

    Leia mais notícias de Eleições no Portal R7

    O banco BTG Pactual e sua administradora de recursos doaram R$ 17 milhões e estão em décimo lugar na classificação geral. PT e PMDB foram os beneficiários de quase 80% desse dinheiro.

    O protagonismo desses dois bancos e a atuação de outras empresas do setor que costumam colaborar financeiramente com as campanhas políticas não chega a superar o destaque das empreiteiras na lista de doações para partidos, comitês e candidaturas. Juntas, as construtoras contribuíram com quase R$ 300 milhões, ou 30% do total arrecadado até agora.

    Dos dez maiores doadores da atual campanha, cinco são grupos empresariais que tiveram origem no ramo da construção. São os casos da OAS (2º maior), Andrade Gutierrez (5º lugar), UTC Engenharia (7º), Queiroz Galvão (8º) e Odebrecht (9º). Os valores foram agregados por grupo econômico e incluem subsidiárias de outros setores, como energia.

    Segunda colocada no ranking dos maiores contribuintes com os políticos, a Construtora OAS acumula R$ 66,8 milhões em doações. O PT ficou com quase metade desse dinheiro, ou R$ 32 milhões. O restante foi dividido entre PMDB, PSDB e PSB, entre outras legendas.

    A Andrade Gutierrez doou R$ 33 milhões, divididos quase que exclusivamente entre PT (R$ 16 milhões) e PSDB (R$ 13 milhões). A UTC deu R$ 29 milhões (R$ 13 milhões para petistas), a Queiroz Galvão doou R$ 25 milhões (PMDB recebeu R$ 7 milhões), e o grupo Odebrecht, R$ 23 milhões, principalmente para PT, PSDB e DEM. O terceiro maior doador é do setor de mineração. O grupo Vale doou cerca de R$ 53 milhões até agora, por meio de uma série de empresas. Dois partidos se destacam entre os beneficiários de suas doações: PMDB (R$ 20,6 milhões) e PT (R$ 14,5 milhões).

     


    R7

     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Cícero lamenta nível da campanha na PB e diz que faltam ‘ideologia, coerência e fidelidade política no estado




     

    O senador paraibano Cícero Lucena (PSDB) lamentou o fim da ideologia, da coerência e da fidelidade política na Paraíba.

    Segundo o senador, o nível em que a campanha está sendo conduzida no Estado é baixíssimo.

    “Tantos problemas da Paraíba para serem debatidos e eu, como eleitor, estou triste por não ver isso. Estou acompanhando este processo com grande tristeza”, disse.

    Cícero dise que falta reconhecimento e credibilidade entre os políticos do estado. “Virou, praticamente, um negócio. Não tem candidato que tenha compromisso em fazer algo em favor da coletividade”, declarou.

    Reclamando sobre as alianças formadas na Paraíba, Cícero disse que elas não refletem a opinião do povo, e que isso pesará na hora da contagem dos votos.

    “As coligações foram feitas sem ouvir o povo. Foi feita pelo interesse momentâneo e imediatista da eleição. Eu lamento profundamente que tudo isso fique à margem do eleitor, mas o eleitor vai ver isso. O político precisa ver que o eleitor discorda do que ele está fazendo. Se o eleitor achar que tudo está normal, nada vai mudar”, concluiu.
    Fechar [x]
    Cícero reafirma isenção no pleito na Paraíba e pede a eleitores que não entrem em ‘aventura’Operação Lava-jato: ‘Ele não tinha o direito de usar meu gabinete para resolver problemas pessoais‘, diz Cícero ao demitir assessor
    João Thiago

    Paraiba.com.br


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Polícia Federal lança edital para concurso até o dia 25 e salários podem chegar a R$ 9 mil





    É necessário ter curso superior e habilitação na categoria B para participar da seleção; serão ofertadas 600 vagas

    Está definida a organizadora do concurso público da Polícia Federal. A Cespe/UNB foi a instituição escolhida para elaborar e corrigir as provas do processo seletivo para agentes da corporação. Serão disponibilizadas 600 vagas e o edital deve ser publicado até a quinta-feira (25). Podem participar do certame pessoas com nível superior em qualquer área e carteira de habilitação na categoria ‘B’.

    Leia também:

    *Dois Sines da Paraíba têm mais de mil vagas de trabalho para esta semana

    *Lançado edital de concurso da Prefeitura de CG com 250 vagas e salários de até R$ 10,1 mil

    A remuneração inicial é de R$ 7,8 mil, porém, caso reajuste previsto para janeiro do ano que vem seja aprovado, salário pode chegar a R$ 9 mil. Os candidatos selecionados serão lotados preferencialmente no Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

    Portal Correio

    As provas do concurso devem ser aplicadas em, no mínimo, 60 dias após a divulgação do edital. Além das questões subjetivas e discursivas, candidatos deverão se submeter a avaliações física, médica e psicológica, como também investigação social e curso de formação social.

    Caso conteúdo programático exigido no último concurso seja repetido, candidatos devem se preparar nas seguintes áreas: Língua Portuguesa, Informática, Atualidades, Raciocínio Lógico, Administração, Economia, Contabilidade, direitos Penal, Processual Penal, Administrativo e Constitucional, além de Legislação Especial.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Correios formulam nova proposta, mas assembleia da categoria pode iniciar greve na quinta-feira



    Profissionais pedem aumento de 6,5% para repor as perdas provocadas pela inflação e mais 8% de ganho real sobre o salário

    Representantes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e dos trabalhadores da empresa realizaram uma reunião, na noite desta segunda-feira (15), no Tribunal Superior do Trabalho (TST), para tentar ajustar a nova proposta do Acordo Coletivo de Trabalho 2014/2015.

     Portal Correio

    O secretário de finanças do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios na Paraíba, Roosevelt Tavares, disse que os profissionais pedem aumento de 6,5% para repor as perdas provocadas pela inflação e mais 8% de ganho real sobre o salário.

    De acordo com a assessoria da ECT, a nova proposta prevê o pagamento de uma gratificação de incentivo à produtividade, conforme a referência salarial do trabalhador. Para a maior parte dos agentes de Correios (cerca de 90 mil carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo), o valor é de R$ 200, o que equivale a mais de 6,5% do salário base.

    Nesta terça-feira (16) haverá nova reunião entre empresa e representações sindicais para apresentação da proposta ajustada. Na quarta-feira (17), serão realizadas as assembleias dos trabalhadores para definir a aceitação ou não da nova proposta. Se a categoria não decidir pela aceitação, a greve poderá ser iniciada já a partir da quinta-feira (18).


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Dilma promete a artistas uso do pré-sal na culturai




    Grupo de intelectuais e artistas repete ato de 2010 e lota Teatro Oi Casagrande, na Zona Sul do Rio de Janeiro, em apoio à campanha pela reeleição de Dilma Rousseff; estiveram presentes figuras como Leonardo Boff, Marilena Chauí, Elza Soares, Otto, Alcione e Beth Carvalho; "Vamos colocar a Cultura dentro da nossa estratégia de crescimento econômico", disse a presidente; ela lembrou que os recursos do pré-sal irão garantir os investimentos em educação e em cultura, e disse que não há "alquimia ou milagre" que faça a educação evoluir: "temos que pagar bem o professor e exigir que ele fique na aula"


    247 – Repetindo ato de 2010, um grupo de Intelectuais, cientistas, lideranças sociais, religiosas, políticos e artistas, lotou o Teatro Oi Casagrande, na Zona Sul do Rio de Janeiro, ao lado do ex-presidente Lula, em apoio à candidatura de Dilma Rousseff à Presidência.

    Participaram do evento figuras como Leonardo Boff, Chico César e Marilena Chauí, além de Elza Soares, Otto, Alcione e Beth Carvalho. Do lado de fora, mais de mil pessoas acompanharam o ato, que durou cerca de três horas.

    Ao discursar, Dilma observou: "De todos aqueles que me apoiaram em 2010, a grande maioria está de volta aqui, muito obrigada. Quando estive aqui em 2010, foi já no segundo turno, eu senti que a gente iria vencer a eleição e nós vencemos."

    “Não vamos voltar para trás, e faremos isso investindo em educação qualificada, para todos, e colocando a cultura dentro da nossa estratégia de crescimento e desenvolvimento econômico. Não queremos só obras, queremos utopias. Não queremos só vantagens materiais, queremos nos compreender. Vamos colocar a Cultura dentro da nossa estratégia de crescimento econômico”, acrescentou.

    A presidente lembrou que os recursos do pré-sal irão garantir os investimentos em educação e em cultura, e disse que não há "alquimia ou milagre" que faça a educação evoluir: temos que pagar bem o professor e exigir que ele fique na aula".

    O teólogo Leonardo Boff, um dos que lideram o manifesto em prol da candidatura da petista, destacou as mudanças promovidas desde a entrada do Partido dos Trabalhadores no poder, salientando também as medidas ainda necessárias.

    Já o ex-presidente Lula, om críticas à grande imprensa, ao próprio partido e ao discurso dos candidatos de oposição, buscou apresentar a importância do novo olhar às camadas mais pobres e de um possível fim dos financiamentos privados de campanhas políticas.

    ‘Nós temos uma pobreza histórica que nós temos que recuperar", disse, dando como exemplo o número de brasileiros em universidades, inclusive em instituições do exterior, a partir de programas como o Ciência sem Fronteiras


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Vox populi: Dilma tem 36%, Marina 27% e Aécio 15%





    Vantagem da presidente Dilma Rousseff no primeiro turno é de nove pontos, segundo a pesquisa Vox Populi; ela tem 36%, contra 27% de Marina Silva; na terceira posição, Aécio Neves permaneceu com 15%; no segundo turno, a situação é de empate técnico, com Marina aparecendo com 42% e Dilma com 41%; na pesquisa mais recente, divulgada no último dia 10, Dilma tinha 36%, contra 28% de Marina e 15% de Aécio; ou seja, a alteração foi mínima na última semana


    247 - A presidente Dilma Rousseff ampliou para nove pontos sua vantagem em relação a Marina Silva, no primeiro turno. É o que mostra pesquisa Vox Populi, divulgada nesta segunda-feira. Ela tem 36%, contra 27% de Marina e 15% de Aécio Neves.

    Na simulação de segundo turno, a situação é de empate técnico. Marina Silva tem 42% e Dilma apresenta 41%. Praticamente não houve alteração em relação à pesquisa anterior, quando Dilma tinha 36%, Marina 28% e Aécio 15%.

    Leia, abaixo, reportagem da Reuters a respeito:
    SÃO PAULO (Reuters) - Nova pesquisa Vox Populi mostrou um quadro eleitoral praticamente estável na disputa pelo Palácio do Planalto, com dianteira da presidente Dilma Rousseff (PT) nas intenções de voto para o primeiro turno e empate técnico entre a petista e a candidata do PSB, Marina Silva, num segundo turno.

    Para o primeiro turno, na sondagem divulgada nesta segunda-feira, Dilma tem 36 por cento, seguida por Marina com 27 por cento e Aécio com 15 por cento. Na semana passada, o Vox Populi apontava a presidente com os mesmos 36 por cento, a candidata do PSB com 28 por cento e o tucano com os mesmos 15 por cento.

    Nas simulações de segundo turno, o novo levantamento mostrou o mesmo placar entre as duas candidatas: 42 por cento para Marina e 41 por cento para Dilma.

    Numa eventual disputa entre Dilma e Aécio, a petista ganharia por 47 a 36 por cento --na semana passada o placar era 44 a 36 por cento.

    O Vox Populi entrevistou 2.000 pessoas entre sábado e domingo em 147 municípios. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

    (Por Alexandre Caverni)


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Líder do governo exclui Djanilson da bancada na Câmara de João Pessoa




    Apesar da exclusão, vereador negou desgaste com o prefeito Luciano Cartaxo | |
    O vereador Djanilson da Fonseca (PPS) declarou, nesta segunda-feira (14), desconhecer fala do líder da situação na Câmara Municipal de João pessoa (CMJP), Marco Antônio (PPS), dando conta de que ele não faz mais parte bancada do governo na CMJP.

    A alegação de Marco Antônio seria que Djanilson tem tomado posições independentes em relação a gestão municipal.

    No entanto, em entrevista ao Correio Debate, da 98 FM, Djanilson negou desgaste com o prefeito Luciano Cartaxo e disse desconhecer a decisão do líder da situação.

    “Quero dizer que não houve desgaste entre o vereador Djanilson e o prefeito Luciano Cartaxo. O prefeito nunca ligou para mim para que eu tomasse alguma decisão. O prefeito sempre respeitou os poderes. Eu não tomei conhecimento dessa notícia e também não escutei da parte do prefeito. Nunca tomei decisão na Câmara de independência. É aí, também desconheço essa fala do vereador Marco Antônio”, declarou Djanilson.

    Djanilson disse que não acredita em retaliação por parte do prefeito por causa da candidatura de sua esposa, Leila Fonseca, a senadora. “O prefeito jamais tomaria essa decisão”, disparou Fonseca.


    Roberto Targino - MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Senador, pensão pode, acumulação não! - Fernando Caldeira




     

    “Eu gostaria de ser Governador para fazer pelos paraibanos e não para pagar pensão a ex-esposa. Com todo respeito: isso é uma vergonha!”

    Esse desabafo de indignação de Vené ganhou as redes sociais quando, após um debate entre candidatos ao Governo do Estado, foi revelado que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) recebia a quantia de 52 mil reais/mês, que é o somatório do salário de Senador da República e a pensão de ex-Governador da Paraíba. Quando Veneziano Vital do Rego (PMDB) vem a público para mostrar sua inconformação em relação ao tema, deduz-se que o fato tenha sido de impacto geral na sociedade. Afinal, no serviço público, vencimentos de 52 mil reais/mês são expressamente proibidos pela Constituição Federal.

    Entretanto, é preciso separar o joio do trigo para que não se criminalize o legal nem se legalize o crime.

    Em sua propaganda eleitoral, Cássio tem dito que a pensão de ex-governador é legal. Diz a verdade: é legal mesmo, embora imoral! Ninguém disse o contrário. E não se pode criminalizar a atitude de alguém por usar de um direito que, por mais esdrúxulo que seja, esteja positivado no ordenamento jurídico estadual, e que não encontre barreiras no federal.

    O problema, entretanto, não é a pensão. Esta é legal, já acordamos. Ilegal, contudo, é acumular essa pensão de ex-governador com o salário de Senador, totalizando 52 mil reais por mês. Isso é ilegal. E quem o diz é a Constitução Federal em seu artigo 37, inciso XI. Segundo ela, nenhum ocupante de função pública pode ter vencimentos acima dos de Ministro do Supremo Tribunal Federal, que é de 29 mil reais. O Senador Cássio recebe 52 mil, ou seja, 29 mil reais/mês a mais que o permitido. Isso sim é ilegal. Aí está o problema!

    Advogado por formação, ex-deputado federal constituinte, ex-governador e atualmente senador, Cássio Cunha Lima sabe disso. Sabe mais, sabe que “ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece”, como preceitua o artigo 3° da Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro. O Senador sabe, portanto, que a acumulação dos dois recebimentos fere frontalmente a Constituição da República, lei maior do país. E esse comportamento, além de ser desobediência à Constituição, o que é crime, sendo cometido por um Senador, tem nome: falta de decoro!

    Quanto ao fato da tal pensão ser destinada à sua ex-esposa, de quem divorciou-se, não muda nada. A pensão é do ex-governador e ele faz dela o que bem entender. O que ele não pode é recebê-la ao mesmo tempo em que recebe também o salário de Senador. O motivo já explicamos e não há dificuldades de entendimento.

    As perguntas que ficam, entretanto, necessitam de respostas: 1°) Senador, o Sr. vai continuar a desrespeitar a Constituição Federal?; 2°) Senador, o Sr. vai restituir aos cofres públicos o recebimento a maior?

    Afinal, Cássio, “pensão pode, acumulação não!”


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 16.09.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Dilma aparece no guia eleitoral da Paraíba, declara seu apoio e pede aos paraibanos para votar em Vital governador




     


    Da Assessoria de Vital do Rego

    A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) apareceu na noite desta segunda-feira (15) no guia eleitoral da televisão do candidato a Governador pela Coligação Renovação de Verdade (PMDB-PT), Vital do Rêgo. Ela pediu votos para o peemedebista e disse que eleger Vital governador significa garantir avanços e desenvolvimento para a Paraíba.
    Dilma iniciou sua fala destacando a atuação política de Vital, em Brasília, como um importante parceiro do seu governo e citando as qualidades de Vital para ampliar os programas sociais do Governo Federal na Paraíba e para governar o estado. “Vital é um importante parceiro do meu governo e o candidato mais preparado para ampliar os programas sociais e realizar as obas de infraestrutura que a Paraíba precisa”, disse ela.
    Ainda de acordo com a presidente Dilma, eleger Vital Governador da Paraíba significa garantir ao estado mais desenvolvimento, através de obras estruturantes que serão direcionadas a partir da parceria entre os dois. “Com Vital, não tenho dúvidas de que a Paraíba vai viver uma nova era de desenvolvimento”, afirmou.
    Dilma finaliza a sua fala pedindo aos paraibanos que, no dia 5 de outubro, votem em Vital para Governador, reafirmando a parceira entre PMDB e PT na Paraíba. “Por isso, peço aos paraibanos que votem em Vital para governador”.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas