Estatisticas do blog

No momento, 3 usuário(s) está(ão) lendo este blog. No total, 3814669 pessoas visitaram esta página.

Clima tempo

Twitter

Publicidade

Notícias

Clima/Tempo

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Brasileiro reclama de quê? Se o brasileiro é exatamente assim.




     Tá Reclamando do Lula? do Serra? Da Dilma? Do Arrruda? Do Sarney? Do Collor?
    Do Renan? Do Palocci? Do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? Do Jucá?  Do Kassab?  Dos mais 300 picaretas do Congresso?
    Brasileiro Reclama de Quê? O Brasileiro é assim:

    1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
    2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
    3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
    4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.
    5. - Fala no celular enquanto dirige.
    6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
    7. - Pára em filas duplas, triplas em frente às escolas.
    8. - Viola a lei do silêncio.
    9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.
    10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
    11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
    12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
    13. - Faz " gato " de luz, de água e de tv a cabo.
    14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
    15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
    16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
    17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.
    18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
    19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
    20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
    21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são piratas.
    22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
    23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
    24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
    25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.
    26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... Como se isso não fosse roubo.
    27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.
    28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... Só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
    29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
    30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

    E quer que os políticos sejam honestos...Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas...

    Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?

    Brasileiro reclama de quê, afinal?

    E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!

    Vamos dar o bom exemplo!

    Espalhe essa idéia!

    "Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos

    melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."

    Autor desconhecido

     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Herdeira do Bradesco doará fortuna para caridade (R$ 4,5 bilhões)




    Essa será a maior doação financeira feita por uma pessoa física no Brasil.

    Lia Maria Aguiar é uma das bilionárias brasileiras. Herdeira do Bradesco, com 77 anos e sem filhos, ela decidiu deixar sua fortuna para caridade.

    De acordo com o Glamurama, Lia Maria estipulou em seu testamento que os cerca de US$ 1,2 bilhão (R$ 4,5 bilhões) que possui devem ser transferidos após sua morte para a fundação beneficente que leva seu nome, em Campos do Jordão. Esse dinheiro corresponde a ações que possui do banco e da holding Bradespar, uma das controladoras da mineradora Vale.

    A fundação da bilionária conta com projetos socioculturais para crianças e jovens. Ainda de acordo com o site, trabalha com quatro pilares: educação, cultura, meio ambiente e inclusão social. Essa será a maior doação financeira feita por uma pessoa física no Brasil.

    Desde a criação, a fundadora já investiu mais de R$ 28 milhões na instituição. Ela é uma das três filhas adotivas de Amador Aguiar, fundador do banco e que faleceu em 1991.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    A Guarda Nacional e os coronéis (2) - Ramalho Leite




    O meu avô, José Rodrigues da Costa Neto, era tenente da Guarda Nacional. Nunca vi o titulo que lhe teria sido conferido, mas lembro da sua espada prateada presa a um suporte de madeira, próximo ao teto da casa grande do engenho Poço Escuro, do qual era o Senhor.Falava-se que herdara o título e espada do pai ou do avô.Pelas suas posses, tinha também direito a votar e no dia da eleição saía paramentado, a cavalo, e com a espada a tiracolo.É o que me contavam.

    A Guarda Nacional, como frisei em artigo anterior,com a República, deixou de exercer funções paramilitares, mas seus integrantes não largaram as patentes e continuaram a exercer influência política nos municípios de suas áreas de atuação. Daí surgiram os coronéis sem farda e sem espada, mas como forte influência social e econômica. A força dos coronéis seria sentida até a chegada do Estado Novo, ultrapassando os ideais da Revolução de Trinta e, aos poucos, desaparecendo, graças à principal arma da democracia - o voto secreto.

    Muito mais atrás, porém, a influência da Guarda Nacional era imprescindível à segurança do Estado. O primeiro presidente da Paraíba que resolveu conhecer o nosso interior, o gaucho Silva Nunes, nomeado por ser genro do Barão de Muritiba ( o nepotismo vem de longe),fazia questão da presença da Guarda Nacional em todas as cidades por onde passou. O jornal “O Imparcial”, contratado pelo governo da província para publicação dos atos oficiais, acompanhou a viagem do Chefe do Governo, de mais de trinta dias, à cavalo, e relatou aos seus leitores os detalhes da aventura.

    No Pilar, a banda de musica da Guarda tocou “o hino marcial e várias peças, ao som de estrondosas girândolas que subiam ao ar”. O presidente foi recebido pela “Câmara Municipal em grande gala na casa de suas sessões, decentemente preparada”. No Ingá, “foi sentida a ausência da Guarda Nacional, o que é bem censurável; porque toda a gente se empenha e procura ser incluído na proposta para os postos e nas ocasiões como a presente não aparecem”, reclama o jornal oficial de então. Houve uma exceção: o Comandante apresentou-se “a paisano”, conforme o cronista da viagem. Em São João, a Câmara Municipal da vila seguiu o exemplo de Cabaceiras, e “esqueceu-se dos seus deveres administrativos e de civilidade”, não comparecendo à recepção. O comandante da Guarda apresentou-se fardado, contudo, justificou a ausência da oficialidade por falta de fardamento.

    A viagem do presidente Silva Nunes virou livro do historiador Wilson Seixas e começou por Santa Rita, ganhou o sertão, subiu as serras dos brejos de Areia e Bananeiras, voltando por Patos e Mamanguape. No retorno, foi recebido com muitas festas e um baile em sua homenagem. Em Patos, “a Guarda Municipal não deu sinal de vida, faltando a oficialidade ao cumprimento de seus deveres, e iludindo, portanto, a lei de sua criação”, reclama “O Imparcial”.Em 1860, Patos era “uma vila de acanhadas proporções e não possui edifício algum de importância”. O gaúcho que governava a Paraíba não arrefecia o ânimo e, mesmo com uma crise de asma, subiu a Serra do Teixeira e constatou que “a vila tem calçamento de pedra natural, por assim dizer; pois é uma lage só, sobre a qual foi situada a povoação”. A Guarda Nacional ... “tem escrúpulos em apresentar-se; sendo que foram cumprimentar a S. Exa. três oficiais sem espadas”. Antes de subir até Teixeira, o Presidente Silva Nunes arranchou-se no Gerimum, hoje município de São José do Bonfim. Gerimum era uma pequena fazenda onde se destacava, apenas, a casa do vaqueiro. Foi alí que o governante teve acolhida.”Teve S.Exa. por mesa duas malas coberta de couro, da bagagem, e por cadeira uma pequena mala inglesa de viagem” revela o periódico, citado por Wilson Seixas.

    O jornal não perdoou aos integrantes da Guarda Nacional que fizeram desfeita ao Presidente da Província, deixando de comparecer à sua recepção em cada uma das cidades e vilas por onde passou. E não deixou de lavrar seu protesto contra aqueles que “ só se lembram dos postos que exercem na guarda nacional, das honras que lhes são conferidas, quando é preciso perseguir a certos e determinados indivíduos, quando é necessário abusar do cargo para ajudar esta ou aquela parcialidade, para ser chamado de Sr.Tenente- coronel, Sr.Major, Sr, Capitão”. E pede ainda providência contra “indivíduos oficiais da guarda nacional que não estejam fardados, que gosem dos cômodos sem suportarem os incômodos..” (adotei nas transcrições a grafia da época)

    Muitos coronéis chegaram aos nossos dias e conviveram com a redemocratização do país. Na Paraíba, o cel.José Antonio Maria da Cunha Lima Filho chegou a deputado federal no início da Republica. Seguidor de Argemiro de Figueiredo, exerceu influência política até a eleição de 1965 quando deixou seu antigo chefe, e aderiu à candidatura de João Agripino a governador. Sua adesão deu lugar a slogan de grande repercussão mas de poucos votos : “É o mundo todo e o Mundo Novo, também!”. “Mundo Novo” era o engenho do coronel.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Papo d‘ Esquina




     CÁSSIO VOLTA A NEGAR ALIANÇA COM O PT

    Por mais que deseje ardentemente derrotar um eventual candidato do governador Ricardo Coutinho a Prefeitura de João Pessoa em 2016, o senador Cássio Cunha Lima, sabe que diante da verdadeira batalha que vem travando no Senado, denunciando a presidente Dilma Rousseff e consequentemente o seu partido o PT, seria verdadeiramente inaceitável uma aliança dos tucanos com o PT aqui na capital, visando a reeleição de Luciano Cartaxo. Ontem, mesmo, o tucano Cássio Cunha lima, indagado pela imprensa foi direto e rasteiro e sapecou: ‘Não procede’, enterrando de vez tal movimentação por parte dos petistas, que ao que parece não contarão também com o PMDB, que já desponta com a pré-candidatura de Manoel Junior.

    AS POSIÇÕES DE ANÍSIO MAIA E FREI ANASTÁCIO SOBRE A ALIANÇA ENTRE PSB E PT

    Ninguém tem duvida de que a aliança do PT com o PSB foi muito importante para a vitória de Ricardo Coutinho sobre Cássio Cunha Lima no pleito passado, tanto que o deputado petista Anísio Maia quer a manutenção de tal aliança para 2016, dizendo ele que o rompimento só interessa mesmo a quem não tem conteúdo ou propostas para apresentar a Paraíba. Na direção oposta, prevendo que tanto o PT quanto o PSB terão candidatos próprios, vem o deputado também petista Frei Anastácio e diz que só um bobo para acreditar nessa aliança em 2016. Espera-se que esse petardo não tenha sido dirigido a Anísio Maia.

    A VAGAROSA GESTÃO DE LUCIANO CARTAXO

    Por falar em Luciano Cartaxo, quem não tem nenhuma paixão partidária, ou não se encontra tirando algum proveito da gestão do mesmo percebe facilmente que a sua atuação como gestor de uma capital de estado, deixa muito a desejar. Perto de completar três anos à frente de nossa edilidade, falta concluir a obra da Lagoa, que se arrasta, o calçadão de Tambaú e Cabo Branco, combater a erosão do Cabo Branco, construir o Parque Parahyba, autorizado em duas Plenárias da Prefeitura, a ciclovia de Manaíra até o Iate Clube, a intervenção na Praça 1817, hoje uma verdadeira favela, com os engraxates, há dois anos sob umas tendas velhas alugadas pela Prefeitura, o viaduto de Tambauzinho, que mesmo colocado uns tapumes, nada acontece, a retirada dos moradores do Porto do Capim, com a revitalização daquela área, a revitalização do Bairro São José, até agora apenas iniciada, a construção de treze mil moradias, a criação do museu da cidade, do Teatro Municipal e da Biblioteca Municipal, construir seis corredores de ônibus com paradas seguras e confortáveis, com veículos modernos e rápidos. Construir quatro novos terminais de integração, essas últimas, dentre as suas 13 promessas de campanha.

    A VAGAROSA GESTÃO DE LUCIANO CARTAXO II

    Toda essa introdução é para dizer, que esta semana estive na Avenida José Américo de Almeida – indevidamente denominada de Beira-Rio - e fui olhar a obra da Prefeitura Municipal, que há meses vem causando sérios transtornos aqueles que trafegam por ali, nas proximidades do girador de acesso ao Altiplano. Adentrei na área encoberta pelos tapumes e pude observar ali poucos operários, bem como constatei que foi feito muito pouco para evitar as enchentes anuais e para abrir uma via ligando tal avenida a Epitácio Pessoa, conforme anunciado na placa. Depois de todo esse tempo, só existe ali umas estranhas formações de cimento, feitas no solo e que dizem muito pouco do que realmente se pretende fazer ali, numa obra que também se arrasta, a exemplo, da intervenção na Lagoa e no viaduto da Rua Geraldo Mariz em Tambauzinho. Para comprovar o que vi na naquele local, fiz questão de subir num dos edifícios ali existentes e fazer alguns registros fotográficos publicados no blog que leva meu nome e que provam esta minha afirmativa.

    EX-SECRETARIO PREVÊ DIAS SOMBRIOS NA GESTÃO DE LUCIANO CARTAXO

    Quando Luciano Cartaxo enfrentando forte reação dentro do próprio PT se lançava candidato a prefeito de João Pessoa, Marcus Alves era seu fiel e já participava de todas as reuniões ao então pré-candidato, sendo numa delas apresentado a todos, como o homem que faria toda divulgação da campanha que apenas se iniciava. Ao se eleger e tomar posse Cartaxo nomeou Marcus como Secretário de Comunicação, sendo visto por todos como um técnico de peso na estrutura administrativa. O fato é que tal poder durou pouco tempo e poucos meses depois, sem nenhuma explicação Marcus Alves foi exonerado e deslocado para um cargo menor, a Coordenadoria de Projetos Especiais. Ontem o mesmo após pedir para sair, publicou uma longa carta na imprensa e redes sociais, em que fala dentre outras coisas em “dias sombrios em que gestores e lideranças indelicadas e sem visão de futuro tentam transformar a política em uma atividade vil e sem prazer” Ele também alega que não encontrava espaços para ser escutado, e por isso, teve “a humildade” de se afastar. Marcus bem que poderia ter explicado melhor, que tempos sombrios são esses que virão por ai.

    AS COMENDAS DA CÂMARA MUNICIPAL SÃO MESMO QUE BANANAS EM FIM DE FEIRA

    O prefeito Luciano Cartaxo (PT) receberá da Câmara Municipal a Medalha Cidade de João Pessoa pelos relevantes serviços prestados à cidade. O projeto é de autoria do vereador e presidente da Casa Napoleão Laureano, Durval Ferreira (PP), e foi aprovado por unanimidade pelo plenário da Casa nesta quinta-feira (03), apenas dois dias após sua apresentação na Casa. "Ele foi vereador junto comigo e está fazendo um excelente trabalho como prefeito, mas ainda vai fazer muito mais no seu mandato", justificou Durval na apresentação da propositura. Sem discutir os méritos do prefeito Luciano Cartaxo, mzas receber medalha em rzaão do que ainda vai fazer – segundo o autor é dose. Na verdade, essas medalhas da Câmara Municipal são distribuídas sem nenhum critério, a lógica entre os vereadores é aprovar a indicação do colega, para que amanhã quando apresentar alguma de sua autoria, essa não venha a ser barrada, numa verdadeira farra, que já perdeu todo sentido. Conheço gente que mesmo indicado, jamais foi receber, pois o seu valor é mais ou menos de banana em fim de feira.

    VENEZIANO CHAMA ROMERO RODRIGUES DE DEMAGOGO

    O ex-prefeito de Campina Grande e atual deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) classificou o anúncio do prefeito Romero Rodrigues (PSDB) de reduzir o próprio salário e de seu vice como medida para economizar na administração municipal de “um jogo de cena demagógico e infantil”. Disse Veneziano que em 2013 o próprio Romero Rodrigues aumentou o seu salário e de todos os secretários e lembrou que também ele Romero aumentou em mais de R$ 35 milhões de reais os gastos da prefeitura com gratificações. “Isso é uma medida demagógica, uma orquestração infantil, um modelo infantil para querer chamar a atenção”, disse Veneziano, ao destacar que esse gesto Romero deveria ter tomado em 2013, quando assumiu a prefeitura e sancionou um aumento salarial para ele próprio, para o seu vice-prefeito e para os secretários de aproximadamente 100%.

    DIREÇÃO DO PMDB QUER ESTANCAR CRISE ENTRE SEUS MEMBROS

    A Executiva do PMDB deverá se reunir na próxima sexta-feira (4) para tentar estancar a crise interna deflagrada por conta da eleição do diretório municipal de João Pessoa que reconduziu o deputado federal Manoel Júnior à presidência da legenda e provocou a revolta do deputado estadual Gervásio Maia que cobrava o cumprimento de um acordo que o levaria a assumir o comando do PMDB da Capital. Pelo visto a direção da legenda dormiu no ponto e deixou a briga se arrastar e culminar com o escanteio de Gervasio Maia que pretendia a direção do Diretório da capital, conforme acertado com a Cúpula do partido. Parece que agora é tarde e Inês é morta.

    TCE IMPUTA UM DÉBITO DE QUASE R$ 700 MIL A J. JUNIOR

    Depois de cumprir dois mandatos como prefeito da cidade de Bayeux, Josival Júnior de Souza, mais conhecido como J. Junior tem passado por momentos bem difíceis, tanto no Tribunal de Contas do Estado, quanto na Justiça, com vários processos em tramitação. Esta semana o TCE emitiu parecer contrário à aprovação das suas contas relativas ao ano de, tendo aquela Corte imposto um débito de R$ 670.471,86 por despesas sem comprovação documental atinentes, em sua maior parte, a serviços de auditoria e recuperação de crédito com realização não confirmada. Neste último caso, respondeu, solidariamente, pelo débito de R$ 460.332,00 o contratado Frederico de Alcântara e Silva.

    ALBERGIO GOMES MEDEIROS FALA SOBRE A VISITA DE DILMA A PARAÍBA

    Passou o primeiro mandato todo sem saber nem onde ficava a Paraíba; embora passasse férias em praias de Natal. Agora a Paraíba tem valor e merece um "afago" com uma visita? Fique por lá mesmo com a própria "urucubaca"? Em tempo de quadrilhas; corrupções; prisões; delações e descréditos; o que essa Senhora fará na Paraíba? Vem com "pires na mão" inaugurar meia dúzia de casas e com uma enorme comitiva de ministros e demais parasitas desse hospedeiro país? Assinatura de decrépitos papéis não precisamos. Será uma reminiscência do período monárquico do "Beija mão" em pleno século XXI? Tomara que o MST interdite até o aeroporto e os sequazes tenham um raro momento de lucidez e até vergonha de aparecer com essa trupe.O desespero está tão grande e palpável que virá aqui mesmo com a Paraíba só tendo 12 Deputados Federais; e graças; nem todos são apoiadores dessa cambada.

    Daudeth Bandeira e José de Souza Dantas, do livro: Invenções e descobertas em estilo cordel:

    “MACARRÃO é da Itália ou de origem chinesa? Uns dizem que é da última, porém ninguém tem certeza! Itália, sua cozinha há seis mil anos já tinha MACARRÃO na sua mesa!”

    Esta coluna é publicada no http:www.blogdopedromarinho e em quatro portais


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    As belas da sexta - Fotos









    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Anastácio critica posições de Dom Aldo: “tem religioso que não gosta de gente”




    Deputado evitou comentar sobre processo investigatório que teria sido deflagrado pelo Vaticano contra o arcebispo.

    O deputado estadual Frei Anastácio foi questionado pela imprensa, nesta quinta-feira (3), sobre o suposto processo investigatório deflagrado pelo Vaticano contra o arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo Pagotto. Na oportunidade, o parlamentar, que é membro da Igreja Católica, evitou comentar sobre o processo, mas deixou clara a sua posição crítica em relação ao arcebispo.

    “É o seguinte, a minha praia é o movimento social, são os trabalhadores, e quando tem gente na rua, eu fico satisfeito. Não estou preocupado se Dom Aldo vai ou se não vai, estou é preocupado se o povo vai, porque o povo indo é o importante”, disse Frei Anastácio.

    O deputado ainda afirmou que a Igreja Católica tem evoluído sob a orientação do Papa Francisco e, sem citar nomes, mas dentro dos questionamentos sobre Dom Aldo Pagotto, criticou a conduta de alguns membros do catolicismo.

    “Na igreja, eu vejo que as posições do Papa Francisco têm sido muito coerentes com o evangelho. Ele diz que os padres, os bispos, e os religiosos têm que sentir o cheiro das ovelhas. Agora, temos padres, temos bispos, temos religiosos, e temos cristãos que tem medo do povo”, concluiu.

    Investigação
    Por decisão do Vaticano, Dom Aldo Pagotto, só poderia realizar missas e casamentos, mas não ordenar diáconos e padres. A informação foi revelada por um grupo de sacerdotes à imprensa paraibana. O alvo seria a conduta ‘anti-democrática’ do arcebispo na Igreja.

    Em Nota, Dom Aldo negou a acusação afirmando que a informação ‘caluniosa’ foi afirmada no anonimato, desprovida de provas documentais. “Deve ser negado, porquanto não há como responder à série de boatos acusatórios”, diz.
    WSCOM Online


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Greve do INSS continua e servidores poderão fazer ato durante visita de Dilma a JP





    Trabalhadores do INSS pedem reajuste salarial de 27%, mas o governo está oferecendo 21,3%, divididos em quatro anos; nesta sexta, peritos da instituição também paralisam as atividades

    Antonio Cruz/Agência Brasil

    Imagem ilustrativa
    A greve dos servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) deverá seguir pelo menos até a sexta-feira (11), na próxima semana. A informação foi confirmada ao Portal Correio pelo secretário de administração do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência, Euzevir Ferreira. Nesta sexta-feira (4), segundo o membro do Sindsprev, os grevistas fazem atividades no estado e planejam organizar uma manifestação no Centro de Convenções de João Pessoa, durante a visita da presidente Dilma Rousseff (PT) à cidade.

    Leia também: Peritos do INSS aderem à greve nesta sexta; categoria ainda prestava atendimentos

    “Estamos aguardando um posicionamento do governo federal e deliberamos para que continuemos em greve até que o governo responda às nossas solicitações”, disse Euzevir.

     Portal Correio

    Segundo o representante da categoria, será feito um ato público na frente da sede do INSS, no Centro de João Pessoa, nesta sexta, como já vem ocorrendo semanalmente. Com relação à ida dos manifestantes ao Centro de Convenções Ronaldo Cunha Lima, em Jacarapé, às margens da rodovia PB-008, Euzevir disse que os servidores ainda decidiriam se haveria condições logísticas para o movimento.

    Os trabalhadores do INSS pedem reajuste salarial de 27%, mas o governo está oferecendo 21,3%, divididos em quatro anos. “Não aceitamos essa proposta. Quatro anos é muito tempo para se conceder esse aumento e 21,3% também não é o que esperamos”, afirmou Elzervir.

    O INSS parou em de agosto em todo o Brasil, inclusive na Paraíba, onde há 38 agências. A categoria está seguindo orientações das entidades sindicais que estão negociando em Brasília.

    Também nesta sexta, entram em paralisação os peritos da instituição. Os profissionais pedem redução da carga horária de 40 horas para 30 horas semanais, incorporação de benefícios ao salário, redução de níveis de progressão, recomposição do quadro de peritos e aumento salarial de 27% em dois anos, reajuste que entra em consonância com os demais servidores.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Superior Tribunal de Justiça diz que homem não é obrigado a dividir patrimônio e bancar a ex-mulher




    A notícia de que o STJ (Supremo Tribunal de Justiça) decidiu que a partilha do patrimônio de casal que vive em união estável não é mais automática e que as partes vão ter de provar que contribuíram com dinheiro ou esforço para a aquisição dos bens vai mexer com a vida de muita gente. Essa mulherada que ainda acha que o que o homem tem de mais sexy é o cartão de crédito, o carro e o apartamento, vai acabar com uma mão na frente e outra atrás.


    Se a bonita só entrar com a fachada na união estável, sem comprovar que suou a camisa (e não daquele jeito que vocês estão pensando), não terá direito ao patrimônio erguido só pelo cara. O mesmo, a princípio, deve vale para mulheres bem sucedidas. Caso seja ela a responsável exclusiva pela construção do patrimônio, se o fulano não comprovar que entrou com grana ou com esforço, vai ele para a rua da amargura.

    No mínimo, é justo. Para se partilhar um patrimônio de casal que vive em união estável, o ideal é mesmo que cada um prove que contribuiu com dinheiro ou esforço para a aquisição dos bens. Alguém aí pode berrar, dizendo que há muitas mulheres que abandonam a vida profissional para cuidar da família e dos filhos. A Justiça precisa olhar caso a caso, mas se dedicar exclusivamente ao lar não deixa de ser um baita esforço para o enriquecimento mútuo.

    Por outro lado, acho que ex-marido pagar pensar à mulher pro resto da vida é uma aberração. O STJ vem, de fato, entendendo que a obrigação de pagar pensão alimentícia à ex-cônjuge é medida excepcional. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, em um um julgamento recente, o STJ decidiu converter a pensão definitiva da mulher, de 55 anos, em transitória. Ela receberá quatro salários por apenas dois anos. Procurada, a assessoria de comunicação do STJ não tinha informações sobre o caso. Rosane Collor também teve de se contentar com uma pensão por apenas três anos paga pelo ex-presidente Fernando Collor.
    As mulheres podem e devem bancar seu próprio sustento. No caso de Rosane Collor, ela teve direito a alimentos "compensatórios" por não ter trabalhado para seguir a vida política do ex. Mas até isso foi uma opção de vida dela. Depois não adianta chorar. É uma ótima lição para essa mulherada que quer viver à sombra do marido, achando que é dele a obrigação de bancar a fofa a vida toda.

    Agora, é bom que se diga e não custa lembrar: uma coisa é pensão para ex-mulher. Outra, muito diferente, é pensão para filho. Bancar a mulher não deve, mesmo, ser uma função do ex. Mas colaborar com o bem-estar das crianças que teve é, sim, obrigação do pai. Esse monte de homem que casa, faz filho, separa e se faz de morto na hora de pagar pensão para as crianças merece o que a lei destina a eles: cadeia.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Zé Maranhão nega acordo para Trócolli Jr assumir vaga no governo: “Ele se ofereceu”





    O senador negou declarações de Trócolli de que o PMDB negociou com o governador qualquer vaga. “Na verdade nós não fizemos nenhum acordo político”
    Por: Ilana Almeida

    blogdogordinho.com.br

    jose_maranhaoO senador José Maranhão negou acordo com o governador Ricardo Coutinho para que o deputado Trócolli Junior assumisse uma vaga na administração estadual. Maranhão revelou que o deputado ‘se ofereceu’ para deixar espaço na Assembleia para a suplente Olenka Maranhão desde que o partido articulasse a ida dele para o governo.

    O senador negou declarações de Trócolli de que o PMDB negociou com o governador qualquer vaga. “Na verdade nós não fizemos nenhum acordo político para que isso acontecesse”, destacou.

    O senador e presidente estadual do PMDB na Paraíba destacou que a proposta partiu do próprio Trócolli. “Internamente no PMDB, o deputado Trócolli se ofereceu para oferecer essa oportunidade a Olenka desde que se oferecesse uma vaga para ele exercer uma vaga na área do executivo”, revelou José Maranhão.

     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Passado 1 ano da famosa carta: a superintendente do Santander estava errada?




    Em 27 de julho de 2014, no alvoroço da corrida presidencial, as manchetes de jornais foram tomadas por uma suposta carta do Santander alertando os clientes sobre os perigos de uma possível reeleição de Dilma Rousseff.

    A carta, que segundo alguns foi classificada como terrorismo econômico, começava assim: “A economia brasileira continua apresentando baixo crescimento, inflação alta e déficit em conta ­corrente. A quebra de confiança e o pessimismo crescente em relação ao Brasil em derrubar ainda mais a popularidade da presidente, que vem caindo nas últimas pesquisas, e que tem contribuído para a subida do Ibovespa”.

    Sinara Polycarpo, então superintendente de Investimentos do Banco Santander era a responsável pelo conteúdo e continuava em suas palavras: “difícil saber até quando vai durar esse cenário e qual será o desdobramento final de uma queda ainda maior de Dilma Rousseff nas pesquisas. Se a presidente se estabilizar ou voltar a subir nas pesquisas, um cenário de reversão pode surgir. O câmbio voltaria a se desvalorizar, juros longos retomariam alta e o índice da Bovespa cairia, revertendo parte das altas recentes. Esse último cenário estaria mais de acordo com a deterioração de nossos fundamentos macroeconômicos”.

    A carta foi classificada por Dilma como lamentável e inadmissível¹. Lula foi ainda mais agressivo e disse “Essa moça não entende porra nenhuma de Brasil e de governo Dilma. Manter uma mulher dessa num cargo de chefia, sinceramente… Pode mandar ela embora e dar o bônus dela para mim”². E foi esse o conselho que o Banco Santander seguiu. Após colocar um anúncio em sua página pedindo desculpas pelo texto e reiterando: “sua convicção de que a economia brasileira seguirá sua bem-sucedida trajetória de desenvolvimento”³, a pobre moça foi demitida.

    Preferiram atirar no mensageiro e quebrar o termômetro a aceitar as críticas da superintendente. Vejam o comunicado do Santander sobre o ocorrido.


    Aviso do Santander
    Mas, passados praticamente 1 ano desde a famosa carta, temos o tempo a nosso favor. Afinal aquela carta realmente era lamentável? A analista não entendia nada de Brasil? Era terrorismo.

    Os números falam: desde a reeleição de Dilma, no final de outubro de 2014, o dólar disparou de R$2,52 para os atuais R$ 3,10, acumulando elevação de 23% no período; os juros subiram 2.5 pontos percentuais (de 11% para os atuais 13,75%); e o Ibovespa ficou praticamente estável, mantendo-se na casa dos 54.000 pontos, embora acumule queda de 13% se comparado aos 61.800 pontos atingidos em setembro de 2014.

    A deterioração de nossos fundamentos macroeconômicos, citada na carta assinada por Sinara, nunca foi tão evidente: passamos por um momento de alta inflação e crescimento negativo (recessão), com recordes de endividamento público e uma enorme crise política instalada.

    A ex-superintendente de investimentos do Santander, Sinara Polycarpo Figueiredo, não respondeu aos contatos realizados pelo Terraço Econômico. Uma pena. Dificil encontrar profissionais de mercado que acertam apenas uma projeção econômica, quem diria cravar três acertos. O Santander resolveu demiti-la; nós daríamos um prêmio a essa profissional.

    Arthur Solow e Leonardo Siqueira
    Editores do Terraço Econômico

     


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Impeachment já é apoiado por 50,7% dos deputados federais do PMDB de Temer


    Pedro Ladeira
    Pedro Ladeira


    Josias de Souza

    A articulação suprapartidária pelo afastamento de Dilma Rousseff, que era embrionária até a semana passada, ganhou consistência nos últimos dias. Em conversas ainda mantidas nos subterrâneos, os partidários do impeachment começaram a contar votos. Estima-se que 34 deputados federais do PMDB já se dispõem a votar a favor da abertura de um processo para tentar encurtar o mandato da presidente da República. Isso corresponde a 50,7% das 67 cadeiras que o partido do vice-presidente Michel Temer mantém na Câmara.

    Duas novidades potencializaram os movimentos do grupo pró-impeachment: 1) depois de refugar um apelo de Dilma para retornar à articulação política do governo, Temer avalizou, por assim dizer, o entendimento dos governistas insatisfeitos com a oposição; 2) o presidente do PSDB, Aécio Neves, que relutava em apostar no impeachment como saída para a crise, já não se mostra avesso às conversas. Por meio de interlocutores, Aécio e Temer se aproximam. Discute-se a conveniência de um encontro entre os dois.

    Embalados, os antagonistas de Dilma cogitaram formalizar nesta semana junto à Mesa diretora da Câmara a criação de uma frente parlamentar pró-impeachment. A constituição de frentes suprapartidárias está prevista no regimento interno da Casa. Mas o grupo achou melhor adiar a providência. Por quê? Os membros da frente teriam de se identificar. E passariam a sofrer o assédio do Planalto para mudar de posição. Avaliou-se que, taticamente, o melhor seria compor um movimento informal pró-impeachment. Algo que deve ser feito na próxima semana.

    Numa soma parcial, a infantaria do impeachment é estimada em cerca de 200 deputados. O número é muito inferior aos 342 necessários para aprovar a abertura de processo contra Dilma. Mas já é o bastante para compor a maioria simples necessária à aprovação de recurso ao plenário contra o eventual engavetamento de um pedido de impeachment pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). No cenário traçado pelo grupo que quer ver Dilma pelas costas, esse desengavetamento seria o suficiente para atrair ao Congresso os movimentos que mobilizam o asfalto contra a presidente.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Depoimento de Pessoa será usado contra Dilma





    Josias de Souza 

    O PSDB pedirá ao Tribunal Superior Eleitoral que requisite ao juiz Sérgio Moro cópia do depoimento prestado pelo delator Ricardo Pessoa. Dono da construtora UTC, ele declarou ter repassado ao PT propinas extraídas de contatos com a Petrobras. O magistrado quis saber se estava claro que o repasse ao partido era decorrente de propina. E o empresário: “Mais claro impossível, eu depositava oficialmente na conta do Partido dos Trabalhadores.”

    Em petição a ser protocolada nesta sexta-feira (3), o tucanato pedirá ao TSE que junte esse depoimento a um processo que move contra Dilma Rousseff. Uma das acusações é a de que a campanha à reeleição da presidente foi financiada com verbas sujas provenientes da Petrobras. O blog apurou que a Justiça Eleitoral deve deferir o pedido do PSDB.

    Oficialmente, o PT continua alegando que todas as doações que recebeu são legais. Sustenta que tudo foi declarado nas prestações de contas à Justiça Eleitoral. O depoimento de Pessoa torna frágil essa alegação. O empresário era o coordenador do cartel de empreiteiras que fraudava licitações na Petrobras. Confirmando-se o teor de sua delação, o TSE fica na incômoda sutuação de ter sido usado como lavanderia de verbas sujas.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Tia de meninos sírios mortos em praia mostra fotos da família




     

    Ela mora no Canadá e queria receber o irmão e os sobrinhos no país.
    Foto de Aylan Kurdi, de 3 anos, tornou-se símbolo da crise migratória.
    Da EFE

    Tima Kurdi, tia de Aylan e Galip, mostra fotos dos dois sobrinhos em sua casa no Canadá (Foto: Darryl Dyck/The Canadian Press via AP)


    Tima Kurdi, tia de Aylan e Galip, mostra fotos dos sobrinhos em sua casa no Canadá (Foto: Darryl Dyck/The Canadian Press via AP)

    Tima Kurdi, tia de Aylan Kurdi, a criança síria de 3 anos que morreu afogada junto com seu irmão e sua mãe quando tentavam atravessar o Mediterrâneo fugindo da Síria, declarou nesta quinta-feira (3) que considera o governo canadense "e o mundo inteiro" responsáveis pela morte de seus familiares.

    A foto de Aylan morto na praia após o naufrágio do barco onde estava na quarta-feira (2) se tornou uma das mais representativas da crise migratória na Europa.
    Aylan Kurdi, de 3 anos, e o irmão, Galip, de 5 anos, em foto mostrada pela tia dos meninos (Foto: Cortesia de Tima Kurdi/The Canadian Press via AP)

    Aylan Kurdi, de 3 anos, e o irmão, Galip, de 5, em foto mostrada pela tia dos meninos (Foto: Cortesia de Tima Kurdi/The Canadian Press via AP)

    Tima, que chegou ao Canadá em 1992, chorou durante uma entrevista coletiva que concedeu em sua casa em Coquitlam, na província da Colúmbia Britânica, e mostrou fotos de Aylan e seu irmão de 5 anos, Galip.
    Pedido de refúgio

    Ela disse que ajudou financeiramente a família do irmão para que eles fossem aceitos como refugiados pelo governo canadense. Segundo ela, o Canadá rejeitou o pedido de refúgio por "um documento".

    "Eles não mereciam morrer, não mereciam. Estavam indo para uma vida melhor. Isso não devia ter acontecido. Não devia ter acontecido com eles", disse.

    Tima Kurdi, tia de Aylan, fala em sua casa, no Canadá (Foto: Darryl Dyck/The Canadian Press via AP)
    Tima Kurdi, tia de Aylan, fala em sua casa, no Canadá (Foto: Darryl Dyck/The Canadian Press via AP)

    Tima Kurdi se referiu várias vezes aos seus dois sobrinhos e contou que há duas semanas eles tinham pedido uma bicicleta. "Pobrezinhos, nunca tiveram uma boa vida."

    "Honestamente, não quero só responsabilizar o Canadá. Estou responsabilizando todo o mundo por não ajudar o suficiente aos refugiados e por não parar esta guerra. E sei que o podem fazer. Se ninguém financiar os rebeldes, a guerra parará", afirmou.
    Aylan Kurdi, de 3 anos, e o irmão, Galip, de 5 anos, em foto mostrada pela tia dos meninos; eles morreram em um naufrágio tentando sair da Síria (Foto: Cortesia de Tima Kurdi/The Canadian Press via AP)

    Aylan Kurdi, de 3 anos, e o irmão, Galip, de 5, em foto mostrada pela tia dos meninos; eles morreram em um naufrágio tentando sair da Síria (Foto: Cortesia de Tima urdi/The Canadian Press via AP)

    Aylan Kurdi em fotos mostradas por sua tia, que mora no Canadá (Foto: Cortesia de Tima Kurdi/The Canadian Press via AP)

    Aylan Kurdi em fotos mostradas por sua tia, que mora no Canadá (Foto: Cortesia de Tima Kurdi/The Canadian Press via AP)

    A cidadã sírio-canadense afirmou que, pouco antes de seus familiares tentarem abandonar a Turquia em uma embarcação com destino à Grécia, falou por telefone com sua cunhada Rehan Kurdi. Segundo Tima, ela confessou ter dúvidas sobre a viagem. "Estou tão assustada com a água. Não sei nadar", teria dito Rehan Kurdi.

    Pai sobreviveu
    O pai de Aylan e Galip, Abdullah Kurdi, sobreviveu ao naufrágio e disse nesta quinta que seus filhos "escorregaram de suas mãos".
    "Tínhamos jalecos salva-vidas, mas o barco afundou porque várias pessoas se levantaram. Carreguei a minha mulher nos braços. Mas meus filhos escorregaram das minhas mãos", contou ele.

    “Numa delas, os guardas nos pararam. Aí fomos libertados. Da segunda vez, os organizadores não cumpriram com a promessa e não trouxeram o barco. Então conseguimos um barco por nossos próprios meios", relatou à agência turca Dogan.
    "Mas, depois de navegarmos 500 metros, começou a entrar água no barco. Nossos pés ficaram molhados. Criou-se um pânico, e quando as pessoas tentaram ficar de pé, a situação piorou", disse.






    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Ministro Chioro vola a sinalizar criação de nova CPMF





    O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse nesta quinta (3) que a criação de um novo tributo para financiar o setor não está descartada; segundo ele, o governo continua discutindo com o Congresso e a sociedade uma alternativa para o subfinanciamento da saúde; "Nós vamos ter que encontrar solução para entregar para a sociedade brasileira um sistema de saúde de qualidade, humanizado”, afirmou; Chioro, porém, ressaltou que a criação de um novo imposto "talvez não seja a solução ideal, mas vai ser a melhor que o Brasil é capaz de propor"

    247 - O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse nesta quinta-feira (3) que a criação de um novo tributo para financiar o setor não está descartada. Segundo ele, o governo continua discutindo com o Congresso e a sociedade uma alternativa para o subfinanciamento da saúde. "Nós vamos ter que encontrar solução para entregar para a sociedade brasileira um sistema de saúde de qualidade, humanizado”, afirmou.

    O ministro argumentou que o padrão de financiamento usado hoje é muito inferior ao de países que não tem sistemas integrais de saúde. Ele destacou ainda que tem ao lado dele prefeitos, governadores, secretários municipais e estaduais com o mesmo objetivo de buscar alternativa para dar mais recurso para saúde.

    "A democracia pressupõe diálogo. Quem tem capacidade de baixar o decreto-lei e enfiar goela a baixo sao regimes ditatoriais. Em um regime democrático se pressupõe sempre escutar sociedade, conversar com as pessoas e encontra qual a melhor solução. Tem saudosos que acham que os problemas podem ser resolvido da noite para ao dia", disse.

    Chioro, porém, ressaltou que a criação de um novo imposto "talvez não seja a solução ideal, mas vai ser a melhor que o Brasil é capaz de propor". "Continuo conversando com o Congresso. O governo continua dialogando com o congresso na busca de soluções", replicou.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários

  • 04.09.2015 | Autor: Pedro Marinho

    Dilma assina decreto que garante adiantamento do 13º a aposentados





    Decreto garante adiantamento integral de parte do benefício em setembro.
    Fazenda havia informado que apenas 25% seriam pagos em setembro.
    Do G1, em São Paulo

    A presidente Dilma Rousseff assinou nesta quinta-feira (3) o decreto que garante o adiantamento de parte do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS. A decisão deve ser publicada no Diário Oficial nesta sexta-feira (4).

    Segundo informações do Jornal Nacional, os pagamentos começam a ser feitos a partir do dia 24 deste mês e vão até 8 de outubro. De acordo com a Previdência Social, serão pagos cerca de R$ 16 bilhões nesta primeira parcela.

    O Ministério da Fazenda havia discutido a suspensão do adiantamento de 50% do benefício por falta de recursos em caixa. O objetivo era pagar tudo somente na folha de novembro. Embora a antecipação do benefício não fosse obrigatória, ela ocorria há nove anos. A decisão de segurar o adiantamento causou polêmica e o Executivo precisou a rever sua posição.

    No dia 24 de agosto, o Palácio do Planalto anunciou o adiantamento integral em setembro de 50% do 13º salário dos aposentados e pensionistas que recebem do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os outros 50% serão pagos em novembro, como acontece normalmente. O 13º engloba 28,2 milhões de benefícios.

    No dia 22, o governo chegou a anunciar que os aposentados iriam receber 25% do adiantamento do 13º salário em setembro e os outros 25% em outubro, mas acabou recuando.

    O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o governo federal a antecipar a primeira parcela do 13º salário. Por lei, a primeira parcela tem de ser paga até 30 de novembro de cada ano.

    Neste ano, devido ao fraco ritmo de atividade na economia, com queda da arrecadação, o governo não conseguiu realizar a antecipação da primeira parcela do 13º salário dos aposentados e pensionistas na folha de agosto, que é paga no fim deste mês e início de setembro. Com isso, rompeu uma tradição que ocorria desde 2006.

    Em 2014, 27,3 milhões de benefícios foram concedidos em todo o Brasil com a antecipação da primeira parcela do 13º. No ano passado, houve uma injeção extra na economia de R$ 13,6 bilhões nos meses de agosto e setembro com esses pagamentos. Neste ano, a estimativa do Ministério da Fazenda é que o impacto seja de cerca de R$ 15,9 bilhões

    Na primeira parcela do 13º dos aposentados, não há desconto de Imposto de Renda (IR). De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º só é cobrado em novembro e dezembro, quando é paga a segunda parcela da gratificação natalina.


    Arquivado em Artigos

    ( 0 ) comentários


ver mais antigas

Busca

Informativo

Caros leitores, para ler outros artigos basta clicar em Mais Artigos, localizado na parte inferior do blog.

E-mail para contato

pedromarinho4
@hotmail.com

Publicidade

Hora certa