Estatisticas do blog

No momento, 26 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 2673701 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina


     


    RICARDO COUTINHO, DIZ QUE A PREFEITURA DE CAMPINA GRANDE PASSA POR EM DIFICULDADES FINANCEIRAS

    Logo após a sua vitória, entrevistado no Programa Conexão Master, sob o comando de Alex Filho, o governador Ricardo Coutinho falou sobre diversos temas, mais um de suas falas chamou a atenção dos telespectadores, quando o mesmo afirmou que nem precisou usar o fato durante a campanha, mas alertou que a Prefeitura de Campina Grande contratou tanta gente nos últimos tempos que sequer pode tocar as suas obras e os credores se negam a fazer novos negócios com aquela prefeitura. O mesmo deu dois exemplos, a Avenida João Suassuna que o estado tentou fazer e foi impedido e que se encontra totalmente parada e a parte de dragagem do Parque Bodogongó, já que o restante vem sendo tocado normalmente pelo estado. Será meu Deus, Será?

    RICARDO COUTINHO GANHOU EM 47 BAIRROS DE JOÃO PESSOA, PERDENDO APENAS NO ROGER E CÁSSIO GANHOU EM 48 BAIRROS DE CAMPINA GRANDE

    O Jornal da Paraíba trouxe ontem em suas paginas, os resultados apurados em 48 bairros tanto da cidade João Pessoa bem como na cidade de Campina Grande. Na cidade de Campina Grande Cássio Cunha Lima ganhou em todos os bairros relacionados, sendo que onde Ricardo Coutinho esteve mais perto foi no Mutirão do Serrotão, onde Cássio obteve 1.291 e Ricardo Coutinho 1.251 votos. Já em João Pessoa dos 48 bairros pesquisados, Ricardo perdeu apenas no Bairro do Roger, com uma diferença de 35 votos. O bairro onde RC mais se destacou foi no Cristo Redentor, onde conseguiu no segundo turno 14.259 votos contra 7.725 obtidos por Cássio.


    JOÃO GONÇALVES AINDA NÃO DESCEU DO MURO

    Por conta de disputa acirrada para o governo do estado, o deputado João Gonçalves, espertamente alegou que estaria seguindo orientações do seu eleitorado, revelando que iria ficar neutro e só revelaria o seu candidato no segundo turno o que não fez até a abertura das urnas, temendo em apoiar o candidato A e se eleger o B. Como o mesmo adora os tapetes vermelhos do Palácio da Redenção e tem lugar cativo como papagaio de pirata de tudo que é foto do governador, com o final do pleito e se sabendo quem foi o escolhido pelos paraibanos, já, já, o dito cujo vai começar a aparecer nas fotos governamentais. É só aguardar.

    O RESULTADO DAS PESQUISAS

    As pesquisas na Paraíba sempre foram muito questionadas e até desmoralizadas quando da abertura das urnas. Este ano duas delas contratadas por dois veículos de comunicação do nosso estado, mais uma vez erraram e erraram feio, induzindo o eleitor de que Cássio Cunha Lima seria eleito no primeiro turno e com uma vantagem bem elástica, tentando assim desmotivar o eleitor e a militância de Ricardo Coutinho e consequentemente produzir efeito contrário do outro lado, tendo um deles sido multado cerca de oito vezes pelo TRE. A bem da verdade pelo menos desta feita dois institutos se saíram muito bem, um deles que acertou em cheio foi o 6Sigma no primeiro turno e o Ibope que andou perto no primeiro e segundo turno, se reabilitando de insucessos de pleitos passados.


    MARANHÃO NO GOVERNO E NILDA GONDIM NO SENADO

    No seio do PMDB já existe um grupo defendendo que José Maranhão pela sua seriedade e experiência, seja guindado a um importante cargo na estrutura federal, cedendo espaço assim para sua primeira suplente Nilda Gondim, que faria uma dobradinha mãe e filho Vitalzinho no Senado e ainda teria na Casa de Leis no prédio vizinho a Câmara Federal, o filho Veneziano Vital do Rego. Seria verdadeiramente um trio realmente parada dura.

    VENEZIANO NÃO QUER QUE O PMDB PERDOE AS TRAIÇÕES DO ÚLTIMO PLEITO


    Por falar em Veneziano, já prevendo o que poderá acontecer no pleito municipal de 2016, o deputado federal eleito Veneziano Vital do Rêgo (PMD-PB), disse que o partido vai se posicionar e tomar uma decisão sobre os peemedebistas que traíram a legenda no pleito deste ano. Segundo Veneziano, que provavelmente disputará novamente a Prefeitura de Campina Grande, na sua visão, esta é uma realidade que o partido não pode esconder e a posição tomada por muitos peemedebistas é vista com preocupação, considerando o futuro da legenda para as próximas eleições estaduais e nacionais. “Não faremos ‘caça as bruxas’, mas não podemos varrer para debaixo do tapete as traições, não dá para esconder essa realidade vivenciada nestas eleições pelo PMDB paraibano”.

    TIÃO GOMES QUER PRESIDIR A ASSEMBLEIA

    Mesmo tendo nomes de peso na base do governo, como Estela Bezerra, Ricardo Barbosa, Adriano Galdino, Buba Germano, Gervásio Maia, Lindolfo Pires, dentre outros, o deputado veterano e presidente do PSL Tião Gomes, decidiu entrar na briga pela presidência da Assembleia Legislativa. Se depender de fidelidade ao governador Ricardo Coutinho o deputado Tião já pode até comprar o paletó para a sua posse como presidente. Por falar em fidelidade, outro bem colocado aos olhos do governador e que também se mostrou bem seguro e fiel e que pode ser o líder na Assembleia é Ricardo Barbosa, que é bom de briga e defende bem as causas em que se envolve.

    ARACILBA ROCHA SUMIU

    Por falar em Ricardo Barbosa a ex-secretária de Finanças Aracilba Rocha, durante a campanha deixou o governo e mesmo sem apresentar um único documento, saiu atirando dizendo que havia irregularidades financeiras na Suplan, órgão de execução das obras do governo, dirigido durante toda a gestão exatamente pelo agora deputado estadual Ricardo Barbosa. O fato é que a mesma deveria ter sido ouvida ontem na Assembleia sobre a sua denúncia, mas enviou recado que estaria descansando no exterior e, portanto impedida de comparecer a convocação. Teria mesmo Aracilba algo a dizer aos nossos deputados, ou tudo não passou apenas de um factóide politiqueiro?

    O PRECONCEITO CONTRA OS NORDESTINOS

    De vez em quanto por um fato ou outro, aparecem nas redes sociais e até na imprensa verdadeiras campanhas agressivas e criminosas contra os nordestinos. Desta feita a revolta de alguns preconceituosos e desinformados como o jornalista Diego Mainardi, ocorreu em razão da votação da presidente Dilma Roussef no último pleito. Tais pessoas além de preconceituosas são também, desinformadas, pois enquanto o Nordeste deu 24.568.663 votos para Dilma, Sul e Sudeste deram 26.627.802 votos.

    TATIANA MEDEIROS DESISTE DE OUTRAS DISPUTAS ELEITORAIS E PODE OCUPAR CARGO NO GOVERNO

    Após obter no último pleito apenas 11.568 votos para deputada estadual, a médica Tatiana Medeiros, que em 2012 disputou a Prefeitura de Campina Grande apoiada por Veneziano Vital, revelou a imprensa que não pretende mais fazer novas incursões na seara política. Tatiana Medeiros que foi uma das primeiras peemedebistas aderir a candidatura de Ricardo Coutinho é forte candidata a uma vaga na futura equipe de governo de RC.

    O PÉSSIMO SERVIÇO DA NET

    O cidadão que desejar perder o juízo e a paciência é só assinar uma prestação de serviço com a NET – Internet Banda Larga, que há dias vem martirizando os seus usuários com constantes oscilações, interrupções e quedas na rede, atrapalhando e fazendo muitos perderem os serviços que executam. O pior é que o cliente telefona
    Para o SAC da referida empresa e escuta a mesma cantilena que o sistema se encontra em manutenção. Chegará o dia em que a população brasileira será respeitada?

    O SHOW DE CRISTOVAM TADEU

    O nosso multimídia e consagrado humorista Cristovam Tadeu, com nome projetado nacionalmente, vai realizar hoje as 17 horas, o show ‘Risopontocom’ em homenagem ao ‘Dia do Servidor’ . O evento será no auditório da Sede da Justiça Federal no Bairro de Brisamar. Realmente imperdível

    BADER MASSUD – ‘DUELA A QUIÉN DUELA’

    O sempre atento amigo Bader Massud, que já foi prefeito e conselheiro do Tribunal de Contas de Rondônia, não se nega a expor suas ideias e criticas nas redes sociais. A seguir mais uma de Bader: ‘Está mais que na hora dos pombos começarem a falar dos problemas do Brasil real que os mais de 51 milhões de votos do Aécio afirmaram que não aguentam mais e que a reeleição não resolve para a metade da população que votou contra a indignidade. A começar pelo Pizollato que vai cumprir sua pena totalmente em liberdade na Itália e sem devolver os 70 milhões que o STF diz ter sido surrupiado do banco do Brasil no mensalão. E fica a pergunta: como ficam as juras de combater a corrupção "Duela a quién duela"?

     

    Esta coluna é publicada no http:/www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.
     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da quinta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    VLT chega a JP neste fim de semana, mas só deve operar em fase de teste a partir de 2015




     
    Não foram divulgadas datas para que novas estações e todo os serviços estejam finalizados para operação definitiva do novo transporte

    Edson Rodrigues/ Secopa
    VLT só deve operar em 2015 na Paraíba
    A primeira composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que fará o transporte de passageiros da Grande João Pessoa, deve chegar a Capital entre à tarde da sexta-feira (31) e a manhã do sábado (1º), de acordo com informações da assessoria de imprensa da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de João Pessoa. A composição sai da cidade de Barbalha, no Ceará, na tarde desta quarta-feira (29), e viaja desmontada.

     Portal Correio

    Segundo a assessoria da CBTU, a composição do VLT fica na oficina da companhia, em Cabedelo, e será montada em até dois meses, ficando pronta no início de janeiro de 2015, quando serão realizados os primeiros testes. No fim de janeiro, a empresa responsável pela fabricação do VLT entregará mais duas composições e até novembro do ano que vem, toda a frota deverá ser disponibilizada.

    Além da montagem, a oficina da CBTU também servirá de ponto de manutenção e abastecimento do VLT. Para isso, a assessoria da companhia informou que o local passará por uma reforma e adequação das bombas de combustível, já que as novas composições não utilizam o mesmo combustível dos trens atuais. As estações de passageiros também irão passar por processos de modernização, além da construção de novas plataformas.

    A assessoria disse que as reformas e adequações da oficina e das estações de passageiros dependem do andamento da licitação para contratação da empresa responsável pelos estudos, planejamento e execução das obras. Não foram divulgadas datas para que tudo esteja concluído.

    Mais modernos e ágeis do que os trens atuais, as composições do VLT da Grande João Pessoa prometem tornar mais rápido e seguro o transporte de passageiros. A previsão é de que a espera entre uma composição e outra passe a ser de até 15 minutos, contra os 50 minutos atuais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Ricardo anuncia casas, estradas e conclusão do Parque Bodocongó




    Em entrevista na tarde desta quarta-feira (29) na TV Borborema, em Campina Grande, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, reeleito no último pleito, anunciou uma série de obras e ações para Campina Grande, entre elas, a continuidade das obras da urbanização do Parque do Açude de Bodocongó, a construção de casas, a continuidade da estrada de Catolé de Boa Vista até a cidade de Boa Vista, a pavimentação da estrada do Jenipapo, além da manutenção da promessa de construir na cidade um Centro de Convenções à altura da importância da cidade.

    Na área de segurança, o Governo vai implantar Câmeras de Monitoramento em locais estratégicos da cidade, para inibir a ação de criminosos.

    Acompanhado da vice-governador eleita, Lígia Feliciano, do deputado Adriano Galdino, do vereador Murilo Galdino, além do presidente municipal do PSB, Fábio Maia, o governador disse que as obras do Parque de Bodocongó não foram paralisadas por causa da campanha, mas que continuam num ritmo acelerado e prevê ainda o saneamento da Vila dos Teimosos.

    A previsão é que em um ano tudo esteja pronto em Bodocongó: “Campina Grande vai se reencontrar naquele espaço, que irei inaugurar com muita emoção. Acompanharei essa obra de perto, pois quando fui prefeito de João Pessoa, construímos 74 praças e sei da importância que isso tem no contexto de uma comunidade, para atividades esportivas, de lazer, da cultura e de entretenimento”, assinalou Ricardo.

    O Centro de Convenções, garantiu o governador, também será uma realidade em sua gestão: “Iremos trabalhar dentro em breve para que a iniciativa comece a se concretizar. Vai ser uma obra diferenciada das demais, com auditório amplo, além de um espaço para que as ativdades produtivas de Campina possam realizar feiras diversas”.

    Sobre estradas, Ricardo Coutinho disse que vai fazer muito mais por Campina Grande e por seu entorno: “Além da estrada do Lucas, estamos fazendo a estrada até Catolé de Boa Vista, mas iremos levar essa rodovia até a cidade de Boa Vista ainda em meu Governo. Iremos fazer ainda a estrada de Jenipapo, que dependerá das desapropriações que terão quer ser feitas, mas passada essa fase, as ações irão acontecer”, garantiu o governador.

    Ainda neste ano, o governador estará pessoalmente em Campina Grande, para inaugurar mais de 40 unidades habitacionais no projeto denominado Cidade Madura, ao lado do Parque de Exposições do Ligeiro. São imóveis para idosos, num espaço integrado, com redário, horta comunitária, pista de caminhada e salão de convivência.

    Ricardo Coutinho anunciou ainda que fará novos investimentos em escolas estaduais na cidade, na realização de eventos culturais, no incremento do Programa Empreender, entre outras ações sociais.

    Na área de Saúde, o Governador afirmou que o Hospital de Trauma, aberto na sua gestão, vai continuar ganhando mais investimentos, “mas a Prefeitura precisa melhorar em muitos os atendimentos no PSF, pois a população não tem tido os atendimentos básicos e está procurando o hospital que não foi construído para essa finalidade”, finalizou Ricardo Coutinho.

    OBRAS EM ANDAMENTO - Em Campina Grande, o Governo da Paraíba concluiu o Conjunto Três Irmãs, beneficiando quase três mil pessoas. Por meio do programa Pró-Moradia, foram investidos recursos na ordem de R$ 12.599.770,81. Outra obra concluída na atual gestão foi o conjunto Novo Cruzeiro, também do Pró-Moradia, com 333 casas com investimentos de R$ 5.624.666,09. No conjunto Colinas do Sol, foram entregues 406 unidades com investimentos de R$ 3.096.315,96.

    Ainda na Rainha da Borborema estão sendo construídos os residenciais Raimundo Suassuna e Acácio Figueiredo. São 1.948 casas por meio do programa Minha Casa Minha Vida com investimentos de R$ 94.671.702,40. As obras já estão em fase de finalização.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Sarney nega voto em Aécio: ‘Sórdida montagem‘




     
    Por meio da assessoria, senador José Sarney critica vídeo em que aperta o 45 na urna de votação, número do PSDB, mesmo usando adesivos da presidente Dilma Rousseff: “O senador e a presidente Dilma são aliados de longa data e não faz nenhum sentido essa farsa que circula nas redes sociais. É mais uma prova da campanha sórdida que emergiu na internet na disputa deste ano, com o objetivo de usar a rede para manchar reputações”, declarou a assessoria do peemedebista

    247 – Após polêmica sobre suposto voto no tucano Aécio Neves, o senador José Sarney rebate por meio de sua assessoria: “O senador e a presidente Dilma são aliados de longa data e não faz nenhum sentido essa farsa que circula nas redes sociais. É mais uma prova da campanha sórdida que emergiu na internet na disputa deste ano, com o objetivo de usar a rede para manchar reputações”.

    Leia na nota do Diário do Poder:

    ASSESSORIA DE SARNEY DIZ QUE VÍDEO É UMA “SÓRDIDA MONTAGEM”
    VIDEO MOSTRA SUPOSTO VOTO DE JOSÉ SARNEY EM AÉCIO NEVES

    Rodrigo Vilela

    Circula na internet vídeo em que o senador José Sarney (PMDB-AP) supostamente vota no candidato Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial. O senador é aliado de Dilma Rousseff (PT), que enfrentou o tucano no pleito.

    Assessores do parlamentar desmentiram que Sarney tenha ‘virado a casaca’ e classificaram o vídeo como “mais uma farsa” e “sórdida montagem”.

    O vídeo mostra imagens ampliadas, exibidas pela TV Amapá, afiliada da TV Globo, que Sarney, mesmo usando adesivos de Dilma, apertou 45 (número do PSDB) na urna eletrônica.

    “O senador José Sarney não se pronunciou ainda sobre se vai tomar medidas judiciais contra a violação do voto, mas rechaça qualquer tentativa de manipulação que envolva o nome dele. O senador e a presidente Dilma são aliados de longa data e não faz nenhum sentido essa farsa que circula nas redes sociais. É mais uma prova da campanha sórdida que emergiu na internet na disputa deste ano, com o objetivo de usar a rede para manchar reputações”, declarou a assessoria do peemedebista.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    PMDB já chefia a oposição?





    Rebelião em curso no maior parceiro do governo; sob a senha ‘diálogo‘, comando do PMDB despeja carga sobre a presidente Dilma Rousseff; após liderar derrubada do decreto de conselhos populares, Henrique Alves assume pauta com votações de diversas emendas orçamentárias de deputados; Renan Calheiros, no Senado, adianta que conselhos também não serão aprovados na Casa; deputados se reúnem à volta de Eduardo Cunha e candidatura dele para presidente da Câmara está colocada; Dilma chama Alves ao Planalto; partido correu mais rapidamente para emparedar governo do que esperava o PT; como antes da reeleição, é Dilma quem volta a fazer sua própria articulação política; ela vai conseguir amansar o PMDB?


    247 – O PMDB correu primeiro – e, ao que se vê, já está na oposição ao governo Dilma Rousseff. Ao menos a esse governo que vai completando o primeiro mandato e inicia um processo de reforma ministerial para a segunda gestão. Sob a senha do ‘diálogo‘, que, em tradução para o português claro, significa ter participação no ministério que a presidente prometeu anunciar até dezembro, o PMDB já age por cargos.

    Foi por "falta de diálogo", na expressão do vice-líder do partido na Câmara, Lúcio Vieira Lima, que a sigla impôs a primeira derrota ao governo na arena parlamentar. Na terça-feira 28, aprovou-se a derrubada do decreto presidencial que cria os conselhos populares. Hoje, após o peemedebista Henrique Alves ter comandado a sessão na Câmara que arriou uma bandeira vistosa da administração Dilma, o presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou que já está empenhado em dar a mesma destinação ao assunto quando chegar à Casa.

    Entre esses dois atos, numa numerosa reunião, os deputados federais do PMDB se uniram à volta do líder Eduardo Cunha para, na prática, impor a candidatura dele à Presidência da Câmara. Em Brasília, ele já é visto como favorito. Durante a eleição, ele integrou, discretamente, o movimento Aezão, no Rio de Janeiro. Pouco antes do pleito, calculou que pelo menos metade da bancada de 66 deputados eleita pelo partido apoiaria um governo do adversário dela, Aécio Neves.

    A legenda é a segunda maior da Câmara, atrás apenas do PT. O problema é que, se já foi difícil para o partido do governo lidar com os peemedebistas nos primeiros quatro anos de Dilma, agora vai ser mais difícil ainda. Enquanto o PT viu sua bancada diminuir em 18 cadeiras, o PMDB só perdeu cinco em relação à atual legislatura. Uma costura que una PSDB e PSB à candidatura de Cunha poderá ser feita sem grandes esforços.

    Está tudo ajustado para que o governo perca, também no Senado, a votação sobre os conselhos populares. Palavra de Renan Calheiros:

    - Já havia um quadro de insatisfação com relação à aprovação dessa matéria. Ela ser derrubada na Câmara não surpreendeu, analisou o presidente do Senado, para prosseguir:

    - Da mesma forma que não surpreenderá se ela for, e será, derrubada no Senado Federal, cravou o senador alagoano.

    A presidente Dilma percebeu, é claro, o rumo cada vez mais oposto ao seu que o partido do vice-presidente Michel Temer vai tomando. Assim como nos últimos quatro anos, quando careceu de um grande articulador do PT para entender-se com os indóceis peemedebistas, outra vez Dilma teve de chamar esse trabalho para si. Na tarde desta quarta-feira 29, Alves, que perdeu as eleições para o governo do Rio Grande do Norte, foi recebido pela presidente no Palácio do Planalto.

    - Tivemos uma conversa muito cordial, amável e respeitosa com a presidente Dilma, disse ele, dentro do protocolo, para em seguida dar, mais uma vez, seu recado:

    - Eu diria a ela que ela faça o que prometeu fazer, ouvir muito, adiantou-se o presidente da Câmara, que vem apontando na falta de apoio do ex-presidente Lula a responsabilidade por sua derrota na eleição para governador do Rio Grande do Norte.

    - E, sobretudo, em relação ao Poder Legislativo, ouvir mais, porque essa é a Casa da ressonância da vontade popular.

    O plano do PMDB de Alves e Cunha está traçado na Câmara. Serão colocados em pauta projetos de emendas orçamentárias de diferentes parlamentares, no que promete ser um show de benefícios com dinheiro do Tesouro.

    - Nada que represente irresponsabilidade ou ameaça ao equilíbrio fiscal, completou Alves, dando indicações de que a mordida no Orçamento vai ser grande.

    O troco político que Alves e Cunha estão dando no PT é evidente. Para o partido da presidente, o problema continua sendo a falta de um negociador com poder delegado para apagar incêndios legislativos antes que eles aconteçam. O segundo governo Dilma só começa em 1º de janeiro de 2015, mas as primeiras labaredas já estão consumido as energias de Dilma.

    Abaixo, notícia da Agência Brasil a respeito:

    Rejeição de decreto na Câmara é como 3º turno para oposição, dizem especialistas

    Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil - Especialistas ouvidos pela Agência Brasil avaliam que a derrubada, na Câmara dos Deputados, do decreto presidencial que regulamentava a Política Nacional de Participação Social e os conselhos populares tem um significado de revanche, de terceiro turno eleitoral, para os partidos de oposição ao governo.
    Desde a publicação do decreto, alguns setores do Congresso Nacional vêm se opondo à ampliação da participação da sociedade civil na elaboração de políticas do Estado, destacou o advogado Darci Frigo, coordenador da Organização de Direitos Humanos Terra de Direitos.

    “Essa oposição se dá em função do entendimento bastante conservador de que o decreto é uma ameaça à democracia representativa, que está configurada através do voto. Mas a Constituição garante também a democracia direta, em um processo como esse, que amplia a participação da sociedade. Seria um avanço importante de qualificação da democracia, mas o Congresso não quer dividir poder com a sociedade, e essa negativa confronta com as mobilizações que ocorreram no Brasil em 2013, que pediam essas mudanças”, disse Frigo.

    Para o advogado, a participação popular não implica a existência de conflito com os direitos parlamentares, mas sim complementa. “A democracia representativa não faz o esforço para resolver os problemas que a sociedade está vivendo. Isso sinaliza que, se a população não se mobilizar, não ir às ruas de novo, a reforma política que está por vir pode ser no sentido de retroceder e não atender aos anseios do povo”, completou.

    Frigo conta ainda que a Articulação Justiça e Direitos Humanos, da qual a Terra de Direitos faz parte, solicitou audiência com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para discutir meios que permitam à sociedade participar de forma mais ativa no processo de construção da Justiça do país. Ele conta que o ministro falou sobre a ampliação dos mecanismos de participação em seu discurso de posse na presidência da Corte. “Seria um passo importante para debater ainda mais a participação popular.”

    A presidenta do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro Souza, explica que, na prática não haverá mudança na criação de novos conselhos e eles continuarão existindo. O decreto apenas regulamentava e reorganizava os conselhos e responsabilizava mais os governos, nos três níveis.

    “Temos quase 30 anos de democracia, mas é possível melhorar, ter mais articulação entre a democracia participativa e a representativa. Não é porque o Legislativo foi eleito pelo povo que damos o direito de [os parlamentares] legislarem sem dar voz às comunidades. [A derrubada do decreto] foi uma reação revanchista, precipitada, sem transparência ou diálogo com uma política de Estado”, disse Maria do Socorro.

    Em participação ontem (28) no programa Espaço Público, da TV Brasil, o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, disse que a derrubada do decreto não é o fim do mundo. “Já perdemos várias, perdemos votações e a vida segue, claro que queremos ganhar o máximo possível. Mas o resultado é ruim para quem defende posições populares”, avaliou.

    “É uma derrota simbólica”, disse o assessor de Projetos e de Formação da Coordenadoria Ecumênica de Serviço, José Carlos Zanetti. “O decreto seria o coroamento da criação de um sistema de muitos conselhos já existentes, que legitimam políticas públicas. Houve um sinal ruim com a suspensão do decreto que cria uma cortina de fumaça naquilo que já estava acontecendo, provoca um desgaste na sociedade”, disse.

    Segundo a coordenadora-geral da associação Ação Educativa e integrante da Diretoria Executiva da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong), Vera Masagão, o decreto estava ligado à transparência e coibia o aparelhamento do governo. Para ela, a Câmara colocou em xeque a iniciativa de milhares de pessoas que, voluntariamente, participam de conselhos em todos os níveis pelo país.

    “Não há nenhum argumento válido [dos deputados]. A perda é grave com a atitude do Congresso, uma ação que seria importante para a democracia ser usada para embate político. E o que chama a atenção é a participação de um grupo tão grande de lideranças de partidos historicamente comprometidos com a participação social”, disse Vera.

    A integrante da Abong acrescentou que a sociedade saiu mais politizada da eleição e que é preciso cobrar desses partidos uma oposição mais qualificada, com mais consistência dos argumentos e propostas alternativas. “Se eles se sentem ameaçados, têm que explicitar”, argumentou Vera.

    O Projeto de Decreto Legislativo 1491/14, que derruba o Decreto nº 8.243, de maio deste ano, ainda passará pela avaliação do Senado Federal. O presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje que “dificilmente” o decreto será mantido no Senado.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Aos 80 anos Francisco Cuoco casa com mulher de 27




     Nem gosto muito de falar dela porque aí vem aquela besteirada da idade, como se fosse uma lei’ | |
    Aos 80 anos, Francisco Cuoco tem exibido um estilo mais descolado e colorido. Tudo obra de sua milher, a estilista Thaís Almeida, 27 anos. No ar em "Boogie Oogie", o ator conta, no entanto, que nem liga tanto para aparência:

    — Em geral, eu deixo que a televisão me cuide (risos). Mas, quando venho de casa, a Thaís cuida de mim. Ela escolhe as camisas, bota o cabelo assim, solta ou prende, dá um toque. Aí, eu me sinto superarrumado.

    Mas Cuoco prefere nem revelar muito de seu casamento:

    — Nem gosto muito de falar dela (Thais) porque aí vem aquela besteirada da idade, como se fosse uma lei. Na verdade são tantos preconceitos neste mundo. Mas o negócio é (ele faz um sinal de tapar os ouvidos) para o que não interessa porque não vale a pena.

    OGlobo


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    “Nome do novo presidente da ALPB pode surpreender”, diz Efraim Morais




     Coordenador da campanha socialista diz que governador observará de longe o processo | |
    O coordenador da campanha de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB), no segundo turno, Efraim Morais, considerou que a escolha do nome para presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, na próxima legislatura, pode ser uma surpresa.

    Desconhecendo insinuações de que o governador trabalharia para eleger um aliado do PMDB na Casa, Efraim considerou que todos os 36 parlamentares eleitos e reeleitos são iguais e qualquer um pode assumir o comando do Poder Legislativo.

    “Eu tenho absoluta certeza que com a renovação, com quadros jovens e deputados experientes eles vão conversar entre si. A partir daí sai um nome que até nós que temos mais vivência na política da Paraíba e vocês jornalistas que cobrem a política do dia a dia poderão se surpreender.

    Efraim disse ainda não cabe ao governador vai olhar de longe o que está acontecendo, mas sem intervir diretamente no processo.

    “Eu não tenho a menor dúvida de que Ricardo ficará de longe observando os movimentos que acontecerão dentro da Assembleia”, disse Efraim defendendo que a formação da mesa seja “suprapartidária”.

    “Defendo que tenha um entendimento primeiro com as lideranças dos partidos. São 36 deputados e todos são iguais e poderão assumir a presidência da Casa. Não tem essa história do mais votado ou do menos votado. Como diria Ernani Sátiro, o voto é o mesmo”, avaliou.


    Roberto Targino - MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 30.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Deputado diz que apoio à reeleição de RC não significa que ele esteja na base aliada




    AssessoriaFoto: Walla Santos
    O deputado estadual Frei Anastácio, líder do PT na Assembleia Legislativa, disse hoje (29) na tribuna que o fato de ter apoiado a reeleição de Ricardo Coutinho, no segundo turno, não significa que automaticamente esteja na base governista no parlamento. "É preciso dialogar sobre isso com o governador", disse o deputado.

    O parlamentar acrescentou que ajudou a reeleger o governador e está pronto para dialogar a construção da base governista na Assembleia Legislativa. "Mas, isso em torno de um programa pautado pelo diálogo, que venha beneficiar os trabalhadores do campo e da cidade e a população em geral. Também espero que o governador mude a forma de gerir o nosso estado, porque caso contrário a "pancada do bombo" será diferemte", disse.

    Além disso, o deputado enfatizou que quer saber de que forma poderá contribuir com o programa de governo no estado. "Nós não apoiamos a reeleição do governador do estado, simplesmente por apoiar. Queremos ver resultados desse apoio, com projeções de futuro para nosso estado. O povo me reconduziu à Assembleia para exercer a função de deputado e, assim o farei, fiscalizando, criticando quando for necessário, e reivindicando melhorias para o povo da Paraíba", disse o deputado.

    Frei Anastácio disse ainda que o apoio dele a Ricardo Coutinho, no segundo turno das eleições, foi realizado atendendo as orientações nacionais do PT.

    "Assim como fiz no primeiro turno, apoiando o candidato a governador, Vital Filho, sob orientação nacional do meu partido, o fiz no segundo turno manifestando nosso apoio à reeleição do governador do estado. Agora, é hora de dialogar com o governo sobre o futuro", afirmou.

    Agradecimento pela vitória

    O parlamentar também agradeceu aos 22.119 paraibanos que acreditaram no projeto desenvolvido pelo mandato dele. "Agradecemos aos paraibanos dos 208, dos 223 municípios que acreditam em nosso mandato.Quando muitos apostaram em nossa derrota, os paraibanos foram às urnas e deram a resposta nos concedendo um mandato de mais quatro anos",agradeceu o parlamentar.

     

    clickpb.com.br


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Projeto propõe delegado como conciliador de conflitos




     
    Em análise na Câmara Federal, proposta determina que policial civil possa atuar como mediador de conflitos

    O Projeto de Lei n.º 1.028/2011, em análise na Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal, tem a pretensão de ser um marco no país na aproximação da polícia com a comunidade. A proposta concede a atribuição de mediador de conflitos, uma espécie de conciliador, ao delegado de polícia. Carregada de polêmica mesmo antes de ir à votação, a nova função pode conter a abertura de ações contra crimes de menor potencial ofensivo, como brigas e ameaças, que abarrotam as mesas das delegacias e dos juizados especiais. Mas tende a aumentar a sobrecarga de trabalho dos policiais.

    Segundo o relator do projeto, deputado federal Fernando Francischini (PSDB-PR), a ideia é colocar o delegado como uma figura que antecipe a solução do problema, para evitar que um pequeno conflito vire uma ação criminal ou um termo circunstanciado – procedimento para crimes com pena máxima de dois anos. “Às vezes demora meses ou anos para ocorrer uma audiência no juizado”, afirma Francischini, ex-secretário municipal Antidrogas de Curi¬¬tiba. De acordo com ele, e com a própria Polícia Civil do Paraná, os pequenos delitos representam a maioria dos casos registrados no estado e no país. São problemas que poderiam não ter virado caso de polícia.

    Se houver uma briga de vizinhos, por exemplo, um policial poderá ir até o local fazer o atendimento. Lá, terá a possibilidade de realizar um pré-termo circunstanciado – um documento de fé pública –, registrando o episódio, de acordo com Fran¬¬cischini.
    Experiência
    “Não há perdedores ou vencedores”

    O psicólogo Edson Januário Neves é um experiente mediador de conflitos. Já trabalhou com o juizado especial de Curitiba e passou por poucas e boas para conseguir mostrar que uma desavença pode ser resolvida com a vitória de todos os lados. Hoje, ele trabalha com a Fundação de Ação Social, principalmente em divergências familiares, e no Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná. Fundador do Instituto de Mediação e Arbitragem de Curitiba, desde 1997 atua na área.

    Segundo ele, o trabalho difere da atuação de um advogado ou juiz. “Na mediação, ambas as partes podem sair satisfeitas”, conta.

    “O maior problema é cultural. As pessoas estão configuradas para a briga e às vezes não compreendem que podem ganhar sem o outro perder”, explica.
    Em uma de suas mediações, uma idosa pediu na Justiça para receber dos filhos uma pensão. Na petição, a advogada teria indicado com detalhes a suposta negligência da família com a mãe. “Eles queriam até agredir a defensora pública. No final, resolveram sentar e conversar. Facilitei o diálogo. A mãe, na verdade, não queria pagamento. Ela queria é o reconhecimento dos filhos. No fim, todos se abraçaram e choraram”, conta Neves.

    Resultados

    Minas tem programa semelhante

    Um projeto em Minas Gerais conseguiu montar 11 núcleos com delegados conciliadores: oito em Belo Horizonte (BH) e três na região metropolitana. Implantado em 2007, o programa já tem resultados visíveis, de acordo com a coordenadora do Projeto Mediar, da Polícia Civil mineira, Letícia Gamboge. “A gente tem percebido uma queda grande de crimes de pequeno potencial ofensivo e em tentativas de homicídios”, afirma.

    Para suprir a necessidade de profissionais capacitados, a Academia da Polícia Civil mineira incluiu em sua grade curricular a matéria de mediação de conflitos. “Os policiais não aceitaram bem no começo, mas foi promovida uma mudança cultural com oficinas de sensibilização”, conta a delegada. A ideia agora é expandir os núcleos para o interior e ampliá-los na região de BH.

    Esse documento seria levado para a delegacia, evitando que os envolvidos precisassem se deslocar até a repartição. O caso seria analisado pelo delegado, que chamaria as partes para resolverem o conflito. A conciliação só começaria se todos os envolvidos concordassem com a intermediação do profissional. Resolvido o caso, o acordo seria validado após parecer do Mi¬¬nistério Público e homologação do juizado especial.
    Polêmica.


    A Associação dos Magistrados do Paraná posiciona-se contra o projeto. O presidente da entidade, Gil Guerra, argumenta que a proposta apenas criará mais uma instância para resolver questões da alçada do juizado especial. “A polícia não tem es¬¬trutura nem para investigar. Além disso, esse projeto tem um aspecto inconstitucional”, explica. Segundo Guerra, toda questão de conflito deve ser resolvida pelo Judiciário.
    Para o psicólogo Edson Januᬬrio Neves, mediador de conflitos em Curitiba, o delegado não é a pessoa mais adequada para atuar na mediação: ele acredita que as pessoas enxergam esse profissional como alguém que pune e não que pode conciliá-los. “O delegado é uma autoridade do estado. Ele jamais será imparcial. As pessoas não abrirão os casos para eles”, avalia. No dia 9 de novembro, a Comissão deve votar o relatório final do projeto, que seguirá para a Comissão de Constituição e Justiça e a votação em plenário.

    Iniciativa auxilia na prevenção de crimes

    O coordenador do Centro de Estudos da Violência da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Pedro Bodê, vê no projeto de lei uma boa possibilidade de aproximar o delegado de polícia da comunidade e prevenir que pequenos delitos se transformem em crimes. A ideia é que o mediador possa intervir antes que ameaças e brigas cresçam e virem tentativas de homicídios, lesões corporais graves ou até assassinatos. “É uma saída boa, desde que todos os envolvidos não tenham seu direito à defesa cerceado”, avalia.

    Outra ressalva é sobre o efetivo da polícia. Segundo Bodê, qualquer medida nova terá de ser acompanhada por investimentos em estrutura. “Só faz sentido se criar condições para que o projeto seja efetivo. Se não, será mais uma sobrecarga para o delegado”, explica.

    O delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinicius Miche¬¬lotto, também aprova a iniciativa. “A polícia sempre foi o primeiro conciliador. Já chegamos a ser advertidos pela Justiça (por promover mediações informalmente), mas esse projeto vai aliviar o trabalho de todos”, diz. A Asso¬¬ciação Paranaense dos Juízes Federais também considera que toda medida que desburocratize a conciliação é bem-vinda. “Va¬¬mos suprimir o aumento da demanda de procedimentos e audiências, que demoram muito”, afirma o presidente da entidade, Anderson Furlan.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Trócolli Júnior sinaliza apoio a Ricardo Coutinho na Assembleia Legislativa




     Publicado em Politica Por Vavá da Luz 

    O deputado estadual Trócolli Júnior (PMDB) sinalizou, nesta quarta-feira (29), apoio ao governador Ricardo Coutinho (PSB) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

    Durante contato com a imprensa, Trocolli, que foi divergente do PMDB no segundo turno das eleições, revelou que na manhã de hoje ocorreu uma reunião com os deputados do partido onde ficou definido que todos votarão em bloco para escolher o novo presidente da ALPB.

    “Eu defendo uma Assembleia independente, autônoma e eu irei me aliar aos meus companheiros aqui na Assembleia. Esse é o meu desejo. Eu tive divergências a respeito da votação e toda a Paraíba sabe em quem eu votei. Continuou com a minha independência. Fizemos uma reunião com os deputados do PMDB e vamos tomar a decisão, no dia primeiro de fevereiro, conjunta, com todos os deputados do partido unidos”, destacou.

    A fala de Trócolli Júnior sinaliza que ele seguirá o partido no apoio ao governo do Estado. No segundo turno das eleições, Trócolli optou por ficar com o tucano Cássio Cunha Lima (PSDB) quando a legenda seguiu trabalho pela reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB).

    Roberto Targino – MaisPB


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    O preconceito e a discriminação contra os nordestinos




    De vez em quanto por um fato ou outro, aparecem nas redes sociais e até na imprensa verdadeiras campanhas agressivas e criminosas contra os nordestinos. Desta feita a revolta de alguns preconceituosos e desinformados como o jornalista Diego Mainardi, ocorreu em razão da votação da presidente Dilma Roussef no último pleito. Tais pessoas além de preconceituosas são também, desinformadas, pois enquanto o Nordeste deu 24.568.663 votos para Dilma, Sul e Sudeste deram 26.627.802 votos.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    "Não podemos varrer as traições para debaixo do tapete", diz Vené




    Em 2016, o partido tem que estar certo dos candidatos que irá lançar em cada cidade.

    De Brasília, onde participa de reunião do PMDB Nacional para discutir os rumos do partido a partir das Eleições 2014, o deputado federal eleito Veneziano Vital do Rêgo (PMD-PB) disse nesta quarta-feira (29) que o partido vai se posicionar e tomar uma decisão sobre os peemedebistas que traíram a legenda no pleito deste ano.

    Segundo Veneziano, esta é uma realidade que o partido não pode esconder e a posição tomada por muitos peemedebistas é vista com preocupação, considerando o futuro da legenda para as próximas eleições estaduais e nacionais. “Não faremos ‘caça às bruxas’, mas não podemos varrer para debaixo do tapete as traições, não dá para esconder essa realidade vivenciada nestas eleições pelo PMDB paraibano”.

    Veneziano lembrou que, em 2016, ocorrerão eleições municipais e o partido tem que estar certo dos candidatos que irá lançar em cada cidade. “Daqui a dois anos, teremos eleições municipais, que serão preparatórias para as próximas eleições estaduais e nacionais de 2018, e é preciso que saibamos com quem vamos conviver”, afirmou.

    Ele lembrou que, diante das dificuldades vivenciadas na campanha deste ano, o PMDB, na Paraíba, saiu muito bem do processo eleitoral. “Por tudo o que passamos, podemos dizer que saímos dessa eleição vitoriosos”, afirmou o deputado eleito, lembrando que o partido fez o senador José Maranhão, três deputados federais (a maior bancada da Paraíba na Câmara Federal) e quatro deputados estaduais (a segunda maior bancada da Assembleia).

    Veneziano também recordou que o processo pré-eleitoral foi muito traumático para o partido, considerando a posição de muitos peemedebistas, que escolheram apoiar outros projetos, que não o do próprio PMDB. “Muitos peemedebistas, lamentavelmente, movidos pelo sentimento de tirar vantagem, foram seduzidos por uma suposta futura vitória certa e aderiram ao clima do ‘já ganhou’ do candidato do PSDB ou, ainda no primeiro turno, decidiram apoiar o governador Ricardo Coutinho”.

    Ele finalizou dizendo que o PMDB vai trabalhar para não tolerar ser uma legenda apenas ‘usada’ por políticos que pensam mais em si próprios do que no conjunto partidário. “Vamos discutir isso com muita calma, tranquilidade, espírito sereno. Mas não podemos relevar a realidade: o PMDB não pode ser uma legenda para se recorrer a ela na eleição municipal, por ser um grande partido, e na hora da contrapartida, nas eleições estaduais e nacionais, simplesmente virar as costas. Não, não dá pra ser assim”.

    Da Redação com Assessoria


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    MP que garante nível superior e reajuste dos policiais federais é aprovada no Senado




     

     

     

    Nesta terça-feira, 28, o Senado Federal aprovou a Medida Provisória 650, que regulamenta o nível superior e concede o reajuste de 15,8% aos agentes, escrivães e papiloscopistas. Como o texto não houve alterações, a lei decorrente da medida (nº 13.034/2014) foi promulgada na mesma sessão, pelo presidente da Casa, Renan Calheiros.

    Segundo o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, o maior desafio enfrentado nessa etapa foi atingir o quórum mínimo de parlamentares para a apreciação da matéria. “Havia um acordo para que a Medida fosse aprovada sem emendas, pois estávamos no limite. Nossa maior preocupação era que os senadores comparecessem à sessão”, enfatiza.


    Desde a aprovação da Medida no Plenário da Câmara dos Deputados, o Conselho de Representantes, diretoria e sindicalizados se empenharam na conscientização dos senadores em comparecer à votação.

    - O trabalho dos sindicalistas e sindicalizados foi de fundamental importância para esse resultado. Eles usaram todos os meios para que o nosso pleito chegasse aos parlamentares. Apenas 14 senadores não estiveram em Brasília no dia da votação.

    Senadores

    Em suas manifestações, os Senadores se manifestaram favoráveis a Medida Provisória. Segundo o relator da matéria, senador José Pimentel, esse é o resultado de uma longa discussão, mediação e cessão, tanto por parte dos trabalhadores quanto do governo federal.


    Para o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), o governo contribui para o desajuste na Polícia Federal, fomentando uma divisão que não deveria existir. O senador citou, ainda, o déficit no efetivo, os baixos salários e o material de trabalho ultrapassado. As más condições de trabalho também foram citadas pelos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Odacir Soares (PP-RO).

    Próximo passo

    Para que o reajuste seja implementado, o Congresso Nacional precisa votar o PLN5/2014, projeto de créditos adicionais, que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) em vigor (Lei 12.919/2013). Está prevista uma reunião para a segunda semana de novembro, porém o PLN ainda não está na pauta.

     




    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 29.10.2014 | Autor: Pedro Marinho

    Ruy Carneiro retoma atividades na Câmara e projeta atuação do PSDB na oposição





    O deputado federal e presidente estadual do PSDB da Paraíba, Ruy Carneiro, retomou suas atividades na Câmara Federal nesta terça-feira (28). Ruy Carneiro que foi candidato a vice-governador na chapa com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), disse que vai seguir trabalhando em defesa dos paraibanos e fará oposição responsável e consistente ao atual governador.

    -Estarei vigilante na trincheira da oposição, pois esse papel nos concedido por mais de um milhão de paraibanos. E eu vou honrar cada voto. Estaremos trabalhando na direção do PSDB da Paraíba, e vamos desde já apontar para 2016, com o objetivo de fortalecer nossa legenda e eleger o maior número de prefeitos e vereadores, confirmou Ruy que segue na Câmara até janeiro de 2015.

    Brasília
    No Plenário da Câmara dos Deputados estão na pauta a proposta de emenda à Constituição do orçamento impositivo (PEC 358/13), que ainda precisa ser votada em 2º turno, e o projeto que cria novas regras para pesquisa e exploração do patrimônio genético de plantas e animais e de conhecimentos tradicionais associados (PL 7735/14).
    A proposta pretende diminuir a burocracia para pesquisas voltadas aos setores farmacêutico, cosmético, entre outros, mas tem a oposição de parlamentares ligados ao agronegócio. Apresentado pela Presidência da República no final de junho, o texto já recebeu mais de 100 emendas, mas ainda não tem relator definido. O projeto tranca a pauta de votações desde 11 de agosto.

    Com informações da Agência Câmara


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas