Estatisticas do blog

No momento, 2 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 3375699 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

Notícias

Clima/Tempo

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    "Marcados para morrer"




    "Eu sou da Polícia e tô aqui pra te prender. Você violou a lei. Não fui eu quem fiz a lei. Eu posso até discordar da lei, mas vou assegurá-la. Não importa o quanto você peça, suplique, implore ou tente me convencer: nada do que você fizer ou disser vai me impedir de te colocar numa jaula com barras de ferro.

    Se você fugir, eu corro atrás. Se você me enfrentar, eu luto com você. Se atirar em mim, eu atiro de volta.

    Pela lei, eu não posso dar as costas. Sou a consequência, a cota que não foi paga. Sou o destino, com distintivo e arma. Atrás do meu distintivo tem um coração como o seu. Eu sangro, eu penso, eu amo, e também posso ser morto. E embora eu seja apenas um, tenho milhares de irmãos e irmãs iguais a mim. Eles vão arriscar a vida por mim, e eu por eles.

    Nós somos a Polícia."

     


    Abertura do filme "Marcados para Morrer"


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da sexta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    MEC adia para 29 de maio o prazo de renovação de contratos do Fies





    G1
    O Ministério da Educação decidiu, nesta quinta-feira (23), prorrogar o prazo para que estudantes com contratos já vigentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) possam renovar os contratos de financiamento. Segundo a assessoria de imprensa do MEC, o novo prazo para estes estudantes concluírem a renovação semestral agora vai até 29 de maio.

    Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, os estudantes que querem pedir um novo contrato de financiamento terão o prazo inicial mantido para a quinta-feira da próxima semana, dia 30 de abril.

    De acordo com a pasta, até a tarde desta quinta-feira cerca de 1,6 milhão do total de 1,9 milhão de contratos vigentes já tinham sido aditados, e 242 mil novos contratos tinham sido feitos pelo site do Fies.

    Diário Oficial
    A portaria que oficializa a mudança será publicada na edição desta sexta-feira (24) do "Diário Oficial da União". Ela será assinada por Antonio Idilvan de Lima Alencar, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

    Em nota divulgada pelo ministério, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que "o MEC tomou essa decisão, em conjunto com o FNDE, para dar mais segurança e tranquilidade aos estudantes que ainda buscam aditar seus contratos no sistema".

    Segundo a portaria, além do aditamento de contrato, os estudantes que já têm contrato do Fies vigente desde 2014 ou anos anteriores também têm até 29 de maio para solicitar a transferência integral do curso ou da instituição de ensino, para solicitar a dilatação do prazo de utilização do financiamento, e para solicitar o aditamento da suspensão temporária do financiamento.

    Ministro pede calma
    Na manhã desta quinta, o ministro afirmou, durante o programa de rádio "Bom Dia Ministro", que a prioridade do programa é com o estudante, e por isso "todos os contratos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) serão renovados" e ressaltou que os alunos "tenham calma e fiquem tranquilos".

    Renato Janine Ribeiro, ministro da Educação, durante o programa ‘Bom Dia Ministro‘ (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
    O ministro Janine Ribeiro durante o programa ‘Bom
    Dia Ministro‘ (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

    Nota mínima no Enem
    Desde 30 de março, com a entrada das novas regras do Fies, para fazer a inscrição, o estudante deverá ter nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio e não ter tirado nota zero na redação.

    Limite de reajuste
    O Ministério da Educação conseguiu na Justiça derrubar as liminares que suspendiam as novas regras do Fies. Com isso, as instituições particulares de ensino superior não podem aumentar as mensalidades acima do teto de 6,4%.

    Janine Ribeiro destacou, no programa de rádio, que, "no caso de haver discrepâncias quanto ao valor que a instituição quer cobrar, isto é, se a instituição quer cobrar acima do teto de 6,4%, o MEC vai discutir com a instituição, mas vai renovar a parte do aluno".

    "O aluno pode ficar tranquilo porque todas as renovações serão asseguradas", disse o ministro.

    A PUC de Campinas avisou aos alunos interessados que eles não vão receber o benefício do Fies porque optou por reajustar a mensalidade em 9%, acima do teto determinado pelo governo.

    O Fies permite ao estudante cursar uma graduação em uma instituição particular e, depois de formado, pagar as mensalidades a uma taxa de juros de 3,4% ao ano. O aluno só começa pagar após 18 meses de concluído o curso.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Após assembleia, professores do Estado decidem manter greve por tempo indeterminado




    Facebook
    Após assembleia geral na manhã desta quinta-feira (23), os professores da rede estadual decidiram pela continuidade da greve por tempo indeterminado. De acordo com repesentantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep-PB), a decisão foi tomada de forma unânime.

    Os professores do Estado estão em greve desde 31 de março e reivindicam reajuste do Ministério da Educação de 13,01%, por força de lei federal; reajuste de 9% e regime de trabalho T-30 para funcionários; revisão do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) do Magistério e aprovação do PCCR dos funcionários; elevação da gratificação de direto e eleições diretas em todas as escolas; pagamento integral do piso do Magistério.

    Com a decisão eles saíram em passeata pelas ruas da cidade com destino a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Os professores lotaram as galerias e levaram o presidente Adriano Galdino a se retirar do plenário. O presidente da Casa pediu a compreensão dos professores e limitou a entrada deles nas galerias. Após gritos e palavras de ordem, panfletos arremessados pelas galerias, Adriano Galdino pediu que os professores formassem uma comissão para conversar em seu gabinete, e se retirou do plenário.

    O ato público teve início em frente ao colégio Lyceu Paraibano e seguiram caminhando até a sede do Poder Legislativo.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    João Pessoa das antigas - Fotos


    Em primeiro plano a Rua da Areia, vendo-se o quartel e o Teatro Santa Roza
    Em primeiro plano a Rua da Areia, vendo-se o quartel e o Teatro Santa Roza
    Onde fica hoje a Praça Antonio Pessoa Onde fica hoje a Praça Antonio Pessoa

     Tais fotos pertecem ao acervo de Walfredo Roddrigues e foram publicadas no Álbum de Memória da Prefeitura de João Pessoa, na gestão de Ricardo Coutinho



    Em destaque o Mosteiro São Ulrico e a Catedral
    Em destaque o Mosteiro São Ulrico e a Catedral

    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Líder do governo na ALPB revela projeção para bancada





    O deputado estadual Hervázio Bezerra, do PSB, comemorou a adesão do deputado Trócoli Júnior à bancada governista.

    Segundo Hervázio, já são 20 deputados compondo a base do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) e este número tende a aumentar, podendo chegar a 24 parlamentares.

    “Estamos trabalhando para que alguns companheiros possam se conciliar conosco e consequentemente passarem a integrar a bancada do governo”, afirmou o líder governista.

    Bastante criticado por sua adesão à bancada do governo, o deputado estadual Trócoli Júnior não economizou palavras para dizer que não faz da sua trajetória política um ‘negócio’.

    “Eu não sou comercial, não faço a política por negócio, eu faço política por sacerdócio. Quem duvidar disso venha a mim e levante o questionamento, não anonimamente como algumas pessoas levantam. Continuarei com os mesmos compromissos que tenho, com a Defensoria Pública, com a PM, com os professores do Estado, que vou ser elo de entendimento entre governo e professores, e as categorias que tenho compromisso”, destacou.


    PB Agora


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Ricardo Coutinho entrega UPS em Mangabeira e garante segurança para 80 mil habitantes




    O governador Ricardo Coutinho inaugurou, na tarde desta quinta-feira (23), a Unidade de Polícia Solidária (UPS) de Mangabeira, como parte das comemorações do aniversário de 32 anos do bairro. Para reduzir a criminalidade e oferecer mais segurança a cerca de 80 mil habitantes, o Governo do Estado investiu R$ 850 mil, sendo R$ 700 mil em aquisição de viaturas, motos, armamento e um ônibus equipado com circuito de câmeras.

    Segundo o governador Ricardo Coutinho, a instalação da primeira UPS naquela região dará cobertura a Cidade Verde e a toda Mangabeira. Ele lembrou que, quando assumiu o Governo da Paraíba, o bairro de Mangabeira contava apenas com uma viatura e hoje são seis viaturas, duas motos e o trio da Rotam, além de um ônibus com câmeras que estarão monitorando o bairro em pontos estratégicos.

    “A UPS vai gerar mais segurança para os moradores do bairro mais populoso da Capital, mas é preciso que a população entenda que a UPS não é apenas um posto policial, a finalidade é modificar a relação e a forma como as pessoas veem a polícia. Portanto, a relação de confiança entre a polícia e a população tem que existir, porque ela vai ser responsável pelo patrulhamento permanente em toda esta área e os policiais escalados para o trabalho terão foco maior na prevenção das ocorrências”, explicou o governador. Na oportunidade, Ricardo Coutinho recebeu uma comenda pelos relevantes serviços prestados à Polícia Militar da Paraíba.

     

    Para os moradores do bairro, a exemplo da dona de casa Maria Sueleide, a UPS, chegou no momento certo e com certeza vai diminuir a criminalidade na Zona Sul. “Além de nos dar mais proteção, a UPS Mangabeira faz com que a gente se sinta mais próxima e amiga da polícia”, disse.

    Em João Pessoa já foram instaladas 11 UPS: nos bairros de São José, Mandacaru, Bela Vista, Jardim Planalto, Jaguaribe, Róger, Geisel, Alto do Mateus, Bola na Rede e Ilha do Bispo e agora a de Mangabeira. Quatro já foram instaladas em Campina Grande, duas em Cabedelo, uma em Bayeux e uma em Guarabira.

    A UPS Mangabeira contará com 90 policiais militares só para o bairro, sendo 12 deles para policiamento a pé na área comercial. A Unidade já está funcionando no prédio da antiga 9ª Delegacia Distrital que atualmente funciona na Avenida Josefa Taveira, no Distrito Integrado de Segurança Pública do bairro.

    Participaram da inauguração da UPS Mangabeira os deputados João Gonçalves e Zé Paulo, o secretário de Segurança Pública, Cláudio Lima, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Euler Chaves, e diversas outras personalidades que fazem parte da Segurança Pública do Estado.


    Secom-PB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Honorários sucumbenciais: OAB rebate declarações de desembargador do TJ feitas em rede social




     

    As declarações do Desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, membro do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), que, em uma rede social, na noite desta quarta-feira (22), externou manifestação em que questiona o pagamento de honorários sucumbenciais aos advogados, previsto no estatuto da Advocacia e no Código de Processo Civil fez com a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), emitisse uma nota sobre o caso.

    De acordo com a OAB, o desafio que se impõe aos jurisdicionados não está na remuneração dos advogados, mas na má prestação dos serviços judiciários, na tentativa do TJPB de limitar o horário de atendimento nos fóruns, nos processos que se avolumam nos cartórios sem qualquer perspectiva de celeridade, no atraso injustificável na distribuição de feitos, problemas decorrentes, dentre outros fatores, da insuficiência no número de magistrados e servidores.

    Para a entidade, a valorização da advocacia, atividade essencial à administração da Justiça, perpassa diretamente pela dignidade dos honorários. Falar em compensação de honorários sucumbenciais e contratuais é mais uma tentativa de fragilizar a profissão, o que não encontra motivações aparentes, ao menos não assumidas, considerando que na esmagadora maioria dos casos, os honorários sucumbenciais são fixados de forma vergonhosamente aviltante”, diz a nota.

    Para colocar fim a tais distorções, A OAB destaca também que novo CPC traz regramentos que visam assegurar o novo CPC traz regramentos que visam assegurar o mínimo de dignidade à advocacia. Importante ressaltar que a magistratura se fez representar ativamente nos debates acerca do novo CPC, a exemplo do ministro do STF, Luiz Fux.

    Ainda segundo a OAB, ante a opinião exposta, necessário ressaltar que o magistrado opina sem conhecimento da realidade que vive a advocacia, haja vista que o advogado atua, na grande maioria das vezes, através de contratos de risco, o que se agrava em virtude dos valores ínfimos de honorários sucumbenciais que são arbitrados na Paraíba.
    A entidade também lamenta a postura do desembargador, pelo fato dele, até bem pouco tempo, ter exercido a função de corregedor do TJPB, cujo objetivo é alcançar maior efetividade na prestação jurisdicional, não tendo apresentado soluções para os problemas acima apontados.

    “A OAB-PB Finaliza a nota reafirmando que não recuará na luta em defesa dos honorários dignos, das prerrogativas e do acesso à justiça.

     

    Nota do editor: Além dos temas elencados aqui pela OAB o desembargador Marcio Murilo poderia por exemplo, se preocupar com a cobrança de estacionamento que o Cartório Azevedo Bastos , vem praticando em João Pessoa, ou seja, o cidadão já paga uma fortuna dos serviços de tais cartórios e agora ainda são coagidos a pagarem uma indevida taxa de estacionamento, que logo se propagará pelos demais cartórios que já ganham verdadeiras fortunas, que torna milionários seus responsáveis.Chega de tanta exploração.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Branco Mendes confirma adesão de Jullys Roberto à base de Ricardo na AL e destaca organização do PEN





    Foto: Flávio Mendes
    O deputado estadual Branco Mendes (PEN) comentou em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM nesta quinta (23) que a resolução nacional do partido de seguir com o governador Ricardo Coutinho também será seguida por Jullys Roberto e destacou como deve ficar a organização do PEN na Paraíba.

    Após a derrota na eleição da Mesa Diretora da Casa, o deputado oposicionista Ricardo Marcelo também foi afastado da presidência do PEN e uma resolução nacional definiu que o partido seria da base do governador, assim, Ricardo Marcelo tirou uma licença da Assembleia e o deputado Zé Aldemir (que tinha planos de deixar o partido) também. Dos que ficaram na Casa, Branco Mendes que votou em Adriano Galdino (PSB) para a presidência da Casa e Edmílson Soares já fazia parte da base, agora eles ganham o reforço de Jullys Roberto.

    “Jullys vem para a base do governador e está querendo uma audiência para discutir os problemas da sua região”, afirma.

    Apesar de afirmar para o governador Ricardo Coutinho (PSB) que iria pensar, ao receber o convite de integrar a base, Branco destacou que já tinha compromisso com Galdino. Um acordo de colegar entre eles definiu que se Cássio fosse eleito governador, Galdino trabalharia para Branco ser presidente da Casa, enquanto se Ricardo fosse eleito, Branco quem iria fazer o trabalho para Galdino.

    Branco lembrou que com a vitória de Ricardo, Galdino o procurou para ‘cobrar a promessa’ e ele como tinha ‘dado sua palavra’ cumpriu e fez o trabalho pela candidatura do socialista. Lembrando que aconselhou Galdino a unificar a base, já que havia ao menos 4 candidatos do governo.

    “Ele conquistou todos os votos do governo e partiu para a campanha de presidente que foi muito dura e difícil, mas foi vitorioso e faz um belo trabalho na Assembleia”, afirmou e acrescentou: “quanto a fazer parte da base do governo estou tranquilo. Votei em Adriano sem nenhum tipo de conotação e encostamento no governo dentro do processo político. Nunca tive embates com Ricardo, saí decentemente do governo, entreguei os cargos que tinha no estado, mas nunca atirei pedra no governador”, afirmou.

    O deputado lembrou que no jantar na casa de Gervásio Maia (PMDB), o governador o procurou para fazer parte da base e Branco explicou que precisaria pensar. “Não posso abraçar uma causa de repente, porque depende do tratamento do governo à diversas questões”, diz, apontando a possibilidade de aderir.

    Diretórios do PEN - Branco afirmou que o diretório estadual deve mesmo ficar com o deputado Edmilson Soares, que está em Brasília reunido com o presidente nacional do partido enquanto ele pode indicar uma pessoa de “restrita confiança” para comandar o partido em João Pessoa, já que ele mesmo não pode ocupar esta vaga por não ter a Capital como domicílio eleitoral. “Vou colaborar e reforçar o partido no estado”, garante.

    Marília Domingues
    Paraiba.com.br


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Ruína da Petrobras tem nome(s): Lula e Dilma


    Rafael Andrade - Folha
    Rafael Andrade - Folha


    Josias de Souza 

    Ao divulgar o balanço da Petrobras, Aldemir Bendini, presidente da companhia, pediu “desculpas em nome dos funcionários.” Disse que “há um sentimento de vergonha.” A maior injustiça que se pode cometer com a estatal é acomodar nos ombros do seu corpo funcional toda a responsabilidade pelo desastre escancarado na escrituração tardia. Essa ruína tem nome(s): Lula e Dilma Rousseff.

    Por delegação de Lula, a Petrobras está sob a alçada de Dilma desde a chegada do PT ao poder federal, em janeiro de 2003. Primeiro, ela foi ministra de Minas e Energia, de cujo organograma pende a estatal. Depois, acumulou as atribuições de supergerente da Casa Civil com a presidência do Conselho de Administração da Petrobras. Em seguida, como presidente da República, centralizou todas as funções anteriores.

    Lula e Dilma já disseram que não sabiam de nada sobre a pilhagem que pôs a Petrobras de joelhos. Agora, além da piada da cegueira, a dupla terá de arranjar uma lorota para justificar a incompetência. Os números oficiais informam que a corrupção não foi o maior problema da Petrobras. A inépcia gerencial foi sete vezes superior à roubalheira.

    Os auditores lançaram na coluna do passivo perdas de R$ 50,8 bilhões. Desse total, R$ 6,194 bilhões referem-se ao câncer das propinas escarafunchadas na Operação Lava Jato. Os outros R$ 44,63 bilhões viraram fumaça por conta da incúria administrativa. Nessa conta, entram delírios nascidos da megalomania de Lula e do interesse em fazer uns dinheirinhos para saciar os apetites do conglomerado partidário que gravita na órbita do governo.

    Cancelaram-se novas etapas da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e do Comperj, no Rio. Foram enviadas às calendas as refinarias companheiras do Ceará e do Maranhão, prometidas pelo morubixaba do PT aos clãs Gomes e Sarney, respectivamente.

    Sob Lula, Dilma engolira todos esses empreendimentos sem esboçar contrariedade. Se discordasse, teria sido enviada ao olho da rua pelo chefe. Ou teria pedido o boné. Preferiu ficar. Mais que isso: sucedendo o criador, optou por manter o discurso triunfalista e as obras delirantes. Pior: escamoteou a movimentação dos representantes da bancada do dinheiro na diretoria da Petrobras.

    Admita-se, para efeito de raciocínio, que o grosso do escândalo que carcome a administração Dilma foi jogado no colo dela pelo antecessor. A criatura teve uma chance de espantar a macumba do criador há pouco mais de um ano. Em março de 2014, numa resposta ao Estadão, Dilma informara em nota que, como presidente do Conselho Administrativo da Petrobras, aprovara a compra da refinaria texana de Pasadena com base em “informações incompletas‘‘ deitadas sobre um “parecer técnica e juridicamente falho‘‘ pelo então diretor Nestor Cerveró.

    Dias depois, o juiz Sérgio Moro mandou a Polícia Federal prender Paulo Roberto Costa, um ex-diretor da Petrobras que deixara a empresa sob elogios da direção. Podendo associar-se a sério aos esforços para lancetar o tumor, Dilma se deixou enquadrar por Lula e pela banda do PT que traz um código de barras na lapela.

    Criticada pelo “erro” do sincericídio da nota sobre Pasadena, a presidente recolheu a língua e liberou seus operadores para negociarem o silêncio de Cerveró e de Paulinho. Com isso, abriu mão de se tornar solução para continuar sendo parte do problema. Por azar, Paulinho decidiu lutar pela redução de suas penas com o suor do seu dedo. Foi imitado por outros 15 delatores.

    Na noite passada, ao informar que a Petrobras registrou prejuízo de R$ 21,58 bilhões no ano de 2014, invertendo o lucro de R$ 23,6 bilhões que amealhara em 2013, Aldemir Bendini construiu uma analogia aérea: “Vejamos o caso de um desastre aéreo. É sempre através dele que se aperfeiçoam as medidas de segurança. Vamos dizer que a gente passou por um grande desastre. Isso servirá para que a gente invista cada vez mais em governança.”

    A imagem, por infeliz, remete a plateia à tragédia aérea mais recente, aquela em que o copiloto Andreas Lubitz trancou o piloto do jato da companhia Germanwings do lado de fora da cabine e mergulhou o voo 4U9525 nas montanhas dos Alpes franceses, matando 150 pessoas. Se Dilma bobear, Lula ainda vai bater à sua porta para, num desespero simulado, assumir o papel do piloto inocente.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Após lambança, Moro solta cunhada de Vaccari





    Depois de determinar prisão temporária contra a cunhada de João Vaccari Neto e prorrogá-la ontem por mais cinco dias, o juiz da Lava Jato determinou às 11h30 desta quinta-feira 23 que Marice Corrêa de Lima seja solta "imediatamente"; ela foi presa na última sexta-feira 17 sob acusações de que teria depositado dinheiro de propina da OAS na conta bancária de sua irmã, mulher de Vaccari; Giselda Rosie de Lima havia admitido que era ela própria em imagens de câmera de segurança do banco Itaú, contradizendo Sérgio Moro; o juiz havia dito que "não restavam dúvidas" de que era Marice; advogado Claudio Pimentel, que defende Marice, elogiou a decisão pela soltura; "recompõe o status legal dos direitos de Marice"


    247 – O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da operação Lava Jato, mandou soltar "imediatamente" a cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. A ordem pela expedição do alvará de soltura em favor de Marice Corrêa de Lima foi dada às 11h30 desta quinta-feira 23.

    Marice foi presa na última sexta-feira 17, quando se entregou a Polícia Federal após chegar de uma viagem no Panamá, onde participava de um congresso. Ela era considerada foragida pela PF desde o dia em que Vaccari foi preso, no dia 15. Ontem, Moro determinou a prorrogação da prisão temporária de Marice por mais cinco dias.

    A cunhada de Vaccari é acusada de ter depositado dinheiro de propina da empreiteira OAS, investigada na operação, na conta bancária de sua irmã e mulher de Vaccari, Giselda Rosie de Lima. Imagens de câmera de segurança do banco Itaú em São Paulo indicavam uma mulher muito parecida com Marice no caixa eletrônico no mesmo horário em que o dinheiro caía na conta de Giselda.

    Moro argumentou que as imagens "não deixam qualquer margem para a dúvida" de que era Marice. Mas em depoimento à PF, ela negou todas as acusações. O juiz prorrogou sua prisão, entre outros motivos, por ela ter mentido em depoimento, segundo ele. Giselda contradisse Moro ao admitir que era ela própria nas imagens do banco, conforme havia dito Marice.

    O advogado Claudio Pimentel, que defende Marice, elogiou a decisão que determinou a soltura, segundo reportagem do blog de Fausto Macedo, no Estadão. "Recompõe o status legal dos direitos de Marice", disse.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Vicentinho pede veto de Dilma: PL 4330 é morte dos direitos trabalhistas





    O deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP) disse esperar que a presidente Dilma Rousseff vete o projeto da terceirização; "Os empresários, em vez de tentar ganhar dinheiro com produtividade, qualidade e aumentando a venda dos seus produtos, querem ganhar às custas da redução de condições de salário e de vida dos trabalhadores brasileiros", acusou


    RBA - Se aprovado sem modificações pelo Senado, depois de ter passado pela Câmara, o PL 4.330 representa "a morte dos direitos dos trabalhadores e a falência da CLT", disse o deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), em entrevista a Thelma Torrecilha, da Rádio Brasil Atual, na manhã de hoje (23). O parlamentar disse esperar que a presidenta Dilma Rousseff vete o projeto.

    O deputado lembrou que não apenas as entidades representativas de trabalhadores se opuseram ao PL 4.330, como também ministros do Tribunal Superior do Trabalho, juízes e advogados trabalhistas e o Ministério Público do Trabalho se manifestaram contra, e acrescentou: "Se continuar como está, vai ser uma derrocada para a classe trabalhadora".

    "Os empresários, em vez de tentar ganhar dinheiro com produtividade, qualidade e aumentando a venda dos seus produtos, querem ganhar às custas da redução de condições de salário e de vida dos trabalhadores brasileiros", acusou Vicentinho.

    O deputado prevê que o projeto deve encontrar resistências no Senado. "O próprio presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi um dos grandes puxadores para a aprovação desse projeto. Já o presidente do Senado declarou que não vai aprovar esse projeto de afogadilho, vai realizar importantes debates."

    "Aqui dentro (na Câmara), lamentavelmente, a gente percebe com tristeza que muitos trabalhadores rurais votaram em ruralistas, muitos trabalhadores da cidade votaram em empresários", afirmou. Ele defendeu a reforma política e o fim do financiamento privado de campanha para que os candidatos, ricos e pobres, possam concorrer em igualdade.

    Para buscar barrar a aprovação do PL 4.330, no Senado, Vicentinho afirma que "a mobilização é o caminho" e cobrou também que toda a população, em especial os trabalhadores, acompanhem de perto o voto de cada um dos deputados. "Vou ficar muito feliz se souber que as centrais sindicais e o povo trabalhador estarão presentes na vida política acompanhando o comportamento do Congresso Nacional."


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 24.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Cunha ameaça Renan: Engaveta lá engaveta aqui




     
    O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), afirmou, nesta quinta (23), que poderá retaliar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), em votações de matéria de interesse dos senadores, caso ele atrase a tramitação do projeto que expande a terceirização no país; "Se o Senado pode segurar projetos, a Câmara pode segurar também", ameaçou Cunha; questionado se isso significa chumbo trocado, Cunha respondeu: "Não sei ainda, isso dependerá do conjunto, não só de mim, mas óbvio que a Câmara tem o que segurar", avisou

    247 - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), afirmou, nesta quinta-feira (23), que poderá retaliar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), em votações de matéria de interesse dos senadores, caso o senador atrase a tramitação do projeto que expande a terceirização no país.

    "Se o Senado pode segurar projetos, a Câmara pode segurar também", ameaçou Cunha. "Pau que dá em Chico também dá em Francisco. Engaveta lá, engaveta aqui", ironizou.

    Perguntado se isso significa chumbo trocado, Cunha respondeu: "Não sei ainda, isso dependerá do conjunto, não só de mim, mas óbvio
    que a Câmara tem o que segurar", disse.

    Renan não quis fazer uma tréplica à fala do colega da Câmara. "Eu não vou discutir isso", afirmou. "Essa polêmica não faz bem não", completou.

    O presidente do Senado reafirmou que a proposta tramitará em "tempo normal" na Casa e passará por comissões e ainda será realizada uma sessão temática para discutir o projeto. "Não vamos votar com sofreguidão porque isso é ruim", disse.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 23.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Carta aberta ao povo brasileiro - Fred William de Brito Dutra




     

    Fred William de Brito Dutra,Um Brasileiro - Anarquista


    Estamos atravessando um momento delicado em que se faz uma LIMPEZA POLÍTICA e INSTITUCIONAL, além de que a OPOSIÇÃO cansada de ficar fora das decisões do governo por quase duas décadas, investe pesado em calúnias, difamações e processos visando desestabilizar e desestruturar a máquina pública e gerar o caos.

    Sem competência e sem um sistema organizado para fazer frente ao governo que aí está confundem RACISMO com PATRIOTISMO e fomentam a discórdia em todos os setores públicos e privados.

    Devemos ter a ciência de que temos um PAIS GIGANTESCO, com dimensões continentais praticamente do tamanho da Europa e dos Estados Unidos.

    Considerando que para ter uma sustentabilidade política, os Estados Unidos é composto de ESTADOS INDEPENDENTES - com LEIS Próprias e constituição sintética. Mesmo assim já houve diversas guerras e revoluções, inclusive ÉTNICAS.

    Por sua vêz, os Países Europeus, para driblar as constantes crises monentárias criaram a UNIÃO EUROPEIA e o EURO.

    Só assim, conseguiram uma aparente estabilidade, mesmo ainda com constantes protestos isolados aqui e ali.

    No entanto o Brasil, sendo um país unificado e sujeitos a uma só constituição nacional que reje todos os estados, tem que se manter coeso, mesmo quando são governados por OPOSITORES, que para burlar o sistema e a constituição que os obriga a obedecer ao governo federal, desviam, boicotam e sonegam recursos e projetos sociais que deveriam ser aplicados para o nosso próprio desenvolvimento.

    É fácil agora uma parte dos brasileiros reclamarem de CORRUPÇÃO, falta de SEGURANÇA, precariedade na SAÚDE, entre outras necessidades que nos afrige ha décadas à fio.

    Nada do que sofremos hoje é de propriedade exclusiva desse GOVERNO, não; quem acompanha a história nacional, e não tem preferencias por esse ou aquele partido, sabe de sã consciência, que tudo o que vivemos vem desde a nossa fundação.

    O que agora acontece é uma condensação de problemas, que tornam-se mais evidentes pela continuidade do governo e pelo próprio desgaste natural da máquina, que é composta de todos os tipos de indivíduos, que entre os trabalhadores e honestos, que querem o melhor, estão as HIENAS, os ABUTRES, os PORCOS, os LOBOS, os APROVEITADORES e OPORTUNISTAS, sempre de PLANTÃO.

    Uma classe inconformada de pessoas de vida estável, se julgam no direito de hostilizar os projetos sociais, que igualam os menos favorecidos que de certa forma, reconhece direitos que até então só eram respeitados para eles próprios.

    Tudo isso somado ao fato de que, com a limpeza política e institucional promovida pelo ministério público, que tendo liberdade para trabalhar e investigar, deixa aflorar os erros do passado e do presente, levando muitos elementos nocivos e também caluniados a terem que provar sua inocência, ou assumir sua parcela de culpa e nesse meio tempo muita coisa é deturpada e serve de alimento para essa mesma oposição corrupta e sem competência que apesar de ofender o Governo de incompetente e de ignorante, não se mostra capaz de assumir no voto o lugar que tanto deseja.

    Reflitam e sejam sensatos quando ouvir e ler determinadas coisas - você pode estar sendo manipulado por esses que você mesmo não quer que assuma o poder, por suas atitudes serem desprezíveis.

    Essa é a minha reflexão e o meu desabafo sincero, de quem observa e não tem preferencias, mas que defende sempre o que acha e sente estar com a RAZÃO.




    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 23.04.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Manga Rosa - José Marcos Marinho Falcão




     

    O ilustre “representante” da flora nacional na Câmara do Conde (tem Tatu, o da fauna), vereador Carlos MANGA ROSA, valeu-se da tribuna da Casa, na última sessão ordinária, para desqualificar o meu trabalho jornalístico e a minha vida pessoal.

    Insurgiu-se primeiramente contra fotografia que publiquei n’APALAVRA - reproduzida em blogs e portais de João Pessoa – onde com amarelo sorriso foi flagrado posando ao lado da prefeita Tatiana Correa tendo em mãos, sem o menor pudor, uma das caixas de peixes que ganhou para distribuir com o eleitorado na Semana Santa.

    Após duvidar de que eu seja de fato jornalista e dizer em alto som que não tinha conhecimento das minhas origens, apontando-me como um “tal” jornalistazinho “que não sei de onde veio”, MANGA ROSA soltou a língua... E, num acinte imperdoável, cuspiu literalmente o microfone da solene tribuna.

    Eu já fui vereador, em Campina Grande. E tanto lá, como no Conde ou em qualquer outro Município brasileiro, o plenário do Poder Legislativo é sagrado. A tribuna, então, nem se fale! Não pode ela, a tribuna, ser enxovalhada, nem utilizada para impropérios de baixo nível, sobretudo aqueles envolvendo assuntos meramente pessoais do edil.

    No mundo vegetal, onde a natureza mais chega à perfeição, todas as frutas - manga rosa inclusive - passam por etapas; por estágios de vida, digamos assim. Nascem verdes, depois incham, amadurecem e, por fim, algumas chegam à senescência. Outras, que vão se estragando e não servem para a atividade naturalmente-fim, de alimentar, apodrecem antes.

    A manga rosa, por exemplo, e aqui estou cuidando apenas do mundo vegetal, é uma fruta climatérica - aquela que apresenta um período em que ocorre uma elevação na taxa respiratória, devido à produção autocatalítica de etileno. Esta produção de etileno, ácido ribonuclêico (RNA) e proteínas, juntamente com aumento na taxa respiratória e com a decomposição de certas estruturas celulares, marcam a transição entre a fase de maturação e a senescência.

    Fruta climatérica pode ser colhida mesmo que ainda não esteja madura - para evitar, talvez, a senescência ou o pior, o apodrecimento -, pois a maturação é atingida após a colheita.

    As mangas, assim como as bananas, que são climatéricas, podem antecipar o amadurecimento. Não é um processo natural, obviamente, mas economicamente falando vão ficar bem na fita, no mercado!

    É quando chega a vez de botar carbureto na manga. Ou na banana, vá lá. Não vai ficar uma fruta 100%, mas dá para o gasto. O problema é o fedor do carbureto. Mas...
    No mundo animal, onde MANGA ROSA vereador nasceu, também existem fases, etapas, estágios de vida. Aquela coisa de bebê, adolescente, jovem, velho...

    Dentro de uma visão psicológica, diz-se o ser humano maturo aquele que tem uma grande experiência de vida e uma visão melhor dessa no seu sentido filosófico.

    E ensina a Ciência que a pessoa tem mesmo que passar por esses estágios para atingir a fase de maturação, ou seja: o ser humano está sempre em transformação passando por várias experiências assimilando e acomodando cada uma de acordo com suas necessidades. A maturação, nesse sentido, pode ocorrer após ou durante uma crise psicológica, desencadeada, geralmente, por algum evento importante na vida do indivíduo.

    Por isso vislumbrei apesar de tudo pontos positivos no ato atabalhoado do nobre vereador condense ao destilar seu precoce veneno contra a minha pessoa. Foi sim, uma crise psicológica, e em assim tendo sido vamos ter doravante um MANGA ROSA maduro, merecedor portanto do meu e do aplauso de todos os concidadãos da bela Costa do Conde.

    Sem querer, havemos de convir, fiz a minha parte!
    E não quero crer jamais que MANGA ROSA tenha bichado, com o ocorre com algumas mangas rosas do mundo vegetal, onde a principal causa da podridão interna é a mosca-da-fruta ou bicho da fruta, a espécie ‘Anastrepha obliqua’, a mais frequente em mangas, sobretudo em variedades tardias do que em precoces.


    O vereador, aqui, poderia ter sido picado pela mosca ‘Thatianes condenses’, espécie única no litoral sul paraibano cujos malefícios já levam a apodrecer há tempos muitos serviçais dos seus pomares.

    Merece o nobre parlamentar o meu respeito, cidadão do Conde como momentaneamente estou. Eleito pelo povo merece do povo aplauso. Se não tem feito por onde merecer, aí são outros quinhentos. O que não pode - e nem deve - é usar palavreado chulo na tribuna como esse de dizer que eu sou “babão” do governador do Estado, como se Ricardo Coutinho precisasse ou gostasse desse tipo de gente do seu lado.

    Na verdade, realmente o vereador MANGA ROSA não me conhece, mesmo que já tenha apertado a minha mão, apresentada que foi esta pelo seu padrinho/financiador Fabiano do mercadinho da rua Ilza Ribeiro.

    E olha que já ali desconfiei da mão molenga, sem força para cumprimentar ou receber cumprimento. Mão diferente da mão de cabra macho nordestino, aquela que arrocha a mão do outro com força de quebrar dedos e olha no olho para valer. Mão de homem na fase madura, esta que almejo MANGA ROSA consiga urgentemente alcançar.

    (Meu novo artigo em www.apalavraonline.com.br)


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas