Braço direito de RC nomina apenas um paraibano em Brasília que não mede esforços para ajudar gestão estadual

 
Responsável por tocar as obras na gestão estadual, o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos João Azevedo não titubeou ao ser interpelado durante entrevista concedida nesta segunda-feira (27): o senador Raimundo Lira (PMDB) não tem medido esforços na ajuda pela liberação de recursos para a Paraíba.


Ao ser interpelado sobre a atuação da bancada, João disse que parte da bancada apoia os projetos da gestão.

 

“Parte da bancada apoia sim. Temos por parte do senador Raimundo Lira, uma figura que ajuda muito a Paraíba, ele ajuda e os outros dois (Cássio e Zé) nós não temos até agora a participação com a ajuda junto ao Governo. Essa é a verdade, vamos dar nome aos bois”, frisou.

 

João Azevedo detalhou o trabalho desenvolvido por Lira: “Ele tem feito um trabalho junto ao ministro Meireles, ao Banco do Brasil e o senador Raimundo Lira tem dado uma grande ajuda”, pontuou.


Quando questionado se uma parte ‘atrapalha’, Azevedo foi enfático “As vezes sim”, sem nominar.


RECONHECIMENTO: O senador Raimundo Lira (PMDB-PB) é destaque no ranking dos políticos. Ele aparece como o quarto senador melhor avaliado pela população e o segundo do PMDB. Lira está à frente de políticos como Eunício Oliveira, Tasso Jereissati, Ana Amélia e Cristovam Buarque. Da Paraíba, o parlamentar é o único político a constar na lista dos melhores avaliados.

 

Desenvolvido pelo site Ranking Políticos, o trabalho compara políticos de todo o Brasil. O projeto foi idealizado por Alexandre e Renato, dois administradores de empresa que se dizem indignados com a corrupção e a má qualidade do setor público em geral. “Acreditamos que o Ranking seja a maneira mais eficiente de melhorar o Brasil, pois se tirarmos os piores, criaremos um ciclo virtuoso de melhoria”, afirmam os organizadores.

 

Todos os dados apresentados no projeto são de origem oficial pública, sendo a maioria deles vindos diretamente do site do Congresso. Cada ponto ganho ou tirado está documentado, com a origem da informação e a fonte, de modo que qualquer um possa conferir.

 

PB Agora


Veículo da prefeitura de Campina é apreendido com material de campanha do PSDB



A Justiça eleitoral de Campina Grande apreendeu, na noite desta terça-feira (27), um carro da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), com material de campanha do prefeito e candidato à reeleição, Romero Rodrigues (PSDB).

De acordo com fiscais do TRE, o veículo estava estacionando na Rua Venancio Neiva, na frente da sede da TV Borborema/SBT, onde está ocorrendo debate entre os candidatos à prefeitura da cidade.

Na ocasião foram aprendidos adesivos, bandeiras e santinhos do candidato Romero Rodrigues.

A assessoria do candidato não quis se pronunciar sobre o ocorrido.


Ação do MP pede inelegibilidade de Cartaxo e Manoel Júnior


Ação do MP pede inelegibilidade de Cartaxo e Manoel Júnior

O Ministério Público Eleitoral ajuizou, nesta terça-feira (27), uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra o atual prefeito de João Pessoa e candidato à reeleição, Luciano Cartaxo Pires de Sá (PSD), e contra o candidato ao cargo de vice-prefeito, Manoel Alves da Silva Júnior (PMDB).

De acordo com o promotor de Justiça João Geraldo Carneiro Barbosa, da 77a Zona Eleitoral, Cartaxo aproveitou-se de sua influência política e de sua autoridade como prefeito da capital paraibana para praticar condutas que violaram o princípio da isonomia no processo eleitoral em prol de sua candidatura e da candidatura de seu vice.

Dentre as condutas elencadas estão o aumento de despesas com servidores contratados temporariamente. “Em dezembro de 2014, 56,94% do quadro de pessoal da Prefeitura de João Pessoa era formado por servidores contratados a título de contratação temporária por excepcional interesse público. As despesas efetivadas com os contratados por tempo determinado só cresceram, entre 2013 e 2014”, destacou a ação.

A Promotoria constatou que o índice de contratados sem concurso em detrimento do total de servidores também só aumentou entre janeiro e março de 2015, passando dos 50% e que os gastos efetivados com esse pessoal, entre 2012 e 2014, passou de R$ 208,5 milhões para R$ 279,5 milhões.

Em dezembro de 2012, eram 10.894 os servidores temporários contratados pela prefeitura, tendo aumentado para 11.430, em dezembro de 2014, e para 11.785, em junho de 2016. Segundo a Promotoria, Cartaxo desrespeitou a orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) e a decisão proferida por ação civil pública e continuou a aumentar as contratações por prestação de serviços a título de excepcional interesse público.

“O excesso de contratação por excepcional interesse público, a ausência de atendimento dos requisitos legais para tais contratações e a preterição de candidatos aprovados em concursos é prática que vem sendo repetida pela administração municipal de João Pessoa, configurando, de forma clara, o desvio ou abuso do poder de autoridade e o abuso do poder econômico, praticados pelo prefeito em exercício”, informou o promotor João Geraldo Barbosa.

Dentre os contratados temporários, estão dois bibliotecários e 87 auxiliares de biblioteca, além de 50 coreógrafos de banda e 91 instrutores de banda. Para a Promotoria Eleitoral, é “evidente a captação ilícita de sufrágio e o abuso do poder político e econômico” e as contratações temporárias feitas “ao arrepio da lei” tiveram como objetivo beneficiar diretamente Cartaxo e seu vice no pleito de 2016.

A ação

A ação ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral (com 112 páginas) requer a inelegibilidade de Cartaxo e Manoel Júnior para as eleições a se realizarem nos oito anos subsequentes à eleição deste ano e a cassação de seus registros de candidatura ou, em caso de julgamento após o pleito e em caso de eleição deles, do diploma e do mandato.

Requer ainda o envio de cópias à Promotoria de Justiça do Patrimônio Público para que sejam adotadas as providências cabíveis; que seja determinado à prefeitura a juntada aos autos da cópia de todos os contratos de prestação de serviços e de toda a comprovação documental de eventuais processos seletivos realizados pela prefeitura e que seja solicitado, com urgência, informações sobre o pagamento de mais vantagens aos servidores cedidos com ônus a diversas prefeituras e órgãos estaduais.


Lira é destaque no ‘Ranking dos Políticos’ e tem 4ª melhor avaliação


Desenvolvido pelo site Ranking Políticos, o trabalho compara políticos de todo o Brasil.

raimundo-lira-apresenta-projeto-com-objetivo-de-reduzir-violencia-nas-escolas.JPG.280x200_q85_crop

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB) é destaque no ranking dos políticos. Ele aparece como o quarto senador melhor avaliado pela população e o segundo do PMDB. Lira está à frente de políticos como Eunício Oliveira, Tasso Jereissati, Ana Amélia e Cristovam Buarque. Da Paraíba, o parlamentar é o único político a constar na lista dos melhores avaliados.

Desenvolvido pelo site Ranking Políticos, o trabalho compara políticos de todo o Brasil. O projeto foi idealizado por Alexandre e Renato, dois administradores de empresa que se dizem indignados com a corrupção e a má qualidade do setor público em geral. “Acreditamos que o Ranking seja a maneira mais eficiente de melhorar o Brasil, pois se tirarmos os piores, criaremos um ciclo virtuoso de melhoria”, afirmam os organizadores.

Todos os dados apresentados no projeto são de origem oficial pública, sendo a maioria deles vindos diretamente do site do Congresso. Cada ponto ganho ou tirado está documentado, com a origem da informação e a fonte, de modo que qualquer um possa conferir.

De acordo com a proposta, o objetivo não é criar informações, mas apenas buscá-las nas fontes oficiais (veículos da grande mídia, fichas criminais no judiciário, dados do Congresso, etc), organizando as informações para facilitar a leitura. O site é auditado diariamente por milhares de visitantes que acompanham o ranking, conferem, criticam e corrigem, quando necessário.

MaisPB

 


Vereadores de Santa Rita acatam denúncia e Netinho pode ser afastado; comissão foi criada

 

A câmara Municipal de Santa Rita acatou na manhã desta terça-feira (27), denúncias que pedem o afastamento do prefeito de Santa Rita, Netinho de Várzea Nova (PR).
O pedido é baseado em ausência de pagamento dos servidores , sem justificativa, já que as receitas do município não diminuíram. Além disso, há indícios de irregularidades nas contas do Instituto de Previdência do Município.

Foi formada a Comissão Processante para analisar as acusações. O vereador Joselito Carneiro (PSB) será o presidente. Aurian Lima (PMDB), o relator e Severino Farias (PDT), membro da Comissão.
O prefeito será ouvido pela Comissão para apresentar a defesa. De acordo com os vereadores, no prazo máximo de duas sessões, o parecer será votado pelo plenário da casa.
É necessário maioria absoluta de votos, ou seja, 13 dos 19. Caso seja afastado, o presidente da Câmara assumiria a Prefeitura. Como é candidato à reeleição fica impossibilitado de ocupar o cargo. O único da Mesa que não concorre à cargo eletivo é o segundo-secretário da Mesa Diretora, o vereador Severino Farias (PDT).

Anderson Soares

Paraiba.com.br


Defensores públicos federais entram em greve a partir de hoje


De acordo com a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef), a classe recebeu a notícia do veto ao PLC 32/2016 com incompreensão, pois o impacto orçamentário representaria apenas 0,15% dos R$ 67 bilhões do reajuste aprovado para as demais categorias do serviço público.

Segundo a presidente da Anadef, Michelle Leite, o veto da Presidência da República não se dirigiu apenas aos defensores, mas aos 143 milhões de brasileiros que dependem da Defensoria Pública no país. “Essa decisão do presidente se voltou contra a instituição que tem a missão de cuidar dos interesses das pessoas carentes, dos miseráveis”, diz.

 

Atualmente há 620 defensores federais em atuação e a falta de valorização da carreira aumentará o índice de evasão, que já é de 40%, nos cálculos da Anadef. “Devemos perder 60 defensores até o fim do ano”, estima a presidente. Durante a paralisação, a categoria buscará apoio de parlamentares para tentar derrubar o veto presidencial.

O atendimento será apenas das demandas urgentes, entendidas como as que envolvam restrição à liberdade de locomoção, perecimento de direito e periclitação da vida e da saúde.


Notícia retirada do Portal do Servidor Federal: http://www.servidorfederal.com/2016/09/defensores-publicos-federais-entram-em.html#ixzz4LXB6Vhyu


Sem acordo em nova reunião, bancários mantêm greve


A categoria reivindica por reajuste salarial de 14,78% e piso salarial de quase R$ 4 mil

Gabriela Vinhal
Breno Fortes/Cb/DA Press


O Comando Nacional dos Bancários anunciou, na noite desta terça-feira (27/9), que a greve da categoria continua. Ela se reunirá novamente com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na quarta (28/9), às 15h, em São Paulo.

A categoria, que já rejeitou seis propostas do Fenaban, pede por reajuste salarial de 14,78% (alta real de 5%, de acordo com a inflação), piso salarial de quase R$ 4 mil, participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários mais R$ 8.317,90, vale-alimentação de R$ 1.760 e auxílio-creche de R$ 880.

A paralisação, que segundo o último balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT), alcança aproximadamente 49% das agências do país. O anúncio grevista ocorreu no último 6 de setembro.


Apresentação técnica - Em cinco anos, Petrobras pode ser a 4ª ou 5ª maior petroleira do mundo


REUNIÃO COM TEMER TRATOU DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O PERÍODO DE 2017 E 2021

PRESIDENTE DA PETROBRAS DISSE QUE TEMER DEMONSTROU ESPECIAL INTERESSE NO SETOR DE GÁS E ÓLEO FOTO: ANTÔNIO CRUZ/ ABR
Caso se confirmem as expectativas do presidente da Petrobras, Pedro Parente, em três anos, a estatal voltará a crescer para, em cinco anos, se tornar a quarta ou quinta maior empresa do setor, com uma produção de 3,4 milhões de barris de óleo e gás por dia. A projeção foi apresentada por Pedro Parente ao presidente Michel Temer, em reunião no Palácio do Planalto.
“Vim aqui trazer o planejamento estratégico da empresa para o período entre 2017 e 2021. Apresentamos as principais características desse plano. Foi uma apresentação técnica”, disse o presidente da estatal. Segundo ele, um dos horizontes do plano é a redução mais rápida das dívidas da empresa. Nos três anos seguintes, a expectativa é que a empresa volte a crescer, para, de acordo com Parente, ao final do período de cinco anos, ser "uma empresa que produzirá cerca de 3,4 milhões de barris equivalentes de óleo e gás por dia, estando talvez entre a quarta e a quinta maior empresa do mundo no setor”.

O presidente da Petrobras disse que Temer demonstrou especial interesse na possibilidade de o setor de gás e óleo obter de forma rápida um grande volume de investimentos, caso apresente um quadro regulatório favorável.

“Não só a Petrobras, mas o setor como um todo pode dar uma resposta muito rápida em termos de investimentos. O presidente Temer tomou nota e se mostrou interessado em relação ao quadro regulatório [que apresentamos como] adequado para a realização desses investimentos”, disse. “É uma questão de meses para que possamos ter mudanças no quadro regulatório, que venham a propiciar uma condição melhor e mais favorável para a atração de investimentos”, acrescentou.

Parente elogiou a possibilidade de aprovação, pelo Congresso Nacional, do projeto que retira da Petrobras a obrigação de ser a operadora única dos campos do pré-sal. Na avaliação dele, esse projeto é importante, uma vez que “substitui a obrigação por uma opção” para a estatal. “A empresa como um todo só tem a ganhar com isso. Em vez de ter obrigação, passa a ter uma opção por fazer. Isso é um benefício muito grande por a empresa viver um momento de restrição financeira. Se formos obrigados a participar de todos os campos, não teremos recursos [suficientes]. Isso faria com que a exploração desses campos levasse um tempo muito mais longo”, argumentou.

Na avaliação de Parente, o país também seria beneficiado, uma vez que atrairia “investimentos importantes para o crescimento e para a geração de riqueza e empregos no país”. “É importante que o país possa ter outras empresas que se interessem em fazer esses investimentos. É importante para o país que a Petrobras não seja obrigada a participar de todos os campos, e que, mesmo nos [campos em] que ela não queira [participar], ela tenha opção em primeiro lugar. E é importante que outras empresas que se interessem [por esses campos] possam fazer os investimentos”, reforçou.

Preços de combustíveis

Pedro Parente reiterou que a política de preços de combustíveis é um “tema empresarial” da Petrobras, que está sendo discutido internamente. “Tão logo seja concluída a discussão sobre essa política, ela será informada”, disse. “Sendo uma política que tenha como referência uma paridade internacional, a direção da mudança de preços não é única. Pode subir, mas pode descer também”, acrescentou.

Plano de Negócios e Gestão

No novo Plano de Negócios e Gestão 2017-2021, divulgado no dia 20, a Petrobras estima investimentos menores nos próximos cinco anos. O documento prevê a retirada "integral" da estatal dos setores de produção de biocombustíveis, distribuição de GLP (gás de cozinha), produção de fertilizante e das participações da companhia na petroquímica para, segundo a empresa, “preservar competências tecnológicas em áreas com maior potencial de desenvolvimento”.

A previsão é de US$ 74,1 bilhões em investimentos, o que equivale a uma queda de 25% em relação ao plano anterior (período de 2015 a 2019), revisado em janeiro deste ano e que previa investimentos de US$ 98,4 bilhões.

Desde a administração de Graça Foster, que presidiu a empresa de fevereiro de 2012 a fevereiro de 2015, os investimentos vêm caindo a cada nova revisão do Plano de Negócios e Gestão. Na administração de Aldemir Bendine, o plano para o período 2014-2018 era estimado em cerca de US$ 220 bilhões; caindo para cerca de US$ 130 bilhões no período 2015-2019.(ABr)


Economia - ´Presidente da Shell diz a Temer que vai ampliar investimentos no Brasil

Em reunião com o presidente Michel Temer, o presidente da Shell, Ben Van Beurden, reiterou o interesse da multinacional em manter e ampliar os investimentos no Brasil, em especial as parcerias com a Petrobras. Segundo ele, há um “clima propício aos investimentos no Brasil” devido a fatores como segurança e estabilidade de regras do marco regulatório e das leis.
No encontro ocorrido na tarde de hoje (27) no Planalto, Beurden reafirmou que o Brasil está entre os principais focos de investimentos da Shell, e que o Brasil, além de ser o destino de 15% do que é investido pela multinacional, é responsável por um percentual que varia entre 10% e 15% do que é produzido por ela.

“Temos planos para um futuro juntos. Viemos aqui para falar sobre a confiança que temos no país e sobre alguns pontos que podem ser aperfeiçoados”, disse Beurden após ter participado de reuniões no Ministério de Minas e Energia e com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, além do encontro com Temer. “Estou muito confiante do que podemos fazer juntos.”

Apesar de se recusar a comentar o cenário político brasileiro, Beurden disse que “o importante, em relação aos últimos acontecimentos políticos, é criar no Brasil um clima propício aos investimentos, com segurança e estabilidade das regras do marco regulatório e das leis”.

Outros fatores citados por ele sobre atrativos do Brasil para investimentos são a geologia, o talento das pessoas e a facilidade para se fazer negócios. “Essa combinação faz do Brasil um dos lugares mais atraentes para a Shell, que tem um programa bilionário de investimentos”, acrescentou.

“A expectativa é de aumentá-los e fazer com que a empresa seja um dos maiores investidores diretos no Brasil na próxima década”, completou.

Em relação às parcerias com a Petrobras, o presidente da Shell diz que, conforme mostram os planos de investimentos pretendidos pela estatal brasileira, a prioridade continua sendo o pré-sal, onde tem investimentos conjuntos com a Shell.

“A Petrobras tem feito escolhas adequadas em seus programas de investimento. Quero que essa seja uma das parcerias mais estratégicas da Shell no mundo. Tenho confiança na parceria das empresas”.

Sobre a conversa com Temer, Beurden disse que a mensagem principal que teve do presidente brasileiro foi a de continuar dando importância aos estímulos econômicos e à continuidade da atração para investimentos no Brasil, e que as agendas do da Presidência e das indústrias “estão convergindo neste momento”. (ABr)

 


Corrupção - Gleisi Hoffman e Paulo Bernardo se tornam réus na Lava Jato

 

POR UNANIMIDADE, 2ª TURMA DO STF ACEITA DENÚNCIA POR CORRUPÇÃO E LAVAGEM DE DINHEIRO
A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou, por unanimidade, a denúncia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro contra a senadora Gleisi Hoffman (PT) e o marido, ex-ministro Paulo Bernardo, conhecido por "PB", tornando-os réus no âmbito da operação Lava Jato. Além do relator, ministro Teori Zavascki, votaram pela aceitação da denúncia os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.
A denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República (PGR) acusa o casal e o empresário Ernesto Krugler de receberem R$ 1 milhão do esquema de corrupção na Petrobras intermediados pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa.

Desde março de 2015, Gleisi e Bernardo são investigados por usar propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobras para a campanha da senadora. Em abril, a PF encaminhou indiciamento de Gleisi ao Supremo. Em maio, a PGR ofereceu a denúncia contra o casal.


Sem desfecho - Sombra leva para o túmulo os segredos do assassinato de Celso Daniel

 
MANDANTE DA MORTE DE CELSO DANIEL MORRE E, COM ELES, SEGREDOS DO PT

EMPRESÁRIO FALECEU NESTA TERÇA DEPOIS DE CINCO DIAS DE INTERNAÇÃO
O empresário Sérgio Gomes da Silva, conhecido como Sombra, morreu nesta terça (27) depois de cinco dias de internação no Hospital Montemagno, em São Paulo. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, Sombra faleceu às 06h30, mas a causa da morte não foi revelada.


Sombra ficou conhecido como suposto mentor do assassinato de Celso Daniel, ex-prefeito petista de Santo André, em 2002, e morreu levando consigo os segredos do crime suspeito de ter envolvimento da cúpula do PT.

Ex-advogado defesa de Sombra, Roberto Podval cheogu a afirmar que o ex-cliente estava doente e faleceu, mas como estava fora do Brasil não poderia confirmar a causa da morte. "Não tenho muita informação. Ele estava doente e faleceu. A causa morte não sei te dizer", explicou.

Celso Daniel e Sombra foram perseguidos por três carros após um jantar em São Paulo. Quando tiveram que parar em consequência de tiros, os bandidos obrigaram Celso Daniel a entrar em um outro veículo. Dois dias depois o corpo do ex-prefeito foi encontrado com sinais de tortura e oito tiros em uma estrada de Juquitiba, na Grande São Paulo.


Sidebar Menu