O Brasil imerso no caos - Francis Lopes de Mendonça

É, meus amigos, parece que a economia continua mal, em queda, com o desemprego se aprofundando e o crescimento estagnado.

Trocando em miúdos, está ruim para o “povão” mas, pensando bem, acho que está pior para Titio Jair. Pois o sossego foi para o espaço, a vida dos filhos está sendo virada pelo avesso, as ligações perigosas da família vieram à tona, Val do Açaí, Queiroz, as suas contas pouco republicanas estão no Ministério Público.

É tudo perseguição política? Já ouvi essa mesma alegação fajuta saindo da boca dos filhinhos de papai do PT. Sabe o que acontece? Acontece que Titio Jair nunca foi diferente. Os bolsoafetivos é que permanecem dentro duma redoma de vidro acreditando em um misto de personagem de história infantil com objeto sexual, de farda para dançar no baile de formatura.

Quem passou da adolescência está vendo desde o início a eleição de um político sem projeto, sem planejamento futuro, sem discurso de união, sem bagagem, com uma oligarquia familiar no comando como se o país fosse a pensão da esquina.

Um país destruído, acabado, merecia alguém com um mínimo de preparo. Mas nada disso estaria acontecendo se ele se limitasse a eleger os filhos para cargos confortáveis, passando o resto da vida a fazer churrasco na beira da piscina e repetindo piadas com a genitália alheia e se divertindo com os vizinhos milicianos. Não estava tão bom assim? Podia ter continuado com prestígio na sua turma, apenas mais um deputado do baixo clero, com as suas mordomias, os seus funcionários, o seu brochinho do Congresso. Mas não. Os rebentos inventaram que o cara podia ser Presidente da República.

Parecia uma ideia engraçada, mas surpreendentemente colou. A merda estamos vendo agora cinco meses depois. O Brasil imerso no caos. Antes da eleição o país estava um pouco melhor porque tinha uma boa fatia de mercado exterior, tinha credibilidade, tinha neutralidade, poderia navegar, mas crescer dificilmente.

Acabou o dinheiro. E a perspectiva é a pior possível, com uma esquerda e uma direita ridículas e infames que não colaboram, com um Congresso mal habituado com a prática do toma lá dá cá. Dificilmente qualquer candidato teria sucesso, é verdade. Só que Titio Jair conseguiu perder a neutralidade política, perdeu mercado, investiu em agrotóxicos, piorou a política ambiental: só retrocedeu em todas as áreas.

O país que poderia sobreviver muito bem à hecatombe planetária atual, está afundando ainda mais. A tendência é virar somente uma terra de especulação financeira. “Ah, mas foi o PT ladrão que jogou o país no abismo!”, pode dizer um inocente. Não acredito que, ao longo de 16 anos, no meio de todo um arco político, com eleições recentes em que havia mais de uma dúzia de candidatos, só existiam duas opções, o boneco de ventríloquo do vovozão pilantra ou o tiozão despreparado.

Até acho que Titio Jair é uma consequência direta do exaspero a que o PT ladrão levou a população, mas isso são outros quinhentos.

A questão é essa idéia reducionista do pensamento de que ou se é Lula ou se é Jair. Quem não era contra o vovozão muambeiro, sempre foi, obviamente, a favor do tiozão descerebrado. Cansei de ver bolsoafetivos chamando a petezada de petralhas e de comunistas, enquanto a petezada chamava os bolsoafetivos de fascistas. Pois essa maldita polarização f... o país


Navegar em mar tranquilo ou enfrentar tempestades é uma opção do eleitor."

Mauricio Montenegro Rocha

Minhas despretensiosas previsões antes da eleição. Parecia que eu estava lendo uma bola de cristal. Senão, vejam os augúrios:"O que virá após o segundo turno das eleições de 2018?

Nunca uma eleição presidencial foi tão complicada e conturbada quanto a que estamos vivenciando. A depender do candidato vitorioso pode-se conjecturar alguns cenários. Um resultado conservador nos conduzirá para um clima político-administrativo semelhante aos historicamente experimentados nas últimas décadas.

Por outro lado a ascensão de um grupo extremista de direita ou de esquerda poderá provocar um ambiente de turbulências, nuvens negras, terreno encharcado, que ameaçam as instituições e a estabilidade politica e financeira do País. Já se faz ouvir pronunciamento de segmentos das forças armadas demonstrando preocupação com esses maus augúrios.

Infelizmente o perfil dos candidatos concorrentes não reúne os atributos e qualidades que se exige de um líder político. Alguém que seja capaz de congregar as forças políticas da nação na direção de um consenso objetivando o desenvolvimento politico, econômico e social do País.

Por essas razões nunca foi tão importante, na história desta república, saber escolher em quem votar. Navegar em mar tranquilo ou enfrentar tempestades é uma opção do eleitor."


Vídeo - Policial mata a namorada e depois tira a própria vida

 Vestido com calça jeans, camiseta e tênis, Sergio Murilo dos Santos, 52 anos, entra no prédio armado, mas não é revistado
IS Isa Stacciarini
Correiobrazilense.com

O policial civil que matou a ex-namorada Debora Tereza Correa, 43 anos, dentro de um prédio onde funciona parte da Secretaria de Educação

chegou a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro, na 511 Norte, onde o crime aconteceu, as 9h42 desta segunda-feira (20/5). Vestido com calça jeans, camiseta e tênis, Sergio Murilo dos Santos, 52 anos, entrou no prédio com os braços cruzados, se aproximou das catracas, olhou o movimento e foi até o balcão de identificação.

 Em frente a atendente, ele retirou do bolso a carteira, mostrou um documento que seria a identidade funcional, e foi liberado para acessar o edifício. A sequência da imagem registrada consta em um vídeo do circuito interno da Secretaria de Educação, ao qual o Correio teve acesso.

 As imagens mostram que, enquanto aguardava a liberação da atendente, Sergio olhou para trás e para os lados, demonstrando inquietação.

Após cadastrar a entrada do visitante, a atendente liberou a entrada do policial civil ao prédio.

Quando o relógio marcava 9h43, ele recebeu o cartão de entrada pelas mãos da atendente e passou pela catraca armado, mas sem ser revistado. Depois, as imagens de segurança não mostram mais o caminho que o policial civil fez até chegar a sala onde estava a ex-namorada.

Servidores contaram que ele sorriu para Debora, sacou a arma e atirou. Logo depois, tirou a própria vida.


João Azevêdo anuncia pagamento da 1ª parcela do 13º salário para 19 de junho

 
Dinheiro entrará na economia do Estado durante o período dos festejos juninos
Redação Paraíba Já 

O pagamento da primeira parcela do 13º salário dos servidores estaduais será efetuado no dia 19 de junho. O anúncio foi feito pelo governador João Azevêdo, durante o programa Fala Governador, desta segunda-feira (20), adiantando que, com isso, serão injetados cerca de R$ 180 milhões na economia paraibana durante o período das festividades juninas.

Para o governador João Azevêdo, esse pagamento representa uma injeção importante de recursos na economia da Paraíba. “Sabemos a importância de manter o pagamento em dia e fazer com que o Estado, diferente do que está acontecendo em outros lugares do país, possa cumprir mais um compromisso, que é fazer o funcionalismo receber absolutamente em dia e, neste caso, com uma antecipação de metade do 13º para o dia 19 de junho”, frisou.

“Espero que os servidores façam o melhor uso possível desta parte do 13º salário, ou seja, utilizem da forma mais adequada dentro das necessidades prioritárias de cada um”, observou o governador João Azevêdo.


STJ nega Habeas Corpus e Roberto Santiago permanece privado da liberdade

 
Empresário é dono dos principais shoppings da Capital, localizados em Manaíra e Mangabeira
Redação Paraíba Já 

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Felix Fischer, negou na tarde desta segunda-feira (20) liminar em Habeas Corpus que foi impetrada pela defesa do empresário Roberto Santiago.

No mesmo despacho, que negou a soltura do dono de shoppings em Manaíra e Mangabeira, o relator da Xeque-Mate na Corte determinou a requisição de informações sobre o processo.

Santiago está preso preventivamente desde 22 de março deste ano, na terceira fase da Operação Xeque-Mate. Ele estava no 1º Batalhão de Polícia Militar, localizado no Centro de João Pessoa, e foi transferido nesse sábado (18) para a Média de Mangabeira. Com informações do Blog do Diego Lima.

Confira o documento:

 


Advogados pagarão meia entrada na decisão da Copa Nordeste entre Botafogo e Fortaleza


Desconto de 50% será válido para o jogo de volta, que será disputado no dia 29 (quarta-feira) deste mês
Redação Paraíba Já 

A Nova Caixa de Assistência dos Advogados da Paraíba (CAA-PB) firmou parceria com a Federação Paraibana de Futebol (FPF) para que advogadas e advogados, em dia com a anuidade da OAB-PB, paguem meia entrada na decisão da Copa Nordeste entre Botafogo (PB) e Fortaleza. O desconto de 50% será válido para o jogo de volta, que será disputado no dia 29 (quarta-feira) deste mês, no estádio Almeidão, em João Pessoa. A partida de ida acontecerá na próxima quinta-feira (23), na Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

O presidente da Nova Caixa, Assis Almeida, ressalta que o benefício para os advogados na decisão da Copa Nordeste é fruto da parceria firmada, no início deste ano, com a FPF e todos os clubes, que disputam o Campeonato Paraibano de Futebol, para que os advogados tivessem 50% de desconto nos ingressos do setor das arquibancadas em todos os jogos da competição.

Agora, Assis Almeida informa que, em reunião com a presidente da FPF, Michele Ramalho, e o presidente do Botafogo, Sérgio Meira, conseguiu, excepcionalmente, igual desconto para o jogo entre o Botafogo e Fortaleza. “É mais uma conquista da Nova Caixa de Assistência em favor da advocacia paraibana”, ressalta o presidente da CAA-PB.

A meia entrada será para as arquibancadas e disponibilizada mediante a apresentação da carteira da OAB/PB, mas somente poderá ser obtida na Loja do Botafogo (Belomania), localizada na Rua Almirante Barroso, 494, no bairro de Tambaú, em João Pessoa. Mais informações no telefone (83) 3508-3001.

Assis Almeida agradeceu mais uma vez o empenho da presidente da FPF e a compreensão do presidente do Botafogo, que têm sido grandes parceiros da CAA-PB e da advocacia paraibana.


Moacir diz que Julian tem até agosto para convocar eleições: “serão todos contra ele”


Parlamentar ressaltou que chapa para concorrer contra o deputado federal já está montada
Redação Paraíba Já 

O deputado estadual Moacir Rodrigues (PSL) garantiu que a situação de Julian Lemos no PSL da Paraíba é de isolamento. O presidente provisório da legenda tem, regimentalmente, até agosto para convocar eleições, porém, nenhum movimento neste sentido ainda foi feito.

“Tem até agosto para convocar, mas já estamos agora e não vejo movimentação nenhuma. Acho difícil que saia eleições já em agosto”, lamentou.


De acordo com Moacir, a chapa para concorrer com Julian Lemos já está montada, esperando apenas a convocação das eleições.

“Vai ser todos contra ele”, sintetizou.


Polícia Militar lança edital do CFO 2020; salário é de até R$ 7,2 mil


Inscrições já começam no dia 1º de junho, no site da Polícia Militar, com taxa de R$ 50
Redação Paraíba Já Redação Paraíba Já 20 de maio de 2019 às 11:21 1 minuto de leitura
(Foto: Divulgação/Polícia Militar da Paraíba)
Foi lançado o edital do Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Polícia Militar foi lançado, com 30 vagas para candidatos com ensino médio de escolaridade. A remuneração atual do primeiro posto de oficial da PM, que é o 2º tenente, é de R$ 7.253,26. As inscrições já começam no dia 1º de junho, no site da Polícia Militar, com taxa de R$ 50 – mesmo valor cobrado no ano passado.

Confira edital do CFO 2020 da Polícia Militar da Paraíba

Para concorrer, os interessados devem estar inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2019) e observar os requisitos exigidos no concurso, que estão logo no começo do edital, disponível no site da PM e no Diário Oficial do último sábado (18). Entre as exigências, tem a idade (completar entre 18 e 32 anos no ano da matrícula no curso, que é 2020), a altura (1,65 m para homens e 1,60 m para mulheres) e ser aprovado em todas as etapas do concurso.

O certame tem cinco fases: a intelectual, os exames de saúde, os de aptidão física, psicológica e avaliação Social. A primeira etapa é o ENEM, que acontecerá nos dias 3 e 10 de novembro. Candidatos classificados em até 5 vezes o número de vagas, serão chamados para as demais fases do concurso.

Isenção da taxa de inscrição
Doadores de sangue, que nos últimos doze meses realizarem três doações, doadores de medula óssea cadastrados na rede oficial e doadoras regulares de leite materno até um ano atrás têm isenção da taxa de inscrição. Para isso, os candidatos e candidatas devem fazer uma solicitação, do dia 1º ao dia 5 de junho, das 8h às 12h30, na sede do Comando Geral da PM, no centro da Capital.

O concurso do CFO, além da carreira promissora, podendo chegar até o posto de coronel da PM, tem o diferencial de que os aprovados já começam a receber remuneração durante o período de formação, começando logo no primeiro ano de curso, no valor de R$ 2.924,89.

A formação prepara o profissional para comandar e coordenar as ações de segurança pública, além do assessoramento ao comando, gerenciando também os recursos humanos e logísticos. O oficial é responsável também pelo planejamento de ações e operações, desenvolvendo processos e procedimentos administrativos militares, de estudos técnicos e capacitação profissional, a fim de proteger e preservar a vida dos cidadãos e garantir o pleno exercício dos seus direitos.


O silenciamento de Estela em um programa que traz a palavra “debate” no título

 

Paraibaja.com.br
Avatar Wagner Hardman Lima

Em tempos de negação do conhecimento científico, do ganhos enquanto sociedade do pacto dos Direitos Humanos e dos princípios basilares da Constituição Federal de 1988, também conhecida como ‘Constituição Cidadã’, as principais lições vêm do Jornalismo como campo de intermediação de conflitos, de fomento dos debates plurais na sociedade e como área defensora da preservação da integridade das pessoas em meio à disseminação de notícias falsas, apedrejamento de reputações e uso de veículos para disseminar, de forma indevida, discursos de ódio. Ao menos devia ser. Ao menos!

Isso era radicalmente o oposto do que se chamava de “imprensa marrom”. Mas, é preciso deixar lembrar que há o campo do saber e prática jornalísticos, e há as práticas cotidianas das pessoas que fazem uso dos meios sob o argumento de fazer jornalismo.

Não deveria me ater a importância do diploma do jornalismo como fim e sim como meio. Mas vou! A formação do jornalista permite, entre outras coisas, que o profissional compreenda os estudos da persuasão, dos meios de comunicação a serviços de regimes autoritários, mas, sobretudo, traz uma reflexão muito em baixa no mercado: a tentativa de compreender o público, a audiência e os interlocutores. Em especial, os interlocutores para poder melhor apresentá-los para seu público com seus méritos e suas contradições.

Esses interlocutores que a teórica Cremilda Medina nos faz compreendê-los como atores importantes no processo de produção de significados e conhecimentos durante a realização de uma entrevista.

Portanto, para a realização da reportagem ou da notícia, a entrevista e a observação são duas das ferramentas básicas do repórter e do jornalista.

Mas, especificamente, quero focar em um fato: o anúncio feito por Nilvan Ferreira da entrevista com a deputada estadual pelo PSB, Estela Bezerra e o seu silenciamento diante de acusações e tentativas de maximizar aquilo que ela respondia no programa Correio Debate, da Correio FM, pertencente ao Sistema Correio de Comunicação.

Primeiro fui pego de surpresa com a forma que alguns blogueiros trataram o fato em seus espaços de opinião: um “bate boca” entre a deputada e o apresentador. Não! Não houve bate boca. Houve um apresentador fora de controle emocional e com claro intuito de constranger uma parlamentar. Tanto que nenhum colega de bancada teve espaço para falar diante da monopolização do apresentador.

As redes sociais maximizaram o achismo como discurso divergente, como se fosse uma crítica. Jornalismo se faz com rigor até para tecer as críticas.

Todo o debate requer visões divergentes e mediação. Mas, será que na prática isso funciona tal qual? Fiquei com essa reflexão após a repercussão do vídeo da transmissão da entrevista em questão. Se o áudio já chocava, o vídeo amplifica essa impressão.

Desde o princípio, a cada resposta da deputada Estela, Nilvan retrucava “a senhora está querendo dizer…” ou ” a senhora não aprova o trabalho de fulano?” num claro exercício de esticar a corda da interpretação, coisa que o jornalismo sensacionalista sempre usou como ferramenta de trabalho: ao não ter uma frase de efeito retruca-se reformulando a opinião do entrevistado para ter a sentença a todo custo. Até ao custo de um “Sim!” a uma re-interpretação da fala da entrevistada. O “debate” ficou acalorado quando Estela retrucou que investigação não é condenação e lembrou ao apresentador que a empresa dele já foi alvo de investigação por suposta falsificação de roupas de marcas. Digo suposta, porque como não acompanhei o caso, me faço valer da informação divulgada à época.

O que se viu e ouviu no ar foi uma clara demonstração do silenciamento da entrevistada, diga-se uma mulher à frente de um mandato legítimo. Uma feminista, também jornalista, que em toda a sua trajetória deu consideráveis contribuições para a produção cultural e depois para os movimentos sociais ao participar da fundação do Cunhã – Coletivo Feminista, com forte atuação pelos direitos das mulheres em todos as suas esferas e perspectivas. Tudo isso muito antes de se tornar gestora pública e, consequentemente, política disputando cargos eletivos.

Silenciamento é algo extremamente discutido no meio social – e no movimento feminista em especial – quando há uma posição de poder em questão se valendo disso para tolher outra pessoa. Embora Estela seja deputada e esteja em um cargo de poder, no estúdio da emissora de rádio o poder estava nas mãos de quem controla o microfone e comanda o espaço radiofônico.

A teórica Cremilda Medina ao discorrer sobre as técnicas de entrevista ressalta que só há entrevista quando há diálogo e isso implica que as críticas podem vir de ambos os lados – e para o lado de cá de quem faz jornalismo e usa o microfone é preciso ter plena consciência do exercício profissional, controle emocional e uso de técnicas. Nesse caso em questão, o apresentador não abriu espaço para os colegas de bancada participarem e não deixou Estela responder completamente a maioria das perguntas, numa clara demonstração de poder, arrogância de quem detém o microfone.

Para além disso, o apresentador foi desrespeitoso com o próprio Sistema Correio, que sempre teve na FM embates acalorados, mas com respeito aos entrevistados. Não podemos ser injustos de tomar a exceção e fazer dela a regra, porque não seria justo com a história dos veículos que o compõe e da massa de jornalistas e radialistas socialmente responsáveis com o ofício da comunicação que atuam por lá.

Esse debate me lembra um outro em que o radialista Fabiano Gomes em outra emissora de rádio chamou Eliza Virgínia (PP) – então deputada estadual – de “caloteira” devido a divulgação de uma dívida de IPTU de um imóvel junto a Prefeitura de João Pessoa.

Além do tom desagradável, esse é o tipo do jornalismo baseado principalmente, na polêmica, na desinformação e no sentenciamento de reputações.

Fico a me questionar se alguém ousaria ter o mesmo tipo de postura se do outro lado lado da cadeira tivesse um homem…

Para piorar a situação, o radialista misturou os questionamentos com uma “bronca” de um embate de Estela com outro blogueiro. Na situação em questão, ela foi desrespeitosa ao chamar o jornalismo feito por ele de “bueiro”. Mas, o ouvinte que sintonizou na emissora para acompanhar o programa e a entrevista, a meu ver, não estava a fim de ouvir uma acareação feita no ar. Ao ligar o rádio, o ouvinte quer informação, ser levado às reflexões, ouvir denuncias e ter espaço para se expressar.

Se o radiojornalismo se tornar espaço de revanche de categoria ou servir para acareação para julgar e condenar reputações é preciso que ao menos exista a coerência de retirar a palavra “debate” do nome e do conceito. Se o Sistema Correio de Comunicação e a Correio FM não vier a público lamentar a postura do apresentador, o fato servirá de alerta para qualquer pessoa pública de que o debate pode ser conduzido a partir do humor do apresentador, e, a decisão dele é soberana sobre as hierarquias da empresa.

Que no futuro incerto que nos avizinha nenhuma mulher seja silenciada porque lugar de mulher é onde ela quiser!

À Estela, a minha solidariedade!


2020: RC diz que pretende conversar pessoalmente com as lideranças das principais cidades da Paraíba e prevê grande vitória


Por CONEXÃOPB Com Pbagora 

Em ano pré-eleitoral também se articula os rumos da política na Paraíba. Pelo menos é assim que pensa o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) ao comentar o processo eleitoral que decidirá a respeito dos novos gestores municipais no próximo ano. Segundo RC, sua meta será de ir conversar pessoalmente com as lideranças das principais cidades da Paraíba, visando eleger o maior número de gestores possíveis em 2020.

“Vou a cada região conversar com os companheiros e companheiras, sobre as estratégias que que nos dê novamente uma grande vitória”. O PSB pretende protagonizar as eleições nos dois principais colégios eleitorais da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande.

Durante recente entrevista, Ricardo avaliou que a população campinense tem demonstrado "cansaço" em relação ao atual modelo de gestão, desta forma, a legenda a qual pertence, pretende disputar as eleições na Rainha da Borborema. “Existe um cansaço enorme daquilo que lá está. Precisa de um projeto político novo. A gente vai partir unido para a disputa em Campina Grande", afirmou.

Na avaliação do ex-chefe do Executivo estadual, Campina Grande não tem apresentado investimentos de acordo com a importância e relevância do município na região. "Excetuando o complexo habitacional Aluízio Campos, a cidade não mantém um ritmo de obras e ações satisfatórios para uma cidade de tal porte. É uma gestão ineficiente", opinou.


Prefeito eleito de Cabedelo, Vitor Hugo toma posse hoje


AUTOR POLITICAETC.COM.BR 

O prefeito eleito de Cabedelo, Vitor Hugo Castelliano (PRB), e o vice-prefeito, Aguinaldo Silva (PSB), tomam posse nos cargos nesta próxima segunda-feira (20). A solenidade acontece no Cabedelo Clube, às 18h. A cerimônia de diplomação será no Fórum Eleitoral de Cabedelo a partir das 15h e deve ser conduzida pelo juiz da 57ª Zona Eleitoral, Salvador de Oliveira Vasconcelos.

Na eleição suplementar que aconteceu no dia 17 de março, Vitor saiu vitorioso pela coligação A Força do Trabalho com 23.169 votos, 73,07% do total dos votos válidos.

A Justiça Eleitoral negou, na sexta-feira (17), ação movida pela oposição para indeferir a chapa vencedora. Em seu parecer, o juiz da 57ª Zona Eleitoral, Salvador de Oliveira Vasconcelos, seguiu decisão do Ministério Público, que já havia emitido despacho favorável a Vitor Hugo.


Lula conheceu namorada no tempo das caravanas, e cultiva amizade há décadas


Foto: Reprodução / Facebook
A socióloga Rosângela da Silva é a mulher por quem Lula está apaixonado e com quem tem planos de se casar, conforme ele revelou ao economista Luiz Carlos Bresser-Pereira , em visita durante a última quinta-feira. Amiga de Lula desde os tempos das caravanas da cidadania, quando se conheceram, Janja, como Rosângela é chamada, vive em Curitiba, mas, segundo amigos do casal, ela é paulista. Os dois mantiveram a amizade durante esses anos, inclusive profissionalmente.

O namoro é de conhecimento de petistas há mais de um ano, pois os dois namoravam mesmo antes de Lula ser preso.

Rosângela está há 16 anos anos em Itaipu Binacional. Neste período, segundo seu perfil em uma rede social, ela foi cedida para a Eletrobras durante três anos e nove meses. Segundo amigos do casal, Rosângela visita Lula com frequência na cela da PF e tem em torno de 40 anos, portanto é algumas décadas mais jovem do que o ex-presidente.

A coluna não conseguiu contato com Rosângela. A assessoria de imprensa de Lula não quis comentar.

Após visitar Lula na prisão, Bresser-Pereira escreveu um texto sobre como foi a visita, chamado "Visita a Lula na prisão", em que compartilhou o que o presidente o contou.

"Na última quinta-feira eu visitei Lula. Ele está em ótima forma física e psíquica. (...) Está apaixonado e seu primeiro projeto ao sair da prisão é se casar", escreveu Bresser-Pereira.

Lula e Janja, em visita do então presidente a Itaipu Binacional Foto: Divulgação / Itaipu
Em outra rede social, Rosângela tem uma série de fotos enfeitadas com mensagens de apoio à liberdade de Lula. Numa das fotos, em junho do ano passado, ela posou abaixo da lua cheia e escreveu "O amor nos aproxima — a lua sobre nós".


Revista Época
GUILHERME AMADO


Sidebar Menu