Estatisticas do blog

No momento, 6 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 3076698 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    As belas do domingo - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    CBTU inicia operação do VLT nesta segunda-feira





    As viagens do VLT serão realizadas de segunda a sexta feira, isto é, aos sábado só haverá circulação do trem antigo.
    0
    vltApós o sucesso da realização da viagem teste com passageiros, a CBTU em João Pessoa confirma para a segunda feira, 2 de fevereiro, o início da operação experimental do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). As viagens do VLT serão realizadas de segunda a sexta feira, isto é, aos sábado só haverá circulação do trem antigo.

    De acordo com o superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, como é grande a expectativa dos paraibanos em torno do funcionamento do VLT e como ele comporta menos passageiros do que os atuais trens, a estratégia é que o trem atenda aos usuários nos horários que não são de pico. “Nesse primeiro momento a gente vai apresentando o VLT aos poucos à população. Quando a segunda composição, que está em fase final de testes de fábrica, for entregue à operação, aí sim, poderemos ampliar o número de viagens dos novos comboios”, diz.

    Embora seja rápido, o VLT irá trafegar com a mesma velocidade dos atuais trens e irá cumprir a grade horária atual. Só depois da chegada das outras composições e a total adequação do sistema, com a construção de dois pontos de cruzamentos ferroviários, é que a CBTU irá elaborar uma nova tabela de horários. Os estudos da grade horária de funcionamento do VLT já foram iniciados pelo pessoal da área de Movimento de Trens.

    VLT – O Veículo Leve sobre Trilhos é um trem moderno, rápido, seguro e confortável. Fabricado pela empresa cearense Bom Sinal, instalada na cidade de Barbalha, o modelo adquirido pela CBTU é o Mobile 3, dotado de duas cabinas computadorizadas – uma em cada extremidade dos carros motores e um carro reboque ao meio. Ele é um veículo ferroviário leve de passageiros para transito urbano e suburbano, com motorização diesel, tração diesel-hidráulica, bidirecional, que trafega em bitola métrica – distância de um metro entre os trilhos -, ar condicionado, acessibilidade para deficientes físicos, passagem entre os carros, sistema de comunicação interna digital e sonora e capacidade para transportar até 600 passageiros por viagem. O VLT de João Pessoa mede 55,8 metros com altura de 3,7 metros e 2,8m de largura.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Advogado ‘entrega’ Cerveró e diz que ele mentiu




     cerveró

    A Polícia Federal conseguiu mais uma prova de que o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró era o dono de uma offshore uruguaia que movimentou milhões de reais para comprar e reformar o seu apartamento na Zona Sul do Rio de Janeiro. Em depoimento prestado na última quarta-feira, o advogado Marcelo Mello confirmou a negociata revelada por VEJA em setembro do ano passado.

    Mello conhece Cerveró de longa data. O advogado tem no currículo uma passagem pelo departamento jurídico da Braspetro, antiga subsidiária da Petrobras, mais tarde incorporada pela área internacional da estatal, na qual Cerveró deu as cartas entre 2003 e 2008. Ao delegado Eduardo Mauat da Silva, Mello contou que foi procurado há sete anos por Cerveró e pelo advogado uruguaio Oscar Raquetti para montar uma subsidiária brasileira da Jolmey Sociedad Anonima. Desde o ano passado, Cerveró negava qualquer participação na criação da offshore, mas a partir de 21 de janeiro preferiu se calar diante de e-mails publicados por VEJA. Nas mensagens, era evidente que o ex-diretor internacional dava as cartas na Jolmey.

    Mello confirmou que Cerveró “tratou pessoalmente do assunto” e combinou a aquisição de um duplex pela offshore. O enredo da aquisição contemplava várias operações nebulosas. A Jolmey comprou o apartamento e, três meses depois, um contrato de locação foi firmado com Patrícia, mulher de Cerveró. Uma evidência de que o aluguel pago por Cerveró era de fachada é que o valor fechado foi de 3.500 reais; hoje, um executivo da Vale que vive no local paga 18.000 reais.

    No ano passado, assim que começaram a estourar os escândalos na estatal, um laranja foi nomeado sócio da Jolmey e a família deixou o duplex. Um conjunto de e-mails que está em poder da PF e divulgado por VEJA revela que Cerveró sempre mentiu ao falar da offshore. Em 18 de agosto, os representantes do Estudio Algorta, o escritório de advocacia uruguaio que articulou a criação da offshore, receberam uma mensagem enviada por Cerveró informando quem seria o seu representante no Brasil. Por que razão Cerveró mandaria essa mensagem se não fosse o dono da Jolmey? Três meses depois a minuta de compra e venda do imóvel passou pelo fax da BR Distribuidora, onde estava empregado na época. Ou seja, Cerveró monitorou de perto a compra do apartamento em que diz ter morado de aluguel entre 2009 e 2014. Trocava e-mails com a tranquilidade de quem desfrutaria uma impunidade eterna.

    Há mensagens que escancaram ainda mais a sua relação com a Jolmey. Uma delas, escrita em 2010 por Bruno Fonseca, da equipe do advogado Marcelo Mello, pede o agendamento de uma reunião com Cerveró para que “a melhor estratégia seja tomada para mitigar o risco de exposição fiscal do cliente”. Na ocasião, a Jolmey estava com a declaração do imposto de renda pendente e poderia acabar caindo na malha fina do Leão. No e-mail, o ex-diretor é citado sem subterfúgios por Fonseca como o “dono da Jolmey”.

    Em 2012, outra correspondência mostra que Cerveró chegou a ser consultado sobre a abertura de uma conta da Jolmey no Santander. Mensagens sobre o dia a dia da offshore eram trocadas entre advogados e a equipe do Estudio Algorta quase sempre tendo Cerveró copiado. VEJA apurou ainda que, depois da compra do apartamento, a Jolmey pagou cerca de 750 000 reais em uma reforma no imóvel de Cerveró. Os recursos vieram de uma conta da offshore no Unibanco que chegou a ter saldo de 2 milhões de reais em dezembro de 2008. Em dezembro passado, VEJA esteve com Cerveró no escritório do seu advogado criminalista, Edson Ribeiro. O ex-diretor reconheceu as mensagens, mas negou qualquer relação com a offshore.

    Outro elo com o Uruguai está sendo investigado pela PF. Na delação premiada do executivo Julio Camargo, da Toyo Setal, é descrito com detalhes o pagamento de propinas na contratação de duas sondas da Samsung. Os sul-coreanos, segundo Camargo, estavam pagando “comissões” cobradas por Cerveró. Camargo disse à Justiça que repassou o dinheiro a Fernando Soares, o Baiano, apontado como operador do esquema em favor do PMDB. O suborno relativo à sonda, de acordo com Camargo, foi de 15 milhões de dólares, pagos no banco Winterbotham, no Uruguai. A polícia investiga se os recursos foram divididos com Cerveró.

    Veja


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    FHC pede punição aos ‘Altos hierarcas‘ do país





    Karime Xavier: S�O PAULO, SP - 20.05.2013: FHC/PALESTRA/EXECUTIVOS/SP - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso d� palestra para executivos da Thomson Reuters no hotel Unique, na avenida Brigadeiro Lu�s Ant�nio, na zona sul da capital paulista, nesta segunda-feira. (F

    Ex-presidente defende que "ou há uma regeneração ‘por dentro‘, governo e partidos reagem e alteram o que se sabe que deve ser alterado nas leis eleitorais e partidárias, ou a mudança virá ‘de fora‘. No passado, seriam golpes militares. Não é o caso, não é desejável nem se veem sinais"; ao criticar as ações econômicas do governo petista, Fernando Henrique chama a presidente Dilma Rousseff de "mandona", prevê que estamos perdendo o "rumo da história" e afirma que se deve haver "uma profunda revisão do sistema político"; tucano diz temer que "a liderança nacional" não perceba que "a crise que se avizinha não é corriqueira"


    247 – Em artigo em que chama a presidente Dilma Rousseff de "mandona" e pede punição aos "mais altos hierarcas", o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso faz duras críticas às políticas econômicos do governo petista, uma forma, segundo ele, de "procurar soluções".

    FHC teme "havermos perdido o rumo da história" e ainda "o fato da liderança nacional não perceber que a crise que se avizinha não é corriqueira". Para o tucano, o governo não se atentou às mudanças da política energética dos Estados Unidos e investiu no pré-sal, o que define como uma aposta "cara".

    "Agora todos lamentam a crise energética, a falta de competitividade da indústria manufatureira e a alta dos juros, consequência inevitável do desmando das contas públicas e do descaso com as metas de inflação", diz o antecessor de Lula, que afirma se preocupar "com as dificuldades que o povo enfrentará e com a perda de oportunidades históricas".

    FHC destaca ainda a necessidade de "uma profunda revisão do sistema político e mais especificamente do sistema partidário e eleitoral". E pede que "não se ponham obstáculos insuperáveis" à Justiça, e "que tenham a ousadia de chegar até aos mais altos hierarcas, desde que efetivamente culpados".

    "Daí minha insistência: ou há uma regeneração ‘por dentro‘, governo e partidos reagem e alteram o que se sabe que deve ser alterado nas leis eleitorais e partidárias, ou a mudança virá ‘de fora‘. No passado, seriam golpes militares. Não é o caso, não é desejável nem se veem sinais", afirma o ex-presidente.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    João Pessoa das antigas - Fotos




    Nessa época era via dupla Nessa época era via dupla

    Varadouro
    Varadouro
    Ponto de Cem Réis
    Ponto de Cem Réis

    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    A paraibana Giovanna Miranda, canta a música ‘Só nos dois‘ e outras músicas - Vídeo




     Giovanna Miranda faz parte de uma familia de grandes artistas paraibanos como Diana Miranda, Floriano, o saudoso Golinha, Paulo di Tarso dentre outros talentos.




    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Veja os votos para presidente da ALPB





    Candidatos para o primeiro biênioda 18º Legislatura são os deputados Adriano Galdino e Ricardo Marcelo, atual presidente da Casa
    Por Naira Di Lorenzo

    Montagem/Portal Correio

    Ricardo Marcelo e Adriano Galdino
    O Portal Correio fez um mapeamento dos votos dos deputados estaduais da Paraíba que elegem neste domingo (1º) o novo presidente da Assembleia Legislativa. A eleição acontece logo após os 36 deputados, vitoriosos não pleito de 2014, tomarem posse na Casa Epitácio Pessoa, às 9h30.

    Portal Correio

    Os dois candidatos para o primeiro biênio (2015-2016) da 18º Legislatura são os deputados Adriano Galdino (PSB) e Ricardo Marcelo (PEN), atual presidente da Casa. Porém, o Regimento Interno da Casa permite que qualquer um dos 36 deputados registre sua candidatura minutos antes da sessão preparatória da eleição. Além da presidência estão em disputa mais doze cargos da Mesa Diretora.

    Mesmo antes da diplomação ocorrida em dezembro, Galdino já havia confirmado candidatura e desde então vem articulando junto com os colegas aliados para sair vitorioso no próximo domingo. Já Ricardo Marcelo confirmou apenas nessa sexta-feira (30) que concorrerá à reeleição, mas nos bastidores sua postulação já era debatida entre a bancada de oposição do Governo do Estado.

    Com base nas declarações públicas dadas pelos parlamentares e consultas individuais feita pelo Portal Correio, Galdino será eleito o novo presidente da ALPB com maioria absoluta, como estabelece o Regimento Interno. Ele conta com 21 votos, como já anunciado pelo próprio parlamente a partir de uma lista assinada pelos aliados confirmando o apoio. Já Ricardo Marcelo possui os 15 restantes.

    Apesar dos 36 deputados terem explicitado seus votos, no domingo a eleição será secreta e pode haver alteração nessa apuração paralela feita pelo Portal Correio. Teoricamente, a vantagem inicial de Adriano Galdino seria modificada se Ricardo Marcelo conseguisse mudar três votos para provocar um empate no primeiro turno, levando a decisão para o segundo, que precisa apenas de maioria simples. Em caso de um novo empate entrará os critérios definidos pelo Regimento Interno. O primeiro desses critérios seria a idade, vencendo o mais velho, que no caso é Ricardo Marcelo.

    Além de sua própria candidatura, Galdino defende a eleição antecipada para o segundo biênio (2017-2018) do deputado Gervásio Maia (PMDB). Segundo ele, o acordo entre os aliados que assinaram a lista em apoio a ele é fechado para também eleger o parlamentar peemedebista. Ricardo Marcelo, por sua vez, não declarou se também concorrerá a presidente para o segundo biênio e nenhum outro nome da oposição ao Governo foi apontado.

    Saiba quem declarou voto a Adriano Galdino:

    Edmilson Soares (PEN), Galego de Sousa (PP), Branco Mendes (PEN), Caio Roberto (PR), Estela Bezerra (PSB), Ricardo Barbosa (PSB), Lindolfo Pires (DEM), Buba Germano (PSB), Geová Campos (PSB), Inácio Falcão (PT do B), Genival Matias (PT do B), Nabor Wanderley (PMDB), Gervásio Maia (PMDB), Tião Gomes (PSL), Zé Paulo (PC do B), Anísio Maia (PT), João Bosco Carneiro (PSL), João Henrique (DEM), Doda de Tião (PTB), João Gonçalves (PSD), além do próprio Adriano Galdino (PSB).

    Sabia quem declarou voto a Ricardo Marcelo:

    José Aldemir (PEN), Dinaldinho (PSDB), Bruno Cunha Lima (PSDB), Camila Toscano (PSDB), Tovar Correio (PSDB), Jutay Meneses (PRB), Manoel Ludgério (PSD), Arnoldo Monteiro (PSD), Renato Gadelha (PSC), Trócolli Júnior (PMDB), Frei Anastácio (PT), Daniella Ribeiro (PP), Raniery Paulino (PMDB), Janduhy Carneiro (PTN), além do próprio Ricardo Marcelo (PEN).


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Diário Oficial traz resultado do Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar





    Aprovados em todas as etapas, dentro do número de vagas, ingressarão no Curso de Formação de Oficiais como cadetes, cuja formação dura três anos


    A Polícia Militar divulga neste sábado (31), no Diário Oficial do Estado, o resultado da etapa intelectual do Curso de Formação de Oficiais, que tem como base as notas obtidas pelos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014. Os classificados serão convocados para o exame psicológico, previsto para ocorrer em 8 de fevereiro.

    Portal Correio

    O teste psicológico inaugura a etapa complementar do concurso, composta também de exames de saúde e físico, que tem caráter eliminatório. Para a primeira fase, serão chamados 75 candidatos do sexo masculino e 15 do sexo feminino. Ao todo, 2.726 candidatos disputaram uma das 30 vagas oferecidas, sendo 25 para homens e cinco para mulheres. A concorrência ficou em 89 candidatos por vaga no masculino e 97 candidatos por vaga no feminino.

    Os aprovados em todas as etapas, dentro do número de vagas, ingressarão no Curso de Formação de Oficiais como cadetes, cuja formação dura três anos, sendo realizada na Academia de Polícia Militar do Cabo Branco - Instituição de Ensino Superior credenciada junto ao Conselho Estadual de Educação (CEE). O CFO forma oficiais bacharéis em Segurança Pública.

    O teste psicológico – O exame que inaugura a etapa complementar do concurso, que é um dos mais concorridos do país, tem o objetivo de avaliar as características da personalidade dos candidatos e a compatibilidade com as exigências para o exercício do cargo de oficial da Polícia Militar, através de testes que traçam parâmetros de inteligência geral; aptidões específicas; percepção; fluência verbal; memória; destreza e personalidade.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Deputados da Paraíba estão confinados em hotel de luxo no Conde, próximo a Tambaba




    Clickpb.com.br
    Clilson Júnior

    Um estratégia já manjada e bastante conhecida dos paraibanos, o “confinamento político" voltou a ser noticia hoje, horas antes da eleição da Mesa da Assembleia. Idealizado em 1998 pelo então governador José Maranhão ao levar 150 convecionais do PMDB para o Hotel Vila Mar em Natal, agora foi a vez dos deputados governistas que estão estão confinados no litoral Sul da Paraíba.

      

    Durante todo dia de hoje diversos parlamentes estão ocupando um luxuoso hotel em Tabatinga, na cidade de Conde, litoral Sul da Paraaíba. O local escolhido foi o Nord Luxor Hotel, a beira-mar de uma das praia paradisiacas do litoral paraibano, bem próximo a praia de naturismo mundialmente conhecida como Tambaba.

     

    A ideia é sair de madrugada em bloco para que os parlamentares não mudem o voto ou se comuniquem com o outros deputados que também disputam a eleição.

     

    O confinamento de Maranhão em 1988

     

    Dos 280 delegados que saíram do interior da Paraíba com direito a voto na convenção do PMDB na época, 150 foram levados a Natal, onde alguns chegaram a ser vistos saindo do hotel Vila Mar em três vans, um ônibus e três carros pequenos. A maioria deles ocupavam cargos comissionados no governo Maranhão e receberam ameaças de perseguição caso se recusasse a viajar para Natal na época.

    Os integrantes da comitiva Zé confinados não podiam em 1988 ter qualquer contato com o exterior do hotel, enquanto seguranças particulares impediam a entrada da imprensa.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Efraim quer que preocupação do governo com segurança hídrica da região Sudeste seja a mesma do Nordeste





    O deputado federal paraibano Efraim Filho (Democratas), disse em entrevista que uma das pautas principais pautas do seu novo mandato como deputado federal, será cobrar do Governo Federal que a mesma preocupação atribuída a segurança hídrica dada a região Sudeste do País, seja a mesma dada aos Estados Nordestinos, com a tão sonhada conclusão das obras de transposição do Rio São Francisco.

    “Há anos o Estado da Paraíba e o nordeste brasileiro sofre com essa insegurança hídrica, hoje vivenciada pela região Sudeste do País (São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais). O Nordeste vem padecendo a espera da conclusão da tão sonhada transposição do Rio São Francisco, estaremos atentos, cobrando do Governo Federal a conclusão das obras de transposição que acabará com o problema da segurança hídrica do nordeste, em especial do Estado da Paraíba” afirmou Efraim Filho.

    O deputado continua reclamando que é uma ‘incoerência’, o Brasil ter tecnologia para tirar o petróleo das profundezas do oceano no pré-sal e não tem capacidade de entregar água na superfície para um ‘irmão do Nordeste que está morrendo de sede’.
    Assessoria


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Candidatos na Câmara prometem aumento salarial e emendas






    Com folhetos, material de vídeo, mensagens telefônicas e inúmeras reuniões, os quatro candidatos à presidência da Câmara apresentam aos colegas eleitores uma avalanche de promessas, de aumento salarial e ampliação de gabinetes à votação das reformas política e tributária, que tramitam há anos na Casa mas jamais saíram do papel.

    Os dois principais candidatos, Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), focam em propostas “tentadoras”, como equiparar a remuneração dos deputados ao de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) - o teto do funcionalismo público.
    No folheto da campanha de Chinaglia, das 12 propostas elencadas como prioridade, seis estão relacionadas a benefícios exclusivos aos deputados, como maior remuneração e reajuste da verba usada para contratar funcionários em cargos de confiança. Atualmente o valor é de R$ 78 mil por mês para cada deputado, que pode usar o dinheiro para contratar até 25 secretários parlamentares com salários que variam de R$ 845 a R$ 12,94 mil.
    O petista promete ainda dar continuidade a reformas nos apartamentos funcionais. Os imóveis possuem cerca de 200 metros quadrados e ficam na Asa Sul e na Asa Norte, bairros nobres de Brasília, próximos ao Congresso Nacional. Os mais disputados ficam na 302 da Asa Norte e acabaram de passar por reforma. Os prédios receberam acabamento de luxo e até banheira de hidromassagem. A ideia de Chinaglia é remodelar os demais apartamentos disponibilizados aos parlamentares.
    O deputado do PT propõe ainda mais conforto e espaço para os deputados dentro do Congresso, com a construção de um novo anexo na Câmara destinado a novos gabinetes. Além disso, promete 3 mil novas vagas de estacionamento para assessores e parlamentares. “Nós já temos disponíveis no Tesouro Nacional R$ 332 milhões para a reforma”, disse Chinaglia.

    Emendas parlamentares
    A ampliação dos espaços na Câmara também é promessa de campanha de Eduardo Cunha, bem como a equiparação do salário dos deputados com o de ministros do STF. Cunha e Chinaglia também têm em comum a intenção de garantir o pagamento de emendas parlamentares a deputados “novatos”, que não exerciam mandato na atual legislatura e tomarão posse no domingo (1º).

    As emendas são recursos públicos que os deputados destinam no Orçamento para projetos em seus redutos eleitorais. O prazo para apresentar as propostas se encerrou em dezembro. Pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, as emendas individuais apresentadas no ano passado estariam garantidas em 2015.

    No entanto, os deputados novatos não apresentaram propostas e, portanto, só teriam direito aos recursos no Orçamento de 2016. Tanto Chinaglia quanto Cunha querem garantir no Orçamento de 2015, que ainda não foi votado, receitas para os cerca de 200 novos parlamentares.

    O líder do PMDB promete ainda que, se for eleito, colocará imediatamente em pauta a votação em segundo turno da PEC do Orçamento Impositivo, que obriga de forma permanente o governo a pagar as emendas individuais dos deputados. “Vamos votar imediatamente o segundo turno”, disse Cunha.

    O peemedebista também quer dar “visibilidade” à atuação dos parlamentares nas suas bases eleitorais. A bandeira é viabilizar a cobertura das atividades dos deputados em seus estados pela TV e Rádio Câmara, veículos de comunicação pagos com o orçamento da Casa.

    Outra proposta de Cunha é criar a Comissão da Pessoa com Deficiência, um colegiado específico para analisar projetos com esse tema. Assim, as comissões permanentes da Câmara passariam de 22 para 23.

    ‘Independência‘
    Diferentemente dos colegas petista e peemedebista, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), considerado o “candidato da oposição”, não propõe reajustes salariais nem garante finalizar a construção do anexo na Câmara. Como estratégia de campanha, afirma ser o único capaz de dar real “independência” ao Congresso face ao Executivo.
    “Todos os candidatos fazem discurso de independência, mas quem a pratica de fato? Nós. Quem tem garantia de não apoiar uma matéria só porque o governo defende? Nós. A nossa candidatura tenta mudar as relações e reaproximar o parlamento da sociedade”, afirmou o deputado em entrevista ao G1.

    Uma das ideias de Delgado é permitir que, nas discussões de medidas provisórias, seja possível apensar projetos de lei que abordem temas semelhantes. A intenção é dar prioridade à votação de matérias de autoria dos próprios deputado. Em vez de aprovar a MP, os parlamentares teriam a possibilidade de votar, em regime de tramitação mais célere, propostas elaboradas pelos congressistas.

    Os projetos de lei atualmente precisam passar por votação na Comissão de Constituição e Justiça e comissões temáticas antes de ir ao plenário. Já as medidas provisórias são analisadas em uma comissão mista, com deputados e senadores, e depois seguem diretamente para o plenário das duas Casas.

    ‘Candidatura protesto‘
    Com uma “candidatura de protesto”, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) faz uma “campanha solo”, sem apoio de qualquer outro partido além do PSOL. A principal bandeira é a “ética” e a votação do projeto que acaba com financiamento privado de campanha.

    “Não vou defender aumentos salariais. Nossos salários já são suficientes. Falam em construir o Anexo 5 e a gente quer é construir uma ponte entre o Parlamento e a sociedade”, diz Alencar.

    O deputado do PSOL promete ainda colocar em votação uma série de projetos que beneficiam os trabalhadores, mas geram impacto negativo nas contas públicas, como o fim do fator previdenciário e a redução da jornada máxima de trabalho para diversas categorias.

    Reformas política e tributária
    A única promessa em comum entre os quatro candidatos é tirar do papel as reformas política e tributária, que devido à complexidade dos temas tramitam há mais de uma década no Congresso Nacional. Todos os quatro defendem mudar regras eleitorais e simplificar impostos, mas discordam quanto ao financiamento de campanha.
    Eduardo Cunha é contrário a proibir doações de empresas a campanhas eleitorais. Já o PT, de Arlindo Chinaglia, defende o financiamento exclusivamente público de campanha, assim como o deputado Chico Alencar.

    “A economia coloniza a política, numa inversão de valores sem limites. E tudo sob a capa edulcorada da legalidade: empreiteiras propineiras do ‘clube‘ agora sob acusação doaram nada menos que R$484,4 milhões a quase todos os partidos nas eleições de 2014”, diz o programa de governo do deputado do PSOL.
    Por sua vez, Júlio Delgado quer priorizar, no âmbito da reforma política, o fim da reeleição. “Defendemos a coincidência eleitoral, ou seja, uma eleição a cada quatro anos e mandato presidencial de cinco anos, sem reeleição”, disse o parlamentar.
    G1


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Contra Lula e Dilma, Veja aposta em mais delações





    Reportagem de capa desta semana prevê que grandes empreiteiros cederão à pressão do juiz Sergio Moro e poderão envolver tanto o ex-presidente Lula como a presidente Dilma Rousseff em novas delações premiadas; uma das confissões esperadas é a da empreiteira baiana OAS, em especial do executivo Ricardo Breghirolli, encarregado de distribuir malas de dinheiro; outra é a da construtora UTC, que poderia descrever como foram feitas doações de campanha em 2014; objetivo dos investigadores, estimulado por Veja, é prisão de Lula e um eventual pedido de impeachment de Dilma


    247 - Reportagem da revista Veja deste fim de semana evidencia o propósito da Operação Lava Jato, em sua nova fase. O objetivo da força-tarefa comandada pelo juiz Sergio Moro é obter elementos para a eventual prisão do ex-presidente Lula e para o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

    De acordo com a reportagem, assinada pelos jornalistas Rodrigo Rangel, Robson Bonin e Bela Megalle, o juiz Moro corre para soltar até março as primeiras sentenças de prisão dos empreiteiros que estão reclusos preventivamente há quase três meses no Paraná.

    Uma vez condenados, eles terão mais dificuldades para recorrer em liberdade e poderão passar vários anos atrás das grades – uma ameaça velada que tem sido repetida no cárcere paranaense. Nesse ambiente de terror, a aposta é que alguns empreiteiros farão delações premiadas. E o objetivo dos investigadores é chegar ao ex-presidente Lula e também a Dilma.

    Por isso mesmo, um dos focos é tentar obter uma delação premiada da empreiteira baiana OAS, tida pela força-tarefa da Lava Jato como uma das mais próximas ao ex-presidente Lula.

    A reportagem relata desabafos de personagens como José Adelmário Pinheiro, o principal executivo da empreiteira, e de Agenor Medeiros, seu diretor internacional. No entanto, aponta que o personagem escolhido pela OAS para fazer sua delação premiada é Ricardo Breghirolli, que seria o "homem da mala" da OAS.

    A mesma reportagem também cita o caso da prisão de José Sócrates, ex-primeiro-ministro português, evidenciando que o objetivo é constranger o ex-presidente Lula, que é também pré-candidato do PT à presidência da República em 2018.

    Em outra frente, aposta-se também na delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, acionista da UTC Engenharia. Neste caso, com o propósito de atingir a presidente Dilma Rousseff. Segundo o texto, Pessoa estaria estudando vincular doações oficiais à campanha de 2014 a empréstimos oficiais. De acordo com a reportagem, o atual presidente do BNDES, Luciano Coutinho, teria sinalizado que faria um financiamento a uma empresa do grupo, mas alertou que Pessoa seria visitado logo depois por Edinho Silva, tesoureiro do PT – Coutinho nega.

    A revista também relata que o jurista Ives Gandra Martins foi contratado por um pool de empreiteiras para produzir um parecer em que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Gandra diz ter sido contratado por um advogado amigo.

    A mesma reportagem também envolve o ex-ministro Antonio Palocci. O motivo é a atuação de Juscelino Dourado, um dos seus braços direitos, na empresa Estre Ambiental, controlada pelo BTG Pactual, que, segundo Paulo Roberto Costa, também teria pago propina a ele.

    O clima esquenta e os novos alvos da Lava Jato são Lula e Dilma.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Câmara: A mãe de todas as batalhas ou um grande acordão?





    A poucas horas da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, com trocas de acusações entre os adversários Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Arlindo Chinaglia (PT-SP), começa a ganhar corpo uma nova tese: a do rodízio entre os dois partidos; Cunha presidiria a Câmara no biênio 2015-2016 e seria substituído por Chinaglia em 2017; petistas temem que, caso o peemedebista vença sem nenhum acordo, acabe sendo cooptado pela oposição, que ainda não desistiu do terceiro turno das eleições presidenciais; PMDB diz que a proposta partiu do Planalto e petistas dizem que veio do lado de lá; pouco importa, ao que tudo indica, pode prevalecer a tese de que talvez seja necessário dormir com o inimigo


    247 - A poucas horas da escolha do novo presidente da Câmara dos Deputados para o biênio 2015-2016, que acontece neste domingo (1º), os dois principais candidatos ao posto, Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), trocaram farpas nesta tarde sobre suposto acordo que teria sido proposto pelo Planalto para que eles se revezassem no comando da Casa. Para pôr fim ao racha na base governista, Cunha exerceria o posto a partir de amanhã e Chinaglia teria mandato no período 2016-2017.

    Os aliados de Cunha afirmaram que a proposta partiu do Planalto, segundo publicação no site do jornal Folha de São Paulo. O governo, por sua vez, diz o contrário. Que a sugestão de acordo foi feita pelo PMDB. Os dois concordam apenas em um ponto: não há possibilidade de acordo.

    Ontem (30), o ministro das Relações Institucionais, Pepe Vargas, teria procurado aliados de Cunha para sugerir o rodízio. A Folha alega que ‘três parlamentares‘ lhe confirmaram a versão.

    O peemedebista, contudo, descartou possibilidade de aceitar a oferta do governo. Ele disse que perderia sua "credibilidade" se aceitasse o rodízio com o PT. Desafeto declarado da presidente Dilma Rousseff, Eduardo Cunha, em sua campanha para presidente da Câmara, defendeu o fim da hegemonia de PT e PMDB no comando da Casa, o que agradou os líderes dos partidos que também anseiam pelo comando da Casa.

    A assessoria de Pepe Vargas negou a estória e contou versão contrária, de que o deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), um dos coordenadores da campanha de Cunha, procurou o ministro ontem "pelo menos três vezes" sugerindo rodízio.

    Mabel também nega. "O Planalto é que me chamou. Quando eles colocaram esse assunto, eu falei: ‘Esquece‘". Ele diz que outros ministros já haviam proposto o rodízio ao PMDB. Jaques Wagner, da Defesa, sugeriu a negociação ao vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), na terça-feira (27).

    O petista Arlindo Chinaglia também descartou possibilidade de acordo. "Essa é mais uma inócua tentativa de tergiversar", afirmou, dizendo ainda que desafiava o PMDB a dizer na sua frente a história do acordo, desde que ele fosse autorizado a falar o que "sabe sobre o PMDB".

    O modelo de rodízio foi adotado nos últimos quatro anos. No primeiro ano do governo Dilma, o PT assumiu o comando da Casa. De 2013 a 2015, a Casa foi presidida pelo PMDB. A ideia chegou a ser discutida no ano passado, mas foi descartada pelos peemedebistas.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 01.02.2015 | Autor: Pedro Marinho

    ACM Neto está prestes a selar destino do DEM




     De esperança de ressurreição, ACM Neto pode passar a algoz do DEM; prefeito mais bem avaliado do Brasil, o jovem democrata olha a frente e não vê mais futuro para o antigo PFL que tanto foi defendido por seu avô Antônio Carlos Magalhães; conforme apurou 247 nos bastidores da política baiana, ACM Neto está mesmo prestes a ir para o PDT e selar o fim do DEM no Nordeste, pois levará consigo praticamente todos os deputados (federais e estaduais), prefeitos e vereadores que ainda restam ao partido na Bahia


    Romulo Faro, do Bahia 247 - Eleito para governar a terceira maior capital do país aos 33 anos (em 2012), ACM Neto acendeu no Democratas (DEM) a esperança de o partido se reerguer no cenário político brasileiro, a ponto de o presidente da legenda, senador José Agripino (DEM-RN), lhe projetar a candidato a presidente da República num futuro não tão distante. ACM até deixou acesa a chama do DEM, mas frustrou a chamada ‘oposição raivosa‘ quando, em seu discurso de posse, deu aula de humildade ao pedir em público ajuda ao então governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), para lhe abrir as portas do governo federal na tentativa de tirar Salvador do estado de abandono imposto por oito anos (dois mandatos consecutivos) pelo ex-prefeito João Henrique de Barradas Carneiro (PSL).

    E o jovem democrata conseguiu atingir seu objetivo prioritário. Com dois anos de gestão, ele foi eleito o melhor prefeito entre 18 capitais pesquisadas por um conceituado instituto de pesquisa. A satisfação do povo soteropolitano é expressa em depoimentos sobre a primeira capital do país, que vai retomando seu charme.

    Voltando à articulação político partidária, ACM Neto, de fato, deu banho de água fria na oposição conservadora, que esperava relação tensa com o PT de Jaques Wagner e da presidente Dilma Rousseff. Os ânimos até se acirraram a partir do final de 2013, com a proximidade das eleições de 2014. Nada atípico num cenário em que o DEM tinha candidato a governador do Estado (Paulo Souto) e apoiava o candidato (Aécio Neves) de seu maior aliado, o PSDB, à presidência da República.

    Passadas as eleições, das quais o PT saiu vitorioso em plano nacional e na Bahia, ACM neto retomou (de forma muito discreta) seu projeto de sobrevivência política e intensificou as negociações com o PDT, do ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi. O primeiro sinal sólido de sua possível ida para o partido de Leonel Brizola se deu há três semanas, ao nomear a ex-vereadora Andrea Mendonça para sua Secretaria de Trabalho. Andrea foi secretária da mesma pasta no governo de Jaques Wagner. Dois dias depois da nomeação de Andrea, o PDT deixou a base de apoio ao novo governador, Rui Costa (PT), na Assembleia Legislativa, e selou de vez o casamento do partido com ACM Neto. Ele já tem apoio da legenda também na Câmara Municipal de Salvador.

    Reta final no DEM

    Nos bastidores, conforme apurou 247, ACM Neto aguarda apenas a decisão dos demais líderes do DEM de fazer ou não fusão com o PDT. José Agripino é um dos que relutam. Mas o prefeito de Salvador, aos 34 anos, busca sobrevivência política e está mesmo decidido a deixar o DEM, antigo PFL que teve como líder maior seu falecido avô Antônio Carlos Magalhães. Caso se confirme, a articulação de ACM Neto porá fim ao DEM na Bahia. Os deputados federais e estaduais, os vereadores e os poucos prefeitos do partido são quase unânimes em seguir o caminho que ACM escolher trilhar.

    "Meu projeto atual é muito vinculado ao projeto do prefeito, mas vamos analisar o que é mais conveniente", diz o presidente do DEM na Bahia e deputado federal eleito, José Carlos Aleluia, em entrevista ao site Bahia Notícias. Embora não diga explicitamente, o líder democrata deixa claro que a debandada será geral. "Todos os vereadores, deputados estaduais e federais estão afinados com ACM Neto".

    Líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado Sandro Régis (DEM), contudo, não mediu as palavras para dizer que seguirá ACM Neto. "Sigo Neto em qualquer partido", disse o democrata.

    Líder do DEM na Câmara Municipal de Salvador (CMS) e vice-líder do governo na Casa, Léo Prates também não hesitou. "Entrei no partido pelas mãos do prefeito e faço parte do grupo político dele. Caso ele mude, farei como sempre fiz na minha vida: vou seguir meu grupo político". O Democratas vê em ACM Neto sua chance de voltar a governar um estado. Mas as previsões não são animadoras para o partido.

    PDT à esquerda ou à direita?

    Embora seja natural os políticos mudarem de partido, uma dúvida paira sobre a articulação de ACM Neto: ele se converterá à esquerda e deixará de ser oposição ao PT? Na prática, a posição do prefeito e de seu possível novo partido será afinada: a de que ele não faz e não fará oposição sistemática aos governos federal e estadual, mas ‘lutará pelo bem dos baianos‘.

    O PDT, que também atravessa fase de baixa com redução de suas bancadas na Câmara (e no Senado, já enxerga em ACM Neto o mesmo que o DEM: as chances reais de governar o quarto maior estado do Brasil e maior da região Nordeste. O prefeito de Salvador seria liderança regional absoluta do PDT.

    Kassab e o PL em busca de lideranças regionais

    A movimentação entre o PDT e ACM Neto se intensifica simultaneamente com a articulação do Ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), de ressuscitar o PL (Partido Liberal) e atrair parlamentares desiludidos que ainda fazem oposição ao governo no Congresso. Nos bastidores já circulam rumores de que ACM Neto está na mira de Kassab, ex-líder do DEM que se tornou aliado de primeira hora do PT ao criar o PSD em 2011, partido que fez verdadeira devassa nas legendas de oposição (inclusive na Bahia).

    Em público, ACM mantém discurso de que sua preocupação exclusiva continua sendo a de governar Salvador e desconversa sobre sua saída do DEM. Contudo, ainda conforme mergulho do 247 nos bastidores da política baiana, o prefeito não tardará a tomar e anunciar sua decisão.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 31.01.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina


     MARCADA AUDIÊNCIA DE UM DOS PROCESSOS MOVIDOS CONTRA RICARDO COUTINHO

    O corregedor regional eleitoral, Tércio Chaves, designou para o dia 27 de fevereiro, às 9h, uma audiência de oitiva das testemunhas no processo movido pela coligação ‘A vontade do povo’ que pede a cassação do governador Ricardo Coutinho (PSB) pela suposta utilização de publicidade oficial a favor do socialista em ano eleitoral. Esse é um dos muitos processos contra Ricardo Coutinho e todos com o mesmo objetivo cassar o mandato do socialista, que segundo os adversários teria abusado demais na última campanha eleitoral.

    CÁSSIO ACUSA RICARDO COUTINHO E RECEBE RESPOSTA DE ESTELA BEZERRA

    Por falar em RC o tucano Cássio Cunha Lima que saiu derrotado no último pleito eleitoral, acusou o mesmo de tentar influenciar na eleição na Assembleia Legislativa. Cássio inicialmente afirmou ter segurança no voto da bancada do PSDB em Ricardo Marcelo (PSDB) e alfinetou o seu algoz: “O tempo vai mostrar de fato quem é Ricardo Coutinho, eu já me afastei dele exatamente por discordar profundamente, do método de fazer política e tenta impor o seu poder na base da força com uma manobra que o governo está fazendo tentando fazer duas eleições em uma só que é bem típico de Ricardo Coutinho, posar de inocente de vestal e por trás é ele quem articula isso tudo”, disparou. No contraponto a deputada Estela Bezerra (PSB), reagiu com veemência a acusação: “O que eu tenho muito certo é o que nós estamos fazendo é licito, transparente, garante a alternância, tem princípios democráticos e tem amparo legal, por que o Regimento é feito pelo colegiado da Casa, dito isto, poderia avaliar o que foi feito anteriormente inclusive com a intervenção do senador quando era governador”, ironizou. Pois é, i estando agora inclusive apoiando um candidato que deseja se perpetuar no comando do nosso Parlamento.

    TOVAR ASSOCIA SERVIDORES A CRIMINALIDADE NO ESTADO E RECEBE RESPOSTA DE CÉLIO ALVES


    O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) criticou o aumento anunciado pelo governador Ricardo Coutinho. O deputado sem nenhuma lógica associou o percentual de reajuste aos altos números de violência no Estado. Diante de tal aleivosia, o secretário executivo de Comunicação da Paraíba, Célio Alves disparou: “Crime mesmo é tentar comprar eleitor com cesta básica”. Célio Alves lembrou que o deputado chegou a ser conduzido a delegacia durante o período eleitoral, por suspeita de abuso do poder econômico: “Crime mesmo é tentar comprar eleitor com cesta básica”.“Não há servidor assaltando nem matando, na Paraíba, para que o deputado associe o reajuste à criminalidade”, fuzilou o secretário.Pois é, Tovar bem que podia ter dormido sem essa, pois associar os servidores a criminalidade foi de lascar.

    SERVIDORES ESTADUAIS PODEM PARALISAR SUAS ATIVIDADES

    Reajuste salarial para servidor sempre é uma questão bem delicada já que envolve interesses das mais diversas categorias, ou seja, quase sempre é um cobertor curto que quando cobre a cabeça descobre os pés. Mesmo no âmbito federal onde o dinheiro é mais folgado a presidente Dilma Roussef, concedeu de forma linear neste mês de janeiro um reajuste de pouco mais de 5%, cujo percentual já havia sido acordado há mais de três anos, não sabendo os servidores federias, como será daqui em diante. Aqui na Paraíba, como não poderia deixar de ser, a insatisfação também é grande, tanto que os servidores já começam a se articular para paralisar as atividades no próximo dia 13 de fevereiro. A paralisação será um protesto contra o reajuste salarial concedido pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) que em algumas categorias foi de apenas 1%. Além da paralisação, o funcionalismo está organizando um bloco carnavalesco para protestar contra o governo. Resta saber se com um reajuste tão mixuruca desses, haverá clima para Carnaval.

    VENEZIANO APONTA DOIS NOMES PARA A PREFEITURA DE CAMPINA GRANDE


    O deputado Veneziano Vital do Rego, constantemente lembrado para concorrer mais uma vez a Prefeitura de Campina Grande, demonstrou muita modéstia e apontou duas alternativas de nomes para concorrer à Prefeitura de Campina Grande, em 2016, contra o projeto de reeleição do prefeito Romero Rodrigues (ainda no PSDB).Veneziano citou o vereador Olímpio Oliveira (PMDB), que teve um “extraordinário desempenho” para deputado estadual no ano passado, apesar de não ter sido eleito, e o deputado estadual diplomado Inácio Falcão (PTdoB).

    LUCAS DE BRITO DESEJA SER CANDIDATO A PREFEITO NA CAPITAL


    O atuante e respeitado vereador Lucas de brito, que até a semana passada foi líder da oposição na câmara municipal de João Pessoa, já anuncia que pretende ser uma terceira via no pleito municipal do próximo ano. a idéia de Lucas é ser uma alternativa ao modelo do PSDB, PT e PSB que comandaram a gestão municipal nos últimos 20 anos. Difícil será Lucas convencer o presidente Efraim Moraes a romper a relação com Ricardo Coutinho e consequentemente com o PSB.

    A PREFEITURA DA CAPITAL E O ATRASO NAS SUAS OBRAS


    A Prefeitura de João Pessoa interditou, faz cincos meses, parte da Rua Geraldo Mariz, em Tambauzinho, para iniciar a construção de um viaduto. Botaram os tapumes, os moradores ficaram sem saída e até hoje nada aconteceu, só servindo para tumultuar mais ainda o já complicado turno naquela área. Tal conduta do gestor municipal vem se tornando então uma praxe, pois há quase dois anos, colocou uma placa no casario localizado no Varadouro, próximo a Praça Antenor Navarro e até hoje nada aconteceu. Na Praça 1817 em setembro de 2013, desalojou os engraxates os colocou numa tendas alugadas numa calçada defronte ao Banco do Brasil e quando o próximo setembro vier a promessa de reforma fará dois anos. O calçadão de Manaíra e Cabo Branco também espera desde o início da gestão, e, o mais importante de todos, a erosão da barreira do Cabo Branco, só depois da decretação do estado de emergência - que se pressupõe agir rápido - já se passaram quase três meses e não se verifica ali absolutamente nada. O nosso alcaide e seus assessores pensam e agem muito lentamente. Em tempo: Na gestão de Cícero Lucena, também aprontaram a mesma coisa, ou seja, inventaram ali na Rua Geraldo Mariz a construção de um viaduto, cercaram o espaço com tapumes, pois bem, aquela gestão chegou ao fim e nada aconteceu.

    EVA GOUVEIA PODERÁ SER SECRETÁRIA MUNICIPAL EM CAMPINA GRANDE

    Quando optou pela candidatura de Cássio Cunha Lima, Rômulo Gouveia então vice de Ricardo Coutinho, acreditava piamente nas pesquisas e achava naquela ocasião que estava fazendo a escolha certa, que possibilitaria a sua eleição para deputado federal e também a reeleição de sua esposa Eva Gouveia, a deputado estadual. Errou feio, pois prejudicou a esposa e para se eleger teve que vir buscar votos na capital e para tanto se uniu a Lucélio Cartaxo, que teria - segundo a sua própria versão - o motivo do seu rompimento com RC. Agora chega a informação de que o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB) já deixou clara a possibilidade que deverá sair do seu partido e migrar para o PSD. Tal mudança será muito boa pelo menos para Rômulo Gouveia, já que ficou um bom clima do gestor com a legenda do mesmo. O motivo da maior sintonia entre os dois é a certeza da nomeação, que figura nos bastidores da política campinense, da deputada Eva Gouveia (PSD) para a secretaria de Ação Social. Pois é quem tem padrinho não morre pagão.


    AUMENTA O PREÇO DOS COSMÉTICOS E DA CERVEJA

    A alta de impostos sobe o preço dos cosméticos e da cerveja, ou seja, deu adeus ao quesito beleza e aos bêbados. Para um governo em que a feiúra física - algumas até mesmo moral - é fundamental para ocupar os altos escalões, até se entende o reajuste dos cosméticos, mas considerando a leva de pinguços nesse mesmo governo é incompreensível o aumento no preço da cerveja. Ou não?

    A BARATONA DE MARCOS PIRES

    O elétrico e sempre antenado advogado Marcos Pires convida para a 20º saída do seu bloco “Baratona”, que não recebe qualquer tipo de ajuda oficial e os foliões não pagam nada para participar. O bloco que já tem um bom nome firmado no nosso Carnaval sairá do Largo da Gameleira, no final da tarde do dia 7 com muita música e a conhecida animação de Marcos Pires. Aproveitando a deixa, este aprendiz de digitador, pensa exatamente como Marcos, ou seja, para o Carnaval ou qualquer outra festa, cada brincante deveria usar o seu próprio dinheiro. Como têm aqueles que defendem que o evento promove a venda de bebidas, comidas e hospedagem, entendo que tais empresas então deveriam custear o Carnaval e todos os outros eventos que ampliassem os seus lucros. Fica a dica e o bom exemplo de Marcos Pires.

     

    A COBRANÇA DE NOSSA ENERGIA – LOURDINHA LUNA

    A sempre antenada Lourdinha Luna demonstra preocupação com as cobranças que vem sendo feita pela companhia que fornece energia em nossa capital. Lourdinha Luna a partir deste ponto: A companhia que fornece energia para João Pessoa está cobrando de forma desordenada. No dia 1º de dezembro (2014) o BB pagou uma conta minha. No dia 02.01.15 saldou outra. Em 27.01.15 repetiu o pagamento. É de estranhar que em 58 dias 3 contas tenham sido liquidadas, com quantias diferentes e sempre com aumento Como o último recibo entregue foi em outubro, não tenho como reclamar, à falta de comprovante. Mas disponho dos extratos bancários. O aviso é na intenção de que outros consumidores se acautelem de prejuízo’. Pois é Lourdinha, a informação é preocupante e a empresa Energiza precisa urgentemente se explicar, pois no ano passado um funcionário dessa empresa denunciou que os consumidores estavam lesados e jamais tal denúncia foi esclarecida, ou seja, ficou o dito pelo não dito.


    "EMBURRECEDOR" "PÃO E CIRCO" - ALBERGIO GOMES MEDEIROS

    O Carnaval é um festejo popular que atrai sempre uma grande leva de brincantes, mas é sempre bom respeitar aqueles que não são foliões e principalmente o dia a dia das cidades, como João Pessoa, por exemplo. A propósito Albergio Gomes Medeiros, que não se furte de emitir a sua opinião sobre as causas populares, postou nas redes sociais sua preocupação com o desconforto trazido pela festa de Momo.” Pronto. A mobilização na av. Epitácio já começou hoje. Dezenas de bugigangas e apetrechos de ferro tomaram toda a calçada no trecho abaixo do Clube Cabo Branco até próximo ao Supermercados Extra; sem ter ficado espaço algum para o pedestre. Se fosse um particular ou material para ajudar comunidades locais já teriam sido fustigados pelos "zelosos" fiscais e lavradas autuações e etc. mas; como se trata do inebriante e "emburrecedor" "pão e circo"; tem todo o apoio de tudo que é Poder Público; agentes e autoridades.Depois; que venha o São João”.

     

    Esta coluna é publicada no http:/www.blogdopedromarinho.com e em quatro portais.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas