É preciso ELEVAR o NÍVEL – já baixou demais - Mirtzi Lima Ribeiro

Continuam as polarizações com palavras muito densas, principalmente das pessoas “ditas espiritualizadas” e/ou “religiosas” e/ou “do bem”.

Vejo expressões muito pesadas, a exemplo do termo “esquerdalha” (um pejorativo semelhante a “gentalha”, que significa gente baixa, ou termos piores ainda:

(vagabundas” ou “vagabundos”), termos que agora ESTÃO SENDO ASSOCIADOS a TODO e qualquer SER VIVO que venha a questionar AO MENOS UMA VIRGULA ou UM DOS ASPECTOS DA ATUAL GESTÃO FEDERAL ou ALGUM POSICIONAMENTO INFELIZ vindo da parte do atual Chefe do Poder Executivo.

Hoje, discordam do atual governo em VÁRIOS PONTOS:

a) Quem abraça os partidos políticos de esquerda;

b) Quem NÃO FAZ PARTE da DIREÇÃO e/ou PRESIDÊNCIA de grandes CONGLOMERADOS EMPRESARIAIS e BANCOS, e quem AVALIA com CRITÉRIO as propostas que estão surgindo;

c) Quem valoriza as políticas do MEIO AMBIENTE, cujas pautas vinham avançando nos mais recentes 80 anos (em várias gestões e de vários partidos políticos), e atualmente estão sendo relegadas, abandonadas e menosprezadas;

d) Aqueles que fizeram adesão a ALIMENTOS ORGÂNICOS, e, não aceitam o VENENO que tem entrado no país desde janeiro de 2019 em grande escala, e, indiscriminadamente, inclusive com agrotóxicos banidos por vários países (glifosato por exemplo), porque causam muitos DANOS à população;

e) Aqueles que com seu BOM SENSO costumam não aderir a pautas que prejudiquem os já desassistidos no nosso país;

Logo, não se pode nem deve APEDREJAR QUEM PENSA o CONTRÁRIO de VOCÊ que está em campanha acirrada a FAVOR de TUDO, sem NENHUM FILTRO, sem NENHUM CRITÉRIO, ao que o mandatário do Poder Executivo Federal DIZ e FAZ, e, se encontra como OPOSITOR de todo e qualquer ser humano que discorde de uma ou mais ações provenientes dele.

Consideremos que:

1) A pessoa apontada com essa virulência ou classificada de modo pejorativo e baixo, pode NEM SER de esquerda, nem de direita, e, talvez até mesmo nem concorde com o modo de se estabelecer os parâmetros de política partidária na sua localidade e quiçá no mundo, porque PENSA MUITO MAIS AMPLO e entenda que é preciso MIGRAR PARA um NOVO ENTENDIMENTO a RESPEITO DISSO TUDO;

2) A pessoa apontada é colocada em uma “vala comum”, na qual seus acusadores desejam que ela morra no “fogo do inferno” por ser “má”, EMBORA, pessoas assim acusadas possam ter uma excelente e/ou boa índole, senso críticas imparciais e/ou falem de modo técnico a respeito de alguns dispositivos propostos, situações, bem como de incoerências que se apresentam;

3) A pessoa ou pessoas apontadas são acusadas de ser “escória”, recebendo gratuitamente um ÓDIO ferrenho. Esses indivíduos acusados podem ser honrados pais e mães, pessoas honestas e corretas em suas vidas, e possivelmente, também pautem por um comportamento ordeiro e de integridade moral;

4) A pessoa ou pessoas CARIMBADAS com adjetivos negativos e baixos, por esboçarem seus posicionamentos contrários a arbitrariedades perpetradas (que são muitas), podem produzir e contribuir efetivamente para um melhor ambiente no país (ou seja, não poderiam estar sendo chamadas de adjetivos baixos);

Como todas essas hipóteses EXISTEM de FATO, entendemos que ENQUANTO NAÇÃO, chegamos a um lodo tão denso, que os que se intitulam de PALADINOS DA JUSTIÇA estão ficando CEGOS para as incongruências, NEGANDO EVIDÊNCIAS,

DEFENDENDO ações INDEFENSÁVEIS, que assim são classificadas sob qualquer ponto de vista dos PRINCÍPIOS PROBOS e da HONRADEZ.

Isso é um FENÔMENO PSICOLÓGICO muito DIFÍCIL DE LIDAR, porque se constitui uma fuga da realidade, à qual proeminentes psiquiatras denominam de “NEGAÇÃO”.
Não é porque “a” ou “b” fizeram ou fazem algo errado, que tais erros justifiquem ou AUTORIZEM todos os DESACERTOS e DESATINOS da atual administração. O erro enquanto erro, não pode ser ABONADO e REFERENDADO COMO CERTO, dependendo APENAS de quem o PRATICA.

Deve haver APENAS UM PESO e UMA MEDIDA extensivos a TODOS: para quem se simpatiza, para quem se é neutro e para quem se antipatiza.

Não é porque integrantes do partido “x”, “y” e “z”, foram pegos praticando desvios de recursos que isso JUSTIFIQUE QUE ATUALMENTE os mandatários da “situação” que estão no poder, POSSAM TAMBÉM COMETER ILÍCITOS e/ou PRATICAR ATOS DESUMANOS e PREDATÓRIOS.

O ERRO se constitui em seus “devotos incondicionais” não acharem isso errado.
Convenhamos: Não há moral RELATIVA.

Melhor dizendo: não se pode RELATIVIZAR nenhum ERRO.

Se alguma ou algumas propostas se mostrem claramente discrepantes em relação ao que fora prometido antes de uma campanha político-partidária, os defensores dessa campanha não estão PROIBIDOS de discordar de pontos ou aspectos. Não é necessário fazer ADESÃO IRRESTRITA, abdicando de seu próprio juízo de valor ou quando o que se propõe FERE DIREITOS dos mais DESASSISTIDOS. Discordar de pontos não fará dos discordantes “traidores”, muito menos “persona non grata” (pessoa desagradável, não querida e indesejada), como estão carimbando essas pessoas.

Não é porque alguém deu um voto a um tal ou qual político, que DEVERÁ ficar ACORRENTADO a ele tendo que ENDOSSAR TUDO (100%) daquilo que esse político faz ou pretende fazer.

Discordar do atual mandatário não faz com que a pessoa seja incoerente com sua escolha, se esse for o caso. *****Digo isso para que o exército de DEFENSORES INCONDICIONAIS, REFLITAM em seus posicionamentos incoerentes e relativizantes.***** Espero que tais pessoas SE LIBERTEM dessa FERRENHA DEFESA INCONTESTÁVEL.

São as AÇÕES e POSICIONAMENTOS do mandatário que precisam ser ACOMPANHADAS para não ferir direitos, situações e pautas. Se esse mandatário está gerindo toda uma nação, diante de tantos interesses difusos, ele teria, no mínimo, que dar ATENÇÃO a todas as demandas SEM MENOSPREZAR as NECESSIDADES e VICISSITUDES do POVO.

Pelo que observamos, diante de tudo o que estamos vendo acontecer, a DEFESA IRRESTRITA de tais questões é IRRACIONAL.
Basta que a pessoa não concorde com a tal reforma da previdência, que se mostra completamente diferente de todas as propostas de emendas à Constituição anteriores, essa pessoa tem que ser vilipendiada, xingada, banida.

Basta que uma pessoa não aceite declarações absurdas que vêm sendo emitidas pelo atual governo, para que vários DEFENSORES de PLANTÃO invadam as publicações com xingamentos em tons VINGATIVOS, VIRULENTOS e TENEBROSOS.

É suficiente que se curta alguma matéria publicada, ou que reaja de modo jocoso as ações esdrúxulas provenientes de ocupantes de cargos desse atual governo federal (pertencentes a diversos escalões), para que essa pessoa seja apedrejada, insultada e malquista pelo exército de plantão nas redes sociais e em conversas presenciais. O convívio está ficando mais insuportável a cada dia, pelo nível da INTOLERÂNCIA.
E aí eu pergunto:

Onde está a CIVILIDADE desses “religiosos” e “espiritualizados” para com o próximo?
Onde estão o RESPEITO e a CONSIDERAÇÃO ao outro ser humano?

Onde estão as palavras adequadas e sensatas que devem nortear o convívio de pessoas educadas?

Por que descer tão baixo, agredindo as outras pessoas e CARIMBANDO-AS pelo seu crivo preconceituoso?

Eu fico espantada com esse AMBIENTE BELICOSO, BELIGERANTE,

DESRESPEITOSO e VULGAR em que a web se transformou. O Contraditório e a livre expressão ainda são elementos fundamentais cravados na nossa Constituição, que DEVEM ser observados.

VAMOS NOS RESPEITAR?

Não acham que esse é o caminho mais ADEQUADO e mais CIVILIZADO?
REFLITA! Se observe.

Tenho dito!


A eloquência de certas omissões: João Azevedo inaugura a partir de hoje 25 obras Por Flávio Lúcio

Desde ontem, a imprensa paraibana noticia que o governador João Azevedo inaugurará, a partir desta sexta (19/07), um conjunto de 25 obras.

Entre as obras estão a Escola Técnica, em Sousa, o Teatro Santa Catarina, em Cabedelo, a Escola Técnica de Artes, em João Pessoa, as adutoras de Monte Horebe e Carrapateiras, o IML de Cajazeiras, o Polo Calçadista de Patos, a nova Escola Álvaro Gaudêncio de Queiroz e o Eixo das Nações, em Campina Grande.

No total, são 52 milhões de Reais em investimentos.

Como é por demais sabido, obras desse porte jamais poderiam ser planejadas, licitadas e executadas em apenas seis meses, que é o tempo do governo de João Azevedo.

Ou seja, todas essas obras foram planejadas, licitadas e começaram a ser executadas no governo de Ricardo Coutinho.

O que me levou a escrever esse texto foi o fato de não ter lido em nenhuma das diversas matérias publicadas na imprensa paraibana qualquer menção a isso.

Como em pelo menos duas dessas matérias (MaisPB e Polêmica Paraíba) os textos são rigorosamente iguais, é lícito supor que a fonte da notícia seja um release da Secom do governo do estado.

Não se trata aqui de debater a paternidade de obras públicas, construídas com o dinheiro público. Antes de tudo, trata-se tanto de dever de justiça e como de rigor informativo.

E, se a origem da divulgação partiu mesmo da Secom, pode ser que exista uma questão a mais, essa de ordem política. Se a ordem não partiu do governador João Azevedo, que não tem como acompanhar os detalhes de como o seu governo é divulgado pela Secom, pode-se inferir que o secretário responsável, o jornalista Luís Torres − que ocupa o cargo, registre-se, desde o governo de Ricardo Coutinho − está por trás dessa omissão, nesse caso, nem um pouco involuntária.

Ao divulgar a inauguração de obras sem deixar claro que começaram no governo anterior − é bom sempre repetir, o governo de um aliado, que sacrificou a disputa por uma vaga no Senado para ajudar a eleger João Azevedo, − fica parecendo que o governador atual pretende assumir, aí sim, a paternidade dessas obras, como se tivessem sido executadas, exclusivamente, durante os últimos seis meses.


Ao lado de João Azevedo, RC fala na plenário do Orçamento Democrático desse ano.

“Ruídos” como esses voltam a surgir, talvez não por acaso, depois que João Azevedo e Ricardo Coutinho terem dado mostras de afinidade política ao aparecerem juntos durante a plenário do Orçamento Democrático, em João Pessoa – e na reunião da Executiva Nacional do PSB. E o motivo é que não interessa a nenhum dos dois nenhum rompimento.

Mas, é preciso que o governador João Azevedo fique atento a esses “detalhes”. São artifícios políticos dessa natureza que podem colocar em dúvida, de novo, a boa relação entre ele e Ricardo Coutinho.

Porque, volto a lembrar: em certas ocasiões políticas, atitudes são mais eloquentes do que palavras. O mesmo se pode dizer certas de omissões.

http://www.leiaflaviolucio.com.br

 


Auditoria das Contas Públicas - Isenção: um atributo que é difícil de ser desenvolvido e mantido.

Mirtzi Lima Ribeiro

Já se disse há milênios que o trabalho é um instrumento educador que lapida o caráter. Isso se mostra verdadeiro em muitos aspectos. A qualidade da isenção é uma dessas lapidações que alguns tipos de trabalho viabiliza.

A função de Auditor das Contas Públicas requer isenção, qualidade que deve ser treinada e incutida no dia a dia.

Isso porque NÃO IMPORTA o partido do gestor analisado, NEM MESMO a sua procedência.

Importa SIM:

1. O QUÊ (quantitativo) e COMO (qualitativo), ele GASTA/INVESTE os recursos públicos (fruto dos impostos pagos pelo cidadão);

2. Se ele registra realmente toda a RECEITA que ingressa aos cofres públicos, quer seja a fatia que ele arrecada diretamente quer as recebidas via transferências;
3. Se ele dispõe dos meios técnicos adequados para levantar a problemática de sua localidade, elaborar os instrumentos de planejamento de acordo com esses pontos de melhoria, priorizar ações necessárias e executar tais ações eficiente e eficazmente;
4. Se o GASTO tem qualidade, melhorando os índices sociais da localidade a cada período avaliado (custo versus benefício revertido à sociedade).

Ao mesmo tempo, também é uma de nossas prioridades e obrigações, exercer o papel ORIENTADOR que é endereçado a todos os gestores empossados, para que ACERTEM o alvo, alcançando seus objetivos e atendendo à necessidade da população e às problemáticas levantadas da localidade, através de ações pontuais.

Tais orientações são realizadas periodicamente, cujo convite é feito via portal do nosso órgão de controle e convites por escrito a TODOS os jurisdicionados, indiscriminadamente.

Estar ISENTO é uma obrigação para o Auditor de Contas Públicas, pois, a IMPARCIALIDADE é uma exigência contundente para o exercício desse mister.


Goleiro Bruno consegue progressão ao semiaberto após decisão da Justiça de Varginha

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal/TV Globo
O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).

O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).

O goleiro Bruno Fernandes obteve nesta quinta-feira (18) o direito à progressão ao regime semiaberto. A decisão foi tomada no início da noite pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da comarca da cidade.

Na decisão, o juiz analisou o acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) que excluiu a falta grave que havia sido imputada a Bruno após o detento ter sido flagrado na companhia de mulheres e usando celular em horário que deveria estar exercendo trabalho externo.

O G1 teve acesso à decisão na qual o juiz considerou que, com a exclusão da falta, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”, e que “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”.

No documento, o juiz considera ainda que “a presunção é de que o reeducando já se encontra apto à reinserção à vida social, o que foi observado pelo atestado de conduta carcerária”.

Com a decisão, Bruno agora deve passar por uma audiência de instrução “para fixação das condições”. As autoridades locais também devem ser comunicadas e orientadas a fim de que o réu possa, assim, ter cumprido o alvará de soltura.

Procurada pelo G1, a advogada Mariana Migliorini, que representa Bruno, afirmou que somente irá se manifestar quando seu cliente estiver “na rua” (sic).


G1


Justiça aumenta pena dos ‘Canibais de Garanhuns’, que moraram na Paraíba Feliphe Rojas

O homem e as duas mulheres que ficaram conhecidos como os ‘Canibais de Garanhuns’ tiveram um aumento de pena determinado pela Justiça. Eles foram condenados em júri popular realizado em 2014 por assassinar, esquartejar, consumir e vender carne humana dentro de salgados. A promotoria entendeu que era preciso ampliar a punição por causa da gravidade dos crimes.

Atendendo a um pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJPE) decidiu ampliar o prazo de condenação de Jorge Beltrão da Silveira, Bruna Oliveira e Isabel Cristina Pires da Silveira. Esse caso é referente ao assassinato, ocultação e vilipêndio a cadáver (profanar ou desrespeitar) de Jéssica Camila da Silva, de 17 anos, em 2008, em Olinda.

Jorge tinha sido condenado a 21 anos de prisão, além de seis meses de detenção por vilipêndio. Com a decisão, ele passa a cumprir 27 anos de cadeia, bem como um ano e meio de detenção. Isabel Cristina Pires e Bruna Oliveira pegaram penas de 19 anos de prisão e um de detenção. Agora, cada uma deve ficar 24 anos na prisão, além de ter que cumprir um ano de detenção.

A decisão de aumentar as penas foi tomada de forma unânime pelos desembargadores da 1ª Câmara Criminal do TJPE. Ela transitou em julgado e não cabe mais recurso. O MPPE considerou que as penas deveriam ser mais severas por causa da gravidade dos crimes de homicídio qualificado, esquartejamento e vilipêndio, quando se despreza ou humilha o corpo da vítima.

Em 2008, os ‘Canibais de Garanhuns’ moraram durante seis meses em um sítio localizado no município de Conde, na Paraíba, a 19 quilômetros de João Pessoa. Na época da prisão do trio, policiais paraibanos chegaram a fazer escavações no sito em que eles residiam, pois existiam fortes indícios de que poderia haver corpos enterrados no local.

‘Canibais de Garanhuns’ são condenados a 71 e 68 anos de prisão
Jorge, Isabel e Bruna também foram condenados em outra ação penal, em dezembro de 2018. Em júri popular, realizado no Recife, eles foram julgados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, de 20 anos, e Gisele Helena da Silva, de 31 anos, ocorridas em Garanhuns, em 2012.

Conforme a decisão dos jurados que julgaram os crimes cometidos em Garanhuns, Jorge Beltrão terá que cumprir pena de 71 anos de reclusão. Isabel Cristina pegou 68 anos de reclusão. Bruna foi condenada a 71 anos e 10 meses de prisão.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), as penas dos julgamentos serão somadas ao tempo de prisão estabelecido anteriormente. Portanto, Jorge deve cumprir 98 anos de prisão, Bruna foi condenada a 95 anos e Isabel a 92 anos.

Crime
De acordo com a denúncia do Ministério Público de Pernambuco, a vítima, que tinha 17 anos na época do crime, foi assassinada pelos acusados em maio de 2008, no Loteamento Boa Fé 1, bairro de Rio Doce. Após o crime, Bruna Cristina, uma das acusadas, assumiu a identidade de Jéssica Camila e o trio passou a criar a filha da vítima.

Um laudo técnico emitido em novembro passado atestou que os três não têm problemas mentais e, com isso, poderiam responder aos atos que cometeram. O homem e as duas mulheres foram avaliados pelo Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), em Itamaracá, no Grande Recife.

O primeiro dos dois dias de julgamento, em 2014, o trio foi hostilizado ao chegar ao Fórum de Olinda e trocou acusações entre si durante os depoimentos.

Eles contaram detalhes macabros da ação e uma das rés, Bruna Cristina, disse que “Jogos Mortais perdia”, ao descrever o assassinato de uma das vítimas. A ré afirmou que chegou a comer a carne da mulher por causa do ritual.

Histórico
O caso veio a público depois que parentes de Giselly Helena da Silva denunciaram o seu desaparecimento. Os acusados usaram o cartão de crédito da vítima em lojas de Garanhuns e foram rastreados pela polícia.
Uma publicação contendo os detalhes dos crimes – registrada em cartório – foi encontrada na casa dos réus. Para a Polícia Civil de Pernambuco, não há possibilidade de outras mortes terem sido praticadas pelo trio no estado.

A repercussão teve início em 2012, quando a polícia descobriu que o trio fatiava a carne dos corpos das vítimas, guardava na geladeira e não só consumia como utilizava para rechear coxinhas e salgadinhos que vendia em Garanhuns.

Os acusados afirmam fazer parte da seita Cartel, que visa a purificação do mundo e o controle populacional. A ingestão da carne faria parte do processo de purificação.


ALÍVIO NO BOLSO: distribuidoras poderão vender gás de cozinha direto ao consumidor e preços podem cair

 Publicado por: Felipe Nunes 

Polemicaparaiba.com.br

Foi aprovada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), nesta quinta-feira (18), a revogação de resoluções editadas pelo governo em 2016 e que proibiam a venda direta de botijões de GLP (gás de cozinha) por distribuidores de combustíveis. A informação é do portal Estadão.

“É o fim da obrigatoriedade que o botijão de gás de cozinha de 13 kg tenha que passar pelo revendedor de GLP antes de chegar ao consumidor. Assim estamos eliminando uma restrição regulatória que nunca se confirmou na prática”, disse o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.

“A questão do GLP é crucial, hoje ele é vendido R$ 70 em média, mas tem lugares que são R$ 100. O valor do produto corresponde a cerca de R$ 26, os tributos são R$ 12 e o resto são as margens de distribuição e revenda”, explicou o diretor-geral da ANP.

Segundo o site, para permitir a venda direta, foram revogados os artigos 36 da resolução 49/2016 e 27, da 51/2016, que proibiam os distribuidores de GLP de participar diretamente da atividade de revenda.

“Nós estamos trabalhando no sentido de aumentar a competitividade, que tem como pano de fundo melhorar o preço pro consumidor”, disse o diretor Dirceu Amorelli.

Ele disse ainda que a decisão é importante por se tratar do primeiro passo na direção de uma regulação menos restritiva no setor.

 


Fonte: Polêmica Paraíba com Estadão

Créditos: Estadão


‘Pretendo beneficiar filho meu, sim’, diz Bolsonaro sobre embaixada nos EUA

 

Publicado por: Gerlane Neto 

Polemi caparaiba.com.br

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender nesta noite a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), 35, para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Entre os argumentos, disse que “se puder dar um filé mignon para o meu filho, eu dou” e afirmou que pretende “beneficiar o filho, sim.”

A declaração foi feita na sua transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais. Bolsonaro dedicou quase 10 minutos dos 30 do vídeo desta semana para a expor seus argumentos pela indicação do filho.

“Mas não tem nada a ver com filé mignon essa história aí. É, realmente, nós aprofundarmos um relacionamento com um país que é a maior potência econômica e militar do mundo”, completou.

Bolsonaro afirmou também duas vezes que “não é nepotismo” indicar o filho para o cargo de embaixador e deixou uma mensagem para os eleitores que se incomodaram com a iniciativa:

“Quem diz que não vai votar mais em mim, paciência. É igual aquele maridão malandro. Está lá, felicíssimo com a mulher seis meses depois do casamento. Em um dia lá, a mulher queima o ovo dele. Ovo na frigideira, pra deixar bem claro [risos]. Aí pronto, já que acabar com o casamento. Não tem cabimento isso aí. Vai ter coisas que eu vou desagradar vocês”

Pela terceira vez no dia, o presidente da República também afirmou que “se quiser”, convoca o ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) para assumir a embaixada nos Estados Unidos e entrega a pasta a Eduardo Bolsonaro (PSL). Ele já havia proferido a mesma fala em uma agenda pela manhã e no evento que marcou os 200 dias do governo.

Críticas aos últimos embaixadores
“De 2003 para cá, me aponte uma boa ação dos diplomatas que estavam nos Estados Unidos, na época petista, fizeram de bom ao Brasil?[sic] Nada, nada!”, disse Bolsonaro.

Leia Também: 200 DIAS NO PLANALTO: Bolsonaro amplia Lei da Ficha Lima e normatiza queijo artesanal
Ele falou que as últimas indicações foram “políticas, no mal sentido, de esquerda”.

Embaixador é mais “produtivo” que deputado
Ao lado do deputado federal federal Hélio Lopes (PSL), o presidente também comparou o papel que o filho poderia desempenhar em Washington com a atividade parlamentar.

“Alguns falam que ele [Eduardo Bolsonaro] tem compromisso com 1 milhão e 800 mil eleitores, tudo bem, acontece. Mas nesse mar, que está o Hélio lá, de 513 deputados, um bom embaixador dos Estados Unidos é muito mais produtivo, com todo respeito que tenho ao Hélio que está do meu lado aqui”, disse.


UFPB divulga resultado definitivo para cargos sem prova prática

Walla Santos
Walla Santos


Homologação do resultado final está prevista para o dia 30


Por Redação ClickPB com Ascom/UFPB
 

Foram, ao todo, 23.626 aprovados e classificados. (Foto: Walla Santos)
A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) divulgou, nesta quinta-feira (18), resultado definitivo de concurso para servidores técnico-administrativos, para cargos sem prova prática, no endereço eletrônico do Instituto AOCP, organizador do certame. Foram, ao todo, 23.626 aprovados e classificados.

O candidato poderá consultar individualmente a resposta do recurso impetrado no mesmo site. As respostas estarão disponíveis por dez dias, a contar desta data.

Os candidatos negros aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados para efeito do preenchimento das vagas reservadas.

A homologação do resultado final está prevista para o dia 30. As nomeações devem começar em agosto.

Cargos com prova prática

A UFPB também divulgou, nesta quinta (18), o resultado da prova prática pós-recurso e a classificação preliminar. Foram 91 aprovados e classificados. O candidato também poderá consultar individualmente a resposta do recurso impetrado na página do Instituto AOCP. As respostas estarão disponíveis por dez dias.

Este concurso da UFPB para técnico-administrativos é referente ao Edital nº 122/2018, publicado no Diário Oficial da União em 31 de dezembro de 2018, com 132 vagas para 44 cargos.

Outras informações podem ser obtidas por meio da Central de Atendimento ao Candidato, através do telefone (44) 3344.4242 ou do e-mail candidato@institutoaocp.org.br.


Análise: Cássio e Romero aprenderam que sobrenome pode ser derrotado e correm para manter hegemonia

 As movimentações das placas tectônicas na Rainha da Borborema estão com certa estabilidade em relação às eleições de 2020. O grupo Cunha Lima (PSDB), aliado aos Ribeiro, não deixa dúvidas da sua predileção eleitoral. Faz-se evidente que o nome do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) seja a “fonte da juventude” do clã, embora exista um belo disfarce entre todos que desfrutam as veias “consanguíneas”.

Os fatos, que estão em pauta para “disfarçar” uma possível postulação de Cássio Cunha Lima, não se enganem leitores, estão vívidos. Não será o escritório de advocacia em Brasília que irá estancar os desejos do tucano. Aliás, tal assunto foi tornado público pelo prefeito da ex-Villa Nova da Rainha, Romero Rodrigues (PSD), que vem a ser primo do ex-parlamentar. Falou o chefe do Executivo campinense, dias atrás, que havia um possível “empecilho” administrativo do seu parente para deixar seus compromissos enquanto gestor jurídico no Distrito Federal.

Ainda no jogo de formulação do tabuleiro político, e da “cortina de fumaça”, o clã Cunha Lima dispõe, em consanguinidade do ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima, além do próprio filho de Cássio, Pedro Cunha Lima, que preside a sigla tucana na Paraíba.

Como se vê, pode existir uma tentativa para “despistar” a oposição e proteger Cássio Cunha Lima de ataques precoces antes do período eleitoral. Mesmo apresentando fraturas, o grupo oposicionista, aí estou falando do seu líder maior, senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB) não é frágil em Campina Grande. Por isso o PSDB precisa da força cassista para manter a potência política na Serra da Boborema .

É fato que Cássio amargou derrota quase vergonhosa no último pleito, quando ficou em quarto lugar quando disputou uma cadeira para o Senado Federal. Mas é concreto afirmar que, depois do revés, além dele, todos a sua volta tenham compreendido que os valores da atual política partidária não estão pautados em uma quase indexação ao sobrenome. A política, hoje, é mais democrática e funciona, em boa escala, à base de algoritmos. Não bastam sorrisos.

Cássio Cunha Lima, o até então imbatível nas urnas, entendeu isso. E queira ou não, é ele a peça chave do seu grupo político. Sair da sua “sombra” é um delito. Deixá-lo é suicídio eleitoral. Daí a aposta firmada: o clã colocará seu mais experiente guerreiro na “peleja”. É só aguardar.

 

Eliabe Castor
PB Agora


Obra da PMJP se torna perigo a saúde dos moradores do Oitizeiro, em João Pessoa, diz especialista


Imagem ilustrativa

Em entrevista a imprensa o professor Gilson Moura, do Departamento de Sistemática e Ecologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), comentou sobre os riscos das obras de construção das estações elevatórias I e II na comunidade Jardim Guaíba, localizada no bairro de Oitizeiro, em João Pessoa, que foram Iniciada em julho de 2018 e que são de responsabilidade da Prefeitura de João Pessoa. Para o professor a obra é um perigo para os moradores da área.

“A prefeitura está fazendo a obra, uma estação elevatória de esgoto. Fizeram um buraco, a água acumulou. Ontem fui com alunos fazer uma aula no Rio Jaguaribe, que fica do lado. A comunidade nos viu e pediu que entrássemos em contato com a prefeitura. Isso me revolta porque os gestores não fazem a parte deles. É uma preocupação para toda a população”, disse Gilson.

Segundo o professor as obras estão preocupando os moradores da Rua José Ribeiro da Silva, pois nesse local há um ponto da obra com água acumulada que, segundo a população, está cheia de larvas. Em uma semana, aumentou a quantidade de muriçocas nas casas e as pessoas temem o surgimento de casos de dengue.

De acordo com a secretária de Infraestrutura (Seinfra), Sachenka Bandeira da Hora, a população precisa entrar em contato com o município para informar este tipo de demanda. Mesmo assim, se comprometeu a ir até o local para verificar a situação.

 

Pbagora.com.br

 

 


Pedido de vista adia ‘Aije do Empreender’

Retomada nesta quinta-feira (18), o julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral 2007-51, conhecida como ‘Aije do Empreender’, foi novamente adiado por conta de mais um pedido de vista feito, dessa vez, pela juíza Micheline Oliveira. A votação retoma na próxima quinta (25).

Em sua justificativa, Micheline argumentou pela complexidade do processo e a quantidade do volume a ser analisado, além de averiguar as provas produzidas para proferir julgamento com todos os elementos constando nos autos.

Na semana passada, o juiz Antônio Carneiro havia pedido vista e, na votação de hoje, votou pela improcedência do pedido de inelegibilidade e dos demais pedidos do Ministério Público. Relator do processo, José Ricardo Porto afirmou que fará uma revisão de seu parecer após todos os membros votarem.

Os réus são acusados de abuso de poder político e econômico, supostamente ocorrido por meio do programa Empreender, que liberou crédito financeiro a micronegócios na Paraíba durante as eleições de 2014. A ação pede, entre outras coisas, a cassação do mandato (que já perdeu o objeto) e a inelegibilidade.

Além de Ricardo Coutinho e Lígia Feliciano, são réus no processo: Francisco César Gonçalves (Chico César), Márcia de Figueiredo Lucena Lira, Waldson Dias de Souza, Antônio Eduardo Albino de Moraes Filho e Renato Costa Feliciano.

MaisPB


MPF pede para PMJP não aplicar recursos federais no Parque Sanhauá

Maquete do Parque Sanhauá (Foto: Reprodução)
O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba recomendou à Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) que se abstenha de iniciar a aplicação de recursos federais na obra do Parque Ecológico Sanhauá, projeto turístico que a prefeitura pretende construir na área onde está localizada a comunidade tradicional ribeirinha Porto do Capim, no centro histórico da capital.

O MPF também recomendou à superintendência local da Caixa Econômica Federal (CEF) que se abstenha de realizar pagamentos referentes a medições da obra do projeto turístico. Uma terceira recomendação foi feita à construtora Planes Engenharia e Construção Ltda, empresa responsável pela construção do Parque Sanhauá, para que se abstenha de iniciar a execução da obra.

Todas as recomendações foram feitas em razão de ausência de regularização na cessão da área onde a prefeitura pretende construir o parque turístico. A área é de propriedade da União.

Os recursos, que ultrapassam R$ 12,5 milhões (já com aditivo de 7,73%), provenientes do Ministério da Cidadania, são decorrentes do Contrato nº 0424015-34 (Siafi 684973), firmado com a CEF. Para aplicação dos recursos, a PMJP realizou o Procedimento Licitatório nº 33036/2018 na modalidade concorrência.

O MPF fixou prazo de dez dias, a contar do recebimento das recomendações, para que a PMJP, a CEF e a construtora informem as medidas adotadas para o cumprimento das respectivas recomendações ou as razões para não acatarem as medidas recomendadas. Prefeitura, Caixa e construtora foram informadas que o não acatamento das recomendações poderá dar ensejo ao ajuizamento das ações judiciais cabíveis.

Sem autorização

Em 26 de junho de 2019, a prefeitura informou ao MPF o início das obras de intervenção na comunidade tradicional do Porto do Capim, especificamente, na área conhecida como Vila Nassau. Através de ofício, a administração municipal comunicou que as áreas objeto das intervenções são “em sua grande maioria áreas públicas, de propriedade da União, que teriam sido cedidas ao Município de João Pessoa para implantação do projeto de revitalização do Centro Histórico”, o que não foi confirmado pela SPU.

O que diz o TCU

Sem a titularidade da área em que pretende edificar o parque turístico, a prefeitura não poderia sequer ter celebrado o contrato de repasse com a Caixa Econômica, visto que, de acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), a regularização fundiária do imóvel onde a obra será executada é condição prévia para a efetivação de contratos de repasse com o banco federal. Conforme o Acórdão nº 2824/2009, proferido pelo plenário do TCU: “Previamente à celebração de contratos de repasse, o concedente deve exigir projeto técnico da obra e comprovantes de propriedade do imóvel onde será executada, realizando a análise técnica das propostas”.

Em outro acórdão (3213/2014), o plenário do TCU determina que “a regularização da situação fundiária das áreas em que serão realizadas obras públicas deve ser providenciada com antecedência pelas entidades com as quais a União pactua a execução de plano de trabalho de forma descentralizada”.

Em sintonia com os precedentes da corte de contas da União, o MPF enviou representação ao TCU solicitando que o tribunal fiscalize a aplicação de verbas federais referentes à obra do Parque Ecológico Sanhauá por parte da Prefeitura de João Pessoa.

Consulta prévia, livre e informada

Há mais de 70 anos, a comunidade tradicional do Porto do Capim mantém-se fiel às referências culturais e às tradições ribeirinhas de sua localidade. Ao emitir a recomendação, o MPF também considerou que o projeto de intervenção da prefeitura não promoveu a devida consulta à comunidade tradicional acerca da construção do Parque Ecológico Sanhauá. A consulta, de forma prévia, livre e informada, antes de serem tomadas decisões que possam afetar seus bens ou direitos, é um direito garantido às comunidades tradicionais, conforme dispõe o artigo 6º da convenção de número 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Desde 2015, através do Inquérito Civil nº 1.24.000.001117/2015-16, o Ministério Público Federal acompanha a pretensão da Prefeitura Municipal de João Pessoa de realizar obras na localidade conhecida como Porto do Capim, no Centro Histórico da capital.

MaisPB


Sidebar Menu